[Dica da Malu] ABC do Amor


Sinopse: “O amor é o personagem principal desta antologia que reúne três das mais românticas autoras da atualidade. Inconveniente, não retribuído, desejado, com final feliz ou sem esperanças, o amor não sai de moda. Em Doce reencontro, o destino encontra a saudade. Jade nunca esqueceu o ex-namorado, que terminou tudo e a trocou pela carreira. Mas a receita de um grande amor nunca desanda. O que acontece quando os dois se reencontram? O perdão é capaz de mudar a história em As cartas que escrevemos. Quando Jake retorna à cidadezinha onde cresceu, o agora ator famoso só esperava ver o seu grande amor mais uma vez. Mesmo que fosse no altar. Com outro homem. É possível fazer Ana Louise mudar de ideia? Além das cores prova que o amor pode nascer do desejo. Alice acabou com o pior tema no projeto final da faculdade. Ela precisa escrever a biografia de Leandro, um artista plástico temperamental, fechado e extremamente gato. A atração entre ambos é intensa, mas os fantasmas do passado podem atrapalhar tudo.” Autoras: A. C. Meyer, Brittainy C. Cherry, Camila Moreira / Editora: Galera Record / Páginas: 266 / Skoob / Comprar: Amazon

Três contos, três perspectivas diferentes sobre um mesmo sentimento. É assim que eu definiria o livro ABC do Amor, lançamento de 2017 da Galera Record. Nesse livro, três autoras reconhecidas por seus romances apaixonantes, A.C. Meyer, Brittainy C. Cherry e Camila Moreira, escrevem cada uma um conto que aborda o amor em um momento diferente.
No primeiro deles, Doce Reencontro, temos a história de Jade e Alex, um casal que se conheceu na adolescência e acabaram tendo seus caminhos separados por circunstâncias da vida. Anos depois, o destino acaba fazendo com que eles se reencontrem. Será que o amor pode sobreviver a tantos anos e tantas mudanças que ocorreram nas vidas de Jade e Alex?
Já no segundo conto, As cartas que escrevemos, Brittainy C. Cherry apresenta uma história sobre perdão. Depois de anos seguindo sua carreira de ator, Jake retorna para a cidadezinha onde viveu para o casamento de Ana Louise, a ex namorada que ele nunca esqueceu. Será que, depois de tanto tempo, ela ainda o amava como ele nunca deixou de amá-la? Seria esse amor suficiente para que ela o perdoasse?
Por fim, no conto Além das cores, da autora Camila Moreira, é retratado o amor que surge da atração. Em um péssimo dia, Alice é demitida, descobre que seu noivo a traia com sua melhor amiga e que, para o trabalho de conclusão de curso, ela teria que escrever uma biografia sobre o temperamental pintor Leandro Franz. O que ela não esperava é que surgiria uma inexplicável atração entre eles, mas que fantasmas do passado poderiam atrapalhar esse sentimento que estava surgindo e que eles não sabiam como nomear. Seria amor?



De um modo geral, gostei dos três contos e esse livro se mostrou uma leitura rápida e agradável. No entanto, acredito ser impossível falar sobre ABC do Amor como um todo, pois cada autora tem um jeito próprio de escrever e os contos não têm uma ligação entre si. Deste modo, vou falar um pouco sobre o que achei de cada um deles.

Algumas pessoas relacionam a saudade com a solidão. (...) Para mim, saudade não tem relação com a tristeza. Ela é a mola que impulsiona cada passo do meu caminho. Assim como o amor.

Doce reencontro fala sobre um amor que resiste à saudade, ao tempo e à distância. A leitura é muito fluida e, apesar de ser um conto, achei que a autora soube construir bem o romance e tornar o casal convincente. No entanto, senti falta de algum obstáculo para os protagonistas superarem, seja algum conflito do passado ou as mudanças que ocorreram ao longo dos anos que passaram separados, mas que deixasse uma dúvida, mesmo que pequena, se o casal ficaria junto ou não.
Outro aspecto que me incomodou um pouco foi a idade dos protagonistas. Jade tem apenas 23 anos e, antes do reencontro, Alex supunha que ela já estaria casada e com filhos. Sei que tem pessoas que se casam com essa idade ou menos, mas não é comum ao ponto de levá-lo a ter tanta convicção que Jade já deveria ter se casado e tido filhos. Além disso, eles são incrivelmente bem-sucedidos para a idade que têm. Algo que pode acontecer, mas também não é tão comum e fez a história se tornar menos convincente
De um modo geral, é um conto bem escrito e a leitura é bastante fluida. No entanto, mesmo os personagens sendo carismáticos, tive dificuldade de me conectar com eles. Gostei do conto e me diverti lendo, mas confesso que esperava mais e não cheguei a me encantar pelo romance.

Já em As cartas que escrevemos lembrei porque a escrita de Brittainy C. Cherry me conquistou quando li O ar que ele respira. Em poucas páginas, ela consegue conferir sentimento e complexidade aos seus personagens, despertando a empatia de quem lê. Assim, o que mais gostei é que este conto fala sobre perdão e traz protagonistas imperfeitos, que erraram no passado e precisam lidar com as consequências das escolhas que fizeram. Isso os tornou mais humanos e reais, o que tornou o amor deles mais verdadeiro, para mim.

“ – Porque quando se ama alguém, a gente espera o tempo que for para que as coisas se alinhem. Para que tudo entre nos eixos.”

A única ressalva que faço é que toda a trama se desenvolve em um final de semana. Mesmo se tratando de um conto, acho que foi muito apressado, considerando todas as mágoas e problemas que precisavam ser superadas. No entanto, foi uma leitura tão cativante que isso não tirou o brilho da leitura.


Por fim, o que mais me surpreendeu: Além das cores. A sinopse desse conto me desanimou um pouco, porque, normalmente, não gosto de romances em que o casal sente uma atração inexplicável e imediata. Porém, a Camila Moreira tem uma sutileza na sua escrita que tornou o casal e a química entre eles convincente.

“Via em seus olhos a admiração que sentia pelas cores. As minhas cores! Aquilo me fascinou. Ela parecia entender a dor que senti ao pintar, cada sentimento que transpus para a tela.”

Além disso, fiquei impressionada com o quanto ela conseguiu desenvolver os personagens em poucas páginas. Eles amadurecem ao longo do conto, superam traumas do passado e a própria construção do romance, ao contrário do que eu esperava, é gradual e convincente. Foi uma leitura que me conquistou completamente e me deixou curiosa para conhecer outros trabalhos da autora.
Com relação à edição, achei que a Galera Record caprichou. A capa é simples, mas bonita e delicada. Além disso, as páginas amareladas e o tamanho da fonte deixam a leitura confortável. Há ainda as páginas que iniciam cada conto que também são simples, mas bonitinhas e condizentes com as histórias que iniciam.
Assim, ABC do amor é uma leitura fluida, agradável e ideal para quem adora romances. São histórias diferentes, cada uma com seus méritos, mas que, de um modo geral, proporcionam bons momentos. Além disso, os contos são uma ótima oportunidade para conhecer a escrita da A. C. Meyer, da Brittainy C. Cherry e da Camila Moreira, e perceber o estilo de cada uma delas. Terminei a leitura em um único dia, feliz pelas histórias que encontrei e ansiosa para conhecer outros trabalhos das autoras.

Lidos de Novembro


O ano está acabando e sei que muitas pessoas estão aproveitando esses últimos dias de 2017 para ler aqueles livros que estavam na meta de leitura. No entanto, hoje vou parar com as leituras de dezembro para falar com vocês sobre os livros que li em novembro.
Devido à correria típica de final de ano, não consegui ler tanto quanto nos meses anteriores. Foram apenas cinco livros, sem contar um que eu não consegui terminar. No entanto, foram leituras muito proveitosas e que me surpreenderam positivamente.

