[Resenha] A resistência da rainha

 


Se tem uma coisa que um leitor que ama fantasia está acostumado é a sofrer esperando uma continuação. Mas e quando a gente termina o livro sabendo que tem um próximo volume, mas sentindo que não tinha necessidade? Foi isso que aconteceu comigo quanto li A Ascensão da Rainha. Eu amei o primeiro livro e achei o final tão fechadinho que fiquei me perguntando: para que um segundo livro?

Bem, agora a continuação – A Resistência da Rainha – foi publicado e eu finalmente pude matar minha curiosidade. O livro foi uma das minhas leituras de junho (eu postei no instagram uma lista com tudo que li no mês – confira aqui) e é claro que eu não poderia enrolar para vir contar para vocês o que achei.

Então, agora vocês vão poder conferir minhas impressões da leitura e se eu achei essa continuação necessária ou não.

 

Atenção: A Resistência da Rainha continua exatamente do ponto onde o anterior parou. Portanto, é fundamental ler na ordem correta. A resenha do primeiro livro pode ser conferida aqui.

 

Autora: Rebecca Ross

Editora: Galera Record

Tradução: Leonardo Alves

Páginas: 420

Onde comprar: Amazon

Exemplar recebido de parceria com a editora

Sinopse: “Brienna enfim se tornou mestre de conhecimento e está se estabelecendo em seu papel como filha adotiva de Davin MacQuinn, um lorde que caiu em desgraça mas que retornou a Maevana para restaurar a honra de sua Casa. Apesar de ter acabado de sobreviver à guerra que finalmente devolver uma rainha ao trono, Brienna encontra novos desafios: precisa se prova digna dos MacQuinn; encontrar um equilíbrio entre os deveres com a Casa do pai e os de seu país como confidente da rainha Isolde Kavanagh; e tem também Cartier, o fator mais irresistível de sua nova vida. Já Cartier Évariste, ou melhor, Aodhan Morgane, está se adaptando ao extremo contraste de sua vida pré-guerra como mestre de conhecimento em Valenia e sua tual como lorde de uma Casa derrotada. Durante a restauração de seu castelo, ele conhece Tomas, um menino de dez anos cujo passado e cuja família são um completo mistério. Então, quando sua ex-pupila se apega ao menino tanto quanto ele, Cartier se permite divagar: e se não precisasse cuidar de Tomas e de seu castelo sozinho? Conforme os acontecimentos se desenrolam rapidamente, Brienna e Cartier devem colocar seus sentimentos de lado e se concentrar em forjar alianças, executar justiça e garantir que ninguém interfira na coroação da rainha. Mas uma resistência está se formando entre os aliados do antigo regime, que estão desesperados para encontrar uma fraqueza nas forças rebeldes.”

 

Continuando exatamente onde o primeiro parou, A Resistência da Rainha vai explorar as consequências dos eventos anteriores e mostrar os caminhos que os personagens ainda precisavam trilhar. Depois da grande batalha, o reino Maevana precisa ser reconstruído, mas antes de tudo é preciso forjar novas alianças e descobrir quem é leal e quem é inimigo.

Com a rainha de volta ao trono, é preciso que sua posição seja consolidada o mais rapidamente possível. Enquanto tenta ajudá-la, Brienna precisa se adaptar à sua nova vida como filha adotiva de Davin MacQuinn, enquanto tenta conquistar o seu espaço na Casa do seu pai e a confiança do seu povo. Paralelamente, Cartier se prepara para assumir seu papel como lorde e tenta reconstruir sua própria Casa.

No entanto, para construírem a nova vida que desejam, ambos precisarão entender o que os anos da guerra causaram em Maevana e as feridas que foram deixadas no seu povo. Isso os levará a desafios maiores do que imaginavam e a busca por alianças se mostrará fundamental nesse caminho. Em uma corrida contra o tempo, eles vão buscar apoio para consolidar o reinado de Isolde e reconstruir Maevana, enquanto sonham em um futuro mais feliz para eles e o seu povo.



Quando terminei A Ascensão da Rainha, fiquei sem entender o motivo de uma continuação e tive medo que a autora estragasse a história. Porém, aqui ficou claro que a autora sabia o que estava fazendo e ainda havia muito a ser explorado. No livro anterior, os personagens venceram uma importante batalha, mas ainda precisavam percorrer um longo caminho. Tantos anos de terror e barbaridade criaram atritos sociais e deixaram marcas profundas nas pessoas que viveram aquele período. E, claro que não seria fácil superar tudo isso.

Então, amei ver como a autora trouxe um lado mais realista dos conflitos, mostrando que as consequências de tudo que aquele povo viveu durante anos e após as batalhas. Ela deixa claro que haviam muitos traumas, desconfianças e medos que precisariam ser superados antes que aquele reino pudesse ser reconstruído.

E o mesmo acontece com os personagens. Todos eles têm que lidar com as cicatrizes físicas e emocionais que carregavam para enfim começarem uma nova vida. E foi muito bom ver o quanto eles amadureceram nesse processo e como foram superando seus conflitos aos poucos. Em especial, amei ver o quanto Brienna cresceu em relação ao livro anterior e a força que demonstrou para lidar com os conflitos que surgiram. Além disso, meu coração apertou por ver o peso da responsabilidade que recaiu sobre Cartier e o quanto os acontecimentos do passado ainda o machucavam. Ele passa por uma jornada muito bonita de superação, perdão e recomeço, o que me fez gostar ainda mais do personagem.

Há ainda um toque de romance que deixou o meu coração quentinho. É lindo acompanhar a Brienna e o Cartier, vendo o quanto eles mereciam ser felizes e viverem esse amor. Inclusive, minha única ressalva em relação ao livro é a ausência de um epílogo para aproveitar mais desse casal.

Assim, a Resistência da Rainha acabou sendo uma continuação muito importante. Ela aprofundou a história e trouxe um peso maior para tudo que aconteceu no livro anterior. Foi uma leitura envolvente e dinâmica, que me fez gostar ainda mais do universo e dos personagens que a autora criou. Sem dúvida, é um livro necessário e que encerrou a duologia com chave de ouro.

E vocês, já conheciam A Ascensão da Rainha e A Resistência da Rainha? Gostam de duologias? Me contem aí nos comentários o que acharam e se ficaram curiosos para ler também.

Um comentário:

  1. Oie, tudo bem? Minha amiga leu o primeiro livro e achou simplesmente incrível. Assim como você estava ansiosa pela continuação. Fiquei com pé atrás pensando que não teria tanta história para um segundo livro, mas pelos comentários que tenho visto valeu a pena esperar pela continuação. E a edição? Está lindíssima. Interessante como a autora conduziu a história e foi revelando alguns pontos. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir

Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Kindle Unlimited

Ofertas na Amazon

Instagram

Seguidores

Tecnologia do Blogger.

Mais lidos

Twitter

Newsletter

Arquivos

Editoras parceiras