sexta-feira, 20 de outubro de 2017

[Dica da Malu] Corpo

Sinopse: “Uma nova vida. Um novo amor. Um perigo real. A nova série da autora de A garota do calendário “Eu te amo. Eu te quero. Eu nunca vou te deixar.” Gillian Callahan entra em pânico só de ouvir esse tipo de frase. Por anos ela viveu uma relação abusiva com seu ex-namorado violento. Agora ela está livre e segura, trabalhando para uma fundação de apoio a mulheres vítimas de violência — a mesma que a resgatou e salvou sua vida. Gillian não quer saber de homem nenhum. Até conhecer Chase Davis, o presidente da fundação. O bilionário é tão sexy e sedutor que Gillian fica sem chão. Chase sempre consegue o que quer — e ele quer Gillian. Agora ela terá de enfrentar a batalha entre o desejo e o medo. Gillian vai conseguir confiar em Chase? Ela está segura com ele? E quão perigoso pode ser um passado sombrio... não só o dela, mas o do homem que ela aprendeu a amar?”Autora: Audrey Carlan / Editora: Verus / Páginas: / Skoob / Comprar: Amazon

Quem acompanha as listas de livros mais vendidos deve ter visto que a série A garota do calendário apareceu em quase todas o ano passado. Recentemente, a editora Verus publicou Corpo, o primeiro volume de Trinity, a nova série da mesma autora. Confesso que nunca tive muita curiosidade pelos livros da Audrey Carlan, mas quando recebi esse livro de cortesia do Grupo Editorial Record resolvi fazer uma tentativa e conhecer a escrita dela.
Em Corpo, o leitor é apresentado à protagonista Gillian Callahan. Ela vivenciou por anos um relacionamento abusivo, mas foi resgatada por uma fundação que ajudava mulheres vítimas de violência doméstica. Agora, ela trabalha nessa mesma organização e tem uma vida segura e estável, rodeada por amigas que são como irmãs para ela. Seu foco está totalmente voltado para o trabalho e as amigas, e romance não faz parte dos seus planos.
No entanto, quando seu caminho cruza com o do bilionário Chase Davis, a vida de Gillian vai virar de cabeça para baixo. Eles se conhecem por acaso no bar de um hotel, porém, logo ela descobre que evitá-lo não será tão fácil. Afinal, ele é o presidente da fundação onde ela trabalha.



A fórmula já é bem conhecida em romances eróticos e, normalmente, não me interessaria por este enredo. No entanto, achei interessante a autora falar sobre a violência doméstica e essa foi minha maior motivação para realizar essa leitura. Não é um tema muito comum nesses livros e fiquei curiosa para saber como ele seria trabalhado.
Assim, o aspecto que mais gostei em Corpo é que a autora reforça o tempo todo que a violência nunca é culpa da vítima. Audrey Carlan não suaviza as agressões sofridas por Gillian e nem os efeitos que eles tiveram, tanto físicos quanto psicológicos. Além disso, ela mostra o quanto esse tipo de relação é tóxica e muitas vezes a própria vítima tem dificuldade em reconhecer que aquilo é errado. Deste modo, ao invés de julgar mulheres que passam por essa situação, é importante apoiá-las e tentar dar apoio para que elas possam se reerguer.
No entanto, se a abordagem que a autora faz sobre relações abusivas e violência doméstica é o ponto positivo do livro, ele foi perdido na construção do romance. Além de ser mais um caso daqueles em que o casal tem uma paixão imediata e incontrolável, Chase é um homem mandão, controlador e, muitas vezes, invasivo e Gillian aceita. Uma mulher que viveu por anos em uma relação onde era constantemente sufocada, que se orgulha de ter se libertado e se tornado independente, simplesmente concorda em ter um homem controlando a vida dela, desde sua roupa até os lugares onde vai. Cadê a coerência, miga?
Anuo, sem saber ao certo como continuar lutando. Toda a sua essência emana confiança e controle, e eu estou murchando sob a pressão de estar perto dele. Ele é o sexy Super-Homem, mas parece estar se tornando minha kriptonita.
Chase passa o tempo todo afirmando sua posse sobre Gillian e, apesar de levemente incomodada, ela sempre acaba cedendo e falando que é dele. É uma submissão cega, como se a atração física justificasse isso. Além disso, me incomoda o fato de que o tempo todo ele compra roupas para ela, escolhe o que ela vai comer, e chega ao absurdo de mexer na conta bancária dela sem autorização; tudo isso com a justificativa de que ele pode pagar. E, mais uma vez, Gillian aceita sem impor resistência.


Isso acaba me levando a outro problema do livro: o romance de Gillian e Chase se resume a atração e ao dinheiro. Não há convivência suficiente, não há diálogos interessantes e nem troca de opinião. Eles mal se conhecem e simplesmente não conseguem ficar longe um do outro. Além disso, Chase está constantemente usando ou a atração que Gillian sente por ele ou o deslumbramento que ela tem pelo luxo que ele oferece para controlá-la. Mas isso é colocado no livro como algo muito romântico e não abusivo.
 – Agora, diga de novo que você não é minha mulher – ele exige. Fecho os olhos e aceito meu destino. – Não posso – respondo, percebendo que nunca houve outra opção. Desde o minuto em que conheci Chase, ele me teve.
Com relação à construção dos personagens, achei que foi muito rasa, sem quase nenhuma evolução ao longo do livro. No entanto, ainda consegui simpatizar mais com as amigas de Gillian do que com o casal principal. Apesar de não aparecerem tanto, Maria, Bree e Kat são divertidas e é bonito ver o laço sincero que as une. É uma amizade para todos os momentos, o que significa que elas se apoiam na dificuldade e vibram juntas nas alegrias.
No entanto, não preciso nem dizer que não gostei do casal principal, né? Gillian tinha tudo para ser uma personagem que eu iria admirar. Ela superou um passado muito difícil e conseguiu se tornar uma pessoa independente, construir uma boa carreira e ajudar mulheres que passaram por situações parecidas. No entanto, não dá para desculpar uma pessoa que viveu a experiência de um relacionamento tão tóxico aceitar um homem agindo como se fosse seu dono só porque ele é rico e incrivelmente bonito.
Já o Chase é um homem machista e controlador, apesar da autora tentar justificar isso o livro inteiro. E eu sei que vão ter pessoas que vão falar que ele faz isso porque está totalmente apaixonado por ela e quer protege-la, que na verdade ele é um homem carinhoso e atencioso. Mas não é. Ninguém se apaixona em duas semanas e, mesmo se fosse esse o caso, nada dá a ele o direito invadir a privacidade dela daquela forma e agir de maneira tão possessiva.
Quero estar louca da vida com ele. Eu estou louca da vida, mas, quando suas mãos estão sobre mim, eu me derreto.
A escrita da autora é bastante envolvente, o que torna a leitura muito fluida. Tudo se desenvolve rapidamente no livro, o que faz com que o leitor não sinta o tempo passar. Porém, em alguns momentos isso foi um defeito, pois não há o desenvolvimento apropriado de alguns aspectos. Além disso, as cenas mais quentes me cansaram porque, apesar de bem escritas, são excessivas. Como o relacionamento do casal principal é baseado quase que exclusivamente na atração, tem cenas de sexo praticamente o livro inteiro.
Com relação à edição, achei que a Verus acertou mais uma vez. A capa ficou muito bonita; mais sensual, por se tratar de um romance erótico, mas não é nada vulgar. Além disso, as páginas são amareladas e a fonte e o espaçamento têm um bom tamanho para leitura.
Apesar de ser meio óbvio, não posso deixar de avisar que este livro é totalmente inadequado para menores de 18 anos. Não só pelas cenas muito detalhadas de sexo, mas também por ter momentos de muita violência.
Corpo é uma leitura fluida e envolvente, e, se você leu a série A garota do calendário e gostou, provavelmente irá apreciar esse livro. Para mim, não funcionou tanto, pois vi muitos estereótipos que me incomodaram, os personagens são superficiais e não gostei do desenvolvimento do romance. Além disso, a proposta da autora de falar sobre relações abusivas e violência doméstica ficou totalmente perdida quando ela romantizou um relacionamento que é quase tão tóxico quanto. No entanto, vou levar os títulos em consideração e esperar que nos próximos livros haja um desenvolvimento maior e que pelo menos parte dos problemas. Afinal, se o primeiro livro chama Corpo e foca mais no aspecto físico dos personagens, espero que a continuação, chamada Mente, trará um desenvolvimento maior do lado emocional.

Agora, quero saber se você já conhece o trabalho de Audrey Carlan e se leu ou pretende ler sua nova série. Me contem aí nos comentários e deixem a opinião de vocês, caso já tenham lido.

Comente com o Facebook:

31 comentários:

  1. Oiê!
    Já tinha ouvido falar (bastante) da série A Garota do Calendário, mas nunca me interessei por esses livros, contudo, como dito por você, acho que a temática de Corpo é bem instigante, visto que aborda um assunto antigo, mas que só começou a ser discutido há pouco tempo: violência doméstica, acho que só leria essa obra por causa disso mesmo, o restante não me interessa nem um pouco.

    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Andrea. Tudo bem?
      Então, foi a temática que me chamou a atenção no livro. Mas, como disse na resenha, achei que a autora foi contraditória ao trazer uma protagonista que vivenciou a violência doméstica e aceita entrar em outro relacionamento abusivo.
      Enfim, espero que você leia e tire mais proveito da leitura do que eu.
      Beijos!

      Excluir
  2. Olá, tudo bem?
    Já li muito sobre esse livro e confesso que estou receosa na leitura. Li a serie A garota do calendário e não curti muito o estilo da autora. Estou pensando em dar uma chance a leitura e talvez depois do seu post eu até leia, mas sinceramente ainda estou indecisa.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Faby, tudo bem?
      Eu não li A garota do calendário, mas entendo seu receio. Como disse na resenha, o livro tem muitos problemas. No entanto, é uma leitura rápida e, se você tem curiosidade, talvez seja bom ler e tirar suas próprias conclusões.
      Beijos!

      Excluir
  3. Olá!! :)

    Eu confesso que não conhecia este livro mas era impossível não saber da coleção da Garota do Calendário...

    Bem, acho uma pena que não te tenha agradado, mas, pelo menos, foi uma leitura fluida...

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  4. Olá, realmente a garota do calendário é uma série bem conhecida. Quando a esse novo livro, acho bacana a abordagem em violência doméstica, pois cabe no momento atual, pela sua resenha, a autora mescla o tema com o romance erótico e só espero que ela não acabe deixando de lado o tema que foi bem abordado. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gleyse. Tudo bem?
      Então, como eu disse na resenha, o tema foi relativamente bem abordado, mas achei que a autora perdeu isso ao romantizar outro relacionamento abusivo. Mas espero que merece nos próximos.
      Beijos!

      Excluir
  5. Oi Malu tudo bem?
    Mesmo assim que o livro tenha diversos problemas, eu não sei se leria no momento, por um momento fico meio assim por causa da autora, mas por outro lado extremamente curiosa por causa do passado.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Olá! Deve ser um livro tenso, mas imprescindível ler , pois ainda hoje a vítima s sente ou é levada a acreditar que é culpada. Anotado
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Apesar de não ter lido os livros, li muito sobre a série A Garota do Calendário. Confesso que não é o tipo de livro que leio toda hora, mas gosto quando pego uns com enredos envolventes.
    Particularmente este livro já me incomodou pelo fato da autora tentar justificar as atitudes machistas do Chase, nada justifica esse tipo de atitude e nada romantiza essas coisas. Dessa vez passo a dica.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Já li A garota do calendário da autora e não curti muito, então provavelmente não lerei esse aqui, mas gostei de saber que aborda a violência doméstica e acho isso muito importante.
    Que pena que não funcionou pra você :/

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  9. Oi, Maria! Não curti A garota do calendário, acho que não vou curtir essa série também... rs
    Ainda mais com todos esses estereótipos que vc mencionou e o fato de o mocinho ser controlador, contrastando com uma personagem que se livrou de um relacionamento abusivo. Essa eu passo.
    Bjos
    Lucy Por essas páginas

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?

    Recebi este livro da editora e já está separado para leitura. Não sabia muito sobre a obra, e fiquei bem feliz de ler sua resenha. Pude saber o que espera do livro. Acho impressionante esses livros onde o casal se apaixona em menos de duas semanas, sempre me pergunto como isso é possível. Ainda pretendo ler a obra, mas agora, já estou preparada para o que irei encontrar na narrativa.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Olá Maria, não conhecia o livro, mas pela sua resenha já sei que não é uma leitura para mim, esses estereótipos junto com submissão da protagonista são coisas que não me deixam gostar da maioria dos livros que leio do gênero.

    ResponderExcluir
  12. Oie!

    Eu jurava pelo estilo das capas que se tratava de uma fantasia, mas nota-se que viajei total kkkk Passo a dica, pois não tenho mais paciência de ler livros eróticos, mas acredito que para quem gosta será uma boa pedida!

    Bjss

    ResponderExcluir
  13. Li dois livros da autora, os dois primeiros da serie do calendário e parei ali, a leitura não funcionou par amim e eu tive muitos problemas com o enredo. Por isso a minha curiosidade para conhecer esta trama aqui é zero.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Olá, eu quero muito ler esse livro eu tenho ele aqui mais ainda não li em toda a resenha eu vejo a mesma coisa em relação ao livro que ela não teve coerência em relação ao relacionamento deles e falar sobre abuso domésticos.

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem? Se tem um gênero de leitura que não me atrai de jeito nenhum é esse. Porém achei interessante esse ponto levantado sobre violência doméstica, se for bem trabalhado pode enriquecer e muito a leitura. Mas mesmo com esse detalhe, não me atraiu a ponto de ter interesse pela leitura.

    ;D
    Nelmaliana Oliveira

    ResponderExcluir
  16. Ai meu deus, estou com pé atrás agora. Eu requisitei esse livro e to vendo que os pontos que não funcionaram pra você totalmente não funcionariam pra mim. Romantizar o que não é legal é um dos meus piores pontos num livro pra mim. Obrigada pela resenha sincera.
    Elisabete Silva

    ResponderExcluir
  17. Oie, tudo bom?
    Eu não leria a obra porque apesar do tema "Violência Doméstica" ser muito importante e deve sim ser debatido, odeio livros com esse gênero, e quando se fala que a protagonista "cruzou com um bilionário" eu já perco toda a vontade de ler, pois sempre é o mesmo clichê. Passo a dica ^^

    ResponderExcluir
  18. Olá! Eu li a série A Garota do Calendário, e apesar de ter todo esse sucesso e amantes da série eu não consigo ser uma delas, acho muitos livros desnecessários e a personagem principal não me conquistou muito, mas apesar de tudo é uma série interessante de se ler, mas eu não tenho curiosidade de ler Corpo, já vi varias criticas negativas sobre e isso só aumento o meu desanimo para ler a obra. Enfim, eu adorei a sua resenha ❤️

    ResponderExcluir
  19. Olá, tudo bom?
    Então! Eu li dois ou três livros de A garota do calendário e não gostei nem um pouco. Quando vi esse lançamento pensei em dar uma chance por abordar relacionamentos abusivos, mas já desisti de novo. Realmente é muito incoerente que uma mulher que viveu em um relacionamento abusivo, saiu e se orgulha disso, se submeta em outro e sequer perceba os sinais. Só pelo que você falou, já sei que vou passar raiva com a leitura. Outro ponto que me desestimulou a ler foi essa construção rasa dos personagens, que quase não evoluem na trama. Então, mesmo sendo uma narrativa fluida, passo a indicação.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  20. Estou louca para ler essa nova série da Audrey Carlan.
    Mas depois dá tortura que foi o tempo de lançamento da série A Garota do Calendário e o enrolo das entregas eu só lerei essa série quando todos os livros forem lançados.
    Super tô apaixonada nas suas fotos.
    Beijos
    www.manuscritoliterario.com.br

    ResponderExcluir
  21. Olá, tudo bom?

    Eu estou enjoada de romances eróticos, pois acabam sendo sempre os mesmos. Então, no momento, só leio livro do gênero se são continuações de histórias que eu já tenha gostado anteriormente. Nesse, quando vi a premissa, tinha despertado a minha atenção. Apesar de não ter me interessado pelo A Garota do Calendário e nem lido a série, gostei de que uma escritora abordasse violência doméstica em um livro de romance erótico. Achei que, por isso, ela tiraria esse estereótipo de protagonista machista e relacionamento abusivo (mesmo não sendo físico). Ledo engano.
    Mais uma vez temos um cara cheio da grana, bonito, com um relacionamento sexual com a protagonista e acha que isso lhe dá o direito de controlar a vida de outra pessoa. A autora acaba sendo contraditória nesse aspecto e faz com que todas as mulheres pareçam ser totalmente superficiais e rasas. Se o cara tem dinheiro pode fazer o que quiser comigo? É amor ou prostituição? Sério, me dá asco histórias desse tipo.
    Enfim, a não ser que, no segundo livro, ela mude totalmente a história e aborde o tema de uma maneira correta, mostrando que o personagem está errado e a protagonista mude sua atitude dentro desse relacionamento, não é um livro que eu lerei futuramente, infelizmente.

    Adorei a resenha sincera e obrigada pela dica mesmo assim :)
    Abraços.

    https://instantesmemoraveis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Olá!!!
    Conheço o trabalho da Audrey, inclusive li parte da série da Garota do Calendário, mas não consegui seguir a leitura justamente por pontos que você citou no seu texto. A escrita da autora é realmente fluente e bem bem instigante, mas a falta de aprofundamento me irrita.
    Não conhecia nada sobre esse livro, a sua resenha foi a primeira que li e confesso que não curti muito não.

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  23. Oi Malu, me abraça?
    Eu li A Garota do Calendário e não curti a leitura, apesar de ter apreciado a escrita da autora e, apesar de não curti romances eróticos, senti muita vontade de ler Corpo, mas foi uma baita de uma decepção porque, como uma pessoa que passou por tudo o que passou pode aceitar um personagem mandão e outro relacionamento abusivo, de uma forma diferente.
    O que me motivou a desgostar menos do livro foi o suspense que temos no final.
    Beijos,
    http://www.umoceanodehistorias.com/

    ResponderExcluir
  24. Oi!
    Eu gostei muito da série Garota do Calendário, acho que porque estava mais com a mente aberta que seria algo mais voltado para sexo, atração e é claro o dinheiro que ela precisava.
    Se essa segue o mesmo estilo acho que não vai me incomodar tanto, mas de qualquer maneira tenho que lê-lo ainda esse mes, então depois te conto o que achei ;)

    ResponderExcluir
  25. Oiee ^^
    Eu só li os dois primeiros livros de A garota do calendário, mas não gostei tanto. Não estava com vontade de ler essa nova série da autora justamente por não gostar de romances, mas quando você mencionou que a autora aborda violência doméstica, fiquei curiosa. Aí a curiosidade morreu quando você disse que o "mocinho" é controlador e a protagonista se torna submissa, e que a única coisa que segura esse relacionamento é a atração. Aí é triste :/
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  26. Oi, Malu!
    Já vi algumas resenhas desse livro, mas nunca havia ficado curiosa antes. Gosto do gênero, mas confesso que pensei que fosse apenas mais um erótico como tantos outros, não sabia que a autora abordava a violência doméstica e acho que seria uma leitura que talvez me agrade. Vou ler!

    Beijos,

    Rafa -blog Fascinada por Histórias

    ResponderExcluir
  27. Oi, Maria Luiza! A capa realmente está linda e a edição aprece estar também. Apesar de saber do grande sucesso de A garota do calendário, não é uma história que me interessaria tanto... Mas aguardarei novas impressões.

    BJs

    ResponderExcluir
  28. Ola lindona eu amo a escrita da Audrey, devorei a série a Garota do Calendário, por isso estava muito ansiosa para ler essa nova série. Li Corpo em dois dias, gostei muito da construção dos personagens o tema abordado no livro está sendo bem trabalhado, sim é um romance hot que flui muito bem. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir

Copyright © 2013 | Design e C�digo: Amanda Salinas | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal