[Resenha] Em pedaços

9 de jan. de 2019


Olá, leitores! Vocês, como eu, também amam um bom romance? Um dos meus favoritos do ano passado foi o livro Mais que amigos, da autora Lauren Layne. E, no finalzinho de dezembro, eu resolvi ler outro livro da autora também publicado pela Editora Paralela em 2018: Em pedaços, o primeiro volume da série Recomeços.
Depois de ter sido conquistada pela leveza de Mais que amigos, me surpreendi ao encontrar um romance com mais drama e personagens cheios de cicatrizes emocionais. No entanto, isso não foi um problema. Mesmo tendo um tom bem diferente do que eu esperava, Em pedaços mantém muito do que admirei na escrita da Lauren Layne no outro livro e acabou me conquistando também.


Autora: Lauren Layne
Editora: Paralela
Tradução: Lígia Azevedo
Páginas: 176
Classificação: + 18 anos
Onde comprar: Amazon
Exemplar recebido de cortesia da editora
Sinopse: Nessa recontagem moderna de A Bela e a Fera, Lauren Layne nos traz uma história irresistível de perdão, cura e, acima de tudo, amor.Aos 22 anos, Olivia Middleton tem Nova York aos seus pés. Por fora, ela é a garota perfeita ― linda, inteligente e caridosa. Mas por dentro ela guarda um segredo terrível: um erro que a afastou das duas únicas pessoas que realmente importavam na sua vida. Determinada a esquecer o passado, ela deixa Manhattan e vai trabalhar como cuidadora de um soldado recém-chegado da guerra. Mas o que ela não esperava era que seu paciente fosse um jovem enigmático de 24 anos tão amargurado quanto cativante.Paul Landon está furioso ― com o mundo, com a vida, com o seu pai e, acima de tudo, consigo mesmo. Depois de sofrer na pele os horrores da guerra do Afeganistão, a última coisa que ele quer é a companhia de uma princesa nova-iorquina linda, mimada e irritante. A presença de Olivia parece tóxica para Paul, mas ele não consegue afastá-la, mesmo tentando muito.Por mais que lutem contra uma atração intoxicante, Paul e Olivia não conseguem se manter distantes. Agora, precisam decidir: eles vão ajudar um ao outro a curar as feridas do passado ou vão se manter, para sempre, em pedaços?

Primeiro volume da trilogia Recomeços, Em Pedaços apresenta ao leitor a personagem Olivia Middleton, uma jovem de 22 anos que parece ter uma vida perfeita: bonita, rica, estudante da NYU e com uma vida social agitada, frequentando os lugares mais caros de Manhattan. No entanto, ela cometeu um erro grave e acabou magoando as duas pessoas que mais amava. Querendo fugir desse segredo, Olivia decide largar tudo e se tornar cuidadora de um ex-soldado que foi ferido durante a Guerra do Afeganistão.
No entanto, diferente do que ela imaginava, Paul Landon era um homem jovem e muito atraente. Ele passou por muitos horrores na guerra, que o deixaram com marcas físicas e emocionais. Com isso, Paul vive amargurado e faz o que pode para afastar as pessoas. Todas as cuidadoras que seu pai contratou, acabaram desistindo. Porém, com Olivia é diferente e Paul percebe que não será fácil se livrar dela. E, quanto mais convivem, menos certeza ele tem de que não a quer ali.
“Eu me tornei um especialista em afastar as pessoas, agindo da forma mais desagradável possível até levá-las ao limite. Mas com ela é diferente. (...) Suspeito que, de todas as pessoas, ela talvez saque que minha hostilidade não é descabida. Que meu interior está completamente podre.”
            


Como eu disse no começo, o que mais me surpreendeu no livro Em pedaços foi o fato da trama ter um tom mais dramático do que eu esperava. No entanto, apesar de diferente do que imaginei a princípio, acabou sendo um aspecto que me agradou porque veio acompanhado de uma complexidade maior dos personagens. Ambos possuem conflitos a serem trabalhados, fazendo com que a história não se limite ao romance e mostre também as jornadas individuais deles.
“É que, lá no fundo, sei que a razão pela qual vim pra cá foi a noção inocente de que ajudar Paul acabaria me ajudando. Que, de alguma forma, eu poderia consertar o que estivesse quebrado e podre dentro de mim.”
Confesso que o grande segredo de Olívia, que foi o motivo dela deixar tudo para cuidar de um estranho, foi um tanto exagerado. Ela cometeu um erro grave, mas não o suficiente para motivar uma mudança tão radical em sua vida. Porém, deixando a motivação dela de lado, a transformação que ela sofre foi algo bem legal de acompanhar. Ao cuidar de Paul, Olívia acaba sendo levada a olhar para além de seu próprio umbigo e isso fez com que ela amadurecesse.
No entanto, meu personagem favorito foi o Paul. No início, é difícil gostar dele, devido ao seu comportamento grosseiro. Porém, não é necessário muito tempo para perceber que se trata apenas de uma forma de afastar as pessoas e evitar as cicatrizes físicas e emocionais dos horrores que viveu. Assim, Paul é um personagem mais complexo e com traumas que são muito mais compreensíveis que os de Olivia. E, mesmo não concordando com grande parte de suas ações, eu conseguia entendê-lo e acabei me apegando bastante a esse personagem.

“Amo a pessoa que Paul é. A escuridão e as sombras. Seu sorriso e a bondade que faz tanto esforço para esconder. O jovem quarterback por baixo do veterano de guerra. Amo mais o lado direito de seu rosto, cheio de cicatrizes, que a perfeição do esquerdo.”



Outro aspecto que gostei muito foi o fato de que o romance não é imediato. Logo que se conhecem, Paul e Olívia se sentem atraídos. Porém, os sentimentos vão surgindo aos poucos, com a convivência. No início, eles brigam o tempo todo, mas são essas discussões que levam os dois a encararem seus traumas e começarem a se abrir. Paul e Olívia conseguem realmente enxergar um ao outro, com suas qualidades e defeitos, e isso traz uma cumplicidade entre eles que é muito bonita.
“Deveria ser um alívio, mas não consigo afastar um pressentimento sombrio. Não importa para onde olhe, as paredes estão caindo. E essa garota continua despertando em mim a coisa mais perigosa do mundo. Esperança.”
Com relação à trama, achei que a Lauren Blakely soube dosar bem o drama, o romance e até um toque de humor. A relação de Olivia e Paul é bem construída e cativante, no melhor estilo A Bela e a Fera. No entanto, isso não é o centro do livro, e temos espaço para ver o desenvolvimento pessoal dos dois. E, por mais que eu tenha achado os conflitos da Olivia um pouco exagerados, a autora não deixou que isso se tornasse algo pesado ou cansativo dentro da história. Além disso, os diálogos afiados entre os dois protagonistas contribuem não apenas para deixar a leitura mais fluida, mas também para trazer um pouco de humor para a trama.
É importante destacar que o livro tem algumas cenas de sexo e, por isso, não é uma leitura indicada para menores. Porém, gostei muito do fato de que a autora conseguiu inseri-las de maneira natural na trama, sem deixar que se tornassem apelativas. Assim, para quem tem mais de 18 anos e não gosta de livros com uma pegada muito hot, não precisa se preocupar, porque as cenas mais quentes não são excessivas.
Assim, Em pedaços é um romance new adult com mais doses de drama, mas que se mostrou uma leitura tão fluida quanto eu esperava. A escrita de Lauren Layne continua tão envolvente quanto no livro Mais que amigos e ela mantém sua habilidade para construir o romance de maneira natural e cativante, fazendo com que eu me encantasse com mais um livro dela. Agora, não vejo a hora de ler o prequel que foi publicado no ano passado, Como num filme, e o terceiro livro que ainda não saiu no Brasil.

18 comentários:

  1. Tudo bem? Adorei sua foto.
    Eu não li esse livro, então não posso dar uma opinião.
    A premissa até me chamou atenção pelo seu ponto de vista, pois apesar de eu não ser grande leitora de romances, eu curto um bom drama. Fiquei curiosa.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Adoro esta característica da escrita da autora, com os diálogos afiados entre seus protagonistas, os enredos ficam fluidos e com o toque de humor certo. Este eu não li ainda,mas já quero.
    Bjos Rose

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Eu tive muitas dificuldades com essa leitura. Achei os personagens nada carismáticos e o enredo ficou bem arrastado por conta disso. No entanto, Como num filme me deixou completamente extasiada e espero que vc se apaixone pelo enredo que está cheio de clichês e bem divertido.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Já li um livro dela, e realmente ela sabe dosar bem o drama, romance e o humor. Aprecio isso nesse tipo de livro, o romance parece ser bem leve e que agrada do começo ao fim. Anotado na listinha de leitura!

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  5. Oi, não conhecia a trilogia e achei que parece um ótimo livro de entretenimento, principalmente depois de ressaca literária, não leio tantos romances românticos como antes, mas, às vezes, gosto de pegar para variar.

    ResponderExcluir
  6. Oi! Não conhecia a autora e apesar de ter lembrado um pouco de Como eu era antes de você, achei a história bonitinha. O fato do soldado ferido voltar e encontrar uma doce mulher pra cuidar dele, embora ela também traga marcas de seu passado. Valeu a dica!

    Bjoxx ~ Aline ~ www.stalker-literaria.com ♥

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Acredita que este livro me chama mais atenção do que o primeiro da série "mais que amigos"? Mesmo sabendo que o livro tem algumas partes de sexo (que eu não curto em livros) fiquei super interessada com este romance com boas dose de drama. Quero ler assim que possível!

    ResponderExcluir
  8. Oiii, Malu, tudo bem?
    Fico muito feliz de saber a sua opinião e principalmente de ver a sua empolgação em realizar a leitura, parece ser aquele tipo de livro que nos vicia e nos deixa encantados para uma próxima leitura, ótima resenha e lindas fotos.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. Oi Maluzinha, tudo bem? Eu acho que pela sua resenha posso perceber como vou gostar desse livro haha sou apaixonada por histórias com uma dose de drama e acho que é o que de fato me conecta ao enredo. Obriga pela sua dica super valiosa, espero ler assim que possível.

    ResponderExcluir
  10. Eu amei esse livro! ♥♥ Paul realmente me deu muito raiva no início com seu jeito grosseiro, mas adoro ver o amadurecimento de personagens assim. Amei que o romance é algo que acontece aos poucos, ambos vão degelando o coração de gelo, kkkkk.
    beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi Malu, sua linda, tudo bem?
    Eu sempre quis ler esse livro por lembrar um pouco de A Bela e a Fera. Eu gosto muito de tramas em que os personagens carregam cicatrizes e juntos conseguem vencê-las por amor. Mesmo com um pouco de exageros na personagem principal, ainda pretendo ler. Sua resenha ficou ótima.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Nunca li nada da autora, mas já ouvi falar muito bem desse livro e ele está na minha lista de desejados.
    Gosto muito de romance, e por esse motivo acredito que vou gostar bastante da leitura.
    Mais que amigos também está na minha lista de desejados, espero ler em breve.
    Fico feliz que você tenha gostado tanto da leitura, beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oi, fico contente que tenha gostado do livro, eu li ele antes de ler Mais que amigos, e realmente há questões mais complicadas em relação aos personagens em Em pedaços, sobre o segredo da Olivia ser algo exagerado: como comentei na minha resenha, só estando na pele dela pra gente saber o que é dormir e acordar com a culpa que ela carregava.

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem?

    Nós recebemos "Em Pedaços" e a minha namorada adorou essa leitura, inclusive resehou para o blog. Fico contente que gostou do livro, isso é tão quando acontece, não é?! Gostei da sua resenha e impressões, fico na torcida para você ler mais de Lauren Layne.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Não conhecia o livro, mas gostei bastante da premissa. Nunca li nada da Lauren, mas sempre vejo comentários positivos, fiquei curiosa e conhecer mais sobre os protagonistas e amei as fotos. Anotarei a dica!
    Beijo

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem?
    Eu não conhecia esse livro ainda, mas só a capa já me deixou curiosa, pois achei ela muito romântica. Eu gosto de histórias mais dramáticas e fiquei animada com o Paul, parece ser um bom personagem mesmo. Além disso, gosto de romances que não são imediatos e de livros +18 que não sejam apelativos.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  17. Ola!!

    Eu tbm fui conquistada ano passado pela escrita da Lauren, mas na realidade, não foi nem o Mais que Amigos que me conquistou, e sim o Como num filme que é o livro anterior a esse de alguma forma. Mas eu gostei desse livro tbm e confesso que nao curto muito a Olivia nao hahaha

    Adorei a sua resenha e as suas colocações principalmente! Muito completa e detalhada... perfeita!

    beijos

    ResponderExcluir
  18. Olá Malu,
    eu consegui compreender os dilemas de Paul e concordo que suas dores são mais compreensíveis que as de Olívia, no entanto não consegui aceitar suas ações justificáveis, mesmo tendo em mente as marcas profundas que ele carrega, as agressões gratuitas que ele praticou contra a Olivia me incomodaram muito e nada do que ele fez depois disso amenizou essa sensação.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir