[Dica da Malu] O garoto está de volta

Sinopse: “Um escândalo traz de volta à pequena cidade natal, à família e ao primeiro amor uma estrela do golfe. Reed Stewart pensou que todos os problemas de cidade pequena — incluindo um coração partido — haviam ficado para trás quando ele abandonou a microscópica Bloomville, Indiana, há dez anos para se tornar um rico e famoso profissional do golfe. Até um post na internet ter ressuscitado todas as suas inseguranças de adolescente. Becky Flowers investiu tempo e recursos para se tornar uma bem-sucedida profissional no ramo de realocação de idosos. Mas ela trabalhou ainda mais duro para esquecer que Reed Stewart sequer existia. Ela não tinha, absolutamente, a menor intenção de revê-lo, agora que ele voltou... até a família do garoto a contratar para ajudar na mudança dos pais.”  Autora: Meg Cabot  Editora: Galera Record  Páginas: 352  Skoob  Comprar: Amazon ◈ Exemplar recebido de parceria com a editora.

Quem me acompanha aqui no blog sabe que tenho uma relação um tanto complicada com os livros da Meg Cabot. Apesar de achar que ela tem uma escrita fluida e envolvente, normalmente a construção de personagens me incomoda. No entanto, resolvi fazer uma nova tentativa com uma obra da autora e solicitei o livro O garoto está de volta, lançamento de 2017 da Galera Record. Descobri que devo focar nos romances adultos da autora, pois este se mostrou uma leitura muito mais divertida do que os outros que já li dela.
Aliás, antes de tudo, preciso avisar que esse é o quarto volume da série e, pelo que pesquisei, há personagens secundários que aparecem nesse livro e que estiveram nos três primeiros volumes. No entanto, eu sinceramente não senti necessidade de ler os volumes anteriores, pois são tramas totalmente independentes. Assim, aviso dado, vamos ao que eu achei desse livro. 


Em O garoto está de volta conhecemos Becky Flowers e Reed Stewart. Os dois namoraram no tempo de escola, porém, acontecimentos no dia da formatura do Ensino Médio fizeram com que os dois se separassem. Reed foi embora da cidade e se tornou um famoso jogador profissional de golfe. Já Becky trabalhou duro nos 10 anos que se seguiram para ter sucesso com sua empresa de realocação de idosos.
No entanto, um escândalo envolvendo os pais de Reed faz com que ele retorne para a cidade Natal, a fim de ajudar seus irmãos a resolverem o problema. Claro que isso significará um reencontro entre ele e Becky, principalmente com a interferência da cunhada dele, Carly. A aproximação se torna inevitável quando Carly contrata a empresa de Becky para ajudar com a mudança dos pais de Reed para outra cidade. Será que os sentimentos que existiam entre eles realmente ficaram na adolescência ou eles ficarão balançados com esse encontro inesperado?

“Me apaixonar por ele foi o maior erro que cometi em toda minha vida. Às vezes ainda me odeio por isso.”

Um dos primeiros pontos que destaco sobre esse livro é a forma bem diferente que a história é contada. Não há uma narração linear, nem em primeira ou terceira pessoa. Vamos entendo os acontecimentos através de e-mails, mensagens no celular, anotações em diários e, até mesmo, reportagens. Isso contribui para que a leitura se torne extremamente rápida, pois não há muitas descrições, apenas diálogos e narrações mais resumidas nas reportagens e e-mails.
Preciso confessar que, no começo, tive dificuldade para me envolver com a leitura. Acho que, por não saber o que tinha acontecido no passado e por não ter uma descrição mais aprofundada dos personagens, com pensamentos e sentimentos, demorei um pouco a me conectar com a história. Além disso, o velho problema que tenho com a maneira como Meg Cabot escreve seus personagens, que quase sempre me parecem exagerados e forçados. No entanto, ao contrário do que aconteceu quando li outros livros da autora, especialmente, a série O diário da princesa, com o decorrer da leitura eles foram me conquistando e eu acabei me apegando a eles.


O Reed é um daqueles mocinhos que fazem a gente se perguntar onde encontrar um na vida real. Apesar das sérias divergências que ele teve com seu pai e dos erros que cometeu no passado, é um homem gentil, íntegro e carinhoso, além de um bom filho e sobrinho. Aliás, os e-mails dele para o tio são um dos aspectos que mais gostei no livro todo.
Já a Becky é uma protagonista que conquista o leitor aos poucos. Trata-se de uma personagem carismática, inteligente e divertida, mas sem ser exageradamente dramática ou atrapalhada. Ela trabalhou duro para manter a empresa da família e, claramente, ama o que faz e se sai muito bem nos negócios. Aliás, achei bem legal que a Meg Cabot fugiu dos padrões de chick-lits com mocinhas atrapalhadas e com dificuldades na vida profissional. Becky é forte, determinada e, apesar de não ter superado os sentimentos que tinha por Reed, seguiu muito bem com a sua vida sem ele.
Com relação aos personagens secundários, apesar de não terem muita profundidade, a maioria conquista pelo carisma e alguns aparecem quase tanto quanto o casal principal. O irmão e a cunhada de Reed, Marshal e Carly aparecem bastante e roubam a cena. Aliás, a Carly é a minha personagem preferida do livro todo, tendo uma personalidade forte e uma animação que contagiam o leitor. Além deles, gostei muito da irmã da Becky, a Nicole, e do tio do Reed.
Por outro lado, a irmã do Marshal e do Reed, Trimble, é uma das personagens mais desprezíveis que já tive a infelicidade de ler. Mimada, arrogante e egoísta, ela vive se fazendo de vítima e tem algumas atitudes totalmente reprováveis, principalmente em relação aos pais.


De um modo geral, não posso dizer que seja uma história original ou surpreendente, mas foi uma leitura muito divertida. É um romance leve e dinâmico, escrito de uma maneira que envolve e diverte o leitor. De todos os livros que já li da Meg, acho que esse foi o que ela dosou melhor os momentos engraçados, sem cometer (muitos exageros), e soube construir o envolvimento do casal principal de uma maneira mais convincente.
Não posso deixar de mencionar o quanto a edição está incrível. Toda a diagramação foi feita na forma de e-mails, mensagens de celular e, até mesmo, recortes de jornal. Há ainda uma árvore genealógica no começo do livro, que ajuda a entender melhor a relação dos personagens da família Stewart. Além de facilitar a leitura, esses detalhes demonstram o cuidado da editora e deixam o livro ainda mais especial.
Assim, O garoto está de volta não é uma leitura para quem procura personagens profundos ou uma trama surpreendente. Mas é o livro perfeito para quem ama chick-lits e deseja uma leitura leve e divertida, para se distrair e relaxar. Trata-se daqueles livros que a gente lê em uma tarde preguiçosa ou para curar uma ressaca literária. É um livro despretensioso, mas engraçado e com personagens cativantes, proporcionando bons momentos para o leitor. 

Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.