[Dica da Malu] O Duque e Eu

Sinopse: “Simon Basset, o irresistível Duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas muelhres, precisa de um plano infalível. É quando entre em cena Daphne Bridgerton, irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só as veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá novos pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta. Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o possível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo que ela mais quer na vida.”
Autora: Julia Quinn / Editora: Arqueiro / Páginas: 288                           Comprar: Amazon

Eu sempre tive uma impressão negativa de romances de época. Já adianto que não estou me referindo aqui a clássicos, como os livros da Jane Austen. Estou falando daqueles romances escritos por autoras contemporâneas, mas que são ambientados no passado. Todos que eu tinha visto me pareciam ter tramas muito rasas e personagens pouco desenvolvidos, por isso, nunca tive muita curiosidade para ler.
No entanto, vi tantos elogios para a série Os Bridgertons, da Julia Quinn, que acabei ficando curiosa para saber o motivo dos livros dela terem conquistado tantos fãs. Foi assim que acabei iniciando a leitura de “O Duque e Eu”; sem ter grandes expectativas, mas curiosa para entender o sucesso deste romance. De um modo geral, posso dizer que tive uma surpresa agradável.
Nesse livro, acompanhamos a história de Daphne Bridgerton e o Simon Basset, o Duque de Hastings. Depois de passar alguns anos viajando, Simon retornou a Inglaterra e imediatamente se tornou alvo das mães que procuravam um bom partido para as filhas. Mesmo com sua fama de libertino, Simon é um dos solteiros mais cobiçados por seu título de nobreza e sua fortuna. O problema é que ele não tem a menor intenção de se casar. Já Daphne deseja se casar, porém, os jovens solteiros que seriam adequados só a vêm como amiga, devido à sua personalidade forte e o seu jeito espirituoso. Além disso, os pretendentes que surgiram ou eram muito velhos ou muito tolos.
Assim, quando se conhecem em um baile, Daphne e Simon acabam percebendo que poderiam se ajudar e criam um plano. Simon deseja evitar as jovens que estão à procura de um marido rico e Daphne quer que os rapazes prestem atenção dela. A ideia é simples: Simon finge cortejar Daphne e, assim, evita a atenção das outras jovens e faz com que outros rapazes comecem a reparar nela.
As coisas se complicam quando a amizade e cumplicidade que surgem entre a Daphne e o Simon começam a se transformar em algo mais. Ela sonha em se casar e construir uma família tão linda quanto aquela em que cresceu. No entanto, devido a traumas do passado, tudo que Simon não quer é casamento e filhos. Eles se vêm, então, com medo de que a atração que sentem atrapalhe a bonita amizade que estava nascendo.
Apesar de todas as ressalvas que tinha antes ler esse livro, ele me conquistou logo nas primeiras páginas. Já no prólogo conhecemos o passado de Simon e é impossível não simpatizar com ele, considerando as situações que teve que enfrentar quando ainda era muito criança. Logo em seguida, somo apresentado à Daphne. De cara, adorei a personalidade forte dela e o modo como ela sabe exatamente o que quer da vida. Apesar de desejar se casar, Daphne não está disposta a mudar seu jeito para agradar aos possíveis pretendentes e não vai aceitar se casar com um homem tolo, só para não ficar solteira.
Além disso, é uma leitura muito agradável e cheia de humor. Os diálogos são inteligentes e repletos de ironia, principalmente aqueles entre Daphne e Simon. Aliás, o primeiro encontro dos dois é hilário e totalmente fora do esperado. Daphne foge dos padrões da época e fala o que pensa, sem se importar com o que ele vai achar dela ou com a elevada posição social dele.
Outro aspecto que gostei bastante no livro foram as relações de amizade. É bonito ver como vai surgindo uma cumplicidade entre a Daphne e o Simon, e, aos poucos, isso evolui para um sentimento mais forte. Não ocorre aqui aquele irritante amor à primeira vista e sem nenhuma justificativa. É um relacionamento que se desenvolve de maneira natural e compreensível, e acaba conquistando a torcida do leitor. Há ainda a amizade entre Simon e o irmão mais velho de Daphne, o Anthony. É bonito ver o quanto eles se respeitam e se admiram, mas também brincam e implicam um com o outro, mostrando uma relação que é quase de irmãos mesmo.
E, por falar em irmãos, isso é o que não falta para Daphne. Além de Anthony, ela ainda tem mais seis: Benedict, Collin, Eloise, Francesca, Gregory e Hyacinth. Entre tantos irmãos e irmãs, é claro que ocorrem brigas, implicâncias e muita confusão, mas o que existe de mais forte entre eles é o amor. Fica evidente ao longo do livro o quanto eles se amam e se importam uns com os outros. Para os Bridgertons, não há nada mais importante que a família.
Deste modo, o que mais gostei neste livro foi realmente os personagens. A Daphne e o Simon são um ótimo casal. Eles são divertidos, espontâneos, de personalidade forte e têm diálogos afiadíssimos. Mas os personagens secundários são igualmente marcantes. Mesmo tendo menos espaço que os protagonistas, já é possível ver um pouco sobre a personalidade de cada um deles e conhecer o suficiente para desejar acompanhar as aventuras protagonizadas por eles. Cada livro da série irá focar em um dos irmãos Bridgerton e confesso que fiquei interessada em ler as histórias de todos eles.
O único problema no livro não é exatamente a história em si. Por se tratar de um romance de época, a sociedade retratada é muito machista e isso me incomodou em alguns momentos. Há uma série de normas que as mulheres devem seguir a fim de manterem sua reputação e serem consideradas esposas adequadas. Toda a vida delas se resume em encontrar um marido e serem boas esposas, e, quando “passam da idade”, perdem seu valor. No entanto, gostei das pequenas críticas feitas pela autora a este comportamento e do fato de Daphne não seguir os padrões que eram impostos para as mulheres, não aceitando mudar sua personalidade recusando pedidos de casamento com de homens que ela não é capaz de respeitar.
A escrita da Julia Quinn é leve e envolvente, com um humor refinado e uma narrativa fluida. Os diálogos são divertidos e cheios de ironias e trocas de provocações entre os personagens, deixando a leitura ainda mais agradável. Além disso, ela soube descrever bem a sociedade da época, as roupas, as festas e os lugares, fazendo com que o leitor realmente se sinta na Inglaterra do século XIX.

Em resumo, não é uma leitura complexa ou que leva o leitor a questionamentos e reflexões, mas é agradável e envolvente. Os personagens são cativantes e a escrita da autora é fluida, prendendo a atenção do leitor e fazendo com que ele se importe com o destino dos protagonistas e deseje saber mais sobre os outros membros da família Bridgerton. Para quem gosta de romances e procura uma leitura leve e rápida, "“ Duque e Eu” é uma excelente opção. 
Agora, quero saber se vocês já leram ou pretendem ler esse livro. E, para quem leu, quem é o seu Bridgerton preferido? Tendo lido só os dois primeiros livros ("O visconde que me amava" foi uma das minhas leituras de março), ainda não sei qual é o meu personagem preferido desta série, mas suspeito que o Colin irá se destacar. Em breve, lereis os outros livros e farei a resenha aqui, aí eu conto para vocês se esta impressão se confirmou.

Leituras de Março

Já estamos em abril, então, é hora de falar das leituras que eu concluí mês passado. Março foi um mês um pouco mais corrido do que os dois primeiros meses do ano, então, acabei não lendo um pouco menos. No entanto, de modo geral, foram leituras que eu gostei muito e isso é mais importante que a quantidade.
Devido ao Dia da Mulher, no dia 08 de março, eu me comprometi a ler somente livros escritos por mulheres durante todo o mês e consegui cumprir a meta. Além disso, dos sete livros que eu li, quatro foram escritos por autoras que eu ainda não tinha tido a oportunidade de ler nada escrito por elas. Entre elas estão a Chimamanda Ngozi Adichie e a Bárbara Morais, que já entraram na minha lista de autoras que todo mundo deveria conhecer (aqui). As outras autoras cujo trabalho eu conheci em março foram a Julie Buxbaum, que escreveu o livro “Três coisas sobre você”, e a Lisa Kleypas, da qual eu li o livro “Segredos de uma noite de verão”.
Os outros três livros que li foram continuações de séries que eu já havia iniciado: “Espada de Vidro”, da Victoria Aveyard, segundo volume da série “Rainha Vermelha”; “O visconde que me amava”, da Julia Quinn, segundo livro da série Os Bridgertons; e “A Traidora do Trono”, da Alwyn Hamilton, que é a continuação de “A Rebelde do Deserto”.

Sejamos todos feministas – Chimamanda Ngozi
Editora: Companhia das Letras
Sinopse: “Chimamanda Ngozi Adichie ainda se lembra exatamente da primeira vez em que a chamaram de feminista. Foi durante uma discussão com seu amigo de infância Okoloma. ‘Não era um elogio. Percebi pelo tom da voz dele; era como se dissesse ‘Você apoia o terrorismo!’. Apesar do tom de desaprovação de Okoloma, Adichie abraçou o termo e – em resposta àqueles que lhe diziam que feministas são infelizes porque nunca se casaram, que são ‘anti-africanas’, que odeiam homens e maquiagem – começou a se intitular uma ‘feminista feliz e africana que não odeia homens, e que gosta de usar batom e salto alto para si mesma, e não para os homens’. Neste ensaio agudo, sagaz e revelador, Adichie parte de sua experiência pessoal de mulher e nigeriana para penar o que ainda precisa ser feito de modo que as meninas não anulem mais sua personalidade para ser como esperam que sejam, e os meninos se sintam livres para crescer sem ter que se enquadrar os estereótipos de masculinidade”.

A Ilha dos Dissidentes – Bárbara Morais
Editora: Gutenberg
Sinopse: “Ser levada para uma cidade especial não estava nos planos de Sybil. Tudo o que ela mais queria era sair de Kali, zona paupérrima de guerra entre a União e o Império do Sol, e não precisar entrar para o exército. Mas ela nunca imaginou que pudesse ser um dos anômalos, um grupo especial de pessoas com mutações genéticas que os fazia ter habilidades sobre-humanas inacreditáveis. Como única sobrevivente de um naufrágio, ela agora irá se juntar a uma família adotiva na maior cidade de mutantes do continente e precisará se adaptar a uma nova realidade. E logo aprenderá que ser diferente pode ser ainda mais difícil que viver em um mundo em guerra.” Resenha: aqui.

Três coisas sobre você – Julie Buxbaum
Editora: Arqueiro
Sinopse: “Setecentos e trinta e três dias depois da morte da minha mãe, 45 dias após meu pai fugir para se encontrar com uma estranha que ele conheceu na internet, 30 dias depois de a gente se mudar para a Califórnia e apenas sete dias após começar o primeiro ano do ensino médio numa escola nova onde conheço aproximadamente ninguém, chega um e-mail. Deveria ser no mínimo esquisito, uma mensagem anônima aparecer do nada na minha caixa de entrada, assinada com o bizarro nome Alguém Ninguém. Só que nos últimos tempos a minha vida tem estado tão irreconhecível que nada mais parece chocante.” Resenha: aqui.

Espada de Vidro – Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Sinopse: “O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar. Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisara tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.”

O Visconde que me amava – Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Sinopse: “A temporada de bailes e festas de 1814 acaba de começar em Londres. Como de costume, as mães ambiciosas já estão ávidas por encontrar um marido adequado para suas filhas. Ao que tudo indica, o solteiro mais cobiçado do ano será Anthony Bridgerton, um visconde charmoso, elegante e muito rico que, contrariando as probabilidades, resolver dar um basta na rotina de libertino e arranjar uma noiva. Logo ele decide que Edwina Sheffield, a debutante mais linda da estação, é a candidata ideal. Mas, para levá-la ao altar, primeiro terá que convencer Kate, a irmã mais velha da jovem, de que merece se casar com ela. Não será uma tarefa fácil, porque Kate não acredita que ex-libertinos possam se transformar em bons maridos e não deixará Edwina cair nas garras dele. Enquanto faz de tudo para afastá-lo da irmã, Kate descobre que o visconde devasso é também um homem honesto e gentil. Ao mesmo tempo, Anthony começa a sonhar com ela, apesar de achá-la a criatura mais intrometida e irritante que já pisou nos salões de Londres. Aos poucos, os dois percebem que essa centelha de desejo pode ser mais do que uma simples atração.”

Segredos de uma noite de verão – Lisa Kleypas
Editora: Arqueiro
Sinopse: “Apesar de sua beleza e de seus modos encantadores, Annabelle Peyton nunca foi tirada para dançar nos eventos da sociedade londrina. Como qualquer moça da sua idade, ela mantém as esperanças de encontrar alguém, mas, sem um dote para oferecer e vendo sua família em situação difícil, amor é um luxo ao qual não pode se dar. Certa noite, em um dos bailes da temporada, conhece outras moças também cansadas de ver o tempo passar sem ninguém para dividir sua vida. Juntas as quatro dão início a um plano: usar todo o seu charme e astúcia feminina para encontrar um marido para cada, começando por Annabelle. No entanto, o admirador mais intrigante e persistente de Annabelle, o rico e poderoso Simon Hunt, não parece ter interesse em leva-la ao altar – apenas a prazeres irresistíveis em seu quarto. [...] No primeiro livro da série As Quatro Estações do Amor, Annabelle sai em busca de um marido, mas encontra amizades verdadeiras e desejos intensos que ela jamais poderia imaginar.”

A Traidora do Trono – Alwyn Hamilton
Editora: Seguinte
Sinopse: “Amani Al’Hiza mal pôde acreditar quando finalmente conseguiu fugir de sua cidade natal, montada num cavalo mágico junto com Jin, um forasteiro misterioso. Depois de pouco tempo, porém, sua maior preocupação deixou de ser a própria liberdade: a garota descobriu ter muito mais poder do que imaginava e acabou se juntando à rebelião, que quer livrar o país inteiro do domínio do sultão. Em meio às perigosas batalhas ao lado dos rebeldes, Amani é traída quando menos espera e se vê prisioneira no palácio. Enquanto pensa em um jeito de escapar, ela começa a espionar o sultão. Mas quanto mais tempo passa ali, mais Amani questiona se o governante de fato é o vilão que todos acreditam”.


            Essas foram as minhas leituras do mês de março. Não foram muitas, mas, de modo geral, fiquei bastante satisfeita. E vocês, o que leram mês passado? Já leram algum dos que eu li? Me contem aí nos comentários. 

Caso tenham se interessado por algum dos livros citados, vou deixar o link de compra na Amazon. Até o dia 06/04/2017 está acontecendo a Mega Oferta no site da Amazon e tem milhares de livros e e-books em promoção, então, é uma ótima oportunidade de adquirir alguns livros que estejam na lista de desejados.
Link para compra: http://amzn.to/2nxRWGI

Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.