Vidas muito boas, da J. K. Rowling
Esse livro é a transcrição do discurso inspirador feito por J. K. Rowling para uma turma de formandos de Harvard em 2008. Li esse livro não só por se tratar do discurso de uma das minhas autoras favoritas da vida, mas porque tinha certeza que, tendo em consideração os temas que ela abordou em sua fala, eu encontraria lições que me fariam realmente refletir. Não preciso nem dizer que foi exatamente isso que aconteceu e que, mais uma vez, me vi tocada pelas palavras de J. K. Rowling. Foi uma leitura rápida, mas inspiradora, e que se tornou ainda mais especial com as ilustrações contidas nessa linda edição da Rocco.

O refúgio do marquês, da Lucy Vargas.
Com essa correria, estava procurando uma leitura leve e divertida, então, o que poderia ser melhor do que um bom romance de época. Inspirada pelo especial Novembro de Época, resolvi aproveitar para conhecer a escrita da autora Lucy Vargas e ler um de seus romances. Esse não entrou para a lista dos meus queridinhos do gênero, mas ainda assim foi um livro muito gostoso de ler, com personagens cativantes e um romance bem construído. Inclusive, estou bastante curiosa para conhecer outros livros da autora. Vocês me indicam algum?

Trono de Vidro 5: Império de Tempestades, da Sarah J. Maas
Em novembro, eu finalizei a leitura do tomo 1 de Império de Tempestades e li o 2. Já saiu a resenha aqui, então, não vou falar muito sobre ele. Para quem não leu a resenha ainda, adianto que eu estou cada vez mais apaixonada por essa série e não vejo a hora de ler os dois próximos livros. O final é daqueles que deixam o leitor desesperado para saber o que vai acontecer e eu estou muito ansiosa tanto pelo sexto livro, que conta o que está acontecendo com o Chaol durante os eventos de Império de Tempestade, quanto pelo sétimo que vai dar continuidade a este quinto volume.

ABC do Amor, das autora A. C. Meyer, Brittany C. Cherry e Camila Moreira
Esse livro é composto por três contos, cada um escrito por uma autora, nos quais elas falaram sobre o amor por uma determinada perspectiva. No primeiro, o amor que se reencontra; no segundo, o amor que aprende a perdoar; e, no terceiro, o amor que surge da paixão. Como é comum em livros de contos, alguns são melhores do que outros, porém, nenhum deles chegou a ser uma leitura ruim. Todos os três foram leituras gostosas e fluidas, e confesso que o terceiro foi uma surpresa agradável para mim. A resenha sobre ele sairá em breve aqui no blog.

O beijo da lua, da Nana Valenttine
Última leitura que concluí em novembro, esse livro foi uma surpresa maravilhosa. Primeiro, porque eu ainda não conhecia a escrita da autora e só li porque ele foi o livro escolhido para a leitura coletiva do Novembro de Época. Segundo que ele trouxe assuntos muito mais sérios do que eu esperava encontrar e foi algo que me agradou muito. Adorei a construção de personagens que a autora fez e a maneira como ela conduziu a trama, me fazendo realmente temer pelo destino dos protagonistas em vários momentos. Adorei a leitura e estou ansiosa para ler a continuação.
           
Além destes cinco livros, eu comecei a leitura de Geekerela, uma releitura bem diferente da história da Cinderela e que eu devo terminar em breve para contar para vocês o que estou achando. E ainda comecei a ler Belinda & Em, mas a leitura não estava fluindo e eu acabei dando um tempo desse livro para retomar depois. No entanto, pretendo continuar a leitura dele em breve e trazer a resenha para vocês;

Esses foram os livros que eu li em novembro. Foram poucos, mas fiquei até satisfeita com o resultado. E vocês, o que leram no mês passado? Me contem aí nos comentários sobre as leituras de vocês e quais querem ler ainda esse ano.

Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.