[Resenha] Uma proposta irrecusável

29 de jul. de 2021

 


Se tem um estilo de leitura que tem me atraído cada vez mais são aqueles livros mais leves, muitas vezes clichês, mas que deixam mensagens positivas. Talvez por estarmos vivendo momentos tão difíceis, ler tem sido minha principal fonte de distração e alegria.

Por esse motivo, quando soube do lançamento de Uma proposta irrecusável, da autora Katie Fforde, já fiquei imediatamente interessada. Com uma premissa que combina romance, humor, viagens e família, era impossível que eu não me interessasse. Então, óbvio que corri para ler.

E hoje eu vim falar um pouco sobre Uma proposta irrecusável e comentar com vocês o que achei da leitura. Então, se você também está em busca de um livro leve e divertido, vem conferir essa indicação.

 

Autora: Katie Fforde

Editora: Record

Tradução: Thaís Britto

Páginas: 406

Onde comprar: Amazon / Submarino

Sinopse: “A jovem Sophie está sempre tentando agradar as pessoas e ajudar todo mundo, mas, quando se dá conta de que sua família nunca a levou a sério e que vive tirando vantagem dela, resolve dar um basta. Então não pensa duas vezes antes de aceitar o convite de uma amiga para trocar a vida no interior da Inglaterra por Nova York durante um tempo, principalmente depois de receber uma inusitada missão de um tio distante. No momento em que põe os pés em Manhattan, ela está decidida a aproveitar cada minuto de sua aventura. E é lá que conhece Matilda, uma grande dama da sociedade nova-iorquina. A conexão entre as duas é imediata, e a simpática senhora convida Sophie para passar o Dia de Ação de Graças em sua casa em Connecticut. Quem não parece muito feliz com essa repentina amizade é o neto de Matilda, Luke, um cara inegavelmente atraente, mas um poço de arrogância. E é por isso que Sophie fica tão surpresa quando, algumas semanas depois, o rapaz a procura na Inglaterra com uma proposta difícil de recusar...”

 

Sophie Apperly é a caçula da família e está acostumada a ser menosprezada pelos irmãos e até mesmo pelos pais. Ela vive tentando agradar a todos e resolver os problemas da família, mas suas opiniões são sempre desconsideradas e nada parece ser o suficiente para conquistar o respeito deles. Até que Sophie resolve dar um basta na situação e fazer algo por si mesma, começando por uma merecida viagem aos Estados Unidos para visitar uma amiga.

Enquanto passa um período cuidando de um tio distante, ela descobre que os antepassados possuíam um poço de petróleo nos EUA. E, para descobrir se ele ainda vale algum dinheiro, ela precisaria localizar todos os parentes que têm direito ao poço e descobrir o valor dos direitos de perfuração. Isso dá a Sophie a justificativa perfeita para ir aos Estados Unidos e a esperança de ter dinheiro suficiente para realizar outros sonhos, como o de fazer faculdade e ter o seu próprio negócio.

O que Sophie não esperava é que seu caminho cruzaria com o de Matilda, uma simpática senhora, que parece ter uma conexão imediata com ela. As duas logo desenvolvem uma inesperada amizade, mas o neto de Matilda não vê essa aproximação com bons olhos. Porém, apesar da evidente desconfiança, ele acaba entrando na vida de Sophie com uma proposta difícil de recusar e que pode manter os caminhos deles ainda mais próximos.



Assim que li a sinopse de Uma proposta irrecusável, eu já senti que seria uma trama cheia de clichês, digna de um filme de comédia romântica. Era exatamente isso que eu buscava quando comecei a ler e não me decepcionei. Logo nas primeiras páginas fui envolvida pela atmosfera leve da história e as confusões da protagonista.

Sophie é uma personagem muito doce e me cativou com a sua generosidade e o seu jeito espontâneo, que muitas vezes a coloca em muitas confusões. Admito que é irritante ver como ela se mantém muito passiva diante dos insultos e explorações da sua própria família, mas consegui entender o quanto era difícil para ela sair daquela situação abusiva. Sophie cresceu tendo sua confiança abalada, então, é natural que ela tenha dificuldade em romper esse ciclo e passar a se impor.

Mas, nesse livro, quem conquistou meu amor todinho foi a Matilda, a senhora que entra na vida de Sophie de uma forma muito inesperada e vira quase que a sua fada madrinha. Ela é uma personagem extremamente carismática, com o seu jeito independente e o humor afiado. Além disso, a Matilda é fundamental na trama não só como uma ponte entre Sophie e o seu neto, Luke, mas como alguém que ajuda a protagonista no seu processo de amadurecimento. E foi muito bonito acompanhar a amizade que surgiu entre as duas, que em muitos momentos parece mais com uma relação de avó e neta.

Já em relação ao Luke, o mocinho da história, é difícil simpatizar com ele no começo por sua postura arrogante e a forma superprotetora como trata a avó. Inclusive, ele lembrou muito o protagonista de Cartas para Julieta, que no começo também é bem antipático, mas nós sabemos que ele irá se transformar. O mesmo acontece com Luke e gradualmente vamos percebendo que ele tem um bom coração e tem motivos para ser tão desconfiado.

Porém, se você espera um romance arrebatador, é bom diminuir as expectativas. Esse livro tem aquele famoso slow burn, em que o casal vai se aproximando bem aos pouquinhos até finalmente se apaixonar. Para alguns pode parecer muito morno, mas para mim funcionou bem porque eu estava muito mais interessada em acompanhar o amadurecimento da Sophie e ver ela se libertando da família dela. No entanto, apesar do romance não ser o foco, eu gostei do casal, achei que eles se complementam bem e me diverti com eles.

Outro ponto que gostei bastante é que, ao longo do livro, embarcamos com a Sophie em várias viagens cheias de confusão e situações divertidas. Com isso, o livro muda constantemente de ambientação, mas é sempre um lugar interessante e que desperta no leitor a vontade de viajar também. Durante a leitura, a autora nos transporta para a movimentada Nova York, mas também para uma rica região no litoral de Connecticut, depois retorna para a Inglaterra em viagens pelo interior do país até a Cornuália. E, como eu amo livros com esse clima de road trip, adorei acompanhar as aventuras da Sophie.

Minha única ressalva com o livro é que senti que a autora enrolou mais do que o necessário com algumas questões, enquanto poderia ter se aprofundado mais em outras. Ao invés de gastar tempo com situações que foram um pouco repetitivas, eu gostaria que a autora tivesse explorado mais a relação da Sophie com o tio dela – um personagem que tem um humor ácido maravilhoso, mas que aparece pouco na história.

De um modo geral, Uma proposta irrecusável foi exatamente a leitura que eu precisava no momento. Trata-se de um livro leve e com uma trama recheada de clichês, mas que me conquistou com o clima de comédia romântica, as ambientações maravilhosas e os personagens carismáticos. Apesar de alguns tropeços, me envolvi com a jornada da Sophie e me diverti muito ao acompanha-la. Então, recomendo para quem busca uma leitura despretensiosa e para esquecer um pouco dessa realidade conturbada que estamos vivendo.


8 comentários:

  1. às vezes, também curto um bom e velho clichê para relaxar das leituras densas que também aprecio, gosto de sair da zona de conforto, repensar a vida com o que leio, mas, em certos momentos, só quero a zona de conforto mesmo hahahahha... não tenho problemas com romances mornos, acho que cada história, pode ser única.

    ResponderExcluir
  2. Oi Malu!!

    Eu tô na mesma vibe que você, tô procurando ler livros mais leves e clichês pois a vida já tá muito dificil e eu preciso esquecer disso pelo menos por alguns momentos do meu dia HAHAHAH
    Não conhecia esse livro mas agora tô muito curiosa e eu achei a capa muito fofa, essa cor é tudo na minha vida! Já coloquei ele na wishlist, amei tua opinião e as fotos! <3

    ResponderExcluir
  3. Que leitura maravilhosa, fiquei mega curiosa para ler também, adoro história nesse estilo, gostei bastante das considerações sobre o livro.

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem ?
    Eu ando na mesma vibe que você Malu, por isso adorei o livro e já vou olhar se ele está disponível no KU.
    Adorei a dica.
    Por mais livros leves e divertidos.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem? Ah, assim como você também gosto de livros mais leves, clichês, e que tragam alguma mensagem. Deve ser incrível poder sair do seu mundinho e se aventurar numa vida nova. Conhecer outras pessoas, ter um novo emprego, ter outras metas, outros sonhos, ainda mais quando a cidade é NY. Um dos meus sonhos é morar no SOHO. Não pensaria duas vezes pegaria um avião e me arriscaria numa vida nova. Amei a atmosfera criada pela autora. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  6. Oi Malu, tudo bem?
    A proposta desse livro me parece bastante interessante a despeito de ser clichê. A Sophie me fez lembrar um bocado da protagonista de "Pecados no Inverno", que tem um problema bem parecido relacionado à família. Claro que no caso da principal do outro livro, é bem pior. Porém, encontrei semelhanças mesmo assim. Adorei o fato de que temos uma vovó muito legal!
    Um beijo de fogo e gelo da Lady Trotsky...
    http://wwww.osvampirosportenhos.com.br

    ResponderExcluir
  7. Clichê é aquela coisa do conforto né? A gente sabe como vai se desenvolver e até como vai terminar, mas quem disse que não dá prazer também. Achei essa capa uma graça!!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bom?
    Também tenho buscado muito essas leituras clichês nesse momento em que estou vivendo e saber que a protagonista meio que vai ter uma relação de avó e neta com essa senhora já me ganhou por completo. Adoro livros com relações assim. Outro ponto que adorei foi a comparação do protagonista com o de Cartas para Julieta. Adorei a dica!
    Beijos!

    ResponderExcluir