sexta-feira, 31 de março de 2017

[Dica da Malu] A Ilha dos Dissidentes

Sinopse: Ser levada para uma cidade especial não estava nos planos de Sybil. Tudo o que ela mais queria era sair de Kali, zona paupérrima de guerra entre a União e o Império do Sol, e não precisar entrar para o exército. Mas ela nunca imaginou que pudesse ser um dos anômalos, um grupo especial de pessoas com mutações genéticas que os fazia ter habilidades sobre-humanas inacreditáveis. Como única sobrevivente de um naufrágio, ela agora irá se juntar a uma família adotiva na maior cidade de mutantes do continente e precisará se adaptar a uma nova realidade. E logo aprenderá que ser diferente pode ser ainda mais difícil que viver em um mundo em guerra. Autora: Bárbara Morais / Editora: Gutenberg / Páginas: 304                                                                                             Comprar: Amazon

Se você acompanha o blog, deve ter visto que no Dia da Mulher eu fiz uma lista com algumas autoras que, na minha opinião, todo mundo deveria conhecer (aqui). Entre as que escolhi, estava a Bárbara Morais. Ao longo do mês, todas as resenhas que publiquei foram de livros escritos por mulheres e, hoje, vou falar sobre o livro que fez com que eu me apaixonasse pela escrita da Bárbara e a incluísse na lista. Então, se você ainda não a conhece e não leu A Ilha dos Dissidentes, precisamos falar sobre esse livro.
Primeiro volume da Trilogia Anômalos, A Ilha dos Dissidentes é uma distopia que reúne alguns elementos já conhecidos de quem gosta do gênero, mas que são utilizados de uma maneira totalmente diferente e combinados com outros inovadores. Confesso que senti muito orgulho de ver uma escritora brasileira desenvolvendo uma história tão diferente e envolvente. Para quem acha que na literatura nacional não há bons livros de fantasia ou distopia, pode começar a rever seus conceitos.
Neste livro, o leitor é apresentado a uma realidade em que, após uma grande guerra, o mundo foi dividido em dois países, a União e o Império do Sol. Assim, acompanhamos a trajetória de Sybil, uma menina órfã que vive em uma zona de guerra entre os dois países, mas finalmente conseguiu autorização para viver em uma região de refugiados, afastada do conflito. Porém, o navio em que estava sendo levada acaba afundando e ela é a única sobrevivente.
Depois de uma série de exames, Sybil é informada que a razão para que ela tenha sobrevivido é que ela é portadora de uma mutação especial que lhe dá uma incrível capacidade relacionada à agua. Assim, ao invés de ser enviada para viver como refugiada, ela passará a viver em uma das cidades destinadas a pessoas como ela, conhecidos como anômalos. A partir daquele momento, a convivência com pessoas consideradas normais deveria ser mínima, porém, ela viveria em uma boa cidade, seria adotada por uma família, frequentaria a escola e teria uma vida relativamente normal.
A adaptação de Sybil à sua nova vida é rápida. Ela passa a viver com uma mãe adotiva, Rubi, seu filho Tomás e seu irmão Dimitri. Além disso, ela rapidamente faz amizades na escola. Graças à sua vizinha Naoki, ela também é apresentada a Brian e Leon. Além disso, acaba se aproximando de Andrei, um menino que era um pouco isolado, mas que acaba se juntando ao novo grupo de Sybil.
Na escola, Sybil tem aulas consideradas normais, mas também tem disciplinas que a ajudarão a desenvolver a sua recém descoberta habilidade especial. O único problema é que Sybil acaba sendo selecionada para participar das aulas de TecEsp, uma misteriosa disciplina oferecida na escola em que ninguém, além dos alunos que participavam, sabiam o que de fato acontecia, mas todos queriam participar. Assim, ela, sem querer, desperta a atenção e a inveja de alguns colegas. No entanto, isso não a atrapalha tanto e Sybil consegue levar a vida normalmente, até descobrir por que tanto mistério em torno dessa disciplina.
O primeiro ponto que preciso destacar sobre esse livro é o quanto o universo criado pela Bárbara Morais é diferente de qualquer outro que eu já tenha lido. Claro que, como em outras distopias, há coisas muito erradas na forma como a sociedade apresentada é organizada. No entanto, isso não fica tão evidente à primeira vista. Os anômalos são separados do resto da sociedade, mas, apesar de sabermos que isso não está certo, não é algo que fica evidente, pois eles levam uma vida normal. Ao contrário de outros livros em que a segregação e a desigualdade social são evidentes, aqui os excluídos vivem em boas condições e têm uma aparente liberdade. Suas cidades são bem construídas e eles têm acesso à boa alimentação, moradia, escolas, etc.
É com o desenvolvimento da história e com pequenos acontecimentos que somos lembrados que aquilo não está certo. O próprio nome pelo qual as pessoas com mutações são chamadas, anômalos, já demonstra que o tratamento que recebem está errado. Eles são forçados a usarem roupas amarelas para serem identificáveis e não interagirem com “pessoas normais”. Além disso, em cidades mais afastadas dos locais onde vivem os anômalos, eles são barrados em alguns estabelecimentos e são frequentemente ofendidos pelas pessoas. Assim, vamos percebendo que, por trás daquela aparente liberdade e normalidade, está escondido um enorme preconceito e segregação. Consequentemente, Bárbara constrói esse universo ficcional de uma maneira que inclui sutilmente diversas críticas sociais. 
Outro aspecto que gostei bastante no livro é a diversidade e a representatividade presente na obra. Apesar de ser um universo totalmente diferente, com personagens que têm habilidades especiais comparadas às dos X-Men, fica evidente a preocupação da autora em trazer diversidade para a história. E o mais interessante é que isso não é feito de uma maneira caricata ou como se ela estivesse cumprindo uma obrigação, como já vi em alguns livros. A diversidade presente em A Ilha dos Dissidentes é real e os personagens são, de fato, representativos. Por mais fantásticos que sejam os poderes deles, é possível perceber o quão humanos eles são e o quanto eles representam a nossa sociedade.
Não podia deixar de destacar aqui também o quanto a escrita da Bárbara é envolvente. Logo nas primeiras páginas eu já estava completamente mergulhada na história, querendo entender como funcionava aquele universo e qual seria o destino da Sybil. Mesmo sendo um livro com muitas descrições, pois está apresentando um mundo completamente novo para o leitor, elas não são excessivas e a leitura é fluida, não perdendo o ritmo em momento algum.  
Por fim, preciso comentar também sobre a edição. A capa é bem chamativa e tem tudo a ver com a história. As páginas são amareladas e a diagramação está excelente, com uma fonte de ótimo tamanho e um bom espaçamento entre as linhas, facilitando muito a leitura.  É uma edição simples, sem muitos detalhes, mas que está muito bem-feita e agradável para ler.
A Ilha dos Dissidentes é, então, um livro que eu recomendo muito para quem gosta de distopia, fantasia e ficção. Para quem duvida da qualidade da literatura nacional, a Bárbara Morais escreveu um universo muito original, mas também rico e cheio de críticas e reflexões sobre a nossa sociedade. Os personagens são complexos e bem construídos, indo muito além de suas impressionantes habilidades mutantes. Fiquei completamente apaixonada por este livro e não vejo a hora de dar continuidade na trilogia.
Ah, e como sempre, quero saber a opinião de vocês sobre esse livro: se pretendem ler ou já leram, o que acharam, se também recomendam a leitura, etc. Então, não deixem de me contar aí nos comentários.

Outras resenhas publicadas em março:
Lágrimas agrestes: Aqui
Três coisas sobre você: Aqui

A Rebelde do Deserto: Aqui

Comente com o Facebook:

31 comentários:

  1. Olá, tudo bem?
    Apesar da sua resenha estar super legal e instigante, esse livro não me chamou a atenção. Não curto muito esse estilo, mas para os leitores do gênero parece uma dica maravilhosa.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Faby, tudo bem?
      Que pena que você não se interessou, mas às vezes acontece isso mesmo. Alguns gêneros não prendem nossa atenção. Mas fico feliz que tenha gostado da resenha.
      Beijos!

      Excluir
  2. Estou com esse livro aqui na minha estante, mas nunca parei para lê-lo... mas agora sim, sera minha proxima leitura!!

    http://infinitoparticulardoslivros.blogspot.com/2017/03/os-13-porques-primeiras-impressoes.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Calebe, tudo bem?
      Que bom que resolveu ler este livro. Espero que seja uma leitura tão boa para você quanto foi para mim.
      Beijos!

      Excluir
  3. Malu, me abraça porque tô passada.
    Antes de falar do livro, preciso falar da sua resenha: que dom! Eu não sei se foi porque você gostou da obra, mas essa resenha tá um tanto diferente do que costumo ver aqui - uma diferença boa, sabe?

    Enfim, sobre a história, eu amei! Não conhecia a autora e nem esse livro, mas por conter um dos meus gêneros preferidos é lógico que vou querer ler. Pois visivelmente é uma obra muito bem criada - sim, nacionais podem ser bons!

    Beijinhos e até a próxima!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Aline, tudo bem?
      Muito obrigada pelo comentário tão carinhoso! Fico muito feliz que você tenha gostado da resenha!!! <3
      Esse livro é um excelente exemplo de que a literatura nacional tem ótimos livros. Espero que você leia e goste também!
      Beijos!

      Excluir
  4. Oiii Malu, tudo bem?
    Infelizmente dessa vez a obra não despertou tanto meu interesse o quanto eu gostaria, mas fico feliz que tenha gostado e trazido a resenha para nós.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Morgs, tudo bem?
      Que pena que não se interessou pelo livro. Mas, às vezes, acontece isso mesmo e o livro simplesmente não desperta a nossa curiosidade.
      Beijos!

      Excluir
  5. Ola
    Eu já conheço esse livro há um bom tempo, porém ainda não tive a oportunidade de poder conferir. Amo distopía, fantasia e ficção, então é claro que desperta o meu interesse, e os elementos que você comentou me deixaram ainda mais motivada. Vou colocar na minha lista de prioridades nesse ano!
    Beijos, F

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, tudo bem?
      Essa é uma leitura que eu recomendo muito, principalmente, se você gosta de distopia e ficção. Espero que você leia e goste também.
      Beijos!

      Excluir
  6. Faz um tempão que eu não leio uma distopia legal, que me deixe empolgada e eufórica e acho que este livro aqui é uma boa indicação para que isto aconteça.
    Adorei sua resenha e já quero ler logo.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ivi, tudo bem?
      Se você está procurando uma distopia original, diferente das outras, acho que esta vai ser uma boa opção. Espero que você goste mesmo e leia.
      Beijos!

      Excluir
  7. Eu já li esse livro e, amante de distopia que eu sou, fiquei apaixonada por toda história da Barbara! É bem diferente de todas que já li, como você mesma disse, é bem original e tô louca pra ler a continuação. Só aguardando entrar em promoção, haha.

    Virando Amor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carol, tudo bem?
      Eu também estou muito ansiosa para ler a continuação! Já comprei em uma promoção de ebooks da Amazon, agora só está faltando o tempo hahaha.
      Beijos!

      Excluir
  8. Oi, tudo bom?
    Esse livro me lembrou MUITO X-MEN, socorro! Como amo mutantes, histórias sobre (Orfanato da Srta. Peregrine é o máximo!), então acho que iria amar realizar a leitura dessa obra! Já quero <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jéssica. Tudo bem, e você?
      O livro tem alguns elementos de X-Men, mas é de uma maneira totalmente diferente. Espero que você leia mesmo e goste da obra.
      Beijos!

      Excluir
  9. Olá,
    Ainda não fiz a leitura da obra, mas fiquei bem mais intrigada ao saber que o universo criado pela autora é diferente de qualquer coisa que você já tenha lido e me deu um ânimo a mais para saber os detalhes.
    Para mim, seria uma obra original já que ainda não li nada que tivesse mutantes como personagens. Dica anotada.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Não conhecia nem a série e nem o livro, mas a sua resenha me deixou bem curiosa, muito interessante este universo, originalidade e certa empolgação com a qual você escreve, de modo que posso entender que gostou muito do livro. Fiquei também feliz em saber que é de uma autora nacional, é bom ver o quanto elas vem ganhando espaço.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Olá, como vai?
    Eu tenho esse livro a algum tempo e depois da sua resenha com certeza irei dar uma chance a ele.
    Parabéns pela ótima resenha.
    Beijo
    https://qadulta.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Ainda não conhecia a obra, mas o que mais me chamou a atenção nela foi esses elementos distópicos denso utilizados de maneiras inéditas e essa representatividade presente na obra. Adorei a maneira como a sua resenha foi escrita e estou bem curiosa para realizar essa leitura.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem?
    Já teve uma época que quis muito ler esta série. Mas ultimamente não tenho vontade mais, porque perdi a vontade de ler séries distópicas e de ficção. No momento, esse não é um gênero que me agrada muito, já me agradou bastante mas agora estou dando um tempo, quem sabe quando essa fase passar, eu leio ele? Ótima resenha, beijos.

    ResponderExcluir
  14. Oi! Vou começar o comentário dizendo que eu estaria mentindo se dissesse que qualquer outro ponto que não o da aula misteriosa foi o que mais me atraiu kkk Sério, minha curiosidade já começou aqui a me perturbar imaginando o que será que tem nela! Agora tirando isso realmente a autora conseguiu construir um enredo bem diferente e que tem tudo para te enganar e você nem nota até que seja apresentado esses pontos de preconceito. Tenho o livro aqui em casa e definitivamente vou pegar para ler porque você atiçou minha curiosidade! Ótima resenha! <3
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  15. Faz tempo que não leio distopia, mas sempre achei muito interessante saber que havia uma trilogia do gênero por aqui com destaque nas prateleiras das livrarias.
    Gostei do ponto que você abordou sobre a representatividade feita de forma natural, realmente alguns livros forçam essa questão.
    Fiquei bastante interessada, com certeza leria :)

    ResponderExcluir
  16. Oie, tudo bem? Que bom que gostou tanto do livro! Eu já li comentários mega positivos sobre a trilogia e sua resenha só me deixou mais curiosa e interessada na leitura. Adoro distopias e quero conferir essa também. Espero ter a oportunidade em breve :D Amei a resenha!
    beijos!

    ResponderExcluir
  17. Oie! Tudo bem?

    Fico feliz que tenha gostado tanto da leitura, infelizmente para mim a obra ainda não me chamou a atenção, venho acompanhando as resenhas e opiniões sobre o livro e vejo todas bastante positivas, mas por enquanto não irei realizar a leitura dele não, quem sabe futuramente!

    Bjss

    ResponderExcluir
  18. Eu tenho esse livro, mas até hoje não o li. Eu não curto muito distopias, mas agora que li sua resenha até bateu certa curiosidade, pois realmente a organização da sociedade é diferente. E isso é uma das coisas que me incomoda nas distopias, pois sempre é tudo muito parecido.
    Vou tentar ler esse ano, vamos ver.

    Beijos

    ResponderExcluir
  19. Olá!!
    Tudo bem?
    Já estou pronta para me aventurar nessa leitura. Bastante curiosa.
    Parabéns pela dissertação do livro. ;)
    Cantinho da Bruna

    ResponderExcluir
  20. Oie
    via algumas resenhas há um tempo desse livro e os outros da série mas sinceramente não tenho muita vontade de ler pois não sou fã de gêneros assim, mesmo assim parabéns pela resenha

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Conheci a autora uns anos atrás e adorei ela, sempre quis ler o livro mas acabou que nunca li =/ hoje sou meio desanimada em ler ele mas ainda adoro essa premissa.

    ResponderExcluir
  22. Olá!
    Faz muito tempo que não leio uma distopia, estava procurando uma pra ler e essa parece ótima! Achei bem original e também valorizo muito a diversidade e a representatividade nas histórias, sinto que vou curtir bastante! Obrigada pela dica.
    Beijos,

    Luana

    ResponderExcluir
  23. Gosto muito de distopias, então esse já entraria para minha lista de desejos, haha!

    Achei bem interessante a proposta e quão bem a autora parece trabalhar a segregação no universo em que criou. Espero conseguir ler esse livro um dia, ótima indicação!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir

Copyright © 2013 | Design e C�digo: Amanda Salinas | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal