[Resenha] A Heroina da Alvorada (A Rebelde do Deserto #3)

24 de abr de 2018

Autora: Alwyn Hamilton
Editora: Seguinte
Páginas: 384
Onde comprar: Amazon
Sinopse: “No último volume da trilogia A Rebelde do Deserto, Amani vai se deparar com a escolha mais difícil que já teve que fazer: entre si mesma e seu país. Quando a atiradora Amani Al-Hiza escapou da cidadezinha em que morava, jamais imaginava se envolver numa rebelião, muito menos ter de comandá-la. Depois que o cruel sultão de Miraji capturou as principais lideranças da revolta, a garota se vê obrigada a tomar as rédeas da situação e seguir até Eremot, uma cidade que não existe em nenhum mapa, apenas nas lendas — e onde seus amigos estariam aprisionados. Armada com sua pistola, sua inteligência e seus poderes, ela vai atravessar as areias impiedosas para concluir essa missão de resgate, acompanhada do que restou da rebelião. Enquanto assiste àqueles que ama perderem a vida para soldados inimigos e criaturas do deserto, Amani se pergunta se pode ser a líder de que precisam ou se está conduzindo todos para a morte certa.”

A resenha de hoje é daquelas que comecei a escrever e mudei um milhão de vezes, pois é difícil falar do livro que encerra uma trilogia que você aprendeu a amar desde o primeiro momento. Acredito que uma das coisas que sempre preocupam qualquer leitor ao iniciar uma série é se, ao chegar ao final, sentirá que a jornada valeu a pena. Assim, considerando o quanto eu amei A Rebelde do Deserto e A Traidora do Trono, da autora Alwyn Hamilton, a expectativa para o livro que encerra a trilogia, A Heroína da Alvorada, não poderia ser maior.
Para quem não leu os dois primeiros volumes, eu só posso dizer que valeu muito a pena ler essa trilogia. Me envolvi com a história desde o primeiro livro e encontrei um dos universos mais interessantes e bem construídos que já li. No entanto, para explicar o que achei desse último volume, terei que falar sobre acontecimentos dos dois primeiros livros e, por esse motivo, recomendo para quem não leu A Rebelde do Deserto e A Traidora do Trono não continuar lendo esta resenha. Mas, se você já leu os dois, pode continuar tranquilamente, pois não haverá spoilers de A Heroína da Alvorada.
No primeiro livro, Amani era uma jovem que saiu de uma pequena vila em busca de sua liberdade e da possibilidade de escolher seu destino, mas acabou se envolvendo com uma rebelião e descobrindo um poder que não imaginava possuir. No segundo, ela foi capturada pelo sultão e descobriu um lado do país que desconhecia. Ela conseguiu fugir, mas outros rebeldes, incluindo o Príncipe Ahmed, foram presos. Agora, Amani precisará liderar os poucos amigos que escaparam para garantir que a revolução não seja sufocada.


Vocês não imaginam o quanto é difícil falar sobre esse livro. A minha vontade era resumir e falar apenas “LEIAM ESTE HINO”. No entanto, vou tentar controlar a empolgação e explicar para vocês os vários motivos que me levaram a amar esta leitura e considerar este livro o encerramento perfeito para uma trilogia que se tornou uma das minhas favoritas da vida.
Para começar, acredito que um dos aspectos que mais me conquistaram em A Heroína da Alvorada foi a evolução evidente da protagonista. Amani conquistou minha admiração já no primeiro livro por sua força e determinação, porém, ao longo de sua jornada, ela aprendeu mais sobre si mesma e seu país, aprendeu com os erros que cometeu e demonstrou uma grande capacidade de superar obstáculos. Além disso, a autora foi habilidosa ao retratar esse crescimento dela. Em diversos momentos, Amani passa por situações que relembram quem ela era na época em que saiu da Vila da Poeira e as decisões que tomou durante esse tempo, permitindo ao leitor perceber e entender melhor como ela mudou e amadureceu.
“E o que eu era? Ninguém. Uma garota com uma arma vindo dos confins do deserto. Para a maioria das pessoas, eu nem tinha nome. Era somente a Bandida dos Olhos Azuis.”
Além disso, a carga que Amani carrega é muito maior em A Heroína da Alvorada. Pela primeira vez, ela se vê em uma posição de liderança, com todas as responsabilidades que isso implica. Se falhasse, ela colocaria toda a revolução em perigo. Mas, mais do que a importância da missão, há ainda a o peso da culta por aqueles que viu morrer, que se sacrificaram ou que ela abandonou ao longo de sua jornada. As escolhas que ela precisa tomar são ainda mais difíceis e em muitos momentos ela não se sente digna da posição que está ocupando.
Assim, A Heroína da Alvorada mostra uma bonita jornada de amadurecimento e descobrimento. Nos dois primeiros livros, Amani conheceu suas habilidades e a real situação do seu país, mas ainda precisava entender quem era e onde se encaixava. No entanto, ela não é a única personagem a passar por transformações ao longo do caminho e apresentar um arco interessante. Todos os outros personagens são bem construídos pela autora e têm seu desenvolvimento destacado nesse último livro.
“Os seres primordiais podiam ser todo-poderosos, mas haviam nos criado para cumprir um único propósito que não conseguiam: dar a vida por aquilo em que acreditávamos.”

Em especial, gostei muito de acompanhar o amadurecimento do Jin. Ele tinha vários conflitos, especialmente quanto à sua dificuldade de se conectar com o país onde nasceu e à sua relação com o irmão, Ahmed. É interessante ver como ele vai aprendendo a lidar com essas questões que sempre o dividiram e se mostra um personagem muito mais maduro. Porém, quem teve o arco mais significativo e que me emocionou foi o Sam. Ele sempre foi um personagem muito cativante, mas, nesse último volume, seu crescimento foi palpável e suas escolhas revelam tanto sobre essa mudança que é impossível não se sentir tocado.


Além dos personagens, a trama do livro é muito bem construída. O enredo é muito dinâmico, com reviravoltas, acontecimentos que mantêm um clima de tensão do começo ao fim e muita emoção. Além disso, há vários elementos que enriquecem a trama e a tornam mais interessante, começando pela parte política. É muito interessante acompanhar os rebeldes lutando para liderar seu povo de um líder tirano, mas também para defender seu país dos estrangeiros. Aliás, há várias referências ao que acontece no nosso mundo, como, por exemplo, a influência de países ocidentais nos conflitos do Oriente Médio.
“Nosso deserto – não deles, para marchar com seus exércitos e o conquistar através de barganhas e alianças, enquanto enterravam seus mortos e possibilitavam que nossos monstros prosperassem. Aquele era nosso deserto, não deles, e de nenhum gallan nem de nenhum outro povo do norte vindo das fronteiras do horizonte.”
É importante destacar, no entanto, que a trama também tem espaço para o romance, mas sem deixar que ele tire o foco em momento algum. Amani e Jin estão mais maduros e seguros do que sentem um pelo outro, mas também têm consciência do que estava em jogo e qual deveria ser a prioridade deles. Além disso, essa postura dos dois acaba contribuindo para que o amor deles se torne mais palpável e bonito de acompanhar. É um romance que aparece nos momentos certos da história, sem se tornar forçado ou cansativo, e que contribuiu para que o leitor se preocupe ainda mais com o destino dos personagens.
“Mas então ele se perguntou se um garoto do mar e uma garota do deserto poderiam sobreviver juntos. Temia que ela pudesse queimá-lo vivo ou que ele pudesse afogá-la. Até que finalmente parou de lutar contra o desejo e ateou fogo em si mesmo por ela.”
Já o universo criado por Alwyn Hamilton se mostra ainda mais fascinante e complexo neste livro. A autora aprofundou nos elementos da mitologia árabe e soube trabalha-los muito bem ao longo da história, fazendo com eles fossem mais do que aspectos fantásticos da trama, mas tivessem impacto direto nos acontecimentos da trama.
Outro ponto que gostei bastante foi o fato de que Alwyn Hamilton, de uma maneira muito delicada, demonstra no livro a importância de lendas, mitos e do ato de contar histórias. Em vários momentos, acontecimentos relevantes são narrados como uma lenda, deixando-os mais lúdicos e cheios de significado. Além disso, a autora mostra como que uma história que se espalha pode criar mitos ou derrubar líderes, podendo afetar profundamente a vida das pessoas.
“As histórias seriam imperfeitas, as lendas seriam incompletas. Mas mesmo que o deserto esquecesse nossas mil e uma noites, saber que ele falaria sobre nós já era o suficiente. Que muito tempo depois de nossa morte, homens e mulheres sentados em volta da fogueira ouviriam que uma vez, muito tempo atrás, antes de sermos somente histórias, nós vivemos.”

O desfecho foi coeso e bem construído. A autora não deixou pontas soltas e nem se esqueceu de nenhum personagem. Assim, terminamos o livro sabendo o destino de cada um deles, gostando ou não das decisões da autora. Além disso, ela nos dá um panorama do futuro daquele país e das consequências que os acontecimentos narrados tiveram nos anos que se seguiram, algo que deixa a história ainda mais coesa e dá um significado maior para tudo que aconteceu. 



Com relação à escrita da autora, só posso dizer que a Alwyn Hamilton me conquistou mais uma vez e me fez ter a certeza que vou querer acompanhar todos os seus próximos trabalhos. Ela conseguiu escrever uma trama extremamente dinâmica, mas que não se perde e nem impede o desenvolvimento dos personagens, amarrando todos os pontos que vinham sendo construídos desde o primeiro livro. Além disso, me impressionou o fato de que a escrita dela está muito mais poética nesse livro, me levando a ficar arrepiada em alguns momentos pela forma delicada e sensível com que determinados acontecimentos estavam sendo narrados.
Por fim, não posso deixar de mencionar a beleza desta edição. A capa é uma das mais lindas que já vi, mantendo o padrão dos dois livros anteriores, e todo começo de capítulo conta com detalhes nas bordas que remetem ao universo árabe. O livro tem ainda um mapa e uma lista com os personagens, que facilitam muito a vida de quem tem uma memória ruim e não se lembra com detalhes dos dois primeiros volumes. Além disso, as páginas são amareladas e o tamanho da fonte é ideal, deixando a leitura muito confortável.
Deste modo, só posso dizer que A Heroína da Alvorada é o desfecho perfeito para uma trilogia que me encantou desde o primeiro livro e se tornou uma das minhas favoritas da vida. É impressionante lembrar que A Rebelde do Deserto é o romance de estreia da Alwyn Hamilton e que, com apenas três livros, ela conseguiu criar um universo rico e fascinante, personagens complexos e cativantes, e uma trama praticamente irretocável. Não preciso nem dizer que recomendo muito essa leitura, especialmente para os fãs de fantasia, e estou ansiosa para conferir outros trabalhos da autora.
E vocês, já leram está trilogia? Me contem o que acharam e se já leram ou ainda querem ler este último volume. Aproveito também para avisar que a Editora Seguinte liberou gratuitamente um e-book com contos dentro deste universo, Contos de Areia e Mar, em várias livrarias online. Para quem quiser adquirir este ou os outros livros da série, vou deixar o link de compra na Amazon aqui.

25 comentários:

  1. Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia este livro, mas ainda bem que gostaste de fazer a leitura!! :) A capa esta realmente maravilhosa!!

    Que ótimo que a escrita da autora te agradou tanto e que este foi o desfecho ideal para a trilogia!! Que bom que gostaste!! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  2. Terminei de ler meu exemplar lindão tem duas semanas. Eu amo essa história e sinto que irei ficar com saudades desse mundo fantástico. Eu sempre fico com aquele sentimento de nostalgia ao término de trilogias que amo!
    Ah! E as capas de todos os exemplares foram dignas! Amei demais!

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  3. Olá Malu, como vai? Infelizmente não li a sua resenha, comprei esse livro e não quero saber de nada antes da leitura, amo a trilogia e não quero receber spoiler antes deles chegarem. Sabe como funciona na saraiva, néh? Livros sempre chegam atrasados...kk
    Espero gostar tanto da leitura desse como gostei dos outros.

    Beijos e abraços
    http://vickyalmeida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu pulei algumas partes da sua resenha para não receber spoilers das outras histórias, como recomendou no início, mas li o início e o final, onde falou suas impressões, assim como, claro, a sinopse. Gostei bastante de ambas e fiquei bem curiosa para saber mais, logo, estou aqui anotando a dica para conferir o quanto antes!

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Oi Malu, eu conheço esta trilogia, mas ainda não li, quero muito, por enquanto, só tenho o primeiro livro, e se é tão bom quanto tu diz, com certeza, após ler, vou comprar os outros. Eu gosto muito de protagonistas femininas fortes, então este livro me parece ser perfeito.
    Tua resenha ficou incrível, conseguiu passar através das palavras, o quanto tu gostou. Parabéns!
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Ola
    Infelizmente não cheguei ler essa trilogia ainda não sei o motivo pq estou louca pra ler vou espera uma promoção boa e pega o três de uma vez kkk essa história de primeira não tinha me chamado atenção ai com o tempo fui vendo resenha e foi despertando meu interesse , gostei da resenha pelo jeito as coisas vão ficando boa no final e pelo jeito que você falou me deixou mais curiosa.

    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Oiii Malu

    Quero tanto comecar a ler essa trilogia, o problema é que tem tantas outras que também quero e pouco tempo de conferir, mas aos poucos chego lá...rsrs Fiquei contente em saber que o desfecho manteve o ritmo e que fecha todas as pontas. sendo coerente. Que delicia de trilogia, com certeza quero conhecer a história de Amani em breve.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  8. Não conheço a trilogia, mas confesso que não é uma temática que me chame tanto atenção. Por outro lado sua empolgação é contagiante. Nada melhor que acompanhar uma série e ver o amadurecimentos dos personagens e um enredo dinâmico e cheio de reviravoltas. NãO preciso dizer que o fato de o desfecho não ter pontas soltas me chama ainda mais atenção, então vamos deixar esse nome aqui e se rolar a oportunidade eu quero ler.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi, Malu!
    Agora que saiu o último livro eu vou começar a ler. Eu li por alto sua resenha pelo meu terror de spoilers, mas gostei de ver que a autora sabe encaixar o romance na história sem que este tire o foco.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  10. Quero muito iniciar a leitura dessa trilogia, que bom saber que o último livro foi satisfatória para a finalização dela. A trama me atrai muito, principalmente porque o romance não tira o foco de outras coisas que eu tenho certeza de que são mais interessantes na história.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  11. Oii Malu, tudo bem? Postagem linda!!! Que bom que gostou tanto desse último volume da trilogia. Eu não me interessei tanto pela premissa dos livros, vou confessar, mas agora fiquei com vontade mesmo de ler :) Espero conseguir fazer isso em breve e gostar também ^^

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  12. Olá Malu, eu tenho bastante curiosidade de ler essa trilogia, pelos seus comentários a autora conseguiu termina-la muito bem e construir um mundo incrível nelas *-* Adorei a dica.

    ResponderExcluir
  13. Que bom saber que você achou o universo tão interessante e bem construído e que acredita que a leitura valeu a pena! Sou louca pra ler esses livros, principalmente depois que conheci a autora na Flipop e achei uma das pessoas mais fofas do mundo. Espero conseguir pelo menos iniciar a leitura esse ano!

    ResponderExcluir
  14. Oi, Malu.
    Eu adorei os dois primeiros livros da trilogia e, se tudo der certo, começo a ler esse terceiro hoje mesmo! Estou doida para saber como tudo termina! Gosto muito da escrita da autora e ela é uma fofa!!
    Adorei a forma como ela construiu os personagens e como administrou a trama até agora.
    beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  15. Oi Maluzinha, pulei grande parte da sua resenha por medo do spoiler, mas preciso dizer que comprei os livros dessa série por culpa sua! A sua empolgação e os seus comentários positivos me convenceram e desse modo aproveitei a primeira promoção que encontrei e já coloquei no meu carrinho de compras, nao vejo a hora de chegar!

    ResponderExcluir
  16. Muito bom quando uma série finaliza de forma que agrada o leitor. Eu não comecei a sério ainda mas tenho pretensões de ler.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  17. Oi, Maria

    Eu li a resenha porque não tenho intenção de ler a trilogia, por isso não me incomodo com os spoilers.
    Que bom que foi um bom desfecho, essa opinião tem sido unânimes, todas as resenhas que leio sobre este volume tem sido só de elogios.
    Acho muito bacada esse clima árido e a proposta, mas acho muito juvenil, por isso não quero ler.
    Adoro protagonistas que evoluem, então se eu fosse ler este seria um ponto que eu iria levar muito em consideração. O fato de não haver pontas soltas também me agradaria, já que não tem coisa pior do que terminar uma série sem respostas! Hahahaha
    No mais, fico satisfeita que você tenha curtido, agora é aguardar pra ver se o filme sai ou não sai.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  18. Olá,

    Agora que todos os livros foram lançados por aqui, nada mais justo do que criar vergonha na cara e começar a ler essa série, porque desde que o primeiro foi lançando, digo que irei ler haha. Gostei muito de sua resenha, fiquei ainda mais curiosa sobre esse universo.

    Beijos,
    oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Aaaah! Que resenha linda.
    Li apenas o primeiro livro desta trilogia mas já estou com os outros dois aqui e estou super empolgada com a leitura que farei este mês. Claro que após ler uma resenha tão estimulante como esta a vontade que dá é de passar eles na frente das demais leitura. Mal posso esperar para descobrir o que esta história me reserva e torço para gostar tanto quanto você.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  20. Olá Malu,
    Confesso que não li sua resenha por medo de pegar spoiler, já que vou ler o primeiro livro da série esse mês, mas, pelo que pude ver, esperar até esse último livro valeu muito a pena. Outra coisa muito legal foi saber que a protagonista pareceu evoluir bastante, eu aprecio muito isso.
    Vou tentar adiantar a lista de leituras para ler logo rs.
    Beijos,
    https://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  21. LI o primeiro livro da serie e amei muito e nem sei dizer porque não segui com os outros livros., Mas lendo a sua resenha, já estou com faniquito para ler tudo!!!
    beijos

    ResponderExcluir
  22. Oi Malu!
    Que delícia seu exemplar autografado!
    Sua resenha me lembrou que preciso finalizar a leitura dessa trama. Li o primeiro livro e adorei a composição dos personagens e o fato da autora trazer bastante elementos de uma cultura diferente na trama. Saber que o último livro teve um bom desfecho me deixa animada e contente para tirar esse atraso.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  23. Olá, tudo bem ?
    Não conhecia a saga ainda, mas depois desta sua resenha como não amar este enredo tão cheio de reviravoltas. Amei demais a capa, e toda a estrutura da série. Anotei a dica.

    ResponderExcluir
  24. Oi, Malu!
    Essa foi uma das melhores séries que li até agora. Na verdade, estou no começo do último livro, mas os outros dois livros foram tão bons que acho difícil ela errar justamente neste último livro e, pela sua resenha, ela acertou em cheio - e fico feliz com isso! rsrs
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  25. Oiii,

    Eu sou louca para ler esta trilogia, acho a premissa chamativa e as capas realmente lindas. É um conforto saber que vale a pena ler a trilogia, que a história corre de maneira boa é que fecha da mesma forma. Espero poder conseguir ler em breve.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir