[Resenha] Ruína - Ruined #1

25 de fev de 2018

Autora: Amy Tintera
Editora: Galera Record
Páginas: 308
Skoob
Onde comprar: Amazon
Exemplar recebido em parceria com a editora
Sinopse: “Ninguém temia Emmelina Flores, a filha inútil da rainha mais poderosa que Ruína já viu... Até agora. O primeiro livro da trilogia Ruína. Emmelina Flores não tem nada. Ela não tem poderes como os outros habitantes de Ruína, seus pais foram assassinados, seu lar destruído e sua irmã, Olivia, levada por seus inimigos. Mas justamente por isso ela também não tem o que temer. Impulsionada por seu desejo de vingança, ela parte numa perigosa jornada para o reino inimigo de Lera, onde espera encontrar Olivia, colocando em ação um plano arriscado e ambicioso, que envolve se casar com o primeiro na sucessão ao trono, se passando por outra pessoa. Mas o príncipe talvez não seja quem ela imaginou que seria. O coração de Emmelina, endurecido pela raiva, começa a ceder. Mas com sua vida – e a da irmã – em jogo, qualquer momento de dúvida pode ser arriscado demais. O primeiro livro da Trilogia Ruína de Amy Tintera traz elementos comuns à fantasia rearranjados de maneira inovadora e apresentados em um ritmo alucinante. Repleto de ação, o livro apresenta mulheres fortes, poderosas, decididas e, porque não, até mesmo cruéis, dispostas a tudo para alcançar seus objetivos.”

Sabe aquele livro que você já quer antes mesmo de ler a sinopse? Foi exatamente isso que aconteceu comigo quando vi a capa de Ruína, da autora Amy Tintera, publicado pela Galera Record ano passado. Só pelo título e pela capa já percebi que se tratava de uma fantasia e achei tão incrível que fiquei imediatamente louca para ler. Agora que eu finalmente realizei esta leitura posso dizer que meu amor à primeira vista foi recompensado com uma trama que me prendeu da primeira à última página.
Primeiro volume de uma trilogia, Ruína apresenta o leitor a Emmelina Flores, jovem princesa que viu seus pais serem mortos e sua irmã ser levada pelo reino inimigo como prisioneira. Agora, seu povo está sendo perseguido e dizimado, mas Emm não vai desistir de libertar Olívia e vingar a morte de seus pais.
Para isso, ela se passará pela princesa Mary, do reino de Vallos, para se casar com o príncipe Casimir, o herdeiro do trono de Lera, e se infiltrar no palácio. O objetivo dela é descobrir onde sua irmã está presa e destruir a família real daquele reino. O plano é arriscado e se ela for descoberta a sentença será a morte, porém, Emm age impulsionada pelo amor à Olívia e o cego desejo de vingança.
O que ela não poderia imaginar é que conviver com o príncipe Casimir iria fazer com que ela o visse com outros olhos. Será que todos em Lera têm realmente culpa pelo que aconteceu em Ruína? E se seu coração começar a ceder ao jovem príncipe, os sentimentos por ele poderiam ser maiores do que seu desejo de vingança?


Como eu disse no início da resenha, a leitura de Ruína me prendeu desde a primeira página. O principal motivo para isso é que a autora não perdeu tempo com descrições do universo apresentado, que normalmente tiram o ritmo. Ela já insere o leitor imediatamente na ação, fazendo com que as explicações aconteçam à medida que a trama vai se desenrolando. Com isso, a leitura já começa muito dinâmica e o leitor fica instigado para entender melhor os personagens e a situação daqueles reinos.
Apesar de não ter uma premissa tão original (me lembrou um pouco A Seleção e A Maldição do Vencedor), achei interessante a forma como a trama foi desenvolvida. Há um grande desenvolvimento da parte política, com conspirações, traições e uma guerra iminente. Além disso, a autora não cai no clichê de colocar um reino como bonzinho e outro como opressor e violento. É possível perceber ao longo do livro que erros graves foram cometidos pelos dois lados, mas que há também pessoas inocentes envolvidas. Essa dualidade é interessante, pois fica difícil torcer para um dos reinos e condenar o outro.


Além disso, achei que a autora acertou na construção dos personagens. É possível perceber as motivações deles, bem como os conflitos que vão surgindo ao longo da trama. O destaque é, sem dúvida, a protagonista Emm. Logo no início já fica evidente que ela é uma pessoa movida pela vingança, mas está longe de ser fria e calculista como deseja se fazer parecer. Apesar de ser esperta e ter uma grande habilidade para batalha, ela tem inseguranças por sempre ter sido vista como uma inútil pelo seu próprio povo.
“Ninguém temia Emmelina Flores, a inútil filha da rainha mais poderosa que Ruína já conhecera. Mas eles temeriam”.
Aliás, um dos aspectos que mais gostei nessa personagem é o fato de não encontrar nela um elemento que tem se tornado comum em protagonistas de livros de fantasia: a pessoa que tem um poder incrível e é vista por todos como a salvadora. Emm, mesmo sendo princesa, não possui magia e por isso é vista pelo seu povo como inútil, que não está apta a lidera-los. Assim, tudo que ela realiza é mérito da sua inteligência, força, determinação e muito treinamento.
E o que dizer do Príncipe Casimir? Ele é um dos mocinhos mais apaixonantes que já li e, no lugar da Emm, eu nem lembraria de vingança alguma com ele por perto. Cas é íntegro, justo e generoso, tem um bom senso de humor e uma inocência que são muito cativantes. Apesar de ainda não saber enfrentar o pai e nem ter coragem de emitir suas opiniões, é visível que ele se questiona sobre várias políticas adotadas pelo rei e, ao longo do livro, se torna mais forte e confiante para expressar essas dúvidas.
“Não sei o que é mais horrível: nossas ações ou o fato de que o senhor não parece nem um pouco incomodado com elas”.

Com relação ao romance, achei interessante que ele não muda a essência da Em ou do Cas. Quando começam a se conhecer melhor, a convivência acaba abalando algumas de suas convicções, especialmente para Emm. No entanto, em nenhum momento eles esquecem de suas prioridades e das responsabilidades que carregavam.


Deste modo, o romance exerce um papel importante no desenvolvimento dos personagens, mas não compromete a trama e nem tira o espaço da política e nem das cenas de ação. Além disso, apesar de achar que a relação da Emm e do Cas foi um tanto rápida, o carisma dos personagens acabou se sobrepondo e considero quase impossível não torcer por eles.
“A lembrança de como era quanto ele se importava com ela ia ser a coisa mais dolorosa depois que ele começasse a odiá-la”
Os personagens secundários não são tão explorados, mas aparecem o suficiente para entendermos seu papel na trama. Além disso, alguns deles devem ganhar mais destaque nas continuações. Em especial, gostei muito de Aren e Galo, melhores amigos da Emm e do Cas, respectivamente. E também estou ansiosa para saber mais sobre Íria, uma guerreira que participa do plano de Emm, e Jovita, a prima de Cas que desconfio que ainda esconde muitas coisas.
Outro ponto importante sobre o livro é o quanto a escrita da Amy Tintera é muito fluida. Ela soube introduzir o universo de maneira satisfatória, sem deixar a leitura lenta. A trama se desenvolve com dinamismo e até mesmo os grandes acontecimentos, que imaginei que ficariam restritos ao final, começaram na metade do livro e dali para frente foi só tiro, porrada e bomba. Além disso, achei que a autora conseguiu um equilíbrio entre ação, romance, política e fantasia, sem deixar que nenhum desses elementos tomasse mais espaço do que deveria.
“– Você já se perguntou – falou ele olhando para o chão – se talvez nós é que sejamos os perigosos, e não os habitantes de Ruína.”
O único ponto que me decepcionou um pouco foi o fato de não haver grandes reviravoltas. O livro tem muitos acontecimentos o tempo todo, deixando o leitor tenso e ansioso para continuar lendo, mas não há nenhuma grande revelação ou surpresa que mude tudo. No entanto, isso não chega a ser um problema, pois é um livro de introdução ao universo criado pela autora e, nesse sentido, ele funciona muito bem e deixa os caminhos para a continuação totalmente em aberto.
Com relação à edição, como já disse no início da resenha, eu amei essa capa. Além de totalmente condizente com o livro, ela é muito bonita e com detalhes que vistos de perto fazem toda diferença. Além disso, as páginas são amareladas e gostei bastante do tamanho da fonte. Só senti falta de um mapa que me permitisse entender melhor as localizações dos reinos. Não sei se tem na edição original, mas acho que ajudaria muito na leitura.
Assim, acredito que Ruína é uma ótima opção para quem procura uma fantasia épica. É um livro que, apesar de não ter grandes surpresas, tem muita ação, intrigas, romance e política, tornando a leitura envolvente desde a primeira página. Amy Tintera apresentou o universo com habilidade e soube dar um desfecho para o livro que deixe o leitor instigado a ler as continuações. Inclusive, estou torcendo muito para que o segundo volume chegue logo ao Brasil, pois não vejo a hora de mergulhar novamente nesse universo.
Eu gostei muito dessa leitura, mas agora quero saber a opinião de vocês. Quem já leu, me conte nos comentários o que achou do livro. E, para os que ficaram interessados em ler, deixei o link para compra no início do post. Comprando através dele, vocês ajudam o Dicas de Malu com uma pequena comissão.

24 comentários:

  1. Oi, Malu. Achei a premissa já bem batida, mas me interessei bastante pela leitura da obra. Adorei a sua resenha e espero poder ler o livro em breve para matar a curiosidade.

    ResponderExcluir
  2. Olá!

    Caramba, só de saber que é uma fantasia, eu já tive minha curiosidade avivada aqui. Sua resenha ficou maravilhosa e me deixou com uma visão ampla sobre a trama. Consequentemente, estou louca para poder conhecer mais dessa história. Livro entrando pra listinha!

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia este livro ainda, mas ainda bem que gostaste de fazer a leitura...! :) Fiquei curioso!

    Bem, acho ótimo que seja uma ótima leitura de fantasia épica! So e pena, realmente, que as reviravoltas sejam poucas...

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Sei sim! Aconteceu comigo agora, não conhecia mas a sinopse já me conquistou e a resenha só fez corroborar. Pena mesmo não ter reviravoltas pra tornar a leitura perfeita, mas mesmo assim sinto que preciso ler!
    Parabéns pela resenha. Bjs

    ResponderExcluir
  5. Tenho fugido um pouco de fantasias épicas e por isso talvez deixe essa dica para depois, mesmo tendo achado a sinopse muito legal e que os personagens parecem bem construídos.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  6. Ao contrário de vc eu não compraria o livro por causa da capa. Não achei ela tão atraente, porém ao ler a sinopse e a sua resenha, sem dúvidas fiquei interessada. Amo fantasias, ainda mais épicas, por isso anotei essa dica e espero conseguir ler em breve *_*

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  7. Oiii Malu

    Ao contrário da outra série da autora, esse de Ruína eu quero muito conferir, a premissa me chama a atenção, memso não sendo tão original, pois tem detalhes que eu amo e sei que vou curtir. Apesar de não ser cheio de reviravoltas parece ser uma leitura ótima, com personagens bem desenvolvidos e fáceis de conectar com o leitor. Quero conferir com certeza.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem? Não conhecia esse livro ainda, mas adorei sua resenha e fiquei curiosa para ler a obra. Só é uma pena que não tenha grandes surpresas a obra, isso realmente faz falta.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Olá! Primeiramente, que fotos lindas meudeusdoceu *---* Amei a resenha, por ser bem objetiva e trazer os pontos importantes do livro. Fiquei com vontade de ler por 2 pontos que você citou; a narração direta porque odeio enrolação nas descrições e os personagens serem bem trabalhados <3 Já me ganhou com certeza! Amei a dica de livro!

    Beijos,
    Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
  10. Oi Maluzinha, quando vi que você amou esse livro no insta eu já me arrependi demais por não ter solicitado, tô tentando ler mais fantasias e esse me parece perfeito para iniciar esse gênero, né? Fico feliz em saber que é o primeiro porque dá tempo de correr atrás do prejuízo e acompanhar a série haha

    ResponderExcluir
  11. Como é bom fazer uma leitura agradável e envolvente, não é mesmo? Não conheço a escrita da autora, mas pela resenha parece que vale a pena conhecê-la. A capa é muito bonita!
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Oi, Malu!
    Já tinha lido a respeito desse livro e já me interessei por ele! Sua resenha só melhorou a minha opinião e ainda me preparou melhor para as expectativas desse livro!
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  13. Não li o livro ainda, mas creio que justamente por ser o primeiro, não tenha tanta, reviravoltas. Acho que o melhor vem agora.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem?
    Fico feliz pela sua leitura, sua resenha foi ótima!
    Realmente, livros com muitas descrições cansam o leitor e já que esse vai direto para a ação, já me ganhou, hahaha.
    Amo fantasia! Beijos

    ResponderExcluir
  15. Apesar de gostar da fantasia apresentada em Ruína eu sempre prefiro livro único, coisa cada vez mais difícil dentro do gênero. Outro ponto que me chama atenção é a lembrança de A Seleção, que eu nunca tive curiosidade em ler. Nossa, fiquei muito dividida, acredito que só lendo para saber se gosto ou não dessa fantasia épica.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bom?
    Não conhecia o livro e, ao contrário de você, não achei a capa tão bonita. Apesar disso, a história me chamou atenção, fantasia é meu gênero preferido e essa parece uma das boas. Achei legal ter um desenvolvimento maior da parte política, às vezes isso é meio esquecido.
    Até mais o/

    ResponderExcluir
  17. Olá!
    Que projeto gráfico bonito!
    Eu tenho me aventurado cada vez mais nesse gênero, mas confesso que não me senti tentada a embarcar nessa trama. Também tenho evitado séries, então por enquanto vou deixar de lado, mas em breve quero conhecer os outros volumes.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  18. Olá Malu,
    Ainda não li esse livro e sua resenha é a primeira que leio dele. Eu confesso que me agradou demais você ter dito que o livro prendeu desde o começo. Também gostei muito de saber que o romance não muda a essência dos personagens, mas achei bem ruim a questão das reviravoltas. Eu acho que essa obra merecia mais reviravoltas do que aparentemente teve :(
    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Eu achei essa capa tão sem graça. Juro que se não tivesse lido sua resenha, nunca me interessaria por esse livro. Como você disse, a premissa lembra muita outras obras. Mas mesmo assim fiquei interessada. Vou anotar a dica.

    Beijos

    ResponderExcluir
  20. Olá!Tudo bem?
    Uma coisa : QUERO ESSE LIVRO!
    Adorei de mais a capa,sério que capa maravilhosa.
    Histórias com vingança,política e com romance já me deixam super animadas,além de que mostra uma personagem que não A FORÇA ela é a excluída a inútil não tem uma personificação da personagem.
    Adorei demais conhecer a história.
    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Oi,Malu! Eu não conhecia essa obra, mas entendi a sua paixão a primeira vista haha. A capa é realmente linda e o título desperta a nossa curiosidade. Amei a sua resenha e o enredo parece ser bem viciante, principalmente pela personagem principal ter a missão de salvar a sua irmã e se vingar da família real, mas ela acaba se apaixonando pelo príncipe <3. Adorei haha. Dica anotada com certeza, bjss!

    ResponderExcluir
  22. Não li ainda, mas acho que a falta de reviravoltas pode ser por ele ser o primeiro da trilogia...
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  23. Oie
    fantasia não é realmente meu estilo de leitura então esse não é um livro que chame muito a minha atenção mas com certeza vale a pena indicar para amigos que curtem e tem um enredo bem instigante e diferente

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Olá!
    Não conhecia esse livro, a premissa me deixou curiosa, já tem um tempinho que não leio séries assim, e me lembrou um pouco da Seleção mesmo. Gostei de conhecer esse livro, pois as vezes me bate uma saudade de ler livros desse estilo, vingança entre reinos e tal. Gostei da sua opinião, foi bem clara e bem animada, percebi o quanto a leitura foi prazerosa! Anotei a dica!

    beijos!

    ResponderExcluir