Livros Look What You Made Me Do

Tem jeito melhor de aproveitar um sábado à tarde do que com uma boa leitura? Para mim, não existe, ainda mais com o tempinho chuvoso que está fazendo na minha cidade. Pensando nisso e aproveitando que o novo álbum da Taylor Swift abalou a internet ontem, resolvi responder a tag Livros Look What You Made Me Do, que eu vi há algum tempo no canal da Thaís do Pronome Interrogativo (vídeo aqui) e que foi criada por ela e pelo Scrig, o Carone e o Fogs do canal 3 Dudes (vídeo aqui).
A tag consiste em seis perguntas que relacionam trechos da música Look what you made me do, o primeiro single do álbum Reputation, com livros. Então, podem apertar o play no vídeo abaixo e conferir as minhas respostas para a tag.


1 – “You asked for a place to sleep, locked me out and threw a feast”: Um livro que tenha traição.
Quando vi essa pergunta, pensei imediatamente em um dos meus livros favoritos desse ano: Talvez um dia, da Colleen Hoover. Desde a sinopse, já é possível perceber que este livro vai falar sobre traição. Afinal, a história começa quando Sky, a protagonista, descobre que seu namorado tem um caso com a sua melhor amiga, com quem ela divide o apartamento. Além disso, neste livro a Colleen Hoover também fala sobre a traição de um jeito diferente, que fez com que ele seja considerado muito polêmico, mas que eu adorei e que me fez sofrer junto com os personagens.

2 – “I’ll be the actress starring in your bad dreams”: Um livro com um vilão muito malvado.
Eu sempre achei o vilão o personagem mais difícil de ser construído nos livros, pois, se o autor não acertar a dose, ele pode se tornar facilmente caricato. No entanto, tem dois livros que trazem vilões que, para mim, são a própria definição da palavra maldade. Um deles é Harry Potter e a Ordem da Fênix, e é claro que eu o escolhi por causa da Dolores Umbridge, que é provavelmente a personagem mais desprezível e repugnante que já li. Mas resolvi incluir também o livro Trono de Vidro 5 – Império de Tempestades, que tem mais de um vilão que se encaixa nesta pergunta, incluindo uma personagem que já está quase ultrapassando a Umbridge na minha escala de ódio. Não citarei quais são os personagens de Trono de Vidro aos quais me referi, porque poderia ser spoiler, mas quem leu sabe de quais estou falando.

3 – “I’m sorry, the old Taylor can’t come to the phone right now. – Why? – Oh, cause she’s dead”: Um livro com um um plot twist (reviravolta no enredo) incrível.
Pensei em vários livros com plot twists que eu amo e que me fizeram ficar com o queixo no chão, completamente chocada com a reviravolta. Porém, resolvi citar aqui um livro que eu achei incrível e que acho que não falei tanto dele aqui no blog quanto ele merecia: A traidora do trono, segundo volume da trilogia A rebelde do deserto. Esse livro tem universo muito interessante e bem construído, personagens fortes e é ainda melhor do que seu anterior, mas o que me marcou foi o plot twist no final, pois não só eu não esperava, como me deixou com o coração partido e desesperada para a continuação.

4 – “Honey I rose up from the dead I do it all the time”: Um personagem que apesar das dificuldades não perde o brilho.
Escolhi para essa pergunta uma personagem de uma das minhas leituras de outubro e que conquistou minha admiração justamente por sua força em momentos de adversidade. Estou falando sobre a Auburn, do livro Confesse da Colleen Hoover. Logo no epílogo do livro eu já estava chorando com essa personagem e ao longo do livro ficou claro que a vida dela não seria nada fácil. Porém, nenhuma das adversidades que Auburn enfrenta tiram a sua força, o seu brilho e o seu carisma. Vou falar mais sobre ela na resenha, mas já adianto que é uma personagem que entrou na minha lista de favoritos.

5 – “I don’t like your perfect crime, you said the gun was mine”: Seu livro policial favorito.
Infelizmente, não tenho lido muitos romances policiais (algo que pretendo mudar em breve). No entanto, já li alguns muito bons e, sem dúvida, o que mais me marcou foi Assassinato no Expresso do Oriente, da Agatha Christie. Ele foi meu primeiro contato com a escrita da aturao e eu entendi totalmente o motivo de ela ser considerada a rainha do crime. Esse é aquele tipo de livro que tem uma trama tão bem construída que você fica o tempo todo tentando solucionar o mistério, pensando em mil e uma hipóteses e, no final, não era nada do que você poderia supor.

6 – “Look what you made me do”: Um livro que te fez virar a noite.
Para mim, é impossível virar a noite lendo, o sono sempre fala mais alto. Mas vários livros já me levaram a ler até tarde ou a desejar conseguir passar a noite lendo, porque não queria parar. Um desses livros foi uma leitura recente: Tartarugas até lá embaixo, do John Green. Eu não queria parar de ler esse livro, de tão envolvida que estava com a leitura e com os personagens incríveis que o autor criou. Eu queria muito continuar lendo e saber o que aconteceria com cada um deles, especialmente a protagonista Aza; tive que fazer um esforço enorme para parar e ir dormir e, confesso, que li até mais tarde do que deveria.

E aí, gostaram da tag? Me contem aí nos comentários o que acharam das minhas respostas, se já leram ou querem ler algum desses livros e até se gostaram do novo álbum da Taylor. Vou adorar saber o que vocês acharam.
Lembrando que se quiserem adquirir algum dos livros citados na tag, vou deixar o link de todos no final do post. Comprando através deles, vocês ajudam muito o Dicas de Malu.
E, por fim, não poderia deixar de avisar que tem um mega sorteio em parceria com vários blogs para o Especial Novembro de Época (aqui) e no instagram da Crônicas de Eloise (aqui). 

Tradução das frases:
1 – Você pediu um lugar para dormir, me trancou de fora e deu um banquete
2 – Eu serei a atriz estrelando seus pesadelos
3 – Sinto muito, a antiga Taylor não pode atender o telefone agora. – Por quê? – Oh, porque ela morreu.
4 – Querido eu ressurgi dos mortos, eu faço isso o tempo todo
5 – Eu não gosto do seu crime perfeito, você disse que a arma era minha
6 – Olha o que você me fez fazer

Links para compra:
Talvez um dia: Aqui
Harry Potter e a Ordem da Fênix: Aqui
Trono de Vidro 5 – Império de Tempestades (Tomo 1): Aqui
Trono de Vidro 5 – Império de Tempestades (Tomo 2): Aqui
A Traidora do trono: Aqui
Confesse: Aqui
Assassinato no Expresso do Oriente: Aqui
Tartarugas até lá embaixo: Aqui

[Resenha] Trono de Vidro 5: Império de Tempestades (Tomo 1 e 2)

Sinopse: “A história de Aelin Galathynius, sempre repleta de ação, intriga e cenas de luta inesquecíveis, continua neste quinto e penúltimo volume. Antes de serem traídos pelo atual rei, os Galathynius reinaram em Terrasen por séculos. E agora Aelin deseja recuperar a coroa e voltar a seu trono de direito... Mas o caminho até lá é longo e sinuoso. Amigos serão perdidos, lealdades serão quebradas e alianças inesperadas surgirão. Com a vida e poder jurados ao povo que está determinada a salvar, a antiga assassina, conhecida como Celaena Sardothien, colocará a própria segurança em risco para proteger os seus. Mas a única salvação está numa relíquia enterrada nas ruínas de um velho pântano.”Autora: Sarah J. Maas / Editora: Galera Record / Páginas: Tomo 1 - 354 e Tomo 2 - 322 / Skoob / Comprar: Tomo 1 e Tomo 2

Aviso! Essa resenha não contém spoiler de nenhum dos tomos de Império de Tempestades, porém, pode conter informações importantes sobre os quatro livros anteriores da série.

Quando eu pensava que a Sarah J. Maas já tinha me surpreendido o suficiente com a série Trono de Vidro, ela sempre me mostra que ainda pode se superar muito. Após os acontecimentos marcantes de Rainha das Sombras, a autora não perdeu o ritmo acelerado e trouxe mais uma trama repleta de ação, mistério e muitas reviravoltas.
Em Império de Tempestades, o leitor verá Aelin tentando retomar seu trono e se preparando para a guerra contra Erawan. Com a ajuda de Rowan, Lysandra e Aedion, ela segue para Terrasen, retornando para o seu lar após 10 anos. No entanto, ela descobre que recuperar sua coroa não será simples e que antes precisará conquistar a confiança dos lordes que cuidaram de seu país durante sua ausência. Para isso, ela parte em busca de aliados que a ajudem na guerra que se aproxima.
Enquanto isso, Dorian tenta manter o seu trono em Adarlan e superar o horror de tudo que fez e viu enquanto esteve sob o domínio do príncipe valg. Por outro lado, Manon Bico Negro se mostra cada vez mais incomodada com o caminho que a Matriarca está escolhendo para as bruxas e a cada página em que aparece vemos o seu amadurecimento e o quanto ela é muito mais do que uma arma controlada pela avó.


Um dos primeiros pontos que destaco nesse livro é o quanto ele destaca a inteligência da protagonista (e, obviamente, da autora que a escreve). Por se tratar de um livro no qual os personagens estão se preparando para uma batalha épica, é claro que há muita estratégia envolvida. A todo momento, acompanhamos conspirações, planos e alianças se formando, e é impressionante como Aelin sempre consegue surpreender com suas maquinações, demonstrando o quanto é observadora e astuta e que é uma estrategista ainda melhor do que imaginávamos nos livros anteriores.
Aliás, não é só a inteligência de Aelin que surpreende. O poder dela é incrível e muito maior do que eu imaginava. A cada batalha em que ela usa o fogo contra seus inimigos eu ficava mais assombrada com a sua força. Além disso, achei interessante a forma como a autora foi apresentando essas habilidades aos poucos, à medida que a própria Aelin ia se descobrindo e aprendendo a controlar seu poder, de modo a não o usar de maneira irresponsável ou levar ao próprio esgotamento.
Outro ponto que gostei muito é a maior participação dos feéricos. Rowan segue sendo maravilhoso; um guerreiro extremamente habilidoso, forte, protetor e leal. No entanto, também conhecemos mais sobre outros que um dia integraram sua equipe: Gavriel, Fenrys e Lorchan. Os três já haviam aparecido antes e Lorchan teve um papel importante em Rainha das Sombras, porém, nesse quinto volume os três ganham mais destaque e contribuíram positivamente para o livro. Preciso dizer ainda que, apesar de tê-lo odiado no livro anterior, Lorchan foi um dos personagens que mais gostei em Império de Tempestades, pois aqui vemos um outro lado dele e percebemos uma personalidade dual que não era visível antes e que o tornou muito mais interessante.
Sei que algumas pessoas reclamaram dos casais que foram formados ao longo do livro, mas, para mim, todos foram convincentes e conquistaram minha torcida. Apesar de serem um pouquinho previsíveis, achei que os motivos que levaram cada um desses pares a se aproximarem foram sinceros e coerentes e que se desenvolveram em relações muito bonitas.
No entanto, concordo com uma crítica que tem sido frequente sobre o livro: os excessos na relação de Aelin e Rowan. Não me levem a mal, eu amo o casal e, mesmo tendo torcido muito para ela ficar com o Chaol até meados do quarto livro, hoje já me conformei e sou #TeamRowan. Porém, a autora não precisava colocar tantas cenas românticas entre eles, algumas em momentos totalmente inapropriados. Não é algo que chegue a tirar o ritmo da trama, mas me causava um certo desconforto ver em momentos em que estavam traçando estratégias ou se preparando para algum ataque, Aelin e Rowan ficarem trocando insinuações e palavras sensuais. Cadê o senso de prioridade, migos?

Com relação aos personagens, eles não vivem só de romance e, de um modo geral, gostei do arco de todos eles ao longo do livro. Aelin continua me surpreendendo e conquistando minha admiração e respeito. Porém, Manon e Lysandra são, sem dúvida, as que têm trajetórias pessoais mais interessantes e se fortalecem muito. Como falei, os feéricos, Lorcan em especial, também ganharam espaço e todos eles me conquistaram de alguma forma. Já a jovem Elide foi uma grande surpresa e acho que tem tudo para se desenvolver ainda mais na continuação.
O único que destoou um pouco foi o Dorian. Não por ter se tornado chato ou ter me decepcionado de alguma forma, mas por não ter recebido muito destaque. Ele tem tantos conflitos internos e traumas do passado, mas a autora, apesar de não ter fingido que eles não existiam, também não deu muito espaço para que isso fosse trabalhado ao longo do livro. Achei que foi um desperdício um personagem tão interessante e complexo, que tinha tanto a contribuir, ficar de lado aguardando as ordens dos outros. Ele é rei de Adarlan, mas em vários momentos esquecemos que ele tem um trono e um país para defender tanto quanto Aelin.
Por outro lado, apesar dos excessos no romance de Aelin e Rowan e de ter pecado ao não explorar mais um personagem tão importante como Dorian, Sarah J. Maas continua sabendo construir tramas envolventes e eletrizantes. Há vários momentos que fazem o leitor prender a respiração e se impressionar com as cenas de ação e as reviravoltas. Fiquei tensa o tempo todo, e o desfecho me deixou desesperada pela continuação.
Com relação à polêmica divisão do livro em dois tomos, confesso que ainda não entendi a decisão da editora. Tanto, que optei por uma resenha que englobasse as duas partes. O “final” do primeiro tomo é muito tenso e acredito que a divisão acabou levando a uma quebra do ritmo. Felizmente, eu já li tendo as duas partes em mãos e continuei a leitura normalmente. No entanto, para quem teve que aguardar o lançamento do segundo tomo, deve ter sido bastante frustrante.
De um modo geral, posso dizer que estou cada dia mais feliz por ter decidido iniciar essa série. O universo criado pela Sarah J. Maas é incrível e os personagens são daqueles que conquistam nossa admiração e afeição sem que a gente perceba; quando vemos, já estamos sofrendo e nos preocupando com ele. A trama é muito dinâmica, cheia de reviravoltas e muita ação. Um livro ideal para quem gosta de estratégias e conflitos, com uma dose de romance. Apesar de alguns problemas, é uma leitura que recomendo muito e mal posso esperar para ler os próximos livros. Aliás, espero que a Sarah J. Maas escreva logo, porque não estou sabendo lidar com o final desse quinto volume.
E vocês, já leram a série Trono de Vidro? Me contem o que acharam de Império de Tempestades e se também estão ansiosos pelos próximos livros. Só peço que não comentem nenhum spoiler em respeito a quem ainda não leu.
E, caso vocês tenham interesse em adquirir os livros, não esqueçam de comprar pelo link do blog para a Amazon. Comprando por lá, vocês ajudam muito o Dicas de Malu.  

Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.