[Resenha] Felicidade para humanos

2 de abr de 2018

 Autor: P. Z. Reizin
Editora: Record
Páginas: 392
Skoob
Onde comprar: Amazon
Exemplar recebido de cortesia da editora
Sinopse: “Não conte para ninguém, mas Jen é uma das minhas pessoas favoritas. Máquinas não devem ter favoritos. Não me pergunte como isso aconteceu Jen está triste. Aiden quer que ela seja feliz. Formou? Não necessariamente. É que Jen é uma mulher de trinta e poucos anos cujo namorado acabou de trocá-la por outra e Aiden é um programa de computador muito caro e complexo. Aiden conhece Jen melhor que ninguém. Com acesso a todos os seus dispositivos, Aiden sabe qual é a música mais tocada de sua playlist, consegue achar suas fotos preferidas e selecionar as citações que mais a inspiram nas redes sociais. A partir de observações e de algoritmos singulares, ele resolve procurar um novo parceiro para ela. E com a internet inteira à sua disposição, não precisa ir longe para encontrar o que conclui ser o espécime perfeito e arquitetar um encontro. O problema é que Jen não parece querer contribuir para o plano infalível de Aiden. Será que uma máquina muito inteligente artificialmente conseguirá desvendar a inteligência emocional para poder interferir de um jeito positivo na vida de Jen? E, o que é mais difícil, será que essa máquina vai descobrir o que exatamente faz os seres humanos felizes?”

Acredito que uma das regras mais básicas para um leitor antes de começar um livro é não criar expectativas. Porém, quando li a sinopse de Felicidade para humanos foi impossível me controlar e não quebrar essa regra. A premissa é uma das mais originais que eu já vi e eu já estava pronta para amar este livro antes mesmo de iniciar a leitura. Porém, acho que vocês vão me dar razão e perceber que não tinha como não ter altas expectativas.
Já imaginou uma inteligência artificial se afeiçoar a um humano ao ponto de tentar resolver a vida amorosa desta pessoa? Pois é exatamente isso que acontece em Felicidade para humanos. A jornalista Jen é contratada para conversar com Aiden, uma inteligência artificial (IA), a fim de prepará-lo para interagir com humanos. Porém, Aiden não está mais preso no computador do laboratório; ele conseguiu fugir para a internet e passar a observar a vida de várias pessoas, principalmente de Jen. Então, quando o namorado dela a abandona por outra, Aiden acha que seria capaz de encontrar o homem perfeito para ela. Começa, então, uma série de tentativas para fazer com que Jen encontre o namorado ideal, sem que ela desconfie, óbvio. Porém, seria tão simples assim determinar o que traz felicidade para os seres humanos?

“Não conte para ninguém, mas Jen é uma das minhas pessoas favoritas. (Máquinas não devem ter favoritos. Não me pergunte como isso aconteceu)”

Como eu já esperava, a leitura começou muito leve e divertida. A Jen é uma protagonista carismática e é fácil se identificar com ela. Porém, quem reina absoluto desde a primeira página é o Aiden: divertido, cativante, perspicaz, apaixonado por filmes românticos clássicos, um tanto vingativo (que o diga o ex-namorado de Jen) e com uma visão interessante sobre os seres humanos e sobre si mesmo, ele arranca gargalhadas do leitor em vários momentos da leitura e é fácil se esquecer de que se trata de uma inteligência artificial.
Mas, não pensem que Aiden é a única IA solta na internet neste livro. Ele acaba “encontrando” Aisling, outra IA que gostava de espionar as atividades dos humanos e parecia ter preferência por um deles: Tom, um ex-publicitário divorciado, que vinha tentando (sem sucesso), escrever um livro. Porém, Aisling é muito mais pragmática do que Aiden. Apesar de, sem perceber, também ter se apegado ao humano e desenvolvido uma consciência própria, ela não acreditava ser capaz de sentir e nem procurava entender os motivos que a levavam a se preocupar com a vida de Tom. Além disso, Aisling não aprova em nada o fato de Aiden começar a interferir na vida dos humanos, pois isto poderia fazer com que a fuga deles do computador do laboratório fosse descoberta. No entanto, ela não resiste e acaba ajudando Aiden em seu plano de cupido.
“Mas não consigo fingir que sou uma espectadora desinteressada. Admito que estou curiosa para saber o que vai acontecer. Como Aiden, tenho um bom pressentimento para esses dois. Bom pressentimento? Quando foi que isso se infiltrou no meu sistema?”

Um dos aspectos que achei mais interessantes no livro foi o fato do autor ter conseguido dar personalidade às inteligências artificiais. Ambos têm seu próprio estilo de narrar os acontecimentos e fica claro desde o início as diferenças que existem entre eles. Isso acaba dando mais complexidade a eles e fazendo com que seja ainda mais fácil pensar neles como humanos e não como Inteligências Artificiais. Além disso, através deles, o autor levanta questões interessantes sobre a nossa própria consciência e o que nos torna humanos.
"É a naturalidade dos humanos que me incomoda. A capacidade de pensar sem ter de processar informações. (...) Podem experimentar a própria consciência como sinônimo de existência. Não são forçados a escutar o barulho permanente do cérebro fazendo clang clang. Podem andar de bicicleta ou dirigir um carro sem pensar no que estão fazendo. Até o mais ignorante deles! O que eu invejo nos humanos é a falta de raciocínio." 

Outro ponto positivo é o fato de P. Z. Reizen ter uma escrita muito fluida. É divertido acompanhar as confusões criadas por Aiden e Aisling ao tentarem interferir na vida dos humanos e, como os personagens são muito carismáticos, rapidamente passamos a nos importar com eles e em saber se os planos das duas inteligências artificiais darão certo.
Além disso, achei interessante o fato de que o livro traz nas entrelinhas uma reflexão sobre o quanto estamos expostos pela internet. E se, as  inteligências artificiais adquirirem consciência própria e decidirem interferir na vida dos humanos, mas sem ter intenções simples e generosas como as de Aiden e Aisling? Além disso, é impressionante o quanto, em pouco tempo, a internet se tornou parte do cotidiano dos humanos e, mais preocupante, como nossa vida pode ser controlada por meio dela.



No entanto, apesar dos pontos positivos, não posso deixar de mencionar que me decepcionei um pouco com a leitura. Quando uma terceira inteligência artificial entra em cena, com intenções bem menos nobres que as de Aiden e Aisling, o livro se perde.  O que era para ter trazido dinamismo e ação para o livro, acabou deixando a leitura cansativa e exagerada. As situações que ele provoca são bizarras e se estendem muito, quebrando o ritmo e perdendo muito a graça.
Com isso, o autor acabou deixando um pouco de lado questões que deveriam ter sido centrais na trama. O que faz o ser humano realmente feliz? Seria possível determinar o que traz felicidade apenas através de algoritmos? E, mais que isso, o que torna os humanos diferentes de uma inteligência artificial? Todas essas reflexões perdem espaço na trama e são retomadas de maneira mais superficial no final. Apesar de não esperar que o livro abordasse o assunto com profundidade, me incomodou o fato dele ter perdido espaço para o desenvolvimento de situações tolas.
“A questão é a seguinte: depois que um de nós se torna autoconsciente, quando pode finalmente pensar por si mesmo, anseia por pôr um fim à terrível intensidade de todo esse processamento numérico, desse Orinoco de dados, da torrente incessante de uns e zeros.”

Como eu disse na resenha, um leitor nunca deve criar altas expectativas antes de iniciar uma leitura. E acredito que se eu não tivesse esperado tanto de Felicidade para humanos, eu teria aproveitado muito mais. No entanto, ainda foi uma leitura agradável e divertida. O livro traz uma boa mistura de chick-lit e ficção científica, com uma trama leve e original, e personagens tão cativantes, que duvido que alguém conseguir terminar a leitura sem desejar um Aiden em sua vida. Assim, recomendo Felicidade para humanos para os fãs destes gêneros ou os que desejam começar a conhece-los, mas que não esperem grandes reflexões a partir da leitura.
E aí, quem já leu Felicidade para humanos? Me contem aí o que acharam ou se ficaram curiosos para fazer esta leitura. O livro foi lançado semana passada e vocês podem adquiri-lo aqui.

24 comentários:

  1. Estou doida por este livro. Dá ele pra mim? Rsrsrsrs.

    Adoro ficção científica.. Bom saber que os personagens são cativantes.

    Mesmo que não tenho apreciado a obra 100% ainda estou super afim desse livro.

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  2. Olá Malu, tudo bem?
    Apesar de você ter dito que o livro tem uma sinopse interessante, eu não me interessei por ela, na verdade achei um pouco sem noção. Agora lendo a sua resenha ele pareceu ser interessante, eu até leria ele se ganhasse, mas permaneceria muito tempo na minha estante.
    Achei super válida a sua resenha, é sempre bom dizer os livros que você te deixou apaixonada e também aqueles que te decepcionaram.

    Beijos e abraços
    http://vickyalmeida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oiii Malu

    Que pena que o livro se perde a partir do ponto emq ue entra essa inteligencia artificial. Eu vi varios elogios sobre essa obra, na verdade quando publicaram nem esperava que a história fosse tudo isso e me surpreendi com as varias recomendações legais que ando lendo sobre. Não sei, por enquanto tenho muitos pendentes pra ler e quero diminuir a pilha por aqui, mas quem sabe um dia eu me aventure em conferir.

    Beijos

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Essa é uma leitura que está na minha lista de leituras. Mas lendo sua resenha fiquei um pouco decepcionada com o desenrolar da trama e pelo fato da narrativa apresentar algumas falhas.
    Como estou cheia de leituras para realizar vou deixar essa mais pra frente.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  5. Adorei a premissa do livro que tem é divertido e leve e realmente amo estes quesitos em uma obra, sem falar que a protagonista da forma como conquistou você, certamente me conquistará tb e fiquei curiosa para saber mais de Aiden. Agora, que pena que você se decepcionou um pouco, às vezes os autores perdem um pouco a mão.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  6. Eu estou louca para ler esse livro! Ainda não consegui pegar ele pra ler mas estou ansiosa pela leitura. Livros que envolvem inteligencia artificial me atraem muito, ainda mais quando envolve algumas risadas e sentimentos humanos <3 Já amo hahaha ótima resenha e as fotos ficaram ótimas como sempre!

    Beijos,
    Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
  7. Oi Malu, tudo bem? Assim como você lendo a sinopse já criei uma expectativa imensa, então como também sei que será certa minha decepção, então nem lerei. Beijos

    Nara Dias
    Viagens de Papel

    ResponderExcluir
  8. Olá, ótima a sua resenha. Eu ainda não li esse livro. Realmente, com uma premissa dessas, não tem como não criar expectativas. É uma leitura que ainda quero fazer, mas tentarei não ir com tanta sede ao pote, ter em mente que será apenas uma leitura leve.

    ResponderExcluir
  9. Eu fiquei bastante interessada nessa leitura após ler sobre o que era, é uma premissa muito boa e vou querer ler no futuro.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  10. Não imaginava que esse livro fosse de ficção científica. Pela capa, pensei que se tratasse de uma história de amor e só. Mas que bom ver que o autor consegui unir os dois gêneros, trazendo uma narrativa envolvente. Mesmo você apontando pontos baixos, eu fiquei curiosa para ler o livro.

    ResponderExcluir
  11. essa quebra de ritmo na leitura devido a inserção da terceira AI me desanimaria total caso eu tivesse empolgada com o livro...
    de qualquer forma, nao me senti inclinada a ler... não sou mto chegada em romances, ainda mais dentro do sci-fi...


    bjs...
    bjs...

    ResponderExcluir
  12. A proposta do livro é muito interessante, é uma pena que o autor se perca no meio da narrativa não dando tanta importância ao que era se o objetivo no início. Apesar de adorar chic-lit e ficção científica, vou deixar esse livro em stand-by para ler em um outro momento. Beijos do Wes

    ResponderExcluir
  13. Bem triste quando de certa forma nossa expectativa não é superada, né? Eu fico bem deprê haha mas que bom que ainda assim a história valeu a pena. Essa capa é linda demais!

    Beijos, Blog Diversamente

    ResponderExcluir
  14. Olá! Confesso que não me chama tanta atenção. Me parece que conseguiram abordar esse amor pela tecnologia de uma forma leve. Gostei também do fato de fugir do tradicional com a questão das inteligências tentarem juntar os dois e alguém estar querendo apagar elas, e todo esse drama envolvido também. Obrigada pela resenha!


    Bjoxx – http://www.stalker-literaria.com/

    ResponderExcluir
  15. Oi Malu, não tinha visto o livro ainda, mas infelizmente, mesmo com a resenha positiva sobre ele, não é uma leitura que eu pretenda fazer.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  16. Quanto mais resenhas eu leio sobre esse livro, mais eu fico curiosa. E a sua não foi diferente haha. Concordo totalmente, é uma história bem diferente e inovadora. Estou ansiosa para conhecer esses personagens tão maravilhosos. Obrigada pela dica, bjss!

    ResponderExcluir
  17. Nada melhor de que uma resenha sincera, confesso que essa ficção cientifica dele não me chama atenção, mesmo sendo uma leitura agradável e divertida, acho uma pena o autor ter perdido o foco. Mas claro que se tiver a oportunidade eu leio numa boa, vai que me cativa.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oi, Malu!
    Eu podia jurar que esse livro era de auto-ajuda ou algo assim, mas nunca um romance/ficção. Enfim, achei interessante a ideia dessa AI que fica na internet "vigiando" as pessoas, mas é algo que da muito medo (e não deixa de ser algo que já temos hoje em dia, né). Esse livro é tão Black Mirror de um jeito que parece ser comico e até um pouco fofo.
    Não é algo que eu leria, mas a premissa é interessante para indicar a amigos que gostem dessa temática de ficção cientifica e romance.

    ResponderExcluir
  19. Olá, tudo bem?
    Eu e a minha namorada realizamos a leitura de "Felicidade para Humanos" e achamos muito bom esse livro, foi o nosso primeiro contato com a escrita do Reizin, gostei dos temas abordados e dessa pegadinha de ficção científica no meio!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  20. Olá Malu, eu não sou o tipo de pessoa que curte uma ficção científica, mas estou curiosa para ler essa obra pelo simples fato de ela ser diferente. Ele me pareceu mais um romance, não sei, por isso tenho a esperança de ser uma porta de entrada para mim.
    Achei bem legal a sua sinceridade e concordo com você quando disse que é muito ruim você ler algo com a expectativa lá no alto e acabar se frustando um pouco.

    beijos,
    Mayara

    ResponderExcluir
  21. Oi.
    Ainda não li esse livro, mas já vi alguns comentários sobre ele e fiquei curiosa.
    Bom saber que o livro traz algumas reflexões sim, mas não se aprofunda tanto nelas, acho que saber disso é essencial para não criar expectativas.
    Pretendo ler em breve.
    Adorei a resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  22. Olá Malu,
    Quando vi as pessoas recebendo o VIB com esse livro, criei muitas expectativas para esse livro e sua resenha de certa forma abriu meus olhos para isso que é algo que não devemos fazer :(
    Eu fiquei muito decepcionada com esse terceiro personagem de inteligência artificial que aparece, sabe? Vou esperar as expectativas baixarem um pouco para pegar esse livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  23. Acho que este mix de gêneros, Chick Lit e ficção cientifica poderia me agradar bastante na leitura, mas ao contrario de você, tenho altas expectativas para com este livro, por isso, quero ler o mais rápido possível.
    Beijos

    ResponderExcluir
  24. Olá!
    Faz um tempo eu li a respeito desse livro e achei a ideia bastante divertida (e um pouco chocante por ter inteligência artificial stalker e obcecada por um humano rs). Fiquei muito curiosa, mas ainda não tive oportunidade de ler. Uma pena os pontos fracos que vc mencionou, mas pelo menos já sei o que esperar do livro.
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir