[Cinema] Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald

20 de nov de 2018


Hoje, finalmente, vou falar sobre um dos filmes mais aguardados do ano – Animas Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald. Sendo uma potterhead assumida, a minha ansiedade para esse filme estava enorme. Eu adorei o primeiro, Animais Fantásticos e Onde Habitam (falei sobre ele aqui), e não via a hora de saber o que a J. K. Rowling preparou para essa sequência.

Mas, antes de contar o que achei, tenho dois avisos importantes. O primeiro é o de que essa resenha não tem nenhum spoiler do filme Os Crimes de Grindelwald (ou seja, comentarei apenas o que já havia sido revelado nos trailers e na sinopse oficial), porém, contém informações sobre o anterior. Então, não recomendo a leitura deste post para quem não assistiu Animais Fantásticos e Onde Habitam. Já o segundo aviso é que essa análise será simplesmente os comentários de uma fã, que não tem conhecimento técnico nenhum sobre cinema. Ou seja, vai ser uma opinião de uma espectadora e não uma crítica do filme.

Elenco: Eddie Redmayne, Jude Law, Johnny Deep, Katherine Waterston, Erza Miller, Dan Floger, Alison Sudol, Zoë Kravitiz, Callum Turner, Claudia Kim, Jamie Campbell Bower e Toby Regbo.
Duração: 2 h 15 min
Direção: David Yates
Roteiro: J. K. Rowling
Sinopse: “No final do primeiro filme, o poderoso bruxo das trevas Gerardo Grindelwald (Johnny Depp) foi capturado pela MACUSA (Congresso Mágico dos Estados Unidos da América) com a ajuda de Newt Scamander (Eddie Redmayne). Mas, cumprindo sua ameaça, Grindelwald escapou da custódia e começou a reunir seguidores, a maioria desavisada de sua verdadeira intenção: criar magos de sangue puro para dominar todos os seres não-mágicos. Em um esforço para frustrar os planos de Grindelwald, Alvo Dumbledore (Jude Law) recruta seu ex-aluno Newt Scamander, que concorda em ajudar, desconhecendo os perigos que estão por vir. As linhas são desenhadas à medida que o amor e a lealdade são testados, mesmo entre os mais verdadeiros amigos e familiares, em um mundo bruxo cada vez mais dividido.”

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald começa alguns meses após o final do filme anterior. Gellerd Grindelwald continua preso e está prestes a ser transferido dos EUA para a Inglaterra. Tendo se mostrado um prisioneiro muito persuasivo e eloquente, foram usados todos os meios possíveis para mantê-lo isolado. No entanto, não demora para que ele consiga escapar e se reunir a alguns dos seus seguidores. Ele parte para a França a fim de encontrar Creedence e usar os poderes dele em seus planos contra os não-mágicos e os bruxos que os defendem.

Enquanto isso, Newt Scamander conseguiu publicar seu livro e agora tenta se livrar da proibição para viagens internacionais. Mesmo sem conseguir a autorização que esperava, ele acaba viajando clandestinamente para a França, a pedido de Dumbledore, e leva junto o não-bruxo, Jacob Kowaski. Em Paris, eles encontram a auror Tina Goldstein, enquanto Jacob procura pela irmã dela, Queenie. Paralelamente, Teseu Scamander (irmão mais velho do Newt) e sua noiva Leta Lestrange trabalham para o Ministério da Magia tentando deter Grindewald, enquanto lidam com questões do passado da família Lestrange que estavam voltando à tona.

Warner Bros. Entertainment Inc. All Rights Reserved / Jaap Buitendijk

Confesso que enquanto escrevo esse texto, ainda não consegui processar tudo que aconteceu nesse filme. Como já dá para ver pela própria sinopse, há vários personagens novos e muitas subtramas, o que implica em um filme com muitas informações. No entanto, quero deixar claro que isso não se mostrou um problema (pelo menos para mim), porque as tramas dos diferentes núcleos do filme foram interessantes de se acompanhar e se conectaram de maneira satisfatória no final. Só teve um personagem que, para mim, não acrescentou nada na história e poderia ter sido facilmente retirado. Porém, não foi algo que chegou a me incomodar.
Achei esse filme bem mais dinâmico que seu antecessor, tanto que mal vi o tempo passar enquanto estava no cinema. Para mim, isso se deveu em grande parte à habilidade de J. K. Rowling tanto em apresentar as motivações e os dramas dos personagens, fazendo com que eu me envolvesse com as jornadas de cada um deles, quanto em equilibrar bem ação, comédia, mistério, drama e, até mesmo, um pouco de romance. Com isso, fiquei com a atenção presa à história durante todo o filme.
Por se tratar de um filme de transição da franquia, o roteiro é bem menos amarrado do que o antecessor. Assim, ele não responde muitas questões e traz várias outras que deixam o espectador desesperado pela continuação. Vi muitas pessoas reclamando disso, mas, sinceramente, já era algo que eu esperava. Apesar de alguns tropeços aqui e ali, o roteiro do filme cumpriu bem o que se propôs: apresentou os personagens que serão importantes nos próximos filmes, desenvolveu melhor aqueles que já conhecíamos e definiu o rumo que a história irá seguir.

Copyright 2017 Warner Bros. Entertainment Inc. All Rights Reserved / Jaap Buitendijk
Com relação às atuações, eu saí do cinema muito satisfeita. Eddie Redmayne está ainda mais seguro como Newt Scamander, mostrando a mesma inocência e idealismo do que havíamos visto no filme anterior, mas trazendo outras camadas para o personagem. Em especial, adorei ver a relação dele com o irmão Teseu e com Leta Lestrange e o modo como, apesar de sua quase ingenuidade, Newt é um personagem sábio e muito forte. Além dele, Erza Miller se destacou mais uma vez como Creedence, e Dan Fogler conseguiu transformar o Jacob em um personagem ainda mais carismático do que já era ao proporcionar não apenas momentos muito divertidos, mas outros com uma carga dramática um pouco maior.

No entanto, Animais Fantásticos: Os crimes de Grindelwald tem dois donos: Jude Law e Johnny Deep. Considero que Jude tinha uma responsabilidade maior, pois seu personagem já estava associado há dois outros atores brilhantes, Richard Harris e Michael Gambom. No entanto, ele conseguiu trazer a essência do famoso bruxo e, desde a primeira cena, não tive dúvida de que estava vendo o Dumbledore em toda sua sabedoria, carisma e sensibilidade. Já o Johnny Deep como Grindelwald foi a atuação mais impressionante do filme, conseguindo passar a perversidade e inteligência de seu personagem em todas as cenas em que aparece. Trata-se de um vilão que inspira medo em todas as suas ações, mas que ainda se mostra extremamente sedutor, tanto por seu discurso muito lógico (por mais terrível que seja), quanto por sua habilidade de entender os desejos e vulnerabilidades das pessoas à sua volta e usar isso para atraí-las. Que Lord Voldemort me perdoe, mas Geller Grindelwald é o grande vilão desse universo.

Copyright 2017 Warner Bros. Entertainment Inc. All Rights Reserved / Jaap Buitendijk

E por falar em discurso sedutor, considero que o grande mérito deste filme seja seu teor político e como ele evidencia o fato de que, muitas vezes, as maiores atrocidades podem parecer razoáveis quando ditas por um bom orador. Não que isso seja uma novidade no universo de Harry Potter, afinal, já era possível identificar muitas reflexões políticas e sociais nos livros da série. No entanto, em Os Crimes de Grindelwald, elas foram feitas de uma maneira muito mais aberta e contundente.
Preciso dizer ainda que, antes de assistir ao filme, tinha visto muitas críticas afirmando que este filme é confuso, que o roteiro é fraco e, até mesmo, que J. K. Rowling não sabia o que estava fazendo. Com relação ao roteiro, tem alguns problemas sim, especialmente no desenvolvimento de alguns personagens. No entanto, foram tropeços pequenos e nada que tornasse a história confusa.
Há muitas reviravoltas na trama e algumas surpresas que desagradaram parte dos fãs por, supostamente, entrarem em conflito com as informações que já tínhamos do universo de Harry Potter. Na minha opinião, o gancho que a autora deixou para os próximos filmes funcionou muito bem e abriu possibilidade para várias interpretações. Eu, sinceramente, estou mais do que disposta a esperar o que J. K. Rowling fará nos próximos três filmes. A história de Animais Fantásticos só começou e como, até hoje, eu nunca tive motivos para duvidar da habilidade da autora, acredito que ela saberá responder às questões que foram levantadas em Os Crimes de Grindelwald de maneira satisfatória e na hora certa. 
Nesse sentido, não posso deixar de comentar uma coisa: gostar ou não gostar do filme é um direito de cada um. O que não pode é o absurdo que tem acontecido nas últimas semanas, com muitas pessoas atacando e ofendendo a J. K. Rowling e as pessoas que gostaram do filme. Não gostar do rumo que a franquia está seguindo, questionar as escolhas da autora, ou até sua capacidade como roteirista, não dá a ninguém o direito de desrespeitá-la ou àqueles que aprovaram o filme. 
Dito isso, considero que Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald cumpriu muito bem seu papel e me deixou ainda mais ansiosa para assistir à continuação. Foi um filme que me fez revisitar a história que tanto amei e definiu um caminho para a franquia. Já estou completamente apegada ao nosso querido magizoologista, Newt Scamander, e não vejo a hora de ver mais da história de Dumbledore e Grindelwald. E, se ainda faltassem motivos para querer continuar acompanhando a franquia, já foi confirmado que o próximo filme se passará no Brasil, e eu não vejo a hora de saber como nosso país vai se encaixar nesse universo.
E vocês, já assistiram Animas Fantásticos: Os crimes de Grindelwald? Me contem aí nos comentários o que acharam. Mas sem dar spoilers hein? Ainda tem muitas pessoas que não viram o filme.



14 comentários:

  1. Eu fiquei ainda mais apaixonada pelo Newt <3
    Ele conseguiu provar que não existe "o escolhido", ele faz as coisas porque se importa e não porque deve ser feito. Porém não curti muito o filme e digo isso como fã... teve vários pontos altos, mas acredito que deveria ter sido melhor explorado e focado, ficou bagunçado =/ Mesmo assim, gostei

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Confesso que nada do universo do HP me interessa, não me interessei por esse filme apesar de sua resenha do filme ter sido muito interessante eu vou passar essa dica de filme

    ResponderExcluir
  3. A impressão que tenho é que as pessoas criam expectativas demais em cima desses filmes, quando a intenção nao é de causar o fervor que os filmes de HP causaram, isso é muito difícil de ser superado, e concordo contigo, nada justifica a falta de respeito.

    ResponderExcluir
  4. Não vi nenhum dos dois filmes, apesar de amara saga Harry Potter e saber que apesar da quantidade de personagens e das subtramas não foram problemas me anima, então preciso ler o primeiro para me situar de tudo que vamos encontrar e claro, para conhecer Grindelward, amo o ator.

    Abraços.
    https://acabinedeleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Eu to doida demais para assistir Animas Fantásticos: Os crimes de Grindelwald. Assisti ao primeiro assim que saiu, tamanho a minha ansiedade, mas este não consegui ir conferir ainda. Fiquei mais curiosa ainda e espero gostar tanto quanto você.

    ResponderExcluir
  6. Eu assisti e amei! Apesar de ter lido algumas criticas bem ruins, eu fui tirar minhas próprias conclusões. É um filme que deixa muitas pontas soltas, e acredito que as respostas virão no próximo filme!

    bjs

    http://www.alimentopraalma.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Malu.
    Eu ainda não assisti ao primeiro filme e estou louca para ver, agora fiquei surpresa sobre esse segundo, eu não fazia ideia da existência dele. Que pessoa mais desenformada hahaha
    Gostei de conhecer um pouco sobre ele e de saber que mesmo com algumas pequenas falhas é um bom filme.

    ResponderExcluir
  8. Oi Malu, eu ainda não tive a oportunidade de ler ou assistir animais fantásticos, tenho o livro, inclusive uma edição ilustrada lindíssima. Acho que vou assistir os filmes primeiro.
    Bjos
    Vivi

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Eu queria ter como te dar um abraço nesse momento! Você passou para palavras (muito boas) tudo o que achei e penso sobre esse filme! Concordo com cada parte, sem tirar nem pôr!
    Acho que a J.K. Rowling tem uma capacidade enorme de nos impressionar e isso já ficou mais do que provado. Com base nisso, tenho certeza que tudo que ficou em aberto ou "mal explicado" nesse filme, será respondido nos demais. Alguns problemas de enredo são comuns, eu ainda não vi nenhum filme que seja 100%, perfeito. E estou mais do que satisfeita com o filme, não me decepcionou nenhum pouco!
    E Dumbledore? Jude Law foi simplesmente perfeito! Acho que ele conseguiu SER o Dumbledore. Assim como o Depp <3 Ele roubou completamente o trono do Voldemort (desculpe, Lord), e se tornou um personagem que me arrepia, seduz e hipnotiza. Estou muito empolgada para as continuações e rumo da trama!
    Adorei seu post e já estou compartilhando com todo mundo que conheço que tá em dúvida de ver esse filme! <3

    ResponderExcluir
  10. Olá, amei conferir suas considerações sobre o filme, eu ainda não os assisti e como não tem cinema perto da minha cidade, talvez só os veja se algum dia passar na tv. Que bom que a história conseguiu satisfazer suas expectativas, eu já estou bem curiosa pelo fato de o próximo se passar no Brasil.

    ResponderExcluir
  11. Eu assisti semana passada o filme e amei muito! Verdade, esse foi bem mais dinâmico que o anterior, quando eu menos esperei já tinha terminado e eu queria mais. :(
    Foi muito bom voltar para esse universo e mal posso esperar para que saia o próximo! ♥

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Não sou muito fã desse tipo de filme e sempre fico me sentindo meio por fora porque vejo tantos comentários positivos sobre a produção que até sinto certa curiosidade mas ai acabo desistindo.
    Quem sabe em uma próxima dica!
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  13. Olá, tudo bem? Então, não é um filme que detestei completamente, até porque como você falou é de transição para algo maior, e achei incrivelmente bem apresentado. O que me incomoda um pouco é algum buracos e ordem de acontecimentos totalmente modificadas, o que prejudica o entendimento do Universo Harry Potter como um todo. Acho que o enredo cumpriu o proposto, e concordo que Grindelwald é muito maior que Voldemort, porém ainda não chegou ao seu 100% de potência (fora a cena do discurso e a fuga dele inicial, ao meu ver, ele se apresentou como algo morno durante o resto do filme, o que sabemos que pelo seu renome e tudo que fez, não é). Eu como fã, sinceramente fico receosa com pedaços faltantes e erros de cronologia e lá na frente se não retificar, ficará algo estranho. Tirando isso, acho que tem muita coisa boa para se falar, principalmente quando lembramos dos personagens Newt e Tina. Gostei de ver sua opinião sobre o filme!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir