[Resenha] Alguém para amar


Olá, pessoal! Como vocês estão? A resenha de hoje será sobre um livro que venho enrolando um pouco para comentar com vocês: Alguém para amar, da Judith McNaught. Esse é o último livro da trilogia, que começou com os livros Agora e Sempre e Algo Maravilho. E, para quem ainda não conferiu, tem resenha dos dois aqui e aqui.
Para quem leu minha resenha sobre Agora e Sempre no começo do ano, sabe que não foi o melhor dos começos e, por vários motivos, terminei a leitura decepcionada e indignada. Porém, escolhi dar uma segunda chance para a autora e tive uma surpresa incrível quando li Algo Maravilhoso. Terminei de ler completamente apaixonada e com altas expectativas para o último livro.

Então, claro que assim que recebi Alguém para amar, dei um jeito de correr para incluí-lo nas minhas leituras. E, agora, vou poder contar para vocês o que achei e se valeu a pena ter continuado com essa trilogia.

Autora: Judith McNaught
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 518
Onde comprar: Amazon
Exemplar recebido de parceria com a editora
Sinopse: “Nova edição de um dos clássicos de Judith McNaught. Com orelha assinada por Carina Rissi. Em toda a Inglaterra, não há beleza que se compare à de Elizabeth Cameron, a Condessa de Havenhurst. Criada longe dos salões londrinos, ela não sabia que ligações afetivas e financeiras frequentemente se entrelaçam em sutis arranjos de interesses. Quando Ian Thornton, um homem atraente, de origem misteriosa e perigosamente hábil nos jogos sociais aparece, a ingenuidade de Elizabeth a impede de suspeitar de seu comportamento. Os dois embarcam numa relação permeada de intrigas, escândalos e irrefreável sensualidade... mas será amor verdadeiro? “Judith McNaught consegue dosar irreverência e sensualidade de maneira magistral em seus romances. Em Alguém para amar, ela cria personagens encantadores, intrigantes, e os envolve ― e ao leitor ― em uma inesquecível história de amor, sobre duas pessoas muito diferentes, mas com o mesmo desejo de encontrar seu lugar no mundo.” – Carina Rissi.”

No livro Alguém para amar, iremos acompanhar a jovem condessa Lady Elizabeth Cameron. Depois de se tornar a sensação da temporada em seu debut, Elizabeth recebeu diversas propostas de casamento. Porém, ao conhecer o misterioso e atraente Ian Thornton, Elizabeth acaba se vendo envolvida em algumas intrigas que destroem sua reputação e a transformam em uma pária para a sociedade.
Dois anos depois, ela estava vivendo isolada em sua propriedade, tentando sobreviver após aqueles tristes acontecimentos e o abandono de seu irmão, que fugiu para evitar as dívidas. Para conseguir se manter, Elizabeth dependia da ajuda de seu tio avarento, que estava constantemente reclamando de ter que auxiliá-la. Para resolver a questão, ele decidiu escrever a todos os antigos pretendentes de Elizabeth oferecendo a mão dela em casamento. Apenas três responderam afirmativamente, incluindo Ian.

Com isso, o caminho de Elizabeth e Ian se encontra novamente e eles precisam encarar os acontecimentos do passado. Seria possível perdoar todas as mágoas desses dois anos? E será que o que eles sentiram quando se conheceram era uma atração passageira ou um sentimento capaz de superar tudo que passaram? 


Aviso: Os livros dessa trilogia são independentes. No entanto, os personagens deste livro têm relação com os de Algo maravilhoso. Por isso, recomendo que esses dois sejam lidos na ordem.

A primeira coisa que preciso dizer sobre Alguém para amar é o quanto a escrita da Judith McNaught é envolvente. Senti isso desde o primeiro livro da trilogia, em que, mesmo querendo matar o protagonista, não conseguia parar de ler. E mais uma vez me vi completamente presa na leitura, mergulhada nas páginas e ansiosa para saber o que aconteceria com os personagens.
E uma das principais razões para o meu envolvimento com o livro foi justamente o carisma da protagonista e dos demais personagens. Não foi difícil me apegar à Elizabeth, pois trata-se de uma personagem gentil, generosa e com uma inocência cativante, mas que também se mostra madura e muito inteligente. Além disso, é impossível não se solidarizar com a situação triste em que ela se vê envolvida e adorei ver o quanto ela cresce e se fortalece a partir disso. A evolução da Elizabeth é notável ao longo do livro e fez com que eu gostasse ainda mais da leitura.
Já o Ian é um mocinho muito interessante e bem construído, e acho que a autora conseguiu um ótimo equilíbrio com ele. Por um lado, é um personagem atraente e misterioso, que faz com que a gente se apaixone por ele logo de cara. Por outro, ele apresenta muitas camadas e comete muitos erros ao longo da trama. O passado o tornou um homem mais rancoroso e isso o leva a muitas atitudes que não concordei. Porém, acredito que a autora conseguiu mostrar o quanto ele aprendeu e se arrependeu com seus erros. Assim como Elizabeth, Ian evolui muito ao longo do livro e amei acompanhar esse processo de amadurecimento.

Com relação aos personagens secundários, não tenho do que reclamar. Adorei Duncan, tio do Ian, e Lucinda, a acompanhante de Elizabeth. Eles proporcionaram ótimos momentos na história e foram fundamentais para o crescimento dos protagonistas. Além disso, nesse livro alguns personagens de Algo maravilhoso aparecem e têm papel de destaque. Adorei rever esses personagens, que já haviam me cativado tanto no segundo livro, e acredito que eles contribuíram muito para aumentar meu envolvimento emocional com esse terceiro volume. Aliás, aproveito para reforçar que, apesar de se tratarem de livros independentes, recomendo que leiam pelo menos Algo maravilhoso antes de ler esse, já que os personagens têm relação.



Outro ponto que não posso deixar de destacar é, claro, o romance. Adorei ver como se deu a aproximação entre o Ian e a Elizabeth e ver tudo que precisaram enfrentar depois. Mesmo que a atração entre os dois tenha sido rápida, dá para entender as razões que levaram a que um se sentisse atraído pelo outro. Além disso, os sentimentos deles passam por várias provações depois e ambos precisam amadurecer muito individualmente para que essa relação fosse possível. Assim, é um relacionamento bem construído e convincente, que faz com que o leitor consiga acreditar nos sentimentos do casal e torcer para que eles consigam superar todos os obstáculos que surgem.
Não posso negar que, em relação à trama, senti que a autora enrolou em alguns momentos e o livro poderia ser um pouco melhor. Porém, os personagens são tão cativantes e a escrita da autora flui tão bem que em nenhum momento senti a leitura arrastada. Fiquei completamente envolvida com a trama e pelos sentimentos intensos que esta história despertou.
De um modo geral, eu comecei e terminei essa trilogia com sentimentos praticamente opostos. Mas, por mais críticas que eu tenha a Agora e Sempre, foi impossível não ficar feliz por ter lido os dois livros seguintes. Algo maravilhoso resgatou minha confiança nessa trilogia e o terceiro livro veio para provar que valeu muito a pena continuar. Alguém para amar encerra a trilogia de uma maneira brilhante, que emociona o leitor com personagens apaixonantes e uma trama que vai além do romance, trazendo uma história de amadurecimento e perdão. Para quem procura um romance de época que foge do padrão e que é capaz de aquecer o coração, não pode deixar de conferir.

Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.