Book Tag: Flores de Livros

22 de set de 2018



Olá, pessoal! Hoje é o primeiro dia da primavera, também conhecido como o dia de trocar a capa do CD da Sandy & Júnior (por favor, falem que vocês lembram desse CD para eu não me sentir muito velha rsrsrs). Então, para combinar com a estação mais linda e florida do ano, resolvi responder a tag Flores de Livros.
Quem me marcou para responder foi a Ste do instagram Stebookaholic e vocês podem conferir as respostas dela lá. A tag é bem simples e consiste em algumas perguntas que relacionam tipos de flores a livros. Ideal para entrar no clima da primavera né? Então, sem mais delongas, vamos às minhas respostas:

Rosas – Um livro de romance
Eu amo um bom romance, então, foi difícil escolher. Porém, acabei optando por um dos melhores que li esse ano e que pretendo trazer a resenha em breve: Uma noiva para Winterborne, da Lisa Kleypas. Segundo volume da série Os Ravenels, esse livro tem todos os elementos de um ótimo romance: personagens bem construídos, casal com química e trama bem desenvolvida. Não preciso nem dizer que recomendo né?
Sinopse: “Rhys Winterborne conquistou uma fortuna incalculável graças a sua ambição ferrenha. Filho de comerciante, ele se acostumou a conseguir exatamente o que quer – nos negócios e em tudo mais. No momento em que conhece a tímida aristocrata lady Helen Ravenel, decide que ela será sua. Se for preciso macular a honra dela para garantir que se case com ele, melhor ainda. Apesar de sua inocência, a sedução perseverante de Rhys desperta em Helen uma intensa e mútua paixão. Só que Rhys tem muitos inimigos que conspiram contra os dois. Além disso, Helen guarda um segredo sombrio que poderá separá-los para sempre. Os riscos ao amor deles são inimagináveis, mas a recompensa é uma vida inteira de felicidade. Com uma trama recheada de diálogos bem-humorados e cenas sensuais e românticas, Uma noiva para Winterborne é o segundo volume da coleção Os Ravenels.”

Girassol – Um livro leve e divertido:
Para essa, não poderia escolher outro livro que não fosse Os 12 signos de Valentina, da Ray Tavares. Esse livro superou todas as minhas expectativas e foi, de longe, um dos livros mais engraçados e apaixonantes que já li. Pretendo trazer a resenha sobre ele em breve, mas para quem procura uma leitura bem leve e muito divertida, esse é uma ótima opção.
Sinopse: “Isadora é ariana e seu ex namorado pisciano... Inferno astral! Em busca da combinação astrológica perfeita, ela cria um blog para relatar suas experiências Isadora descobriu da pior forma possível que o namorado a traíra. E com sua melhor amiga, ainda por cima! A estudante de jornalismo entra numa fossa sem fim. Sem nenhum estágio à vista, ela se afoga em filmes feitos para chorar, pizza e em sua mais nova obsessão: stalkear o perfil do ex-namorado no Facebook. Até descobrir exatamente o que deu errado entre ela e Lucas: seus signos são incompatíveis. Basta encontrar um rapaz de libra e seu mundo entrará nos eixos novamente. Com a nova obsessão e a desculpa do trabalho final de jornalismo online, uma reportagem investigativa sob um pseudônimo, Isadora une o útil ao agradável e cria um blog para relatar a experiência: Os 12 signos de Valentina. Já que precisa encontrar o libriano perfeito, por que não aproveita e experimenta os outros signos do zodíaco para ter certeza mesmo?” 
Orquídea – O melhor livro do ano
Difícil decidir, porque li alguns livros maravilhosos esse ano e dois, especificamente, se destacaram bastante. Porém, como em breve vocês vão cansar de me ouvir falando sobre um deles, escolhi citar só o outro: A Heroína da Alvorada, da Alwyn Hamilton. Um dos melhores livros de fantasia que já li, encerrando maravilhosamente a trilogia, esse livro é o meu queridinho do ano e já tem resenha sobre ele aqui.
Sinopse (só para quem já leu os livros anteriores): “Quando a atiradora Amani Al-Hiza escapou da cidadezinha em que morava, jamais imaginava se envolver numa rebelião, muito menos ter de comandá-la. Depois que o cruel sultão de Miraji capturou as principais lideranças da revolta, a garota se vê obrigada a tomar as rédeas da situação e seguir até Eremot, uma cidade que não existe em nenhum mapa, apenas nas lendas — e onde seus amigos estariam aprisionados. Armada com sua pistola, sua inteligência e seus poderes, ela vai atravessar as areias impiedosas para concluir essa missão de resgate, acompanhada do que restou da rebelião. Enquanto assiste àqueles que ama perderem a vida para soldados inimigos e criaturas do deserto, Amani se pergunta se pode ser a líder de que precisam ou se está conduzindo todos para a morte certa.”

Flor de cerejeira – Um livro cheio de detalhes
Esse eu fiquei na dúvida se era um livro com muitos detalhes na capa ou na trama em si. Então, escolhi um que se encaixa nos dois casos: Corte de Névoa e Fúria. Vocês já viram a quantidade de detalhes nas capas dos livros dessa série? Além disso, a trama é repleta de informações importantes, detalhes e reviravoltas que tornam a leitura ainda mais interessante.
Sinopse (só para quem leu o primeiro livro): “Nessa continuação, a jovem humana que morreu nas garras de Amarantha, Feyre, assume seu lugar como Quebradora da Maldição e dona dos poderes de sete Grão-Feéricos. Seu coração, no entanto, permanece humano. Incapaz de esquecer o que sofreu para libertar o povo de Tamlin e o pacto firmado com Rhys, senhor da Corte Noturna. Mas, mesmo assim, ela se esforça para reconstruir o lar que criou na Corte Primaveril. Então por que é ao lado de Rhys que se sente mais plena? Peça-chave num jogo que desconhece, Feyre deve aprender rapidamente do que é capaz. Pois um antigo mal, muito pior que Amarantha, se agita no horizonte e ameaça o mundo de humanos e feéricos.”

Onze-horas – Um livro que dá para ler em um dia
Eu poderia facilmente responder Os 12 signos de Valentina novamente, porém, para não ficar repetitivo escolhi Mais que amigos, da Lauren Layne. Esse livro, além de ser bem fininho, tem uma trama leve e envolvente. A leitura flui muito bem e dá para ler em poucas horas.
Sinopse: “Será que vale a pena arriscar uma grande amizade em troca de um amor inesquecível? Aos vinte e dois anos, a jovem Parker Blanton leva a vida que sempre sonhou. Tem um namorado inteligente e responsável, um emprego promissor e a companhia de seu melhor amigo, Ben Olsen, com quem divide um lindo apartamento. Parker e Ben são tão grudados que muita gente duvida que eles morem sob o mesmo teto sem nunca ter vivido um caso, mas eles não se importam com o que as pessoas pensam. Sabem que não foram feitos um para o outro — pelo menos não para se envolver. Por isso, quando um acontecimento inesperado faz com que Parker se veja sem namorado e com o coração partido, ela sabe que pode contar com Ben para ajudá-la a sacudir a poeira e partir para outra. Afinal, ninguém seria mais ideal do que seu melhor amigo para lhe mostrar os prazeres da vida de solteiro certo? Mais que amigos é uma comédia romântica irresistível.”

Lavanda – Um livro que vai ler antes de virar filme
Não estou sabendo de nenhum livro que vá virar filme e que eu ainda não tenha lido. Então, trapaceei e escolhi um livro cujo filme já saiu, mas eu ainda não assisti: Extraordinário. Eu provavelmente sou a única pessoa do mundo que ainda não leu esse livro e nem assistiu ao filme, mas eu quero fazer as duas coisas. Então, pretendo ler em breve para poder assistir ao filme depois.
Sinopse: “August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso ele nunca frequentou uma escola de verdade.. até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular em Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apenas da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.”

Jasmin – Um livro que você espera que te surpreenda
Sem dúvida, o livro O Ceifador, do Neal Shusterman. Todo mundo fala tão bem desse livro, desde que ele foi lançado, que eu espero nada menos do que uma leitura maravilhosa e surpreendente. Eu sei que ter as expectativas muito altas costuma ser a fórmula para a decepção, porém, nesse caso, tenho esperança de que será um livro realmente surpreendente (de um jeito positivo).
Sinopse: “A humanidade venceu todas as barreiras: fome, doenças, guerras, miséria… Até mesmo a morte. Agora os ceifadores são os únicos que podem pôr fim a uma vida, impedindo que o crescimento populacional vá além do limite e a Terra deixe de comportar a população por toda a eternidade. Citra e Rowan são adolescentes escolhidos como aprendizes de ceifador — um papel que nenhum dos dois quer desempenhar. Para receberem o anel e o manto da Ceifa, os adolescentes precisam dominar a “arte” da coleta, ou seja, precisam aprender a matar. Porém, se falharem em sua missão — ou se a cumplicidade no treinamento se tornar algo mais —, podem colocar a própria vida em risco.”

Hibisco – Uma série que pretende finalizar esse ano
Tem algumas séries que eu pretendo finalizar esse ano, mas, sem dúvida, a mais importante é Trono de Vidro. Meu coração já está pequenininho de ansiedade para ler Kingdom of Ash, que será lançado em outubro nos EUA. Vou deixar a sinopse do primeiro livro para vocês conferirem.
Sinopse: “Nas sombrias e sujas minas de sal de Endovier, um jovem de 18 anos está cumprindo sua sentença. Celaena é uma assassina, e a melhor de Adarlan. Aprisionada e fraca, ela está quase perdendo as esperanças quando recebe uma proposta. Terá de volta sua liberdade se representar o príncipe de Adarlan em uma competição, lutando contra os mais habilidosos assassinos e larápios do reino. Endovier é uma sentença de morte, e cada duelo em Adarlan será para viver ou morrer. Mas se o preço é ser livre, ela está disposta a tudo.”

Lírios – O primeiro livro de 2018
Esse ano eu comecei muito bem minhas leituras com o livro Era uma vez no outono, segundo volume da série As quatro estações do amor, da Lisa Kleypas. Um romance de época apaixonante e com personagens bem construídos e cativantes.
Sinopse: “A jovem e obstinada Lillian Bowman sai dos Estados Unidos em busca de um marido da aristocracia londrina. Contudo nenhum homem parece capaz de fazê-la perder a cabeça. Exceto, talvez, Marcus Marsden, o arrogante lorde Westcliff, que ela despreza mais do que a qualquer outra pessoa. Marcus é o típico britânico reservado e controlado. Mas algo na audaciosa Lillian faz com que ele saia de si. Os dois simplesmente não conseguem parar de brigar. Então, numa tarde de outono, um encontro inesperado faz Lillian perceber que, sob a fachada de austeridade, há o homem apaixonado com que sempre sonhou. Mas será que um conde vai desafiar as convenções sociais a ponto de propor casamento a uma moça tão inapropriada?”

Essas foram as minhas respostas para a tag Flores de Livros e minha pequena homenagem ao início da minha estação favorita do ano. E vocês, já leram algum desses livros que eu mencionei? Me contem aí nos comentários o que acharam das minhas respostas e qual a sua estação favorita do ano.


Livros para reler

18 de set de 2018



Olá, pessoal! Como vocês estão? Hoje eu vim falar sobre um hábito que eu tinha há algum tempo atrás, mas que fui perdendo com o tempo: reler livros. Com tantas novidades chegando nas livrarias todos os meses, acabamos ficando com uma pilha enorme de livros para ler e esquecemos de reler aqueles que estão a mais tempo na estante.
Porém, qual o sentido de manter um livro já lido, se não temos a intenção de reler algum dia? Pensando nisso, eu ando pensando cada vez mais naqueles livros que me marcaram em algum momento da vida e que já não lembro muito bem a história. Por que não abrir um espacinho nas metas de leitura e dedicar um tempo para relê-los?
Por esse motivo, resolvi fazer uma lista com alguns livros e séries que eu pretendo reler em breve. Todos eles me marcaram por algum motivo e quero relembrar essas histórias para ver se elas me encantam como aconteceu da primeira vez que as li. Então, sem mais delongas, vamos à lista:

Trilogia Crônicas de Amor e Ódio, da Mary E. Pearson
Eu me encantei por essa trilogia desde que li o primeiro livro, The kiss of deception. Fiquei completamente fascinada pelo universo apresentado pela autora e esses livros sempre terão um lugar especial no meu coração. Porém, tem muitos detalhes que eu não lembro e, como em breve a DarkSide irá publicar outro livro da autora que se passa no mesmo universo, quero reler os três livros para esperar poder me dedicar à leitura desse lançamento.
Sinopse: “Tudo parecia perfeito, um verdadeiro conto de fadas – menos para a protagonista dessa história. Morrighan é um reino imerso em tradições, histórias e deveres, e a Primeira Filha da Casa Real, uma garota de 17 anos chamada Lia, decidiu fugir de um casamento arranjado que supostamente selaria a paz entre dois reinos através de uma aliança política. O jovem príncipe escolhido se vê então obrigado a atravessar o continente para encontrá-la a qualquer custo. Mas essa se torna também a missão de um temido assassino. Quem a encontrará primeiro?”

O nome do vento, do Patrick Rothfuss
Eu li esse livro há quase três anos atrás, mas ainda lembro o quanto essa leitura me fascinou. Considero um dos livros de fantasia mais diferentes e interessantes que já li, tanto que foi o livro que escolhi para ser a primeira resenha aqui do blog. Como aconteceu com os livros de As Crônicas de Amor e Ódio, eu esqueci muitos detalhes deste livro. Então, como eu pretendo ler o segundo volume em breve, antes eu irei reler O nome do vento para relembrar a história.
Sinopse: “Ninguém sabe ao certo quem é o herói ou o vilão desse fascinante universo criado por Patrick Rothfuss. Na realidade, essas duas figuras se concentram em Kote, um homem enigmático que se esconde sob a identidade de proprietário da hospedaria Marco do Percurso. Da infância numa trupe de artistas itinerantes, passando pelos anos vividos numa cidade hostil e pelo esforço para ingressar na escola de magia, O nome do vento acompanha a trajetória de Kote e as duas forças que movem sua vida: o desejo de aprender o mistério por trás da arte de nomear as coisas e a necessidade de reunir informações sobre o Chandriano – os lendários demônios que assassinaram sua família no passado. Quando esses seres do mal reaparecem na cidade, um cronista suspeita de que o misterioso Kote seja o personagem principal de diversas histórias que rondam a região e decide aproximar-se dele para descobrir a verdade. Pouco a pouco, a história de Kote vai sendo revelada, assim como sua multifacetada personalidade – notório mago, esmerado ladrão, amante viril, herói salvador, músico magistral, assassino infame. Nesta provocante narrativa, o leitor é transportado para um mundo fantástico, repleto de mitos e seres fabulosos, heróis e vilões, ladrões e trovadores, amor e ódio, paixão e vingança.” 
O último dos magos, da Lisa Maxwell
Esse será uma releitura mais imediata e vocês podem esperar ver muito esse livro por aqui. A continuação dele, The Devil’s Thief, será publicada em outubro nos EUA e eu estou fazendo parte do tour de divulgação. Em breve, vou publicar alguns posts muito especiais sobre ele aqui, então, quero relembrar a história para produzir um conteúdo muito bacana para vocês. Eu amei o universo e a história quando li pela primeira vez, então, estou muito empolgada para reler e relembrar os detalhes.
Sinopse: “Pare o mago. Roube o livro. Salve o futuro. Nova York dos dias atuais, a magia antiga e natural está quase extinta. Os poucos que ainda têm afinidade com ela – os mageus – vivem nas sombras, escondendo o que são. Além disso, qualquer mageus que adentre Manhattan é capturado por uma armadilha: a beira, uma barreira invisível que os deixa permanentemente presos à ilha. Atravessar a fronteira estabelecida pela beira significa perder os poderes – e, frequentemente, a própria vida. A jovem esta é uma ladra talentosa e cresceu sendo treinada para roubar artefatos mágicos da ordem, organização misteriosa criadora da beira. Esta também tem uma habilidade inata: manipular o tempo. A jovem é capaz de furtar objetos do passado, coletando-os antes mesmo que a ordem perceba que ela está lá. Mas todo o treinamento de esta tem sido para uma tarefa maior: viajar até o ano de 1902 para roubar um livro antigo. Acredita-se que o livro contém todos os segredos da ordem – e da beira. A missão de esta é furtá-lo antes que o mago o destrua, garantindo assim um futuro melhor a todos os que têm afinidade com magia. Mas a Nova York do início do século XX em que esta deve mergulhar é perigosa e sem leis, comandada por gangues e sociedades secretas. Um lugar em que é possível sentir magia até no ar que se respira. Nada é o que parece, nem mesmo o mago. E, para salvar o próprio futuro, esta deve trair a todos no passado – sem exceção.”

Fazendo meu filme e Minha vida fora de série, da Paula Pimenta
Acho que já falei muitas vezes o quanto eu amo a série Fazendo meu filme, da Paula Pimenta. Ela foi muito importante na minha adolescência e me acompanhou até a fase adulta. Depois dela, comecei a ler Minha vida fora de série, que se passa dentro do mesmo universo ficcional. Como o quinto livro desta série ainda não foi lançado, eu pretendo reler todos os livros de Fazendo meu filme e os que já foram publicados de Minha vida fora de série para relembrar os detalhes e estar preparada para quando a continuação sair.
Sinopse: “Fazendo meu filme é um livro encantador, daqueles que lemos compulsivamente e, quando terminamos, sentimos saudade. Não há como não se envolver com Fani, suas descobertas e seus anseios, típicos da adolescência. Uma história bem-humorada e divertida que conquista o leitor a cada página. Seja a relação com a família, consigo mesma e com o mundo; seja a convivência com as amigas, na escola e nas festas; seja a relação com seu melhor amigo e confidente. Tudo muda na vida de Estefânia quando surge a oportunidade de fazer um intercâmbio e morar um ano em outro país. As reveladoras conversas por telefone ou MSN e os constantes bilhetinhos durante a aula passam a ter outro assunto: a viagem que se aproxima. É sobre isto que trata este livro: o fascinante universo de uma menina cheia de expectativas, que vive a dúvida entre continuar sua rotina, com seus amigos, familiares, estudos e seu inesperado novo amor, ou se aventurar em outro país e mergulhar num mundo cheio de novas possibilidades. As melhores cenas da vida de Fani podem ainda estar por vir.”

A rebelde do deserto, da Alwyn Hamilton.
Eu sou completamente fascinada por essa trilogia, que é disparado a minha favorita. Eu li o último livro no primeiro semestre e foi um dos melhores desfechos de série que eu já li. Aliás, Heroína da Alvorada certamente estará na minha lista de favoritos do final do ano, porque que livro maravilhoso! Acredito que essa trilogia sempre terá um lugar especial na minha vida e, por isso, pretendo reler para recordar os detalhes e me maravilhar novamente com o universo rico e original criado pela autora.
Sinopse: “O deserto de Miraji é governado por mortais, mas criaturas míticas rondam as áreas mais selvagens e remotas, e há boatos de que, em algum lugar, os djinnis ainda praticam magia. De toda maneira, para os humanos o deserto é um lugar impiedoso, principalmente se você é pobre, órfão ou mulher. Amani Al’Hiza é as três coisas. Apesar de ser uma atiradora talentosa, dona de uma mira perfeita, ela não consegue escapar da Vila da Poeira, uma cidadezinha isolada que lhe oferece como futuro um casamento forçado e a vida submissa que virá depois dele. Para Amani, ir embora dali é mais do que um desejo — é uma necessidade. Mas ela nunca imaginou que fugiria galopando num cavalo mágico com o exército do sultão na sua cola, nem que um forasteiro misterioso seria responsável por revelar a ela o deserto que ela achava que conhecia e uma força que ela nem imaginava possuir.”

Bom, essas são algumas séries que quero muito reler em breve. Mas ainda há muitos outros livros que pretendo ler novamente, pois não merecem ficar esquecidos na estante. E vocês, têm o habito de reler livros ou acham que é perda de tempo? Me contem nos comentários a opinião de vocês e se tem algum livro especial que querem reler futuramente.
E, caso tenham se interessado por algum dos livros citados, não deixem de fazer suas compras na Amazon através destelink. Comprando por ele, vocês ajudam muito o Dicas de Malu, sem ter nenhum custo a mais.

[Resenha] Torre do Alvorecer - Trono de Vidro #6

13 de set de 2018


Não é segredo para ninguém que eu adoro a escrita da Sarah J. Maas e que, em pouquíssimo tempo, ela se tornou uma das minhas autoras favoritas. Mas, das duas séries dela que eu acompanho, nunca escondi minha preferência por Trono de Vidro (mas eu amo Corte de Espinhos e Rosas também, tá? Não precisam me odiar). E, entre tantos personagens maravilhosos presentes nesses livros, o meu queridinho sempre foi o Chaol.
Por esse motivo, vocês já devem imaginar o quanto eu estava ansiosa para ler Torre do Alvorecer, sexto volume da série Trono de Vidro, e que é centrado no Chaol. E, mais uma vez, a Sarah J. Maas deixou o meu coração de fã bem quentinho com um livro que torna o universo da série ainda mais rico e interessante, e ainda desenvolve maravilhosamente um personagem que eu amo desde o primeiro livro. Então, podem se preparar que essa resenha contará com altas doses de reverência à Sarah J. Maas e de amor ao Chaol.


Aviso importante: Torre do Alvorecer é o sexto volume da série, não um spin-off, então, é preciso ter lido todos os livros anteriores antes de ler esse. Assim, não recomendo a leitura desta resenha por quem ainda não tiver lido os demais volumes da série, principalmente Rainha das Sombras e os dois tomos de Império de Tempestades.

Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Tradução: Mariana Kohnert
Páginas: 644
Onde comprar: Amazon
Exemplar recebido de parceria com a editora
Sinopse: “No novo volume da série best-seller do The New York Times acompanhamos Chaol em uma tortuosa viagem a um império distante Chaol Westfall sempre se definiu por sua lealdade inquebrável, sua força e sua posição como capitão da Guarda. Mas tudo mudou desde que o Castelo de Vidro se quebrou, seus homens foram abatidos e o rei de Adarlan o poupou de um golpe de morte, mas deixou seu corpo quebrado. Sua única chance de recuperação reside nos lendários curandeiros da Torre Cesme em Antica — a fortaleza do poderoso império do continente do sul. E é para lá que ruma Chaol, acompanhado de Nesryn, única mulher na Guarda Real e sua nova capitã, depois de Chaol ter sido nomeado Mão do Rei. Mas com a guerra se aproximando de Dorian e com Aelin lutando por seu trono de direito, Chaol pode ser uma peça-chave para a sobrevivência dos dois jovens monarcas, convencendo outros governantes a se aliarem a eles. O que Chaol e Nesryn descobrem na Antica, no entanto, vai mudar os dois — e ser mais vital para salvar Erilea do que eles poderiam ter imaginado.”

Para quem não se lembra, no quarto volume da série Trono de Vidro, Rainha das Sombras, os personagens principais se dividiram. Aelin partiu com Rowan, Aedion e Lysandra para Terrassen; Dorian, agora rei, ficou com em Adarlan e Chaol partiu com Nesryn para o continente sul a fim de encontrar uma cura que o permitisse voltar a andar e também conseguir um exército para apoiar Aelin e Dorian na guerra que se aproximava. Em Império de Tempestades, vimos tudo que aconteceu com o grupo da Aelin e com o Dorian, então, Torre do Alvorecer apresenta a jornada do Chaol e da Nesryn no mesmo período.
Chaol tem dois objetivos claros e importantes: descobrir se há uma cura para sua coluna que o permita voltar a andar e conseguir um exército para ajudar Aelin e Dorain na batalha. Porém, nada disso seria fácil. Quando chega em Antica, Chaol encontra uma corte em luto pela morte de sua princesa mais jovem, um khagan pouco receptivo à ideia de se envolver em uma guerra quando sua terra é um lugar tão pacífico e evoluído, e membros da realeza que poderiam ser mais manipuladores do que qualquer um que ele conhecia.

Além disso, a cura para Chaol também seria um processo complicado. Para começar, a curandeira designada a ele não se mostra muito feliz com a perspectiva de curar um lorde de Adarlan. Além disso, mesmo com a ajuda dela, o tratamento dependeria da capacidade dele de combater seus próprios demônios e encarar memórias que ele não está disposto a reviver. 


A primeira coisa que eu preciso dizer sobre Torre do Alvorecer é que esse livro é um tapa na cara de quem criticava o Chaol ou que julgou a Sarah J. Maas pela decisão de dar um livro só para ele. A Sarah sabe o que faz, gente. Através deste livro ela conseguiu explorar melhor esse personagem e mostrar muitas camadas que ainda não tinham ficado claras nos livros anteriores, além de expandir ainda mais o universo da série, mostrando um mundo totalmente diferente do que tinha sido mostrado até então.
Antes de tudo, é preciso ter em mente que o Chaol foi se transformando ao longo da série. Nos dois primeiros livros, era um homem convicto de suas ideias e dos seus deveres. Com todas as descobertas que fez nos livros que se seguiram, tudo que ele sempre acreditou começou a ruir e Chaol se viu perdido e confuso. Algumas pessoas podem se irritar com essa indecisão dele, mas acredito que isso o tornou um personagem mais humano. Ele erra, magoa pessoas que ama, tem medos e carrega a culpa por suas ações, mas também demonstra uma profunda capacidade de sentir e de se transformar que o tornam o personagem mais complexo da série, na minha opinião.
“Chaol estivera afundando e se afogando desde então. Muito antes do ferimento na coluna. E não tinha certeza se sequer tentara nadar. Não desde que aquela espada fora parar no rio. Não desde que deixara Dorian naquele quarto com o pai e dissera ao amigo – ao irmão – que ele o amava, sabendo que era uma despedida. Chaol... tinha partido. Em todos os sentidos da palavra.”

Em Torre do Alvorecer, Chaol aparece mais amargurado por tudo que viveu e por se sentir impotente e incapaz de ajudar aqueles que ama na guerra que está por vir. Porém, não pensem que isso o tornou um personagem chato, porque foi justamente o contrário. É nesse livro que conseguimos entender completamente a dor, física e emocional, dele e o quanto ele se culpa por suas escolhas. Assim, acompanhar o processo de cura e o fato dele ser forçado a enfrentar seus conflitos e todos os sentimentos que tentou abafar ao longo dos anos, permite ao leitor compreender melhor as camadas que compõem esse personagem e admirá-lo mais.
Além disso, é uma verdadeira jornada de amadurecimento. Ao finalmente encarar seus demônios de frente, Chaol começa a definir quem ele realmente é e o papel que irá desempenhar. Confesso que poucas vezes fiquei tão orgulhosa ao notar a transformação de um personagem e me surpreendi ao terminar este livro o amando mais do que já amava nos livros anteriores.


Como boa parte do livro se concentra no tratamento do Chaol, a curandeira responsável por ele tem um grande destaque. Yrene Towers é uma das curandeiras da Torre, lugar onde as jovens com o dom da cura eram treinadas. Tendo uma evolução surpreendentemente rápida dentro da Torre e sendo a pessoa mais cotada para substituir a alta-curandeira, Yrene Towers recebeu a missão de cuidar do Chaol e tentar curar a lesão em sua coluna. Porém, conviver com um lorde de Adarlan trará para ela lembranças de um passado doloroso, o que não a deixa muito satisfeita com a missão.
“Não entendia – como ela poderia ser tão delicada, tão pequena, quando havia lhe virado a vida completamente de ponta-cabeça. Fizera milagres com aquelas mãos e aquela alma, essa mulher que atravessara montanhas e mares.”
O relacionamento de Yrene e Chaol é complicado desde o início, mas é interessante ver como a convivência acaba trazendo novas perspectivas para ela, fazendo com que algumas de suas convicções sejam abaladas. Além disso, gostei do fato de que, por mais que Yrene fosse a curandeira, ela também tinha seus próprios conflitos para enfrentar. Trata-se de uma personagem que conquistou minha admiração ao longo de todo o livro tanto por sua personalidade forte, quanto pelo fato de que ela também se mostra disposta a aprender com seus erros e amadurecer.
Por outro lado, eu tive uma certa dificuldade para me apegar à Nesryn. Ela foi uma muleta para o Chaol em muitos momentos e acho que demorou um pouco para se firmar no livro. Porém, aos poucos Nesryn vai ganhando espaço e mostrando mais da sua personalidade e da sua força. Ela desempenha um papel fundamental na trama desse livro, o que fez com que eu acabasse me apegando a ela no decorrer do livro e passasse a admirá-la.
“Nesryn viveria uma aventura. Para si mesma. Essa única vez. Ela iria ver a sua terra natal, e a cheirar, e respirar. Veria do alto, veria correndo tão rápido quanto o vento. Ela devia isso a si mesma. E devia a Chaol também.”

Há uma grande quantidade de novos personagens nesse livro, o que pode ser um pouco confuso no início. No entanto, é interessante ir percebendo o papel que cada um deles desempenha naquele reino e tentando identificar como eles podem interferir na missão do Chaol. É aquele tipo de livro em que você desconfia de todos os personagens e fica tentando decifrar as verdadeiras intenções deles. Minha dica é: não confie em ninguém.



Com relação à trama, boa parte do livro decorre sem grandes acontecimentos. Porém, não pensem que a leitura é maçante. Ao contrário, eu fui completamente envolvida tanto por esse novo reino que estava sendo apresentado quanto pelo desenvolvimento dos personagens. Além disso, quando a ação começa, é impossível parar de ler. São reveladas informações nesse livro que não apenas são fundamentais para a continuação da série, como foram totalmente surpreendentes. Uma delas, em especial, me deixou estirada no chão completamente em choque e sem saber como viver até o próximo livro ser publicado.
“Cada passo. Cada curva na escuridão. Cada momento de desespero e ódio e dor. Aquilo o levara até precisamente onde tinha de estar. Onde queria estar.”
Outro ponto que eu não posso deixar de destacar é o quanto o universo deste livro me surpreendeu. Quando eu pensei que Sarah J. Maas já tinha expandido essa série ao máximo, ela apresenta um reino muito mais forte do que aqueles que já haviam sido mostrados, com uma política muito mais avançada e uma ambientação muito rica. Eu tive muito medo antes de ler de que sair da ambientação dos livros anteriores poderia tornar Torre do Alvorecer cansativo e muito descritivo, mas, ao contrário, esse novo mundo apresentado foi um dos aspectos que mais gostei na leitura.
Assim, eu não preciso nem dizer nada sobre a escrita da Sarah né? Mesmo em um livro que demora um pouco a ter grandes acontecimentos, a leitura é muito fluida graças a habilidade que a autora tem de prender o leitor. Ela compensa a falta de ação com um ótimo desenvolvimento dos personagens e um universo muito interessante de se conhecer.
Com relação à edição, eu achei impecável. Algumas pessoas criticaram o fato da capa fugir do padrão das primeiras, mas achei totalmente compreensível já que esse livro não tem a mesma protagonista (ou vocês queriam a Aelin na capa de um livro do Chaol?). Além disso, ela tem elementos muito importantes e que fazem total sentido depois que terminamos a leitura.
Só me resta dizer, então, que esse livro foi um presente para o meu coração de fã. Adorei poder conhecer mais de um personagem que eu já admirava nos livros anteriores e ver sua evolução em uma jornada muito bonita. Além disso, adorei o modo como a Sarah conseguiu expandir e enriquecer todo o universo criado por ela, de um modo que eu não julgava possível. Agora, a ansiedade está a mil para saber o que ela está preparando para o desfecho da série em Kingdom of Ash, que será lançado mês que vem nos EUA. Como a única sobrevivência que a autora já garantiu é a da Ligeirinha, acho que podemos esperar um livro com fortes emoções.

Série Trono de Vidro
Trono de Vidro: Resenha aqui / Comprar: Amazon
Coroa da Meia-Noite: Resenha aqui / Comprar: Amazon
Herdeira do Fogo: Resenha aqui / Comprar: Amazon
Rainha das Sombras: Resenha aqui / Comprar: Amazon
Império de Tempestades – Tomo 1 e 2: Resenha aqui / Comprar: Tomo 1- Amazon e Tomo 2 - Amazon

Dicas para ler em inglês

9 de set de 2018


Quem viu o post com as minhas leituras de agosto, deve ter percebido que eu li alguns livros em inglês. Esse é um hábito que eu tenho há algum tempo tanto por querer praticar o idioma quanto porque, muitas vezes, não consigo esperar o lançamento do livro no Brasil.
Pensando nisso, resolvi trazer algumas dicas para quem está querendo começar a ler em inglês. Mesmo para quem já tem um nível mais avançado do idioma, muitas vezes é difícil pegar um livro inteiro para ler em outra língua. Porém, acredito que com a prática vai ficando mais fácil.

1 – Livros com vocabulário mais fácil.
Acredito que a forma mais fácil de começar a ler em inglês é procurando livros mais leves e que têm um vocabulário mais simples, que não exijam um conhecimento mais profundo do idioma e nem que sejam difícil de prender a atenção do leitor. Em especial, recomendo livros YA que costumam ter uma linguagem mais simples do que um livro de fantasia, por exemplo.

2 – Reler um livro que você já leu em português.
Quando nós relemos um livro, a leitura é muito mais fácil e clara do que da primeira vez que lemos. Por esse motivo, pegar para ler em inglês uma história que você já conhece, vai facilitar muito a sua compreensão e ainda absorver melhor o vocabulário.

3 – Ler um livro com o qual você já esteja familiarizado.
Mas, e para aqueles que amam fantasia, não dá para começar lendo um livro do gênero? Dá sim, mas é preciso ter em mente que será um caminho mais difícil. Por esse motivo, recomendo ler um livro que você, pelo menos, esteja mais familiarizado com o universo. O primeiro livro que eu li em inglês foi o último volume da série Harry Potter. Admito que, nos primeiros dias de leitura, tive mais dificuldade. Porém, já conhecer a escrita da autora e muitos dos termos criados por ela, facilitou muito a minha vida.

Essas são as formas que considero mais fáceis para quem está começando a ler em inglês. É claro que cada um tem seu ritmo e algumas pessoas podem ter mais facilidade que outras, mas o importante é não desistir e ir sempre tentando outros livros. Quando ler em outros idiomas se torna um hábito, fica mais fácil a cada livro.
Aproveito também para deixar uma lista de alguns livros que eu já li em inglês e que considero ser uma boa opção para quem vai começar a ler nesse idioma. Além deles, vou listar também outros livros que eu tenho e que também foram recomendados para quem quer praticar o inglês. Vou deixar o link para compra de todos e lá vocês podem conferir as sinopses de cada um.

Livros que eu já li e recomendo:

Anna and the french kiss, da Stephanie Perkins
Sinopse: “Anna mal pode esperar por seu ultimo ano do Ensino Médio em Atlanta, onde ela tem um bom emprego, uma melhor amiga leal, a um crush que pode se tornar mais. Então, ela não fica muito animada quanto seu pai inesperadamente a manda para uma escola interna em Paris – até que ela conhece Etienne St. Clair, o garoto perfeito. O único problema? Ele é comprometido, e Anna pode ser, também, se alguma coisa vier do seu antigo crush. Poderá um ano de desencontros em Paris terminar com o beijo francês esperado por Anna?" Comprar: Amazon
 
The bad boy bargain, da Kendra C. Highley
Sinopse: “O jogador de baseball Kyle Sawyer tem muitos rótulos: bad boy, delinquente, mulherengo, corajoso defensor... Apenas um deles é verdadeiro. Porém, a doce dançarina de ballet Faith Gladwell pede a ele que acabe com a reputação dela, e tudo vira de cabeça para baixo. Faith sabe um coisa ou duas sobre amor, e o que ela tinha com o seu ex-namorado traidor e idiota não era. Quando ele começa a espalhar rumores sobre ela ser uma Rainha de Gelo, Faith decide que é hora de deixar um pouco de mal entrar na sua vida. Para sua sorte, Kyle Swayer – o sombrio, e perigoso Kyle Swayer – está cuidando do seu jardim durante as férias de primavera. Sem camisa. E se ela puder convencê-lo a fingir, “namorar” Kyle silenciará os rumores. Mas o plano de Faith pode expor o maior segredo ele... e esse risco ele não está disposto a correr.” Comprar: Amazon

Harry Potter and the Cursed Child, da J.K. Rowling, John Tiffany e Jack Thorne (Apesar de ser um livro de fantasia, trata-se do roteiro da peça e, portanto, tem um vocabulário bem mais simples que os demais livros da série Harry Potter).
Sinopse: “Sempre foi difícil ser Harry Potter e não é mais fácil agora que ele é um sobrecarregado funcionário do Ministério da Magia, marido e pai de três crianças em idade escolar. Enquanto Harry lida com um passado que se recusa a ficar para trás, seu filho mais novo,  Alvo, deve lutar com o peso de um legado de família que ele nunca quis. À medida que passado e presente se fundem de forma ameaçadora, ambos, pai e filho, aprendem uma incômoda verdade: às vezes as trevas vêm de lugares inesperados.” Comprar: Amazon

Adorkable, da Cookie O’Gorman
Sinopse: “Adorkable (ah-dor-kuh-bul): Termo descritivo significando ser igualmente um idiota e adorável. Como referência, veja Sally Spitz. A adolescente de 17 anos Sally Spitz está cansada de namorar. Ou, pelo menos, ela está cansada dos horríveis encontros às cegas que sua melhor amiga, Hooker, arruma para ela. É o máximo que uma garota geek e defensora da Grifinória pode suportar. A sua solução: ela precisa de um falso namorado. E rápido. Entra Becks, jogador de futebol fenômeno, totalmente sexy e melhor amigo da Sally praticamente desde o nascimento. Quando Sally pede a Beck para ser seu FBF (fake boyfriend – falso namorado), Becks fica muito feliz em ser usado. Ele faria qualquer coisa por Sal – mesmo que isso signifique dar a ela lições no seu quarto, dizer que ela é “mais do que bonita” e beijá-la nas festas. O problema: Sally foi apaixonada por ele a vida toda e ele não faz ideia. Esse livro apresenta dois melhores amigos e incontáveis beijos abaixo da orelha, e traz a pergunta: quem quer um namorado real se fingir pode ser muito mais divertido?” Comprar: Amazon

All your perfects, da Colleen Hoover
Sinopse: “ O amor perfeito de Quinn e Graham é ameaçado pelo casamento perfeito deles. As memórias, os erros e os segredos que eles construíram ao longo dos anos agora estão ameaçado separá-los. A única coisa que poderia salvá-los pode também ser a coisa que empurra o casamento deles a um ponto sem volta. All your perfects é um romance profundo sobre o dano que um casal cujo potencial futuro depende de promessas feitas no passado. Esse é um livro destruidor, que pergunta: Pode um ressonante amor com o começo perfeito sobreviver a uma vida entre duas pessoas imperfeitas?” Comprar: Amazon

Livros que eu pretendo ler:

Eliza and her monsters, da Francesca Zappia
Sinopse: “No mundo real, Eliza Mirk é a tímida, estranha, inteligente e sem amigos. Online, Eliza é a Lady Constellation, a criadora da popular webcomic chamada Mostrous Sea. Com milhões de seguidores e fãs no mundo, Eliza é muito popular. Então, Wallace Warland se transfere para a escola dela e Eliza começa a se perguntar se a vida off-line pode vale a pena. Mas quando o segredo de Eliza é acidentalmente compartilhado com o mundo, tudo que ela construiu – a sua história, sua relação com Wallace, e até sua sanidade – começa a ruir.” Comprar: Amazon

City love, da Suzanne Collasanti
Sinopse: “No primeiro livro desta cativante nova série da autora best-seller Susane Colasanti, três garotas compartilham um apartamento em Manhattan no verão antes da faculdade começar. Esse verão mudará tudo para Sadie, Darcy e Rosanna. Sadie sonha alto e segue seu coração, esperando que sua alma gêmea esteja na esquina. Darcy quer um verão de aventuras com garotos tendo Nova York como seu playground. Rosanna está fugindo de segredos sombrios do seu passado, desesperada para se reinventar. Sem os pais, sem regras e uma cidade inteira para explorar, essas três garotas estão à beira do melhor verão da vida delas. Contado a partir de pontos de vista alternados, City Love ressoa com os momentos quanto tudo é emocionante, fantástico e assustador ao mesmo tempo... de um modo que nunca será novamente.” Comprar: Amazon

The infinite moment of us, da Lauren Myracle
Sinopse: “Pelo tempo que ela consegue se lembrar, o objetivo de Wren Gray sempre foi agradar seus pais. Mas quando a formatura do Ensino Médio se aproxima, vem também uma percepção desagradável: agradar aos seus pais uma vez se sobrepôs a agradar a ela mesma, mas agora... não muito. Wren precisa honrar seus próprios desejos, mas como ela pode se nem sabe quais são eles? Charlie Parker, por outro lado, está dolorosamente certo do desejo do seu coração. Um rapaz gentil com um passado complicado, Charlie tem amado Wren desde o dia em que ele a viu pela primeira vez. Mas uma garota como Wren nunca se apaixonaria por um cara como Charlie – pelo menos não o tipo de cara que Charlie pensa ser. E, ainda assim, certas coisas são escritas nas estrelas. E no verão depois do Ensino Médio as almas de Wren e Charlie vão se encontrar. Mas almas são complicadas, assim como os corpos que as hospedam...” Comprar: Amazon

Without Merit, da Colleen Hoover
Sinopse: “A família Voss é tudo menos normal. Eles vivem em uma igreja reformada, recentemente batizada Dollar Voss. A mãe que teve câncer vive no porão, o pai é casado com a antiga enfermeira da mãe, o pequeno meio-irmão não é permitido fazer ou comer nada divertido e os filhos mais velhos são irritantemente perfeitos. Então, tem a Merit. Merit Voss coleciona troféus que ela não ganhou e segredos que sua família a obriga a manter. Enquanto procura nos antiquários locais pelo seu próximo troféu, ela encontra Sagan. A sagacidade e idealismo sem remorso dele a desarmam e trazem nova vida para ela – até que ela descobre que ele está completamente indisponível. Merit se recolhe ainda mais dentro de si, vendo sua família pelos cantos, quando ela aprende um segredo que nenhum troféu no mundo pode concertar. Alimentada pelas mentiras, Merit decide quebrar a ilusão de família feliz da qual ela nunca fez parte deixando-os para traz. Quando os planos dela de fuga falham, Merit precisa lidar com as consequências desconcertantes de contar a verdade e perder o único garoto que ela ama.” Comprar: Amazon



E vocês, também têm o hábito de ler em inglês? Me contem aí nos comentários se também gostam de ler em outros idiomas para praticar e quais livros recomendam para quem está querendo começar.

Leituras de Agosto

4 de set de 2018


Olá, leitores! Setembro já começou e agora é hora de fazer um balanço das leituras de Agosto. O mês que passou foi marcado pela Bienal e eu confesso que achei que as leituras nem iriam render, porque fiquei alguns dias de ressaca depois da viagem. Porém, escolhi alguns livros bem leve e, aos poucos, fui recuperando o ritmo.
No total, foram nove livros lidos, além de dois que eu comecei em agosto, mas vou terminar só agora em setembro. Não foi um mês de leituras espetaculares, mas gostei da maioria dos livros lidos.

Adorkable – Cookie O’Gorman:
O típico romance adolescente clichê, mas muito envolvente. Ele tem um clima divertido e cativante que acho ideal para quem gostou de Para todos os garotos que já amei. Não é o melhor YA que eu já li, mas é sem dúvida uma leitura fluída e muito gostosa. E, para quem quer praticar o inglês, esse livro é uma ótima oportunidade, já que tem um vocabulário mais tranquilo. 
Sinopse: “Adorkable (ah-dor-kuh-bul): Descriptive term meaning to be equal parts dorky and adorable. For reference, see Sally Spitz. Seventeen-year-old Sally Spitz is done with dating. Or at least, she's done with the horrible blind dates/hookups/sneak attacks her matchmaking bestie, Hooker, sets her up on. There's only so much one geek girl and Gryffindor supporter can take. Her solution: she needs a fake boyfriend. And fast. Enter Becks, soccer phenom, all-around-hottie, and Sally's best friend practically since birth. When Sally asks Becks to be her F.B.F. (fake boyfriend), Becks is only too happy to be used. He'd do anything for Sal--even if that means giving her PDA lessons in his bedroom, saying she's "more than pretty," and expertly kissing her at parties. The problem: Sally's been in love with Becks all her life--and he's completely clueless. This book features two best friends, one special edition Yoda snuggie, countless beneath-the-ear kisses and begs the question: Who wants a real boyfriend when faking it is so much more fun?"

The boy I hate – Taylor Sullivan:
Outra dica para quem quer treinar o inglês com uma leitura mais leve e divertida. Trata-se de um new adult com uma trama um tanto clichê também, mas personagens bem construídos. Os protagonistas têm uma história mal resolvida do passado, mas precisarão conviver por alguns dias enquanto viajam para o casamento da irmã dele. Claro que isso é a fórmula para muita confusão e um romance apaixonante.
Sinopse: “Samantha Smiles and Renee Montgomery have been best friends for over a decade. They’ve shared laughs, secrets, and a mutual hatred for one person: Tristan Montgomery, Renee's older brother. He was the guy every girl wanted, and every guy wanted to be, and it wasn't uncommon they'd befriend his little sister just to get closer to him. Which was exactly how Samantha became Renee’s saving grace. She was the only girl Renee could trust not to fall in love with her older brother. Until the one night Samantha spent with him alone, leaving her questioning everything she’d ever known about the blond headed heart-throb. Years later, Renee asks Samantha to be her maid of honor. After being one-upped by her boyfriend's career, and with no other option, Samantha is forced to drive cross-country with the focus of their teenage ire. He was her first kiss. Her only secret. Can Samantha survive the trip cross-country with the reckless Tristan Montgomery? The guy who did what he wanted, whenever he wanted, without worry for tomorrow? Or will she discover a different side of him. One that’s sweet, funny, and maybe a little bit vulnerable. And fall completely and helplessly in love for the first time in her adult life with the one man who could cause her to lose her best friend forever?”

Heroínas – Laura Conrado, Pam Gonçalves, Ray Tavares:
Sobre Heroínas, não vou falar muito porque já saiu resenha sobre ele aqui. Porém, eu admito que era uma leitura que eu esperava mais, então, não me agradou tanto. Porém, para um público mais jovem, o livro tem uma proposta muito interessante e mensagens importantes. 
Sinopse: “Não faltam heróis. Dos clássicos às histórias contemporâneas os meninos e homens estão por todo lugar. Empunhando espadas, usando varinhas mágicas, atirando flechas ou duelando com sabres de luz. Mas os tempos mudam e já está mais do que na hora de as histórias mudarem também. Com discussões feministas cada vez mais empoderadas e potentes, meninas e mulheres exigem e precisam de algo que sempre foi entregue aos meninos de bandeja: se enxergar naquilo que consomem. Este é o livro de um tempo novo, um tempo que exige que as mulheres ocupem todos os espaços, incluindo a literatura. Laura Conrado imaginou as Três mosqueteiras como veterinárias de uma ONG, que de repente contam com a ajuda de uma estudante que não hesita em levantar seu escudo para defender os animais. A Távola Redonda de Pam Gonçalves é liderada por Marina, que diante do sumiço do dinheiro que os alunos de sua escola pública arrecadaram para a formatura, desembainha a espada e reúne um grupo de meninas para garantirem a festa que planejaram. E Roberta é a Robin Hood de Ray Tavares. Indignada com a situação da comunidade em que vive, a garota usa sua habilidade como hacker para corrigir algumas injustiças. Este é um livro no qual as meninas salvam o dia. No qual elas são o que são todos os dias na vida real: heroínas. Finalmente."

Se não houver amanhã – Jennifer L. Armentrout:
Sem dúvida, o melhor livro que eu li em agosto. Confesso que foi uma leitura mais dolorosa do que eu imaginava, mas é porque eu não tinha ideia do assunto que seria abordado (não vou contar qual é, pois considero um spoiler). No entanto, é um tema muito relevante e que precisa ser discutido sim. Ainda vou escrever a resenha sobre ele, porém, já adianto que está mais do que recomendado. 
Sinopse: “Da autora best-seller Jennifer L. Armentrout, de Obsidiana (Saga Lux), este romance genuíno retrata as conseqüências de cada pequena decisão... Lena Wise está sempre ansiosa pelo dia seguinte, especialmente porque está começando o último ano da escola. Ela está decidida a passar o máximo de tempo possível com os amigos, completar as inscrições da faculdade e talvez informar seu melhor amigo de infância, Sebastian, sobre o que realmente sente por ele. Para Lena, o próximo ano vai ser épico — um ano de oportunidades e conveniências. Até que uma escolha, um instante… destrói tudo. Agora Lena não está ansiosa pelo dia seguinte. Não quando o tempo que dedica aos amigos pode nunca mais ser o mesmo. Não quando as inscrições para a faculdade podem ser qualquer coisa, menos viáveis. Não quando há o risco de Sebastian jamais perdoá-la pelo que aconteceu. Pelo que ela permitiu que acontecesse. À medida que sua culpa aumenta, Lena está ciente de que sua única esperança é superar o ocorrido. Mas como é possível seguir em frente quando a existência inteira, tanto dela quanto a de seus amigos, foi transformada? Como seguir em frente quando o amanhã sequer é garantido?”

Amor imenso – Penélope Ward: 
Esse foi meu primeiro contato com a escrita da autora, mas gostei bastante. No começo, não estava gostando muito da trama e odiei o mocinho. Porém, aos poucos eu fui conquistada pela história e terminei apegada aos personagens. A trama é um pouco clichê, mas a autora soube desenvolvê-la bem e deu uma carga emocional para o casal principal que contribuiu muito para que a leitura se tornasse mais interessante.
Sinopse: “Desde garoto, Justin amava Amelia, que odiava Justin desde que ele se mudou para a casa vizinha à da sua avó, em Rhode Island. Não, nada disso. Amelia também amava Justin, mas um mal-entendido o fez pensar que a garota mais incrível do mundo não correspondia ao seu amor e, pior, o odiava. Os anos se seguiram, e os dois tomaram caminhos distintos até que o destino – e um empurrãozinho de Nana, avó de Amelia – os reuniu novamente na casa onde se conheceram quando eram adolescentes. Obrigados a compartilhar o mesmo espaço, Justin – que aparece na casa de praia de Nana com a namorada – e Amelia vivem como cão e gato. Orgulhosa, a princípio ela não dá o braço a torcer ao amor que sempre sentiu pelo vizinho e reluta o quanto pode contra os encantos de um Justin, agora, mais maduro e... muito mais atraente. Será que ambos resistirão à paixão e ao desejo que os incita desde a adolescência?”

O amor não tem leis: O julgamento final – Camila Moreira:
Quando eu li o primeiro livro dessa série, me decepcionei bastante com a leitura. O segundo não foi muito melhor, porém, consegui simpatizar mais com os personagens e teve um mistério na trama cuja solução realmente me surpreendeu. Assim, foi uma leitura que me incomodou em alguns aspectos e poderia ser melhor, porém, não chegou a ser ruim. Ainda pretendo ler outros livros da autora, incluindo o terceiro volume desta série, protagonizado pelo meu personagem preferido até agora. 
Sinopse: “O amor não tem leis – O julgamento final, a continuação da história de amor de Maria Clara e Alexandre Ferraz. O destino mais uma vez afasta Maria Clara de seu grande amor. Um trágico acontecimento obriga a jovem a abandonar Alexandre Ferraz no momento em que ele mais precisa dela. Sentindo-se culpada pelo acidente que pode ter tirado a vida de Diego, irmão de Alexandre, Maria Clara não vê outra alternativa a não ser fugir e buscar consolo nos braços Derek Mayer, o ex-namorado. Desesperado, Ferraz não consegue entender como ela teve coragem de desaparecer. Com a tragédia que atingiu o irmão, ele descobrirá que o que sente por sua menina é mais forte do que imaginava. Em "O amor não tem leis – O julgamento final", o dr. Alexandre Ferraz tem em mãos o caso mais difícil de sua vida: conquistar o amor de uma mulher determinada a não amar.”

Uma dama fora dos padrões – Julia Quinn:
Lançamento mais recente da Julia Quinn, esse livro foi uma leitura deliciosa e muito divertida. Confesso que não entrou para os meus preferidos da autora, até por ter uma trama mais simples. Porém, adorei os diálogos divertidos e terminei a leitura muito apegada aos protagonistas. Além disso, há algumas referências muito legais para quem leu a série Os Bridgertons, embora não seja obrigatória ler antes desse.
Sinopse: "“Às vezes você encontra o amor nos lugares mais inesperados... Esta não é uma dessas vezes. Todos esperam que Billie Bridgerton se case com um dos irmãos Rokesbys. As duas famílias são vizinhas há séculos e, quando criança, a levada Billie adorava brincar com Edward e Andrew. Qualquer um deles seria um marido perfeito... algum dia. Às vezes você se apaixona exatamente pela pessoa que acha que deveria... Ou não. Há apenas um irmão Rokesby que Billie não suporta: George. Ele até pode ser o mais velho e herdeiro do condado, mas é arrogante e irritante. Billie tem certeza de que ele também não gosta nem um pouco dela, o que é perfeitamente conveniente. Mas às vezes o destino tem um senso de humor perverso... Porque quando Billie e George são obrigados a ficar juntos num lugar inusitado, um novo tipo de centelha começa a surgir. E no momento em que esses adversários da vida inteira finalmente se beijam, descobrem que a pessoa que detestam talvez seja a mesma sem a qual não conseguem viver."

O príncipe dos canalhas – Loretta Chase:
Esse livro estava parado na minha estante há algum tempo e acabou sendo uma leitura muito boa. Foi meu primeiro contato com a escrita da autora e eu gostei bastante. Os personagens são bem construídos, os diálogos são muito divertidos e a trama foi desenvolvida de um modo envolvente. É uma ótima leitura para quem gosta de romances de época e me deixou muito curiosa para ler outros livros da autora.
Sinopse: “Sebastian Ballister é o grande e perigoso marquês de Dain, conhecido como lorde Belzebu: um homem com quem nenhuma dama respeitável deseja qualquer tipo de compromisso. Rejeitado pelo pai e humilhado pelos colegas de escola, ele nunca fez sucesso com as mulheres. E, a bem da verdade, está determinado a continuar desfrutando de sua vida depravada e pecadora, livre dos olhares traiçoeiros da conservadora sociedade parisiense. Até que um dia ele conhece Jessica Trent... Acostumado à repulsa das pessoas, Dain fica confuso ao deparar com aquela mulher tão independente e segura de si. Recém-chegada a Paris, sua única intenção é resgatar o irmão Bertie da má influência do arrogante lorde Belzebu. Liberal para sua época, Jessica não se deixa abater por escândalos e pelos tabus impostos pela sociedade – muito menos pela ameaça do diabo em pessoa. O que nenhum dos dois poderia imaginar é que esse encontro seria capaz de despertar em Dain sentimentos há muito esquecidos. Tampouco que a inteligência e a virilidade dele pudessem desviar Jessica de seu caminho. Agora, com ambas as reputações na boca dos fofoqueiros e nas mãos dos apostadores, os dois começam um jogo de gato e rato recheado de intrigas, equívocos, armadilhas, paixões e desejos ardentes.”

Um duque arranjado – Aline Rubert:
Descobri esse livro totalmente por um acaso na Amazon e, como estava disponível no Kindle Unlimited, resolvi aproveitar. O enredo é bastante clichê, mas os personagens são tão carismáticos e os diálogos tão divertidos que é impossível não ser envolvido. É um romance de época simples, mas muito cativante.
Sinopse: “Se existe um título pior que “solteirona”, Melissa Bourne o desconhece. Após oito temporadas falhas ela já havia aceitado que se casar não é algo que faria em sua vida, e por mais que normalmente não se importasse ainda era doloroso ver a irmã mais nova se casar na primeira temporada. Enquanto escapava dos olhares no baile de Lady Valbury, acabou por se deparar com um desconhecido nos jardins. Um estranho sedutor, com um beijo que a permitiu conhecer a liberdade de ser desejada, e nunca mais o veria. Ao menos foi o que pensou, antes de na semana seguinte ser pedida em casamento por ele. Rannolf Rasbury, o Duque de Hampton, sabia que precisava de herdeiros para seguir com seu título, para isso teria que arranjar uma esposa apenas por conveniência, e quem melhor que a solteirona mais antiga da sociedade, quem ele julgou que aceitaria imediatamente a oferta? Só não contava que ela fosse a garota que beijou nos jardins. A união entre um Duque que rejeita o amor e uma sonhadora apaixonada pode soar improvável, mas algumas chamas quando acesas são quase impossíveis de se apagar...”

Além desses, eu comecei Torre do Alvorecer, da Sarah J. Maas, e O guia do cavalheiro para o vício e a virtude, da Mackenzie Lee, que recebi de cortesia da Galera Record na Bienal. Estou quase terminando os dois e, em breve, trago a resenha para vocês.
E vocês, o que leram em agosto? Me contem aí nos comentários sobre as leituras desse mês que passou e se já leram algum desses livros que mencionei.