domingo, 12 de junho de 2016

Cinco livros para "fugir" do Dia dos Namorados

Ao longo dessa semana, dei indicações de livros perfeitos para entrar no clima do Dia dos Namorados (aqui) e trouxe a resenha do lindo romance A probabilidade estatística do amor à primeira vista. No entanto, tem muita gente que quer justamente evitar lembrar dessa data.
Eu acredito que não há razão para fazer do Dia dos Namorados uma data ruim ou deixar de aproveitar o dia só por estar solteiro. Pensando nisso, fiz uma lista com excelentes opções de leitura que não possuem o romance como aspecto central da história e que podem proporcionar bons momentos aos leitores.

Apaixonada por histórias, da Paula Pimenta.
Sinopse: Paula Pimenta é conhecida e amada por milhares de fãs por seus romances juvenis, mas um dos primeiros gêneros nos quais se aventurou em sua carreira literária foi a crônica, que escrevia e publicava em sites literários. Em 2012, lançou seu primeiro livro nesse estilo, Apaixonada por palavras, pela Editora Gutenberg. Seus leitores gostaram tanto das 55 crônicas publicadas que pediram mais! Paula resolveu atender aos inúmeros pedidos lançando este novo livro, 'Apaixonada por Histórias', que traz mais 55 crônicas. Como o título sugere, a autora desde pequena sempre teve enorme paixão por todos os tipos de narrativas, e, como maravilhosa contadora de histórias, narra várias situações que viveu em sua vida, e que inspiraram muitos de seus personagens e passagens de seus livros e séries.
Editora: Gutenberg
Este livro é composto por crônicas da escritora mineira Paula Pimenta. Ela fez sucesso entre o público jovem com seus lindos romances, mas suas crônicas também proporcionam uma leitura agradável e divertida.

Mulherzinhas, de Louisa May Alcott
Sinopse: Nascida em 1832, na Pensilvânia, Estados Unidos da América do Norte, Louise May Alcott sonhava ser atriz, mas tornou-se escritora. Inspirou-se nas próprias experiências para escrever suas histórias. Foi edu­cada pelo pai, o filósofo e educador Amos Bronson Alcott, tendo a oportunidade de conviver com inte­lectuais do círculo do pai, como Thoureau e Emerson. Em Mulherzinhas (1868), a autora apresenta o retrato de uma família de classe média norte-americana do seu tempo, salientado os seus valores morais: civismo e amor à pátria, que chega ao sacrifício de seus filhos, dedicação extrema ao lar e ao próximo.
Editora: Matin Claret
            Esse livro já apareceu em várias listas que fiz e, sim, ele possui alguns momentos de romance. No entanto, o ponto central da história é o amor existente na família, especialmente entre as irmãs. Existem várias formas de amar, e uma das coisas que mais gosto neste livro é que ele mostra que o amor romântico não é mais importante que os outros.

Star Wars: Marcas da Guerra, de Chuck Wendig
Sinopse: Marcas da guerra é o primeiro livro do cânone oficial a mostrar o que acontece depois do clássico Episódio VI: O retorno de Jedi. Nesse novo panorama galáctico, vamos descobrir que a guerra ainda não chegou ao fim... e que os traumas deixados por ela ainda serão sentidos por muitos e muitos ciclos. Capitão Wedge Antilles, almirante Ackbar, almirante Sloane, o garoto Temmin e a mãe, Norra Wexley, a caçadora de recompensas Jas Emari, o antigo agente imperial Sinjir: novos personagens e velhos conhecidos dos amantes da saga, que sempre estiveram envolvidos na luta, agora devem escolher o lado a que deverão jurar lealdade. Deverão colocar-se ao lado da Nova República, procurando estabelecer um novo governo democrático na galáxia? Ou juntar-se às fileiras imperiais, na tentativa de voltar ao poder absoluto depois das mortes dos lordes Sith Palpatine e Darth Vader?
Editora: Aleph
Para quem quer evitar o romance, nada melhor do que um bom livro de ficção. Uma leitura envolvente e dinâmica, com personagens interessantes e que evoluem ao longo da trama.

O doador de Memórias, de Lois Lowry
Sinopse: Em O doador de memórias, a premiada autora Lois Lowry constrói um mundo aparentemente ideal onde não existem dor, desigualdade, guerra nem qualquer tipo de conflito. Por outro lado, também não há amor, desejo ou alegria genuína. Os habitantes de uma pequena comunidade, satisfeitos com a vida ordenada, pacata e estável que levam, conhecem apenas o presente – o passado e todas as lembranças do antigo mundo lhes foram apagados da mente. Um único indivíduo é encarregado de ser o guardião dessas memórias, com o objetivo de proteger o povo do sofrimento e, ao mesmo tempo, ter a sabedoria necessária para orientar os dirigentes da sociedade em momentos difíceis. Aos 12 anos, idade em que toda criança é designada à profissão que irá seguir, Jonas recebe a honra de se tornar o próximo guardião. Ele é avisado de que precisará passar por um treinamento difícil, que exigirá coragem, disciplina e muita força, mas não faz ideia de que seu mundo nunca mais será o mesmo.
Editora: Arqueiro
Esse livro se trata de uma distopia situada em um universo interessante e complexo. Aqui, Lois Lowry faz reflexões interessantes sobre a natureza humana e sobre a importância das nossas memórias, sentimentos e emoções.

Jogos vorazes, de Suzanne Collins.
Sinopse: A história se passa em uma nação chamada Panem, fundada após o fim da América do Norte. Formada por 12 distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital, sede do governo. Uma das formas com que demonstra seu poder sobre o resto do carente país é com os 'Jogos Vorazes', uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de 12 a 18 anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte. Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido Distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos 'Jogos Vorazes'?

Editora: Rocco
Sim, eu sei que esse livro traz vários momentos de romance, especialmente por trazer um triângulo amoroso bem marcante. No entanto, este não é o ponto central da história. O foco central é uma sociedade distópica onde um governo totalitário oprime e explora dos distritos que o compõem para manter uma vida de luxo para os habitantes da capital, e crianças são enviadas para um verdadeiro sacrifício que reforça o poder e o controle do governo sobre a vida das pessoas. O livro, além de uma história envolvente com uma protagonista admiravelmente forte, traz inúmeras reflexões, especialmente sobre os perigos de um governo totalitário, o uso da mídia como uma forma de massificar e alienar as pessoas, e as relações humanas e o modo como as pessoas reagem em situações extremas.
Gostaram da lista? Agora não tem mais a desculpa de falar que não aproveitou o domingo só por causa do Dia dos Namorados, hein? É só aproveitar o dia de folga, fazer um chá ou café bem quentinho para esse tempo frio e se preparar para uma boa leitura.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Copyright © 2013 | Design e C�digo: Amanda Salinas | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal