[Resenha] Uma tocha na escuridão

19 de out. de 2020

 


Oi, pessoal! Andei um pouco sumida nos últimos dias, porque estava com a mente totalmente ocupada pela série Uma chama entre as cinzas. Então, o que eu vim fazer hoje? Trazer a resenha do segundo volume desta série.

Quando eu reli Uma chama entre as cinzas pude perceber mais detalhes que tinha deixado passar da primeira vez (resenha aqui) e isso aumentou minha ansiedade para a continuação, Uma tocha na escuridão. E, gente, mesmo tendo relido o primeiro recentemente, eu não estava pronta para esse livro. A Sabaa Tahir não me deu um minuto de paz, é tiro atrás de tiro.

Então, para quem quer uma leitura com fortes emoções, vem conferir esta resenha porque eu acho que esse livro é para você. E, não se preocupe, a resenha NÃO tem spoilers de Uma tocha na escuridão. Mas como se trata de uma continuação, recomendo que quem não leu Uma chama entre as cinzas, pare de ler a resenha agora.

 

Autora: Sabaa Tahir

Editora: Verus

Tradução: Jorge Ritter

Páginas: 434

Exemplar recebido de parceria com a editora

Onde comprar: Amazon | Submarino

Sinopse: O segundo livro da história épica e eletrizante sobre liberdade, coragem e esperança. Na continuação de Uma chama entre as cinzas, Laia e Elias estão em fuga, lutando pela vida. Após os eventos da quarta Eliminatória, os soldados marciais saem à caça dos dois enquanto eles escapam de Serra e partem em uma arriscada jornada pelo coração do Império. Laia está determinada a invadir Kauf, a prisão mais segura e perigosa do Império, para salvar seu irmão. E Elias está determinado a ficar ao lado dela — mesmo que isso signifique abrir mão da própria liberdade. Eles terão de lutar a cada passo do caminho se quiserem derrotar seus inimigos: o sanguinário imperador Marcus, a cruel comandante, o sádico diretor de Kauf e, o mais doloroso de todos, Helene — a ex-melhor amiga de Elias e nova Águia de Sangue do Império. A missão de Helene é terrível, porém clara: encontrar Elias Veturius e a escrava erudita que o ajudou a escapar... E acabar com os dois. Mas como matar alguém que você ama desesperadamente?

 

Uma tocha na escuridão começa exatamente onde paramos nos primeiro livro. Depois da Quarta Eliminatória, Laia e Elias fugiram de Blackcliff em direção à prisão de Kauf. Eles querem invadir a mais perigosa prisão do Império e libertar Darin, o irmão da Laia. Mas o caminho deles não será fácil. Além de serem procurados por ordens do novo Imperador, vão precisar enfrentar ataques de forças sombrias que querem impedi-lo e lidar com os horrores de tudo que viveram e fizeram.

Enquanto isso, Helene, a nova Águia de Sangue do Imperado, precisa cumprir sua missão: encontrar Elias e matá-lo. Mas ela é capaz de matar seu melhor amigo? Mas, em seu conflito sobre o que fazer e a quem ser leal, Helene vai descobrir que há muito mais em jogo. Suas ações vão refletir em todos aqueles que ama e até no destino do próprio Império.

 


Posso resumir essa resenha em “LEIAM ESSE HINO. SABAA PERFEITA, NUNCA ERROU”? Preciso dizer que vontade não me falta, mas vamos falar sobre Uma tocha na escuridão e por que ele é incrível.

Quando li Uma chama entre as cinzas, uma das minhas únicas ressalvas foi que achei que a maior parte do livro tem um ritmo um tanto lento. Já esse segundo volume é um verdadeiro teste para o coração. A trama tem um ritmo intenso desde a primeira página e me prendeu rapidamente. Eu simplesmente não conseguia largar o livro para nada.

Partindo de onde Uma chama entre as cinzas parou, Sabaa Tahir não perdeu tempo e já mostrou rapidamente como a situação dos personagens era difícil e perigosa. Com isso, já temos um clima de tensão desde as primeiras páginas que torna a leitura muito mais instigante e aumenta a nossa preocupação com o que irá acontecer a seguir.

Além disso, fica perceptível o crescimento dos personagens no primeiro livro e foi muito bom ver o quão bem a autora conseguiu desenvolvê-los. Os acontecimentos do livro anterior claramente transformaram os protagonistas e outros personagens ligados a eles, e podemos acompanhar as consequências dessas mudanças nesse livro. Eles se tornaram muito mais sofridos e carregam cicatrizes mais fundas, mas também estão mais maduros e aptos a enfrentar os desafios maiores que virão. 

Laia se tornou uma personagem muito mais determinada e forte. Tendo sobrevivido a tudo que a Comandante fez com ela, a menina que tinha fugido dos marciais no início do primeiro livro se tornou uma mulher mais consciente da sua força e do seu objetivo. Não que ela de uma hora tenha perdido seus medos e inseguranças, porque eles continuam lá. Mas seu amadurecimento foi evidente e gostei de ver como ela começou a lidar com a culpa e os temores que sentia.

Já o Elias continua sendo meu queridinho e senti ainda mais admiração por ele nesse livro. A forma como ele questiona as atrocidades cometidas pelo Império já demonstrava o seu senso de justiça e caráter forte. E, nesse livro, isso se torna ainda mais evidente. Elias está sempre disposto a proteger aqueles à sua volta, mesmo quando precisa se sacrificar para isso. Além disso, é impossível não se comover com a culpa e a dor que ele carrega por tudo que precisou fazer como máscara do Império e durante as Eliminatórias.  

Mas, nesse livro, temos um terceiro ponto de vista e alguns capítulos serão narrados pela Helene. Confesso que isso foi um dos motivos para eu demorar a ler Uma tocha na escuridão, porque eu realmente não gosto dessa personagem. Porém, preciso reconhecer que o ponto de vista dela foi fundamental para entendermos o que estava acontecendo no Império e o que estava por trás das ações do Imperador, da Comandante e do Portador da Noite. Além disso, no núcleo ao qual ela faz parte, são inseridos novos personagens que fizeram muita diferença no livro e tornaram a leitura ainda mais interessante. 



Outro ponto positivo desse livro é que a Sabaa Tahir expandiu ainda mais o universo da história e mostrou aspectos do Império que ainda não tinham recebido destaque. Com isso, conhecemos mais sobre a mitologia, principalmente as criaturas mágicas como djinis, efrits, etc, e sobre os outros povos que vivem ali, além dos eruditos e marciais. Então, se no primeiro livro a ambientação era limitada a Serra e a Academia de Blackcliff, agora conseguimos entender a vastidão do Império e sua complexidade e quão rico é o universo que a autora criou.

E o que eu posso dizer sobre a escrita da autora? A Sabaa Tahir me impressionou muito nesse livro com a forma brilhante com que desenvolveu essa história. Tudo que acontece tem um propósito e ela vai inserindo pequenas pistas que o leitor só vai entender na hora certa. A trama se desenrola com um ritmo intenso e não falta ação, mistério e romance, mas eu ficava o tempo todo pensando: onde isso vai dar? E quando as revelações finalmente chegaram, eu fiquei destruída e embasbacada com a capacidade da autora de me surpreender. Ela deixou pistas desde o primeiro livro, mas a gente só percebe quando ela quer. E isso é genial!

Deste modo, Uma tocha na escuridão é daquelas continuações que, por mais altas que fossem as nossas expectativas, elas ainda conseguem superar. Com um ritmo alucinante e revelações que me deixaram desmaiada no chão, esse livro foi uma verdadeira montanha-russa de emoções que me deixou sedenta pela continuação. O universo criado pela Sabaa Tahir é brutal e chocante, mas também é fascinante, cheio de magia e mistério. Já a jornada que os personagens embarcaram, se mostra cada vez mais perigosa e interessante, e eu não vejo a hora de saber onde ela irá leva-los.

E vocês, já leram a série Uma chama entre as cinzas ou têm curiosidade? Me contem aí nos comentários. E, para quem não leu ainda, aproveitem que o terceiro volume acabou de sair e agora vocês já podem comprar os dois primeiros também com a nova identidade visual. Vou deixar os links no final do post.

 

Uma chama entre as cinzas: Compre aqui

Uma tocha na escuridão: Compre aqui

Um assassino nos portões: Compre aqui 


3 comentários:

  1. Apesar de você não gostar da personagem, achei muito legal ter capítulos narrados pela personagem Helene, acho que traz outras verdade a história, mas isso é só achismo meu porque não li, então não tenho nem competência para opinar muito, digo somente com base me sua resenha.

    ResponderExcluir
  2. Oi Malu, sua linda, tudo bem?
    Eu também acho genial quando um fato lá do primeiro livro passa completamente despercebido ai na continuação ele era uma pecinha que se encaixava em uma plano do autor. Estou muito animada para ler a série. Sua resenha ficou ótima.
    bjs.
    cila.

    ResponderExcluir
  3. Oi Malu.

    Eu ainda não li Uma chama entre as cinzas, mas já estou com ele na meta de leitura e lendo sua resenha deste livro, estou vendo que preciso dar prioridade para série logo. Obrigada pela dica, estou bem curiosa pela leitura e descobrir a montanha-russa de emoções que ele esconde. Parabéns pela resenha.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir