[Resenha] É assim que acaba

17 de mai de 2018


Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Páginas: 368
Onde comprar: Amazon
Exemplar recebido de parceria com a editora
Sinopse: “Um romance sobre a força necessária para fazer as escolhas corretas nas situações mais difíceis. Da autora das séries Slammed e Hopeless Lily nem sempre teve uma vida fácil, mas isso nunca a impediu de trabalhar arduamente para conquistar a vida tão sonhada. Ela percorreu um longo caminho desde a infância, em uma cidadezinha no Maine: se formou em marketing, mudou para Boston e abriu a própria loja. Então, quando se sente atraída por um lindo neurocirurgião chamado Ryle Kincaid, tudo parece perfeito demais para ser verdade. Ryle é confiante, teimoso, talvez até um pouco arrogante. Ele também é sensível, brilhante e se sente atraído por Lily. Porém, sua grande aversão a relacionamentos é perturbadora. Além de estar sobrecarregada com as questões sobre seu novo relacionamento, Lily não consegue tirar Atlas Corrigan da cabeça — seu primeiro amor e a ligação com o passado que ela deixou para trás. Ele era seu protetor, alguém com quem tinha grande afinidade. Quando Atlas reaparece de repente, tudo que Lily construiu com Ryle fica em risco. Com um livro ousado e extremamente pessoal, Colleen Hoover conta uma história arrasadora, mas também inovadora. Uma narrativa inesquecível sobre um amor que custa caro demais.”

Não é segredo para ninguém que me encantei pela escrita da Colleen Hoover logo no primeiro livro dela que eu li. No entanto, toda a experiência que tive com as obras dela não me preparou para o que encontraria em É assim que acaba, publicado recentemente no Brasil pela Galera Record. Mais denso, complexo e doloroso, esse livro vai muito além do que eu poderia imaginar e traz um tema tão relevante que torna sua leitura praticamente obrigatória.
Escrito com muita sensibilidade, É assim que acaba toca o dedo em uma ferida muito presente na nossa sociedade e faz com que o leitor saia de sua zona de conforto para rever suas opiniões e, principalmente, seus julgamentos. É daquelas leituras em que, quando você termina o livro, não é mais o mesmo que começou a ler. Acredito ser impossível concluir essa leitura sem se colocar ao menos um pouquinho no lugar do outro e perceber que o mundo não é tão simples como nós imaginamos e que algumas escolhas não são óbvias e nem fáceis.
Nesse livro, acompanhamos a história de Lilly, uma jovem que acabou de perder o pai, com quem nunca teve uma boa relação, e seu discurso no funeral foi um completo fracasso. Vivendo o que considera ser o pior dia de sua vida, ela sobe no telhado de um prédio em busca de ar fresco e de clarear seus pensamentos. É aí que ela conhece Ryle, um lindo neurocirurgião, que também estava tendo um péssimo dia.
Apesar de se sentirem atraídos, os dois percebem que tinham objetivos muito diferentes. Ele está totalmente focado em sua carreira e não quer relacionamentos que o distraiam. Já Lilly sonha com uma relação estável e uma família. No entanto, é claro que os dois irão se reencontrar e os sentimentos vão falar mais alto.
E, antes que vocês pensem que É assim que acaba é o livro mais clichê de todos os tempos, esse foi apenas o pontapé inicial de um enredo muito mais denso do que se supõe a princípio. Entre as mudanças na vida de Lilly e o desenvolvimento da relação dela com Ryle, temos diários que narram acontecimentos de sua adolescência, incluindo os motivos para sua péssima relação com o pai e o romance que ela viveu com Atlas, um jovem sem-teto que ela nunca esqueceu completamente.
Quando Atlas ressurge em sua vida, Lilly fica dividida entre os sentimentos que nunca foram superados e a força do romance que estava vivendo com Ryle. Porém, ele não é o único fantasma do seu passado que retorna para assombrá-la. Lilly passará por situações que irão fazê-la reviver alguns dos piores momentos de sua infância e adolescência, porém, com uma nova perspectiva que poderá destruir todas as convicções que sempre teve, inclusive sobre si mesma.


Eu poderia falar sobre É assim que acaba por horas e em detalhes, porém, prefiro não contar mais nada sobre o enredo e deixar que vocês tenham a mesma experiência que eu tive ao ler esse livro pela primeira vez. Sei que já têm muitas resenhas por aí que falam abertamente sobre o tema do livro e as grandes reviravoltas que ele apresenta, mas eu acho que isso estraga grande parte do cuidado que a autora teve ao construir a história. Quanto menos o leitor souber sobre o enredo é melhor, pois não fará julgamentos antecipados e conseguirá se colocar no lugar da protagonista.
Com relação aos personagens, Lilly é uma das personagens mais humanas e fáceis de se conectar que eu já li. Mesmo que eu nunca tenha passado por nada remotamente parecido com as situações que ela vivenciou, Lilly é uma protagonista tão real que é impossível não entender suas dúvidas e não querer confortá-la nos momentos difíceis. Além disso, foi uma personagem que cresceu na adversidade e foi se mostrando mais forte e madura ao longo do livro, mesmo nos momentos em que ela parecia desabar.
“A maioria das plantas precisa de muito cuidado para sobreviver.  Mas algumas coisas, como as árvores, são fortes o bastante para sobreviver ao que quer que tivesse acontecido em sua vida.”
Já Ryle e Atlas são dois mocinhos que encantam desde o primeiro momento em que aparecem. Apesar de vê-los, incialmente, em momentos diferentes da vida da Lilly, é fácil entender os motivos que a levaram a se apaixonar pelos dois. Inclusive, cheguei a me perguntar como ela poderia escolher entre um deles. No entanto, se tem uma coisa que esse livro faz é quebrar estereótipos e esses dois personagens vão surpreender e mostrar como os rótulos que colocamos nas pessoas podem estar errados.
Quinze segundos. Só isso já basta para mudar completamente tudo sobre uma pessoa. Quinze segundos que nunca teremos de volta.”
Os personagens secundários não são tão explorados, mas apresentam grande relevância na jornada da protagonista. Em especial, se destacaram a mãe dela e Allysa, irmã do Ryle e funcionária de Lilly. Aliás, Allysa foi uma das minhas personagens preferidas, tanto por sua personalidade divertida e positiva, quando por sua amizade sincera com a Lilly. Ela mostra, de várias maneiras, o verdadeiro significado da empatia e da sororidade, e é bonito ver o laço que se forma entre elas.
Com relação à escrita da Colleen, acho que não é surpresa para ninguém dizer o quanto é fluída e envolvente. Além disso, É assim que acaba demonstra, mais uma vez, a grande capacidade que a autora tem de fazer com que os leitores sintam as mesmas coisas que os seus personagens. No entanto, talvez por se tratar de seu romance mais pessoal, essa habilidade dela foi potencializada nesse livro. Aqui, nós nos sentimos realmente no lugar da Lilly; temos os mesmos medos e dúvidas que ela, e a sua dor se torna a nossa, o que deixa a leitura mais real e brutal.
“Apesar do ressentimento que guardo no coração, minhas emoções continuam presentes. Não paramos de amar uma pessoa só porque ela nos magoou. Não são suas ações que magoam mais. É o amor. Se não houvesse amor ligado à ação, a dor seria um pouco mais fácil de suportar.”

O enredo foi muito bem construído pela autora, de modo que o leitor consiga conhecer e se apegar aos personagens e que o impacto dos acontecimentos seja ainda maior. A reviravolta do livro é um verdadeiro soco no estômago e, inicialmente, não queria acreditar que aquilo estava acontecendo. A partir daí a leitura se torna mais dolorosa, mas também intensa e ágil, fazendo com que o leitor não consiga parar até concluir o livro e descobrir quais foram as escolhas feitas pela protagonista.



Vi algumas críticas relacionadas ao desfecho, mas, apesar de concordar que os eventos do epílogo poderiam ter acontecido de outra forma, achei que foi um final bastante coerente. Acho que ele representou bem a jornada de Lilly durante todo o livro e as lições que ela tirou de todas as situações que viveu. Assim, acredito que a ressalva feita acabou ficando pequena demais, para mim, quando comparada com a grandiosidade e a importância da história que foi contada. Além disso, algumas pessoas reclamaram que um determinado personagem não foi muito explorado no livro. Porém, é preciso ter em mente que, por mais cativante e importante que seja na jornada de Lilly, ele nunca foi e nem deveria ser o foco. Então, não foi algo que chegou a me incomodar.
“Ciclos existem porque é doloroso acabar com eles. Interromper um padrão familiar é algo que requer uma quantidade astronômica de sofrimento e de coragem. Às vezes, parece mais fácil simplesmente continuar nos mesmos círculos familiares em vez de enfrentar o medo de saltar e talvez não fazer uma boa aterrissagem.”
Com relação à edição, foi mantida a capa original, que é maravilhosa. As páginas são amareladas e a fonte tem um bom tamanho. A minha única ressalva é que, como li o livro ano passado em inglês, achei que a tradução deixou um pouquinho a desejar e passaram alguns errinhos de revisão. No entanto, não é nada que chegue a prejudicar a leitura ou tirar o impacto da história contada.
Deste modo, É assim que acaba é um livro forte e difícil de ser lido, mas que toca pela empatia que desperta e pela sensibilidade da autora na construção da trama. É uma leitura que me fez sair da minha zona de conforto e olhar com mais cuidado para uma realidade que pode não ser a minha, mas é a de milhares de pessoas. Assim, mais do que um romance, é um livro importante para mostrar que devemos pensar antes de julgar e que, ao invés de apontar o dedo, é preciso entender e se colocar no lugar do outro. Não é uma leitura fácil, especialmente por conter cenas pesadas e muito reais, mas que é capaz de arrebatar, emocionar e, até mesmo, transformar o leitor.
Aproveito também para destacar que, ao final do livro, há uma nota da Colleen Hoover que nos permite entender melhor sua inspiração ao escrever essa história. Essa nota, que deve ser lida apenas após terminar a leitura do livro por explicar o desfecho, é extremamente emocionante e dá ainda mais significado para tudo que foi narrado na obra. Além disso, os agradecimentos que vêm depois da nota são muito bonitos e confesso que também arrancaram mais algumas lágrimas minhas.
E vocês, já leram esse ou algum outro livro da Colleen Hoover? Me contem aí nos comentários o que acharam ou se ainda querem ler este livro. E, para quem se interessou, deixo o link de compra na Amazon aqui.

15 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Oi.
    Ainda não li um livro da autora, apesar de sempre ver vários elogios em relação às obras dela e ter curiosidade. Acho que é porque as pessoas comentam bastante sobre essa carga dramática que os livros dela trazem, e tenho que estar no clima para ler algo assim.
    Adorei a resenha, e concordo com você, algumas coisas são melhores quando descobrimos junto com os personagens...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Que resenha linda rsrsrs, fiquei bem interessada na leitura de livro ainda mais que nunca li nada Colleen (vê se da para acreditar kkkk), vou ver se pego o mais rápido possível esse livro.

    Bjus** http://imagine-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu quero muito ler esse livro, a trama me atrai completamente e tenho quase certeza de que eu vou me encantar quando ler. Adorei poder conhecer um pouco mais sobre a trama através da tua resenha e espero poder ler em breve.

    ResponderExcluir
  5. Já li a maior parte dos livros da Colleen que saiu por aqui, e sou apaixonada pela escrita da autora e pela forma como ela destroça meu coração todas as vezes. Estou com um pouco de medo das cenas pesadas e acho que esse livro vai acabar comigo mais que os outros dela, mas com certeza lerei, e espero que seja logo.

    ResponderExcluir
  6. Olá! Li algumas resenha desse livro e confesso que não me sinto atraída por ele.. Sua resenha esta muito bem escrita, gostei que você não se apegou ao ponto que leio sempre por ai, vc trouxe uma visão diferente e mais leve sobre o livro que com certeza deixará muitos leitores com vontade de adentrar nesta história.. As fotos como sempre estão lindas<3

    Beijos,
    Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
  7. Oi Malu, tudo bem? Eu sempre fico com vergonha de dizer, mas a verdade é que nunca li nada da Collen, mas preciso urgentemente! mesmo que fosse só clichê eu lereia, porque a história parece ótima e já pela resenha eu em encantei com a protagonista Lily. Vou me preparar para conferir esse livro cheio de emoções <3

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  8. Acho que o Destino está conspirando para que eu comece a ler essa autora!! Recentemente, tenho lido muitas resenhas de livros dela, principalmente, esse em específico , que me parece ser bem interessante e o tipo de leitura que gosto de fazer. Não havia prestado atenção nessa autora antes, mas resenhas como a sua têm aberto meus olhos para o talento dela.
    Obrigada pela dica!!

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Ainda não li nada dessa autora e cada resenha que leio baixo um ebook se possível, pois todas blogueiras que sigo diz maravilhas da escrita da autora! rs
    Portanto, mais um salvo, só não vou baixar pq o e-book tá quase o preço do impresso 26X28 e com problema de visão priorizo o digital :(
    Parabéns pela resenha! Bjs

    ResponderExcluir
  10. Olá, já li alguns livros da Collen, mas apenas os mais antigos e amei todos, mas atualmente estou focada mais em autores nacionais, mas pela repercussão que teve essa história tenho muita vontade de conferir essa. Amei sua resenha, principalmente por não entrar em detalhes sobre a história, isso com certeza iria tirar um pouco da magia de quem ainda vai ler. Parabéns!!! Bjs

    ResponderExcluir
  11. Olá, ainda não realizei a leitura desse livro, mas já vi várias resenhas dele e gostei muito da sua análise da obra que traz uma temática muito importante. É um dos livros da CoHo que mais quero ler.

    ResponderExcluir
  12. Oi Malu!
    Eu AMO a Colleen Hoover e os seus livros. Já li alguns dela, e adoro todos, mas o meu preferido continua sendo Um Caso Perdido.
    Porém, depois que esse foi lançado, vi muita gente que também tinha ele o seu preferido e que depois de ler esse, tiveram que mudar, então estou com expectativas lá no alto. Espero gostar e me acabar com a história, como a Colleen sempre consegue fazer comigo.
    Adorei a sua resenha. Está muito bem escrita, sincera e me deixou com mais vontade ainda de ler. No entanto, não vai dar para ler tão já...
    Bjss

    https://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oii!
    Já li alguns livros da CoHo é estou protelando bastante para ler esse rs Não estou preparada para mais livro que arrasa nossos pobres corações! Mas amei o tema desenvolvido nesse livro! CoHo nunca decepciona!

    Bjs
    Blog Perdida nas Nuvens

    ResponderExcluir
  14. Nunca li nada da Collen, mas sou louca para conhecer essa sensibilidade da escrita dela e super concordo com vc, algumas resenhas estraga o cuidado da autora na construção da história, entrega toda trama. Pela sua resenha contemplei a proposta do livro sem perder a curiosidade do enredo, parabéns. Enfim, espero ler algo da autora e gostar tanto quanto você.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Já peguei resenhas que só faltaram contar as palavras dos diálogos entre os personagens, de tão detalhada que foi. E olha que nem ligo muito se tem spoiler...
    Estou de olho neste livro da autora, ele tem tudo para me agradar.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir