[Resenha ] Volte para mim

12 de ago de 2018


Hoje é dia de uma resenha muito especial. Vim comentar sobre um dos romances de época mais aguardados do ano, Volte para mim, da Paola Aleksandra. Ela já é conhecida pelo blog Livros e Fuxicos e por seu canal no YouTube, e esse ano teve seu primeiro romance publicado pela Editora Planeta, através do selo Essência.
Fiquei bastante ansiosa para ler esse livro, porque comecei a ler romances de época influenciada pelos vídeos da Paola. Através de indicações dela, conheci livros de autoras como a Julia Quinn e a Lisa Kleypas. Então, tendo começado a me aventurar nesse gênero por influência da Paola, é claro que iria ficar curiosa para saber como ela se saiu como escritora. E, mesmo tendo expectativas já bastante altas, confesso que me surpreendi positivamente e terminei a leitura completamente encantada.

Autora: Paola Aleksandra
Editora: Planeta (Essência)
Páginas: 304
Onde comprar: Amazon
Sinopse: "Aos dezesseis anos, Brianna Hamilton fugiu da Inglaterra para a Escócia, abandonando sua família e as obrigações como herdeira de um duque. Em meio aos prados escoceses, a ovem encontrou refúgio e descobriu mais sobre a mulher que desejava ser. Mas, onze anos após a fuga, uma dolorosa verdade fará com que ela deseje nunca ter partido. Voltar será como relembrar o passado, a fuga, o medo e as escolhas que precisou fazer. E, enquanto luta para reconquistar seu lugar junto à família, Brianna precisará superar Desmond Hunter, melhor amigo e primeiro amor, que anos atrás ela escolheu deixar para trás. Volte para mim é um romance arrebatador sobre recomeços, sentir-se inteira e, acima de tudo, confiar no amor.".

Em Volte para mim, conhecemos a jovem Brianna Hamilton. Filha de um nobre inglês, ela sempre foi fascinada pelas histórias sobre o país onde sua mãe nasceu, a Escócia. Sentindo que precisava conhecer mais sobre sua origem a fim de descobrir quem realmente queria ser, ela fugiu de casa aos dezesseis anos e encontrou refúgio nas terras de seu avô materno.
Engraçado como às vezes precisamos abrir mão de tudo o que temos para descobrir o que é verdadeiramente essencial. Assim como a beleza de uma paisagem que só é compreendida quando vista de longe.
No entanto, onze anos depois, notícias de casa fazem com que ela decida retornar à Inglaterra. No entanto, a volta não é fácil. Muitas coisas haviam se passado nesse período e Brianna precisará lidar com as consequências de suas escolhas, tanto para ela mesma quanto para aqueles que amava. Assim, ela precisará lutar para recuperar seu lugar em sua família e ainda lidar com o ressentimento de Desmond Hunter, seu melhor amigo e primeiro amor, a quem ela havia deixado para trás ao partir para a Escócia. 

A primeira coisa que eu preciso destacar sobre esse livro é a protagonista, Brianna. É difícil até explicar o quanto essa personagem me cativou. Mesmo em uma época em que as jovens eram criadas para casar, ela deseja mais. Brianna luta pelo seu direito de buscar seu lugar no mundo e escolher seu destino, demonstrando uma força e uma personalidade admiráveis. Além disso, ela é uma personagem muito humana, com sentimentos que são fáceis de entender e de se relacionar. Assim, foi impossível não sentir empatia ao ver os momentos em que ela se sentia culpada ou com medo, mas também admiração ao ver seu amor pela família e sua determinação para corrigir os erros e superar as adversidades.
A raiva é cruel. Ela me leva a repudiar cada escolha que fiz nos últimos anos e questionar o destino por macular minha família. Mas a esperança é ainda mais letal. Tal emoção é forte o suficiente para mover montanhas. Então meu coração se agarra a ela. Afastando os resquícios de escuridão e dor.
Mas não pensem que a Brianna é a única personagem bem construída nesse livro. Ao longo da leitura, vemos como a decisão dela afetou a vida de todos aqueles que amava e os conflitos vividos por eles ao longo dos anos. Minha favorita foi a Malvina, irmã caçula de Brianna. Apesar de ter tido dificuldade para entender algumas de suas reações no começo, fui percebendo o que tinha acontecido para que ela agisse assim. Ainda muito jovem, Malvina viu sua família se desintegrar e passou a carregar um peso grande demais, o que fez com que ela amadurecesse cedo, mas também acumulasse uma carga considerável de sofrimento e mágoa. Terminei a leitura encantada por essa personagem e por ver o quanto ela evolui ao longo da história, o que me deixou ansiosa por um livro dela (Pah, por favor, escreve o livro da Malvina! Nunca te pedi nada).  


Também adorei os pais da Brianna e a força do relacionamento deles. Achei bonito não só o amor que eles demonstravam um pelo outro, mas o modo como eles criaram as filhas, respeitando suas escolhas. O pai dela se mostra um pouco mais difícil de lidar, mas consegui entender suas reações e me encantei ao ver a devoção dele à esposa. Já a Rowena, mãe da Brianna, é uma personagem maravilhosa. A relação dela com a filhas é um dos aspectos mais bonitos do livro, demonstrando a força de um amor incondicional e altruísta.
O amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera – ela diz, sorrindo para mim. – Eu amo a minha família. E sei que esse é o passo mais importante de todos para quem quer recomeçar.”
E o que dizer do Desmond Hunter? Melhor amigo e primeiro amor de Brianna, esse personagem acabou se tornando um dos mais apaixonantes que já li. Me encantei pela forma como ele amava e apoiava Brianna, mesmo quando isso significava que sofreria. Trata-se de um amor altruísta e generoso, que não tenta manter a amada para si a qualquer custo. Ao contrário, Desmond entendeu a necessidade que Brianna tinha de ir atrás de suas origens e escolher seu próprio caminho, deixando-a livre para seguir seu destino. Isso, por si só, já revela o caráter desse personagem e o quanto ele a amava.Além disso, achei que Desmond, assim como Brianna, é um personagem muito humano. Os dois cometem muitos erros ao longo do livro, mas acredito que isso tenha contribuído muito para deixar a relação deles ainda mais bonita e verdadeira.
 O sentimento entre o casal principal é muito forte, tendo surgido de uma maneira inocente e encantadora quando eram muito jovens, mas acabou sendo marcado por mágoas e desentendimentos. Em algum sentido, me lembrou muito o romance presente no livro Persuasão, da Jane Austen, o que é o melhor elogio que eu poderia fazer. Assim como em Persuasão, Brianna e Desmond têm um relação linda, mas, para vivê-la, precisam descobrir o caminho do perdão.
Muitos dizem que o amor é leve, fácil e simples. E ele pode ser isso, mas também pode nascer cercado por erros, mágoas e feridas que precisam de tempo e de dedicação para cicatrizar. Não se trata de um sentimento que surge pronto e perfeitamente imutável, mas, sim, de uma centelha que, quando alimentada diariamente, torna-se capaz de aquecer dois corações unidos para todo o sempre.



Com relação à escrita da Paola, fiquei impressionada com a sensibilidade e a segurança que ela demonstrou, mesmo sendo seu primeiro livro. Ela soube conduzir a trama de uma maneira envolvente e desenvolveu muito bem seus personagens. Além disso, me surpreendi ao encontrar um romance de época com uma profundidade e força raras. Paola escreve com emoção, passando os sentimentos dos personagens de uma maneira tão clara e intensa que é impossível não ser tocada por eles e se emocionar ao acompanhar seus dramas.
Confesso que não esperava que esta leitura fosse mexer tanto comigo, mas fui completamente arrebatada. Volte para mim vai muito além do romance, falando sobre família, perdão, amadurecimento e superação com uma sensibilidade e uma profundidade surpreendentes. É como se cada página fosse carregada de sentimento, especialmente o amor, despertando diversas emoções no leitor. E acabei sendo tão tocada pela história e os personagens, que me emocionei até mesmo ao falar sobre o livro quando encontrei com a Paola, na Bienal.
Só posso dizer, então, que Volte para mim é mais do que um livro para quem gosta de um bom romance de época. Trata-se de uma leitura que fala sobre relações humanas em suas diversas formas e em toda sua complexidade. Demonstrando muito talento logo em sua estreia, a Paola escreveu um livro sensível e emocionante, que vai fazer o leitor refletir sobre a vida e sobre o amor. Não preciso nem dizer o quanto recomendo a leitura e já estou ansiosa para ler outros livros dela.
E vocês, já leram Volte para mim? Me contem aí nos comentários o que acharam ou se ainda querem ler. Vou adorar saber a opinião de vocês!

2 comentários:

  1. Muito legal esta história, ainda mais que é bem do estilo que eu curto. Como a autora é blogueira com certeza ela sabe como narrar por ler bastante mas é como você disse, por ser primeiro livro surpreende por ser bom.

    ResponderExcluir
  2. Ah, Malu... Eu queria ser capaz de colocar em palavras o que essa resenha fez comigo. Não tem presente maior do que saber que você sentiu e se envolveu com a história - que ela falou com você e te surpreendeu de várias maneiras.
    A parte familiar é algo que faz parte de mim, eu queria muito que vocês sentissem esse lado da trama e que gostassem dele. Já sobre a Brianna: eu amo essa mulher! Ela me ensinou muito e me mostrou que sempre devemos acreditar e lutar por nossos sonhos. Que bom que você também sentiu isso, isso é tão importante ♥
    Sério, muito obrigada por fazer parte da minha vida e por tanto carinho e apoio. Vou guardar suas palavras no meu coração sempre - principalmente a parte da Jane Austen, sério, é realmente o melhor elogio que recebi desde o lançamento do livro.

    Beijos,

    Pah

    ResponderExcluir