[Resenha] Um assassino nos portões

15 de nov. de 2020

 


Eu sempre achei que as resenhas mais difíceis são aquelas de livros que gostamos muito. E Um assassino nos portões veio para me provar que eu estava certa. Faz dias que venho tentando falar sobre ele e ainda não sei se consegui encontrar as palavras certas para expressar meu amor por esse livro. Vou fazer o meu melhor!

Para quem não conhece, Um assassino nos portões é o terceiro volume da série Uma chama entre as cinzas, da autora Sabaa Tahir. Publicado no Brasil pela Editora Verus, esse livro era muito aguardado pelos fãs e finalmente foi lançado mês passado. E, se você leu minhas resenhas dos dois primeiros, não preciso nem dizer que ele furou a fila assim que chegou aqui. Então, agora vou tentar colocar em palavras tudo que senti com essa leitura.

 

Aviso: Essa resenha NÃO tem spoilers de Um assassino nos portões. Porém, como se trata de uma continuação pode conter informações sobre os livros anteriores. Mas vocês podem conferir as resenhas dos dois primeiros livros, Uma chama entre as cinzas e Uma tocha na escuridão, aqui e aqui.

 

Autora: Sabaa Tahir

Editora: Verus

Tradução: Jorge Ritter

Páginas: 434

Onde comprar: Amazon / Submarino

Exemplar recebido de parceria com a editora

Sinopse: “Dentro e fora do Império Marcial, a ameaça de guerra é cada vez maior... Helene Aquilla, a Águia de Sangue, está sendo atacada de todos os lados. Enquanto procura uma maneira de conter a escuridão que se aproxima, a vida de sua irmã - assim como a de todos os cidadãos - corre risco. Assombrado pelo passado, o imperador Marcus se torna cada vez mais instável e violento, e a comandante Keris Veturia aproveita a loucura dele para aumentar o próprio poder, deixando uma carnificina em seu caminho. Longe do Império, Laia de Serra sabe que o destino do mundo não depende das conspirações da corte marcial, e sim de alguém que consiga deter o Portador da Noite. Mas, enquanto procura um jeito de derrubá-lo, Laia enfrenta ameaças inesperadas e é atraída para uma batalha que nunca imaginou que precisaria lutar. Enquanto isso, na terra entre os vivos e os mortos, Elias Veturius abriu mão da liberdade para servir como Apanhador de Almas. Mas, ao fazer isso, se entregou a um poder ancestral disposto a qualquer coisa para garantir sua devoção - mesmo que isso signifique abandonar a mulher que ele ama. Um assassino nos portões vai deixar os leitores implorando pelo desfecho desta série ágil e cheia de reviravoltas arrepiantes.”

 

Um assassino nos portões começa alguns meses após os acontecimentos de Uma tocha na escuridão e mostra Laia, Elias e Helene embarcando em jornadas separadas. Laia está finalmente com seu irmão, Darin, e os dois vêm agindo para libertar eruditos que haviam sido capturados pelo Império. Mas ela tem uma missão ainda maior: deter o Portador da Noite. Já Elias, precisa lidar com as consequências de uma promessa feita e se preparar para ser o Apanhador de Almas. Mas, para isso, ele precisa aprender a se desligar do mundo fora do Lugar de Espera, especialmente da Laia e todos aqueles que ele ama.

Helene, por sua vez, precisa focar em sua missão como Águia de Sangue. Ela descobriu da pior forma o que acontece se falhar e precisa fazer de tudo para proteger sua irmã, mesmo que isso inclua proteger o imperador Marcus. Para isso, Helene precisará enfrentar todos que ameacem o lugar dele no trono e, principalmente, impedir os planos da Comandante Keris Veturia.

As jornadas de Laia, Elias e Helene estão seguindo caminhos cada vez mais distantes, mas são fundamentais para o destino do Império. Uma grande ameaça se aproxima e eles não poderão falhar, caso contrário, tudo que eles conhecem será destruído.




Quando terminei Uma tocha na escuridão, meu coração já estava apertado imaginando que ainda veria aqueles protagonistas enfrentando muitas coisas. Porém, nada poderia ter me preparado para o que acontece em Um assassino nos portões. Sabaa Tahir não teve dó dos leitor e escreveu uma trama cheia de revelações, reviravoltas, mistérios e muitos perigos. Laia, Elias e Helene não têm um minuto de paz e, por consequência, os leitores também não.

Com isso, eu fui fisgada logo nas primeiras páginas querendo saber o que aconteceria a seguir e não conseguia largar o livro. Se não bastasse o fato de que os três protagonistas já se encontrarem em situações bastante delicadas, há uma profecia que me fez ficar buscando pistas o livro inteiro e tentando desvendar os mistérios, o que o contribuiu muito para o meu envolvimento. Além disso, há um clima de tensão constante que fez com que a trama nunca perdesse o ritmo e a leitura fluísse muito bem.

Com relação aos personagens, gostei muito de ver o amadurecimento deles. Laia se mostrou uma personagem muito mais forte e focada nas suas responsabilidades e fiquei muito feliz por ver o quanto ela amadureceu. Já Helene continuou me irritando em muitos momentos por não perceber coisas óbvias, caindo em todas as ciladas possíveis. Porém, a partir de um determinado momento, ela finalmente conquistou meu respeito e fiquei impressionada com a sua evolução. Mas quem teve o arco mais sofrido, para mim, foi o Elias. Ele é levado a fazer escolhas muito difíceis nesse livro e, ao mesmo tempo que fiquei orgulhosa pela força que ele demonstrou, meu coração ficou apertado por tudo que ele passou.

Os personagens secundários também ganham mais destaque e alguns deles tiveram um grande desenvolvimento na trama. Destaque para a Comandante Keris, o Portador da Noite, o Harper e a Lívia, irmã de Helene. Os três são fundamentais nesse livro e, em todos os momentos que apareceram, pudemos compreendê-los melhor. Gostei muito de ver esses personagens sendo mais explorados e acredito que serão ainda mais importantes no próximo.

Além disso, Um assassino nos portões apresenta mais um ponto de vista além dos três que já tínhamos. Ainda temos a maioria dos capítulos alternando entre as narrações de Laia, Elias e Helene, mas há mais um personagem narrando dessa vez e eu amei muito esses capítulos. Espero sinceramente que o quarto livro traga mais desse ponto de vista. 



Com relação a trama, ela não tem o mesmo ritmo frenético do livro anterior. Porém, a leitura foi igualmente envolvente porque Sabaa inseriu tantos mistérios e revelações, que me manteve instigada o tempo todo para saber o que aconteceria aqui. Além disso, da metade para frente a trama volta a ganhar intensidade e se torna alucinante, com cenas épicas, muitas revelações e acontecimentos importantes.

O desfecho foi daqueles que fazem a gente querer começar a continuação imediatamente e, ao mesmo tempo, sentir medo do que está por vir. A autora Sabaa Tahir trouxe um final arrebatador, que me deixou desmaiada e pensando nesse livro por dias. Ela foi habilidosa na maneira como construiu esse final, deixando inúmeras possibilidades para o último volume.

Desde o primeiro livro, Sabaa Tahir tem me surpreendido com a série Uma chama entre as cinzas e a cada livro eu penso que ela não pode se superar, mas ela vai lá e se supera. Não foi diferente com Um assassino nos portões. Um livro intenso e envolvente, com uma trama complexa e bem construída onde nada acontece por acaso. Novamente me vi sem fôlego depois de um final bombástico e muito curiosa para saber o que vem a seguir. Não faço ideia do que Sabaa Tahir preparou para o último livro, mas tenho certeza que será épico.

Felizmente, A Sky Beyond The Storm será publicado em dezembro nos EUA e tenho esperança de que a Verus publique aqui no Brasil em 2021. Não sei como vou conseguir me despedir desses personagens e dessa história, mas mal posso esperar para ver tudo que a autora preparou.


3 comentários:

  1. Oi Malu, sua linda, tudo bem?
    Eu gostei muito dessas novas capas, que me lembram as do livro do Assassin's Creed. Não tem nem o que dizer depois de um livro que foi arrebatador como esse conseguiu ser. Sua animação é contagiante. Estou louca para que publiquem logo o último livro, para eu ler a série de uma só vez.
    bjs.
    cila.

    ResponderExcluir
  2. Ai, meu Deus! Tenho os dois primeiros aqui pra ler! Muitos falaram super bem dessa série e a única coisa que me irritou foi essa mudança de capas. Tudo bem que peguei o jacket, mas ñ é a mesma coisa. Mas o que importa mesmo é o conteúdo, então tudo bem!
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  3. Oii!

    Malu, estou acompanhando suas resenhas e fico muito feliz em ver que você se surpreendeu com a obra, eu sempre fico receiosa com séries, pois as vezes podem não suprir com nossas expectativas. Nao é uma série que eu leria no momento, mas eu fiqueimuito feliz em ver que houve diversas revelações e cenas incriveis. Espero que o próximo livro chegue logo e seja tão bom quanto.

    E ah, essas capas são incriveis!!!

    Beijinhos,
    Ani
    www.entrechocolatesemusicas.com.br

    ResponderExcluir