[Resenha] O problema do para sempre

4 de jun de 2018

Autora: Jennifer L. Armentrout
Editora: Galera Record
Páginas: 392
Onde comprar: Amazon
Exemplar cedido pela editora
Sinopse: “Mallory viveu muito tempo em silêncio. Mas o destino lhe reserva um novo desafio. E ela percebe que está na hora de encontrar a própria voz. Já na infância, Mallory Dodge percebeu que só poderia sobreviver se ficasse calada. Teve que aprender a ficar o mais quieta possível. Aprendeu a passar despercebida. A se esconder. Mas agora, após ter sido adotada por pais amorosos e dedicados, ela precisa enfrentar um novo desafio: sobreviver ao último ano do Ensino Médio numa escola de verdade. O que Mallory não imaginava é que logo no primeiro dia de aula daria de cara com um velho amigo que não via desde criança, quando viviam juntos no abrigo. E começa a notar que não é a única que guarda cicatrizes do passado, além de uma paixão adormecida e inevitável.”

Ano passado, tive meu primeiro contato com a escrita da autora Jennifer L. Armentrout, e gostei tanto que fiquei ansiosa para ler outras obras dela. A oportunidade surgiu quando a Galera Record publicou O problema do para sempre. O livro não apenas atendia ao meu desejo de ler outras obras da autora, como ainda me fisgou pela capa e pela sinopse. Claro que minhas expectativas foram altas, mas, felizmente, eu não me decepcionei.
“Nós todos acreditamos ter a garantia de que as coisas que amamos vão durar para sempre. Mas o problema do para sempre é que ele realmente não existe.”
Em O problema do para sempre, conhecemos Mallory Dodge, uma adolescente que ainda na infância percebeu a importância de se calar para sobreviver. Ela viveu por anos em um abrigo com guardiões que eram extremamente abusivos. Seu único conforto era Rider Stark, outro menino que vivia no abrigo e que, apesar de ter a mesma idade que ela, estava sempre se colocando em risco para protegê-la.
Eles viveram isso por anos, até que em uma noite trágica tudo mudou. Mallory acabou sendo adotada por um casal de médicos que fizeram de tudo para que ela superasse todos os traumas que viveu. Quatro anos depois, ela decidiu tentar dar mais um passo em direção à uma vida normal e, pela primeira vez, irá estudar em uma escola. Porém, no seu primeiro dia de aula ela começa a se questionar se estava realmente pronta para isso. Mallory se sente intimidade pelo novo ambiente e sua vontade é de voltar correndo para casa. No entanto, o dia ainda reservava uma grande surpresa e, durante uma de suas aulas, ela reencontra alguém que imaginava que nunca mais iria rever: Rider Stark.
Aparentemente, Rider superou muito melhor que ela os anos de abuso. Ele é comunicativo, cativante e tem amigos e uma namorada. Vivia como qualquer adolescente, sem dar sinais de um passado traumático e sem ter qualquer dificuldade para se expressar e interagir com outras pessoas. Mas será que Rider estava realmente tão melhor do que Mallory? Seria possível que ele tivesse passado por tanta coisa sem sair tão quebrado quanto ela?


Eu confesso que, a princípio, tive medo de que esta fosse uma leitura muito dolorosa. Os temas abordados em O problema do para sempre são reais e muito fortes, especialmente por se tratar de personagens tão jovens. No entanto, a autora me surpreendeu por trazer uma história que foi desenvolvida com tanta sensibilidade que a leitura não se tornou pesada.
O livro é todo focado na perspectiva de Mallory e, apesar de não sabermos no início qual foi o a tragédia que transformou a vida dela, é evidente a gravidade dos maus tratos que recebeu. Assim, o leitor irá mergulhar na mente da menina, entendendo os efeitos que os anos de sofrimento tiveram na sua vida e como ela está lutando para superar seus traumas.
“As palavras não eram o inimigo ou o monstro debaixo da minha cama, mas tinham muito poder sobre mim. Eram como o fantasma de um ente querido, me assombrando para sempre.”
Nesse sentido, um dos pontos fortes do livro é a excelente construção dos personagens. Mallory tem vários bloqueios decorrentes do seu passado, demonstrando uma enorme insegurança e dificuldade para se comunicar e expressar seus sentimentos. Mesmo quando não entendemos completamente o que aconteceu no passado, é possível sentir a agonia da menina e a necessidade que ela tem de se sentir normal e completa de novo. Além disso, é possível perceber o amadurecimento dela e como Mallory vai aprendendo a superar aos poucos as suas barreiras.
E o que dizer do Rider? Gente, que vontade que eu queria colocar em um pontinho e proteger do mundo. Apesar de aparentar ter superado melhor do que a Mallory os anos de abuso, Rider ficou com marcas profundas que vamos conhecendo ao longo do livro. No entanto, apesar de tudo que sofreu, ele não perdeu sua generosidade e sua sensibilidade, o que o torna um personagem ainda mais encantador e complexo.
“Alguns dias eu sentia como se tivesse percorrido um longo caminho desde aquela vida de medo e desesperança, mas havia outros dias em que eu ainda estava encolhida no fundo do armário, ouvindo o som dos punhos batendo em carne. Pensei brevemente no menino pintado na parede do armazém com spray e nas coisas que Rider havia falado. Talvez eu não fosse a única que ainda enfrentava aquela batalha.”

Os personagens secundários também são interessantes e bem construídos. Rosa e Carl, os pais adotivos de Mallory, algumas vezes me incomodaram por serem um pouco superprotetores, mas a preocupação deles acaba sendo compreensível e os dois também possuem seus próprios traumas. Além deles, a melhor amiga de Mallory, Ainsley, conquistou minha simpatia desde as primeiras páginas em que apareceu e se mostrou uma personagem muito importante na trama. Há também o Hector e o Jayden, que são como irmãos para Rider, e se mostraram personagens, ao mesmo tempo, carismáticos e com uma bagagem de vida tão pesada quanto a dos protagonistas. Todos eles vão ganhando espaço aos poucos na trama e não apenas têm impacto significativo na jornada da Mallory e do Rider, como ainda têm seus próprios dramas pessoais que os tornam mais complexos e interessantes. 



Com relação à trama, achei interessante acompanhar a jornada da Mallory e ver a menina encarando seus traumas e aprendendo a seguir em frente. Além disso, gostei de ver como a relação dela com o Rider foi sendo construída aos poucos, de uma maneira cativante e natural. A minha única ressalva é que algumas subtramas deixaram a história um pouco sem foco em um determinado momento da história e uma delas se mostrou bastante irrelevante. No entanto, a autora se recupera no final e não deixa que isso tire o brilho de toda a jornada dos personagens.
“A vida era como fazer esse discurso. Não era necessariamente sobre o resultado final, e mais sobre a tentativa. Eu podia... Eu podia ao menos tentar.”
A escrita de Jennifer L. Armentrout se mostrou mais uma vez fluida e envolvente, mas ainda me surpreendeu pela sensibilidade. Adorei a forma como ela faz com que o leitor realmente entenda toda a angústia da Mallory, sem que a leitura se torne demasiadamente pesada ou dolorosa. Além disso, ela soube desenvolver bem todos os personagens e fazer com que os dramas deles se tornassem reais e compreensíveis para o leitor.
Não posso deixar de mencionar o quanto a edição da Galera Record ficou caprichada. A capa, além de bonita, tem tudo a ver com o livro, inclusive o coelhinho fofo que aparece no canto. A edição apresenta ainda detalhes no início de cada capítulo, bem como páginas amareladas e uma fonte em um bom tamanho para leitura.
Assim, fui novamente conquistada por um livro da Jennifer L. Armentrou. O problema do para sempre é uma leitura envolvente, que traz temas importantes e difíceis trabalhados pela autora com muito cuidado. Me encantei com a história da Mallory e do Rider e, mais do que isso, me emocionei ao ver o amadurecimento e a capacidade de superação dos dois. Para quem gosta de um YA que traz reflexões importantes, sem perder a sensibilidade, não pode deixar de conferir esse livro.

34 comentários:

  1. Olá,
    Não é um livro perfeito, mas tivemos bons pontos e bons questionamentos. Eu pessoalmente achei pesado, especialmente pro final, portanto não recomendo o livro para pessoas muito jovens. Mas, no geral eu gostei do livro e de como me senti lendo.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  2. Oi, Malu. Eu penso muito antes de começar a ler livros assim, gosto bastante, mas há momentos em que receber toda essa carga emocional pode não me fazer bem e prefiro esperar um pouco para ler, mas quando me interesso eu leio, mesmo que leve um pouco mais de tempo para isso. Eu não conhecia o livro e adorei a sua resenha, fiquei bem curiosa com a leitura e adicionei o livro à minha lista, espero poder ler em breve.

    ResponderExcluir
  3. Oi.
    Eu nunca tinha ouvido falar desse livro, mas gosto de historias com dramas e superações.
    Fico feliz em saber que a autora soube conduzir a historia sem deixá-la pesada.
    Necessito dessa leitura.
    Sua resenha esta maravilhosa.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi Malu, sua linda, tudo bem?
    Eu adoro essa autora, a escrita dela é viciante. Ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, mas já vi que irei chorar muito com a dor de cada um deles. Pela sua resenha tive a sensação de que também vou querer colocá-lo no colo. Adorei seu texto.
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. O nome da autora não parece estranho, mas não lembro se conheço alguma obra dela. Porém, fiquei com vontade de ler essa. Gostei muito da sua resenha e fiquei curiosa para conhecer a história dos personagens, até mesmo dos mais secundários. Parece ser uma história tocante e linda, que faz chorar e sorrir ao mesmo tempo.

    www.sonhandoatravesdepalavras.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá eu já tinha visto essa capa antes mais não sabia o que se tratava a historia pois não leio sinopse mais gostei de ter lido essa resenha com certeza o livro entrou para minha lista de desejados

    ResponderExcluir
  7. Oi Malu,
    Como você também nunca li um livro da autora e por coincidência, escolhi começar por esse que já está na fila de leitura. Essa é a primeira resenha que leio e fiquei impressionada, o livro é muito mais denso do que eu esperava. Parabéns pela resenha.
    Bjs.
    Pri.
    http://nastuaspaginas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Olá! Ainda não tinha ouvido falar desse livro e, como você destacou a autora, nem ela. Mas achei muito interessante a premissa e algo me diz que é o tipo de obra que eu iria amar ler! Estou anotando a dica e espero conseguir ler em breve!
    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Oi Malu, eu adoro dramas que no final apresentam superação, nos dá esperanças de que tudo se resolve, algum dia. Sei como é quando nos apegamos aos personagens e queremos protegê-los, já me senti assim com Auggie, de Extraordinário.
    Adorei tua resenha e já coloquei o livro nos desejados.
    Bjos
    Vivi
    http://duaslivreiras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Olá
    Já li outros livros da autora e gosto bastante do estilo de escrita.
    Esse, pelo que vc nos conta, tem uma carga emocional bem forte.
    Não tinha lido nada sobre ele ainda, só visto nas redes sociais.
    Me interessei por conta da sua resenha.
    Dicas anotada
    Até mais

    ResponderExcluir
  11. Ainda não conheço a escrita da autora, mas senti muito empatia pelo drama de Mallory e quero conferir os assuntos reais e fortes que o livro trata, ainda mais sabendo que isso foi feito com extrema sensibilidade por parte da autora. Mesmo com suas ressalvas sobre as subtramas eu quero ler esse livro e espero ser conquistada pela Jennifer, assim como você foi.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Não li nada dela ainda, mas este livro se mostrou interessante, até por trazer reflexões Importantes.
    Bjs Rose

    ResponderExcluir
  13. Olá Malu,
    Ainda não li nada dessa autora, mas adorei a forma sensível como ela trabalhou temas tão complexos. Eu tinha em mente que a leitura desse livro seria dolorosa, como você imaginou. Acho que a dica vale muito, pois o livro parece ensinar bastante.
    Vou anotar a dica e você está de parabéns, sua resenha e fotos estão maravilhosas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Que bom saber que a autora acertou na construção dos personagens e trouxe uma história escrita com sensibilidade. Mais um livro pra minha extensa lista de desejados. Ótima resenha.

    ResponderExcluir
  15. Confesso que não seja uma leitura que me veja fazendo tão cedo. mas mesmo assim gosto de conferir a opinião, pois é um livro que quando foi lançado me despertou curiosidade. Gostei de conferir seu ponto de vista, está muito bem feito, parabéns.

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Oii! Esse livro parece conter uma história linda e emocionante. Gostei de saber que a autora teve um cuidado especial em abordar o abuso, de uma forma que a leitura não ficasse tão pesada. Adorei a sua resenha e espero conferir essa história um dia. Bjss!

    ResponderExcluir
  17. Não conhecia nem a autora, acredita? Mas sua resenha deixou claro que a história é linda e emocionante. Fiquei com vontade de ler e conhecer a forma que a autora abordou assuntos tão delicados. Adorei <3

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  18. Olá Malu, preciso confessar que pela capa não me interessei nem um pouco pelo livro mas lendo sua resenha já preciso fazer essa leitura haha
    Eu amo histórias com protagonistas tão jovens, e gostei muito de saber das dificuldades que eles vão encontrar e fiquei muito curiosa para saber ckmo lidaram com elas.
    Ja pela sua resenha deu pra perceber que o Ride é um amorzinho haha vou anotar a dica com certeza!
    As fotos estão lindas, como sempre e a resenha super completa e super empolgante 💕

    Beijos,

    ResponderExcluir
  19. Tudo bem?
    Eu gosto muito da escrita da autora.
    Também achei essa história envolvente. Suas fotos ficaram muito boas e isso da um ar todo especial na resenha.
    Gosto de pegar livros da autora quando estou precisando de histórias emocionantes ou mais leves que os thrillers que eu leio.

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  20. Oi Malu!

    Já vi algumas resenhas desse livro por aí e todas falando muito bem dele. Confesso que de cara o título é a capa já chamariam a minha atenção.

    Essa questão de encarar traumas e seguir em frente realmente chama a minha atenção em enredos porque em geral consigo sentir muita empatia pela personagem e seus dramas. Que bom que a escrita da autora é envolvente e fluida. Isso faz toda diferença.

    Beijinhos
    www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  21. É um livro com uma capa linda e um título duro,m acho que por ser um drama tão pesado talvez não leria por agora. Gosto de livros com personagens jovens e que precisam enfrentar seus problemas de frente acho isso enriquecedor.

    ResponderExcluir
  22. Eu li essa obra ano passado e foi uma experiencia gostosinha demais! Sério, os personagens foram extremamente bem construídos e me emocionei em diversos momentos, é muito bacana como a personagem tenta melhorar por si só, sem depender de Rider.

    ResponderExcluir
  23. Oi! Eu estou encantada com este livro desde o início do ano, quando li uma resenha que me deixou muito curiosa com a história. Eu amei os personagens e o modo que a autora usou os temas tão pesados e ao mesmo tempo importantes para criar um relacionamento que seria, na minha concepção, uma salvação para os dois. Eu quero muito ler este livro! Obrigada pela resenha linda!


    Bjoxx ~ Stalker Literária

    ResponderExcluir
  24. Oi, Malu!
    Eu tenho muita curiosidade em conhecer a escrita da autora, desde até antes de ela ser publicada aqui, pelo o que via de elogios sobre seus livros por quem os lia na gringa. De um tempo para cá esqueci-os um pouco porque pensei que os enredos não me cativavam, mas esse, mesmo sendo com temas pesados, me chamou total a atenção. A capa é linda mesmo, e se tem tudo a ver com a trama, melhor ainda. Bom saber que a abordagem dos temas não é tão pesada como dá a entender, mas nem por isso perde o peso significativo deles e traz reflexões. Pelos trechos que você colocou, já fiquei bem envolvida na narrativa de Armentrout, então espero mesmo, ainda mais agora, poder ler esse livro. Muita vontade de conhecer as personalidades de Mallory e Rider e ver como vão superar os traumas e marcas do passado. Amei sua resenha!
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ Sonhando aos Vinte ♥

    ResponderExcluir
  25. Gostei de conhecer essa obra. A história realmente pareceu triste e com nuances impactantes para a alma, mas ainda assim fiquei curiosa, me senti atraída por ela. Acho que por gostar de enredos que trazem superações pessoais em suas páginas. Bexus :*

    @prefirolercomcalma

    ResponderExcluir
  26. Ainda não conheço a a escrita da autora, mas quero muito ler esse livro e só pela resenha já me compadeço da situação de Mallory. Fico curiosa para conhecer esses temas fortes abordados no livro. Mesmo com sua ressalva sobre as subtramas esse é um livro que quero ler e espero gostar tanto quanto você.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  27. Adorei a trama da história, e o título por si só já me chama atenção e saber que você ficou encantada com mais uma história da autora e que ela trata de assunto difíceis com uma abordagem legal.
    Espero poder conferir em breve!

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  28. Oii tudo bem ?
    O livro parece bem interessante ainda não conhecia fiquei intrigada mais ainda não sei se irei ler por hora mais irei anotar a dica .

    Bjs

    ResponderExcluir
  29. Não conhecia a autora e muito menos o livro, achei a capa muito bonita e delicada e a proposta seguindo a linha de leitura de entretenimento que em muitos casos ajuda depois de leituras pesadas, por isso vou procurar para ler.

    ResponderExcluir
  30. Ainda não li nada da autora, apesar dos mutos elogios que leio e ouço sobre seu trabalho. também achei a edição da Galera bem caprichada e suas fotos evidenciaram bem isso.
    Beijos

    ResponderExcluir
  31. Parece uma história muito emocionante! E eu fiquei com vontade de ler, apesar de ter um certo medo também. Histórias como as desses personagens costumam me abalar muito. Embora eu não saiba ao certo o que eles sofreram dá para ter uma ideia e sei que vou chorar muito acompanhando a vida deles. :(

    Espero que exista final feliz. Que eles consigam realmente se libertar de tudo que sofreram e construir seu próprio espaço, seu próprio caminho. E se permitam amar.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  32. Olá!
    Eu amo essa autora e acho a escrita dela muito envolvente. O enredo parece ser instigante e como YA é um dos meus favoritos, certamente vou gostar dessa leitura.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  33. Oie, tudo bom?
    Nunca li nada da autora mas quero! Gente, que enredo é esse? CHeio de reviravolta, e com uma história tão incrível! Eu adoro enredos que tratem de problemas reais, e personagens mais aprofundados, com passados que remetem diretamente no que são agora. E essa parece ser uma leitura incrível! Amei!

    ResponderExcluir
  34. Oi, tudo bem?
    Tenho muita vontade de ler O problema do para sempre porque sei que vai ser uma leitura que vai mexer comigo. Amo histórias que me deixam reflexivas. A capa também é bastante atraente, não acha? Quando uma história aborda problemas reais, meu coração mal cabe no peito! Adorei sua resenha, ansiosa pra ler! Beijos

    ResponderExcluir