[Especial] Harry Potter e a Ordem da Fênix

Autora: J. K. Rowling
Editora: Rocco
Páginas: 703

Finalmente, estamos em novembro e com esse novo mês temos uma estreia muito aguardada no cinema: Animais Fantásticos e Onde Habitam. Inspirada por essa volta ao universo mágico criado por J. K. Rowling, eu venho realizando desde o começo do ano um projeto de releitura da série Harry Potter. Infelizmente, não deu para ser um livro por mês, como eu havia imaginado no início, mas eu não abandonei a ideia.
Sendo assim, ainda em novembro vou publicar as resenhas sobre os três livros que faltam e suas respectivas adaptações para o cinema. Assim, a resenha de hoje é sobre Harry Potter e a Ordem da Fênix. (Para quem não acompanhou o projeto desde o início, as resenhas dos quatro primeiros livros estão disponíveis aqui, aqui, aqui e aqui)
Para mim, este sempre foi um dos melhores e mais importantes livros da série. Neste quinto volume, Harry está mais uma vez tendo péssimas férias na casa dos Dursley. Com poucas notícias dos amigos e sem saber o que Voldemort anda planejando, ele está se sentindo abandonado pelas pessoas que mais confiava e ainda tem que lidar com os pesadelos provocados pelas lembranças dos acontecimentos da final do Torneio Tribruxo.
Quando dementadores aparecem perto a casa dos Dursley, forçando Harry a usar magia para salvar a própria vida e a do primo, Duda, as férias de Harry se tornam ainda mais confusas. O menino finalmente é retirado da casa dos tios e levado para a sede da Ordem da Fênix, um grupo de pessoas lideradas por Alvo Dumbledore e que lutam contra Lord Voldemort. Além disso, o Ministério da Magia convoca um julgamento para expulsar o garoto de Hogwarts por usar mágica fora da escola.
Ao chegar lá, Harry reencontra o padrinho, Sírius Black, além de Hermione e a família Weasley. Depois de um mês vivendo com os trouxas, ele fica sabendo o que estava acontecendo na comunidade bruxa. O Ministro da Magia vem negando sistematicamente o retorno de Lord Voldemort e organizando uma campanha para desacreditar Dumbledore e o próprio Harry. Como consequência, muitos optam por duvidar do diretor e do garoto, o que dá mais liberdade para que Voldemort comece a colocar seus planos em ação.
Mesmo depois de voltar para Hogwarts, a vida de Harry não fica mais fácil. Além dos olhares desconfiados de vários colegas que acreditam nas campanhas feitas para desacreditá-lo, o menino ainda tem que lidar com a odiosa nova professora de Defesa contra as Artes das Trevas, Dolores Umbridge. Ela é uma enviada do Ministério para vigiar o professor Dumbledore e difundir as mensagens aprovadas pelo Ministro entre os alunos.
Como dá para ver por essa “breve” sinopse, Harry Potter e a Ordem da Fênix é o maior livro da série e muitas coisas acontecem nessa história. Podem acreditar que tudo que eu falei aí se trata apenas do início do livro. Harry passa por muitos problemas neste volume, além de alguns sentimentos conflituosos próprios da idade: o sentimento de incompreensão, o primeiro amor e os primeiros planos para o futuro depois que terminar os estudos em Hogwarts.
Harry Potter e a Ordem da Fênix conta com muitos personagens novos e o retorno de alguns antigos. Entre os que vemos pela primeira vez na série, estão alguns membros da Ordem da Fênix, como Quim Shaklebolt, um importante auror do Ministério, o trapaceiro Mundungo Fletcher, e a auror metamorfomaga (que tem a capacidade de mudar sua forma física), Ninfadora Tonks. Já em Hogwarts, é neste livro que vemos pela primeira a inteligente e excêntrica Luna Lovegood, uma aluna da Corvinal que é bastante menosprezada pelos colegas por seu comportamento muito diferente e o modo como sempre fala o que pensa. Por outro lado, somos apresentados a vilã mais sórdida e asquerosa da história da literatura, na minha opinião: Dolores Umbridge. Com um sorrisinho cínico e um ar de meiguice que não convence ninguém, ela é, com folga, a personagem mais odiosa da série. Sinceramente, nunca senti tanta raiva de um personagem quanto sinto desta, e toda vez que releio Harry Potter e a Ordem da Fênix o sentimento é o mesmo.
Dentre os personagens que retornam, estão alguns dos meus preferidos: Remo Lupin e Sírius Black. Além deles, conhecemos melhor o verdadeiro Alastor Moody. Além disso, é neste quinto volume da série que são apresentados alguns Comensais da Morte que antes só haviam sido mencionados ou vistos nas lembranças de Dumbledore, com destaque para Belatriz Lestrange, a mais fiel seguidora de Lord Voldemort.
O ritmo em Harry Potter e a Ordem da Fênix é um pouco mais lento, devido a quantidade de personagens e tramas dentro da história. No entanto, isto não significa que o livro seja monótono ou cansativo. J. k. Rowling mantém a magia presente nos livros anteriores, bem como a habilidade para incluir momentos mais leves e divertidos, mesmo com o tom mais sombrio desta história.
Outro aspecto que destaco é o contexto político deste livro, que, para mim, é o seu grande diferencial. É muito interessante ver a influência do Ministério e as falhas causadas por aqueles que se preocupam mais em manter seu poder do que fazer o que é certo. Assim, através desse contexto da comunidade bruxa, J. K. Rowling faz importantes reflexões sobre a nossa própria sociedade.

Assim, foi maravilhoso reler Harry Potter e a Ordem da Fênix e perceber mais uma vez as mudanças que ele trouxe para a série. Há um grande amadurecimento na história e nos personagens, e a escrita de J. K. Rowling se mostra ainda mais rica neste livro. Fiquei novamente impressionada com o modo como, independente de quantas vezes releio Harry Potter, a sensação de entrar em um universo mágico é a mesma. Além disso, o envolvimento e a emoção que sinto em acompanhar os personagens também permanece. Nos próximos dias, devo concluir a releitura dos dois últimos livros e publicar as respectivas resenhas no blog, mas confesso que já estou com saudades por antecedência. 

[Dica da Malu] O Mistério das Feras

Autora: Adriele Nardelli
Editora: Selo Jovem
Páginas: 200

A resenha de hoje é mais do que especial. Vou falar sobre O Mistério das Feras, romance de estreia da autora Adriele Nardelli, publicado pela editora Selo Jovem. Para quem não se lembra, já tinha contado que o Dicas de Malu fechou parceria com a autora e, por isso, recebi o livro de cortesia. Então, agora que eu já li, chegou a hora de contar para vocês a minha opinião.
O livro conta a história de Kiera, uma menina de 16 anos que tinha uma vida normal, como qualquer adolescente, até começar a ter estranhas premonições. O que pareciam ser simples pesadelos acabaram se tratando de visões de crimes que aconteceram ou iam acontecer. Para piorar, Kiera começa a questionar a própria sanidade quando aparece nos locais dos crimes sem ter ideia de como chegou e ainda vê duas feras, que parecem estar ligadas aos crimes. Com a chegada de Taylon, um estranho menino que parece saber mais sobre acontecimentos do que demonstra, Kiera começa a buscar respostas paras as várias dúvidas que tinha. No entanto, quando a verdade é revelada, ela descobre uma realidade ainda mais perturbadora do que poderia imaginar.
Quando li esta sinopse, imaginei que se tratava de um romance policial comum, com um grande mistério a ser revelado. Para minha surpresa, a história vai além disso, apresentando ao leitor uma nova e instigante realidade,
A escrita da Adriele é muito boa e prende a atenção do leitor desde o começo. O ritmo da história é muito intenso, cheio de mistérios e reviravoltas, tornando a leitura dinâmica e interessante. Além disso, o fato de termos a perspectiva de Kiera, mesmo com a narração em terceira pessoa, auxilia muito na construção do mistério da trama. O leitor vai descobrindo a verdade sobre aquelas estranhas premonições e os segredos sobre a nova realidade da protagonista junto com ela, o que contribui para aumentar a surpresa com as revelações.
Com relação aos personagens, senti que a apresentação deles foi um pouco superficial. Com exceção de Kiera, ainda há muito a ser aprofundado em todos os outros, especialmente Taylon. No entanto, isso não é um problema, pois faz parte dos mistérios da história. A própria Kiera não conhece ou entende bem aquelas pessoas, tendo uma compreensão ainda limitada de seus sentimentos e seu caráter. Além disso, trata-se do primeiro volume da série, então, acredito que o leitor poderá conhecer melhor e entender os personagens nos próximos livros.
Por outro lado, como a trama é centrada na perspectiva da protagonista, temos uma visão mais completa de Kiera. Apesar da situação em que se encontra, percebemos que ela é uma adolescente como outra qualquer: questionadora, teimosa, curiosa e, às vezes, imprudente. A postura dela pode ser um pouco irritante em alguns momentos, mas, se levarmos em consideração tudo que ela passa ao longo do livro, conseguimos entende-la.

De um modo geral, O mistério das feras é uma daquelas histórias que prende o leitor e o surpreende a cada página. Adriele Nardelli consegue manter um ritmo intenso, construindo bem o clima de mistério e criando reviravoltas que tornam a trama ainda mais interessante. Além disso, há um toque de fantasia que foi bem inserido na história. Com certeza, foi um ótimo início para a série, me deixando realmente curiosa para ler os próximos volumes e conhecer mais sobre o universo e os personagens apresentados. 

Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.