[Resenha] Querido ex (que acabou com a minha saúde mental, ficou milionário e virou uma subcelebridade)

24 de out. de 2020

 


Já imaginou se o seu (sua) ex, de repente, ficasse miolionário e virasse uma celebridade e você tivesse que ver a criatura sempre que ligasse a TV? Para muita gente, isso pode parecer um pesadelo. E é como se sente o protagonista do livro Querido ex (que acabou com a minha saúde mental, ficou milionário e virou uma subcelebridade), do autor brasileiro Juan Jullian.

Com esse título sensacional, é claro que eu a minha atenção foi conquistada assim que soube desse lançamento da Galera Record. E eu já fiquei imediatamente pronta para dar muitas risadas e ficar com o coração quentinho no final. Mas fui surpreendida por uma montanha-russa de emoções que eu não estava preparada.

Na resenha de hoje, vou tentar explicar um pouco sobre todos esses sentimentos que o livro me proporcionou e contar o que achei da leitura. Mas não se preocupem, porque esta resenha é sem spoilers.

 

Autor: Juan Jullian

Editora: Galera Record

Páginas: 176

Onde comprar: Amazon (Físico / E-book) – Submarino

Exemplar recebido de parceria com a editora

Sinopse: “A única coisa pior e mais desastrosa do que levar um pé na bunda, é levar um pé na bunda e ver seu ex se tornar a maior subcelebridade do Brasil. Não só isso, mas assistir em tempo real enquanto ele se apaixona por outro cara em TV nacional. Poucas palavras conseguem expressar esse nível de decepção amorosa. Nem mesmo Taylor Swift seria capaz de entender. Mas é justamente a tentativa de colocar a dor em palavras, reunidas em cartas para o maldito ex, que faz com que nosso protagonista repense algumas coisas. Entre crises de luto e saudades, existem festas anuais do dia dos ex-namorados com todas as suas amigas que o seu ex detestava. Existe a vida que você deixou para trás enquanto amava alguém que agora é somente um estranho com milhões de seguidores. E talvez por trás daquele amor existisse também um tanto de controle, de gaslighting, de codependência. Além de abordar de forma sensível, irônica e crua as diferentes nuances de um relacionamento abusivo, Querido ex também traz questionamentos sobre os preconceitos sociais que jovens negros e gays estão sujeitos em nossa sociedade. Publicado originalmente de forma independente, o livro vendeu mais de 20 mil exemplares e ficou mais de 100 dias seguidos no 1° lugar dos mais vendidos na categoria LGBT da Amazon.”

 

Narrado através de cartas, Querido ex nos apresenta um personagem que passou por um relacionamento abusivo e ainda está aprendendo a lidar com todas as marcas emocionais que ficaram dessa relação. Agora, ele precisa aguentar ver seu ex se tornando uma subcelebridade milionária toda vez que liga a televisão ou acessa a internet. E com isso, vêm as lembranças de todos os momentos vividos e de como o namoro chegou ao fim.

Entre lembranças, mágoas e revelações, o protagonista escreve cartas para o seu ex onde confessa seus sentimentos e segredos mais profundos, reflete sobre tudo que viveram e conta como tem tentado superar o passado. Ele fala sobre os planos que os dois não realizaram,  mas também do resgate das amizades que foram afastadas por influência do ex, e da tentativa de recuperar a autoestima após todas críticas e acusações disfarçadas de comentários durante o namoro; e principalmente da busca por si mesmo depois de viver em função de outra pessoa.



A primeira coisa que imaginei quando vi a sinopse de Querido ex (que acabou com a minha saúde mental, ficou milionário e virou uma subcelebridade) foi que eu me divertiria muito com a leitura. E não me enganei. O humor irônico do personagem funcionou muito bem para mim e me diverti bastante com algumas situações que ele viveu. Porém, me surpreendi ao descobrir que diversão não foi a única emoção que senti durante a leitura, nem a predominante. O autor me trouxe para uma montanha-russa de sentimentos que tornaram a leitura muito mais impactante do que eu esperava.

Narrado em primeira pessoa através das cartas que o protagonista escreve para o seu ex-namorado, vamos descobrindo aos poucos como era o relacionamento dos dois, como e por que chegou ao fim e como o narrador estava lidando não apenas como o término, mas com as marcas emocionais que ficaram e com o sucesso de seu ex sendo jogado na sua cara todos os dias através da mídia.

Não demora a ficar claro que aquele havia sido um relacionamento problemático, com o amor aos poucos sendo superado por situações de abuso, de gaslighting e de codependência. E como estamos tão imersos na mente do protagonista, é como se estivéssemos revivendo todos esses momentos com ele. É algo angustiante e doloroso de se acompanhar, mas que o autor conseguiu escrever com sensibilidade e realismo.

Juan Jullian foi habilidoso ao mostrar que relações abusivas não são ruins o tempo todo. Havia amor naquele relacionamento, e os dois compartilharam muitos momentos de alegria e companheirismo. Por isso era tão difícil perceber que um dos lados controlava o outro, que tinham situações em que um fazia mal ao outro, e que aquela relação estava se tornando cada vez mais tóxica.

 


Mas o autor trouxe outros assuntos igualmente pesados e importantes. Com um protagonista negro e homossexual, ele nos mostra como ainda vivemos em um país cheio de desigualdade, preconceito e injustiça. As situações vividas pelo personagem são, infelizmente, muito reais e nos fazem pensar sobre questões importantes como racismo, homofobia, desigualdade social, violência e intolerância.

E, com tantos assuntos fortes, foi impossível não me emocionar. Juan Julian tem uma escrita sensível e ao mesmo tempo muito direta. Ele consegue fazer o leitor enxergar a alma do seu protagonista, mas também nos mostra de uma forma muito direta questões dolorosas e que precisam ser discutidas. Daí a montanha-russa de emoções que eu mencionei. Essa leitura me fez rir, suspirar com momentos fofos, me emocionar nos momentos tristes e ter a sensação de um soco no estômago com os acontecimentos mais impactantes.

Aliás, preciso dizer que nada poderia ter me preparado para o final desse livro. Juan Jullian trouxe um desfecho completamente inesperado, mas que talvez tenha sido um dos maiores tapas na cara que eu já levei com uma leitura. É forte, doloroso e arrebatador, me fazendo chorar por tudo que aconteceu e pelas reflexões que me trouxe.

Eu, que comecei Querido ex (que acabou com a minha saúde mental, ficou milionário e virou uma subcelebridade) esperando um livro para dar muitas risadas, encontrei muito mais que isso. Foi uma leitura que me emocionou, me encantou e me abalou profundamente, me fazendo pensar em questões essenciais sobre a vida e a nossa sociedade. Deste modo, deixo meu aviso de que este livro não é fácil de ser lido, mas é extremamente necessário. Recomendo muito a leitura e não vejo a hora de descobrir o que Juan Jullian está preparado para a continuação.

 

Observação: Como foi dito, Querido ex traz assuntos fortes como gaslighting, depressão, racismo e homofobia. Portanto, ele pode conter gatilhos. Leia com responsabilidade e apenas se sentir preparado para ver esses temas sendo abordados.  


10 comentários:

  1. Naturalmente, alguém com quem tive um relacionamento não me causaria incômodo caso ficasse famosos, mas como não tenho TV nem ouço rádio, possivelmente não veria e saberia coisas bem superficiais sobre a pessoa. Querido ex ainda não li, mas quero ter a oportunidade de saber como o personagem lida com essas situações.

    ResponderExcluir
  2. Oi Malu!

    Ai, eu li esse livro antes de a galera adquirir os direitos e eu amei demais a história, acho que o Juan foi muito feliz nesse livro, ele falou sobre assuntos fortes de uma forma que a gente não sente e o final você acaba sem chão, né?!
    E eu tô muito ansiosa pra continuação!!!
    Adorei seu post e suas fotos ficaram perfeitas!!

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Vi algumas vezes a capas mas essa é a primeira resenha que leio. Não sabia que o livro abordava este tipo de tema como o relacionamento abusivo, pensei que era só uma comédia mesmo. Gosto muito do subtitulo do livro hahaha.

    ResponderExcluir
  4. Olá, não conhecia o livro achei a proposta significativa mais acredito não ser um gênero que experimentaria no momento, gostei bastante de suas considerações a cerca da história, e também de saber sobre os possíveis gatilhos, acho importante sempre que possível avisarmos os leitores sobre o assunto, talvez seja esse o motivo de não sentir atraída pela obra no momento que vivo poderia surgir sentimentos indesejáveis, beijos!

    ResponderExcluir
  5. Oi, Malu!
    Eu sempre vejo esse livro no Twitter, mas nunca tinha parado para ler a sinopse. E como você, conhecendo agora, a minha primeira impressão é de que seria uma história engraçada. Foi bom saber que é mais pesada do que aparenta, mas fiquei bem curiosa. E esse título é tudo, né?
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/2020/10/resenha-golem-o-genio.html

    ResponderExcluir
  6. Conhecia o livros mas não sabia a fundo a temática.
    Gostei bastante da sua resenha. Explicou bem e agora fiquei bastante interessada na leitura!
    Parabéns pelo trabalho e obrigado pela dica.

    Beijo grande!!

    ResponderExcluir
  7. Olá, Malu! Tudo bem?

    Eu não conhecia esse livro e gostei da premissa, me parece ser uma leitura reflexiva e ao mesmo tempo envolvente. Eu gostei da sua resenha e de conferir a sua impressão sobre "Querido ex", bem como das fotos que ficaram lindas.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  8. Oi Malu. :)
    Eu adorei a premissa do livro, não conhecia.
    Pelas poucas páginas que o lviro contém, pelo visto foi uma leitura bem boa.
    Adorei a resenha, dica anotada.

    Beijos,
    Manuscrito de Cabeceira

    ResponderExcluir
  9. Olá!

    Eu não conhecia o livro, apesar de ter gostado da parte que o autor traz certo humor à história, não seria o tipo de leitura que eu realizaria. Acho que por conta de tantos gatilhos e do livro ter esse foco em ex não seria uma leitura que me agradaria.
    Mas apesar de tudo, fico feliz que tenha gostado da leitura!

    ResponderExcluir
  10. Oi Malu, sua linda tudo bem?
    Esse livro eu não conhecia e por falar sobre racismo é uma ótima dica para o mês de novembro. Achei interessante essa abordagem de que por existirem momentos felizes nesse relacionamento, fica difícil perceber quanto ele ainda assim é tóxico. Mas o que chamou minha atenção foi o quanto ela acabou emocionando. Adorei a resenha, dica anovada!
    beijos.
    cila.

    ResponderExcluir