segunda-feira, 18 de setembro de 2017

[Dica da Malu] Victoria e o Patife

Sinopse: “Criada pelos tios na Índia, Victoria é enviada a Londres aos 16 anos a fim de conseguir um marido. Mas é na longa viagem até a Inglaterra que a jovem encontra o amor, na figura de Hugo Rothschild, o nono Conde de Malfrey. Tudo estaria ótimo se não fosse a insuportável interferência do capitão do navio, Jacob Carstairs. Por que ele não pode confiar na escolha de Victoria? Por que ele não a deixa em paz? Estaria Hugo escondendo algo?"  Autora: Meg Cabot / Editora: Galera Record / Páginas: / SkoobComprar: AmazonLivro recebido em parceria com a editora


Até recentemente, meu único contato com a escrita da autora Meg Cabot havia sido através de sua série mais famosa, “O Diário da Princesa”. Apesar de ter sido uma leitura divertida e envolvente, me decepcionei por perceber na protagonista Mia uma visão exagerada e caricatural da adolescência. No entanto, resolvi fazer uma nova tentativa com a autora e resolvi ler seu romance histórico juvenil, Victoria e o Patife, lançado no primeiro semestre pela Galera Record.
Neste livro, conhecemos a jovem Victoria, uma órfã que cresceu na Índia com seus tios, mas é enviada para a Inglaterra a fim de encontrar um marido adequado. Herdeira de uma fortuna imensa deixada por seu pai, um duque, Victoria consegue encontrar um noivo ainda no navio, o charmoso Lord Malfrey. No entanto, o capitão do navio, Jacob Carstairs, não aprova a escolha de Victoria e fará o possível para impedir este casamento.
Para começar a falar sobre o livro, preciso dizer que mais uma vez tive uma relação de amor e ódio com a escrita de Meg Cabot. Encontrei em Victoria e o Patife as mesmas qualidades que vi na série O Diário da Princesa, mas também os mesmos defeitos. Aliás, em muitos aspectos Victoria parece uma versão do século XIX da princesa Mia.
Falando primeiro sobre o que gostei no livro, mais uma vez a escrita de Meg Cabot se mostrou envolvente e divertida. A leitura flui muito bem e há momentos realmente muito engraçados no livro. Aliás, adorei o humor irônico da autora, sempre presente nas entrelinhas.
Além disso, é impossível não se encantar com Jacob Carstairs. Ele é inteligente, educado, justo e tem um jeito adorável de irritar Victoria. Aliás, os diálogos dos dois são, provavelmente, a melhor coisa do livro todo. Ele tem um senso de humor afiado e não se deixa abalar pelos (muitos) chiliques da menina.

Por outro lado, a Victoria é, provavelmente, o maior problema do livro. Poucas vezes eu senti tanta vontade de esganar uma personagem como aconteceu com essa protagonista. Ela é fútil, mimada, intrometida e muito dramática, me parecendo uma mistura da Mia com a personagem Emma, do romance de Jane Austen – embora bastante inferior a esta segunda. Além disso, Meg parece mais uma vez querer reforçar estereótipos da adolescência de uma maneira muito exagerada.
Outro aspecto que não gostei muito no livro é que tudo se desenvolve muito rápido. De certa maneira, isso é bom para demonstrar a impulsividade e a imaturidade da Victoria, que aceita se casar com um homem que acabou de conhecer. No entanto, isso prejudicou a construção dos personagens e o desenvolvimento do romance.
Mas quero ressaltar que, por incrível que pareça, apesar dos problemas, a Meg Cabot conseguiu escrever uma história gostosa de ler. Mesmo não tendo gostado da protagonista, dei muitas risadas com as situações em que ela se envolveu e com os diálogos entre ela e o Jacob. Além disso, o jovem capitão Cairstairs é um personagem tão carismático que acaba compensando a raiva que senti da Victoria.
A edição do livro é bem simples, mas bonita. A capa é muito fofa e totalmente condizente com a história. Além disso, as páginas são amareladas e a fonte não é muito grande, mas é boa para leitura e está proporcional ao tamanho do livro e ao espaçamento.
Assim, apesar de ter me incomodado com alguns aspectos do livro, ainda encontrei em Victoria e o Patife uma leitura divertida para passar o tempo. Recomendo a leitura para um público bem mais jovem, que talvez não vá se incomodar tanto com a versão um tanto distorcida que Meg Cabot traz da adolescência. No entanto, acredito que mesmo adultos podem se divertir com este livro e encontrar nele uma boa distração.  

25 comentários:

  1. Oi tudo bem?
    Confesso que ainda não tive nenhum contato com essa autora. Estava com vontade de fazer a leitura desse livro por amar romance de época mas o que vi você falando da protagonista acredito que também sentiria vontade de esgana-la então já fiquei com um pé atrás.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá...
    Amei sua resenha <3
    É uma pena voce não ter curtido tanto a leitura quanto eu :(
    Ao contrário de voce, gostei bastante da Victoria, achei ela bem divertida e torci muito por ela! Mas, é normal variar as opiniões <3
    Bjo

    ResponderExcluir
  3. É muito ruim quando acontece de a gente ficar desconfortável com a personagem principal, mas ainda bem que cê conseguiu ver os pontos positivos também. Tenho muita vontade de ler as coisas da Meg.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oiii tudo bem??

    Nunca li Meg Cabot, mas fico curiosa por alguns livros, esse infelizmente não havia me chamado a atenção. E por você ter indicado para um publico mais jovem, acredito que não irei gostar muito.
    É uma pena, não sei o que se esperava.
    Mas adorei a resenha. E conhecer os personagens.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir
  5. Oi!
    Quero muito ler essa fofura de livro!!! Estou com ele aqui e ainda não iniciei. rsrs... Já ouvi outras pessoas dizendo que algumas coisas as incomodaram, mas fico feliz que isso não te atrapalhado tanto.
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  6. Oiee ^^
    Eu também gostei desse livro, só que também encontrei muita coisa que não me agradou. Felizmente a escrita da Meg é bem rápida e divertida, mas as coisas vão rápido demais, né? E eu não consegui gostar dos personagens, da Victoria muito menos *-*
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem? Nossa, amo a Meg Cabot mas não me arrisco mais nos livros dela. Passei da fase infanto-juvenil e sei que seus livros ainda tem bastante essa pegada. Por ser tratar de um "romance de época" seria com certeza uma ótima pedida, porém ainda tenho receios de achar meio infantil. Ótima resenha!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Ainda não li nada da autora, embora sempre leia resenhas positivas de seus livros. No entanto, devo confessar que esse livro não me atraiu. Acho que não é o tipo de leitura que faça a minha cabeça. Adorei a sua foto do livro, a composição ficou belíssima, com as pérolas e as rosas.

    Tatiana

    ResponderExcluir
  9. OIe
    muito legal sua resenha, eu adoro a autora então sou suspeita para falar sobre mas ainda não li o livro, muito linda a edição e sua opinião e indicação para um publico especifico

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Romance histórico nao é minha praia mas acompanhar essa história foi sensacional, algumas coisas me incomodaram, o fato dela querer casar com o cara só pra salvar a vida financeira dele, MEU DEUS, ela ser mimada demais... Essas coisas me tiraram do sério, mas por outro lado, o capitão ganhou meu coração.

    ResponderExcluir
  11. A protagonista é daquele tipo que você ama e odeia ao mesmo tempo. Eu adoro a escrita da Meg e adorei essa obra. Realmente as coisas acontecem rápido, mas o ritmo é tão fluído e a trama tão gostosinha que dá para relevar.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  12. Nunca li nada da Cabot e confesso que não tenho muito interesse. Acho que encontraria os mesmos problemas que voce encontrou na protagonista. Desta vez vou deixar a dica passar.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Olá Maria, apesar da protagonista ser bem irritante o enredo parece ser bem gostosinho, do tipo de leitura para fazer em um final de tarde de domingo *-* Dica anotada.

    ResponderExcluir
  14. Oii
    Nunca li nada da autora. Uma pena que esse livro tenha alguns problemas, como a protagonista e a narrativa meio acelerada de alguns acontecimentos. Mas que bom que você gostou da leitura mesmo assim.
    Bjus

    ResponderExcluir
  15. Oie,
    Não sou muito fã do gênero, por isso não costumo prestar muito atenção nesse tipo de livro. Desde que vi a capa de Victoria e o Patife eu amei a diagramação e me pareceu ser uma boa história. Depois de saber pela sua resenha que da vontade de matar a Victoria a cada 5 segundos foi deixar a dica passar. rsrs
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
  16. Confesso que apesar de amar diário de uma princesa, e romances de época, esse livro em especifico não me encheu os olhos para leitura, acredita? Mas gostei de poder conferir sua resenha mais do que sincera sobre o livro, não sei ainda se lerei ele um dia, mas quem sabe né?

    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Olá,

    Eu adoro os livros da Meg, são tão gostosos de ler e as histórias são cheias de ação. Ainda não tive a oportunidade de ler esse, mas já estou bem curiosa sobre. Não sou fã de instalove e protagonistas como descreveu Victoria, no entanto acho que é uma leitura que eu gostarei de fazer.

    Beijos,
    oculoselivrosblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Olá!!
    Nunca tive interesse em ler essa autora porque sempre imagino essas características que você citou na resenha... Acredito que seja uma leitura muito adolescente, que eu não teria muita paciência...
    Fico feliz que tenha servido pelo menos para se divertir...
    Um beijoo

    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  19. Olá!
    Ah, eu amo a Meg Cabot. E a Mia também.
    Ainda não pude ler esse livro, mas assim que possível estarei realizando a leitura.
    Também não gosto de personagens mimadas,como é o caso dessa, mas só por curiosidade dos diálogos entre os personagens irei realizar essa leitura.

    ResponderExcluir
  20. Que bom que mesmo tendo achado problemas na narrativa você ainda achou a história gostosa de ler. Eu, particularmente, sou bem fã da Meg, tudo o que li dela amei, mas não li os livros que você leu então não posso opinar sobre os estereótipos da adolescência e o desenvolvimento muito rápido.

    ResponderExcluir
  21. eu curto muito Diário da princesa, a escrita da autora é divertida, apesar de não ler mais com mesmo entusiasmo de antigamente, ainda é minha autora amor.

    ResponderExcluir
  22. Oi,Maria

    Eu nunca li nada da autora... o mais próximo que cheguei de suas histórias foi através das adaptações de O Diário da Princesa. Hahahaha
    Eu provavelmente já não leria o livro, porque por mais que seja um RE, é muito juvenil. Saber que a personagem é assim me deixou ainda mais sem vontade! Hahhahah E ainda tem o fato do desenvolvimento ser rápido.
    Não é um livro pra mim mesmo...

    Beijocas

    ResponderExcluir
  23. Olá,
    Ainda não tive nenhum contato com a escrita da autora e pelo que pude perceber essa não é a melhor obra para iniciar rsrs
    Não gosto de personagens com tais características que Victória apresenta, sendo muito mimada e fútil. Me irrita muito!
    E outra coisa que me desanimou é saber que tudo acontece muito rápido... gosto quando tem um desenvolvimento bacana... cada coisa a seu tempo.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  24. Oi, tudo bem?
    Eu estou com esse livro para ler aqui, mas cadê a animação? kkkk Por essa razão gostei de cara do seu post, pois assim posso saber mais da obra e quem sabe ficar mais animadinha. Bom, eu esperava que fosse uma leitura divertida e envolvente mesmo, mas ainda não sabia que esse Jacob era tão cativante, agora não esperava que Victoria fosse tão chata e também não curto histórias que se desenvolvem muito rápido. Enfim, apesar dos pontos negativos, eu espero ler o livro em breve.

    Beijos:*

    ResponderExcluir

Copyright © 2013 | Design e C�digo: Amanda Salinas | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal