[Resenha] O rei perverso

3 de nov. de 2020

 


Outro dia comentei sobre o que achei da minha releitura de Uma chama entre as cinzas e isso acabou me empolgando para reler outros livros. Então, aproveitei que A Rainha do Nada, terceiro volume da trilogia O Povo do Ar, está em pré-venda e resolvi reler O rei perverso para esperar esse lançamento.

Para quem não conhece, essa trilogia, da autora norte-americana Holly Black, começou com O Príncipe Cruel. Publicado no Brasil pela Galera Record em 2018, esse livro conquistou completamente meu coração e entrou para minha lista de queridinhos. O segundo volume, O Rei Perverso, saiu aqui no primeiro semestre, mas eu já tinha lido em inglês porque estava mais do que ansiosa para ler essa continuação.

Agora em outubro, eu decidi reler e agora vou poder compartilhar com vocês o que achei dessa leitura, se esse livro me conquistou como o primeiro e se estou ansiosa para a chegada de A Rainha do Nada.

 

Atenção: esta resenha NÃO tem spoilers de O Rei Perverso. Porém, como se tratar de uma continuação, não recomendo caso não tenha lido O Príncipe Cruel ainda. 


Autora: Holly Black

Série: O Povo do Ar #2

Editora: Galera Record

Tradução: Regiane Winarski

Páginas: 308

Onde comprar: Amazon

Sinopse: Para sobreviver no Reino das Fadas, Jude Duarte precisou aprender muitas lições. A mais importante delas veio de seu padrasto: o poder é bem mais fácil de adquirir do que de manter. Ela achou que, depois de enganar Cardan para que ele jurasse obedecê-la por um ano e um dia, sua vida se tornaria mais fácil. Mas ter qualquer influência sobre o Grande Rei de Elfhame parece uma tarefa impossível, principalmente quando ele faz de tudo em seu poder para humilhá-la e prejudicá-la, mesmo que seu fascínio pela garota humana permaneça intacto. Agora, com as ondas ameaçando engolir a terra e um alerta de traição iminente, Jude precisa lutar para salvar a própria vida e a daqueles que ama, além de lutar contra seus sentimentos conflituosos por Cardan no meio-tempo. Em um mundo imortal, um ano e um dia não são nada...

 

Jude Duarte é uma humana que cresceu no mundo das Fadas, mas nunca foi totalmente aceita ali. Agora, ela tem o controle sob o novo rei, Cardan, por um ano e 1 dia. Isso lhe confere uma posição de poder única, mas também perigosa. E ela vai descobrir que é mais conquistar o poder do que mantê-lo.

O reinado de Cardan é instável e há muitos interessados em tirá-lo do trono. Então, Jude precisa aprender a lidar com as intrigas das cortes e todas as ameaças que surgem, enquanto tenta fazer com que Cardan fique mais tempo sob o seu controle. No entanto, o perigo pode vir de onde menos espera. Uma ameaça vinda das águas e um alerta de traição fazem com que Jude precise usar toda sua atenção para salvar a si mesma e todos aqueles com quem se importa, mas a atração que sente por Cardan faz com que isso seja cada vez mais difícil.



Se você quer uma leitura tranquila e sossegada, passe longe de O Rei Perverso. Esse livro é daqueles que a gente não consegue respirar, com revelações, intrigas, ameaças e uma sensação de perigo constante. Holly Black construiu uma trama envolvente, que prende o leitor desde a primeira página e leva a uma jornada repleta de emoções.

Uma das coisas que mais gostei nessa leitura foi o quanto a autora conseguiu expandir mais o universo. Como Jude agora está em uma posição de poder, temos a chance de descobrir mais sobre as cortes e sobre o que está em jogo na disputa pela coroa do Grande Rei de Elfhame. Fiquei impressionada por ver o quanto a Holly Black conseguiu expandir esse universo e torna-lo ainda mais rico, mas também mais perigoso. É um mundo ainda mais fascinante do que eu imaginava no primeiro livro e acredito que ainda há mais a ser revelado no próximo volume.

E preciso destacar a Corte da Água, que ganhou destaque nesse segundo volume e se mostrou fascinante. É interessante ver como o povo da água é diferente dos feéricos da terra e representam uma grande ameaça para o reinado de Cardan. Aliás, ver esses dois povos medindo forças foi um dos pontos altos da trama e espero que seja ainda mais explorado na continuação.

Já em relação aos personagens, Jude continua sendo determinada e estrategista, mas também está mais ousada e ambiciosa do que no primeiro livro. Agora que conquistou o poder, ela não pretender abrir mão dele facilmente. Isso acabou trazendo conflitos interessantes para essa personagem, que vem encontrando cada vez mais dificuldade para entender quem realmente é e o quanto mudou depois de tudo que fez. No entanto, em alguns momentos, ela foi bastante imprudente e até ingênua, o que me irritou bastante.

Porém, isso não chegou a ser um problema, porque foi o momento do Cardan brilhar. Meu reizinho surpreendeu nesse livro e demonstrou uma grande evolução ao anterior. Ele amadureceu e se mostrou tão inteligente e manipulador quanto Jude. Além disso, nesse segundo volume vamos conhecendo mais sobre seu passado e entendo como ele se tornou o que é, o que deu mais profundidade ao personagem e o tornou ainda mais interessante do que já era. 




E o que dizer dos diálogos mordazes entre Jude e Cardan? São simplesmente os melhores momentos do livro, carregados de ironia, provocação e ameaças, ao mesmo tempo que evidenciam a química existente entre eles. Aliás, a relação dos dois tem se tornado cada vez mais fascinante, porque, ao mesmo tempo que é evidente o quanto se sentem atraído, também é uma relação tóxica e bastante disfuncional. Mas não se preocupem porque não se trata de um relacionamento abusivo. São apenas dois personagens complexos e um tanto perturbados, que reconhecem e despertam um no outro o que têm de melhor e de pior.

Com relação ao desfecho, confesso que nem de longe me surpreendeu tanto quanto o primeiro. Porém, isso não significa que ele não tenha me deixado igualmente impactada. Ele abre caminho para muitas possibilidades e me deixou sedenta para saber o que acontecerá a seguir. E, ao reler esse livro, ficou ainda mais evidente o quanto Holly Black acertou no desenvolvimento da trama até chegar nesse final, o que aumentou muito a minha confiança para Rainha do Nada.

Então, se O Príncipe Cruel me conquistou por seu final completamente surpreendente, O Rei Perverso veio para me provar que Holly Black ainda prepara muitas surpresas no caminho. O universo se mostrou muito mais rico do que imaginei a princípio, e também muito mais perigoso. Além disso, Jude e Cardan aprenderam muitas lições nesse segundo volume e mal posso esperar para ver como irão se comportar no próximo. O jogo pelo poder ganhou novos elementos aqui e estou ansiosa para ver quais estratégias os personagens irão adotar.

Agora quero saber: quem já conhecia a trilogia O Povo do Ar? Já leram os dois primeiros livros? Me contem aí nos comentários o que acharam. E, para quem não leu ainda, quero saber se ficaram curiosos para conhecer essa história.

 

Pré-venda de Rainha do Nada

Como falei no início do post, A Rainha do Nada, terceiro volume da trilogia, já está em pré-venda e será publicado em dezembro. Para quem quiser adquirir, ainda é possível comprar com os brindes: marcador, pôster e seis cartas do Cardan para Jude. Vou deixar os links aqui para vocês

A Rainha do Nada + pôster, marcador e cartas: SubmarinoAmericanasShoptime

A Rainha do Nada (sem brindes): Amazon



Outros livros da série:

O Príncipe Cruel: Amazon

O Rei Perverso: Amazon


5 comentários:

  1. Oi Malu!

    Ai, eu preciso dizer que estou quase sendo vencida pela hype dessa trilogia, toda vez que entro no twitter tem aguém do fandom falando desses livros e eu tõ cada dia mais curiosa pra ler, acho que vou investir nessa trilogia agora que o último volume saiu, espero gostar!
    Adorei seus comentários sobre a releitura, espero que Rainha do Nada seja incrivel!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá.
    Só vejo elogios sobre essa trilogia! Eu sempre dou preferência aos livros únicos, por medo de estenderem demais a quantidade de livros, mas essa está quase me conquistando de uma maneira que logo logo vou precisar lê-la. Tive que ler a sua resenha por cima, para não pegar nenhum spoiler do primeiro livro, mas que bom que você gostou da continuação. Que o desfecho seja ainda melhor!

    www.sonhandoatravesdepalavras.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Malu!
    escuto falarem muito desses livros, mas ainda não li. Fico muito curiosa quando a história é bem contada com detalhes significativos que a faz a gente sonhar lendo o livro, os personagens parecem cativantes. Vou anotar a dica, parabéns pela resenha, bjs!

    ResponderExcluir
  4. Eu conhecia somente o príncipe cruel, não sabia que havia continuação, o que foi uma novidade e tanto para mim. Ainda não li nenhum dos dois, pois disseram que não irão lançar todos no Brasil. Caso isso aconteça, aí sim lerei, pois tenho muita curiosidade.

    ResponderExcluir
  5. Geralmente isso acontece bastante em continuações, né? Elas acabam mais "mornas" do que o primeiro, mas confesso que o fato dela ter deixado várias possibilidades em aberto, me chama atenção. Ainda não tive a chance de ler nem o primeiro livro, mas está na minha wishlist. Gostei de saber sua opinião <3

    ResponderExcluir