[Resenha] Os Pergaminhos Vermelhos da Magia

29 de jun. de 2020


Oi, pessoal! Tudo bem com vocês? Começando uma semana nova e o que melhor para começar bem do que falar sobre um livro da rainha Cassandra Clare? Acho que nessas alturas vocês já devem saber que eu sou fã da autora e recentemente eu li mais um livro dela, Os Pergaminhos Vermelhos da Magia, que foi escrito em parceria com o autor Wesley Chu.
Para quem não sabe, esse livro é o primeiro volume de uma nova trilogia chamada As Maldições Ancestrais e vai focar em dois personagens muito queridos do público: Alec Lightwood e Magnus Bane. O Magnus é meu personagem favorito de todos os livros da Cassandra (seguido de perto do Jem Castairs de As Peças Infernais), então, já dá para vocês imaginarem o quanto estava ansiosa para ler esse livro.
Eu li e chegou meu momento de contar para vocês o que achei da leitura. Será que a Cassandra Clare acertou novamente? Será que gostei dessa parceria com o Wesley Chu? É o que vou contar na resenha de hoje.
Mas, antes de tudo, preciso deixar um aviso. Os Pergaminhos Vermelhos da Magia, em termos de cronologia, fica entre os livros 3 e 4 da série Os Instrumentos Mortais. Portanto, ele contém alguns spoilers de Cidade de Vidro e quem não leu ainda deve ler pelo menos os 3 primeiros volumes de Instrumentos Mortais para poder ler esse.


Autores: Cassandra Clare e Wesley Chu
Editora: Galera Record
Tradução: 294
Páginas: Ana Resende
Onde comprar: Amazon
Exemplar recebido de parceria com a editora
Sinopse: “A nova série que acompanha o feiticeiro Magnus Bane e o caçador de sombras Alec Lightwood enquanto viajam pelo mundo após a Guerra Mortal. Primeira edição com capa metálica e capítulo extra. Tudo o que Magnus Bane queria era aproveitar suas férias pela Europa com Alec Lightwood, o Caçador de Sombras que, contra todas as probabilidades, finalmente é seu namorado. Mas assim que os dois se instalam em Paris, uma velha amiga chega com notícias sobre um culto de adoração a demônios chamado A Mão Escarlate, que está empenhado em causar o caos em todo o mundo – um culto que, aparentemente, foi fundado pelo próprio Magnus, anos atrás. Agora, Magnus e Alec vão percorrer o continente europeu para rastrear A Mão Escarlate e seu novo e ilusório líder antes que o culto cause ainda mais danos. Como se não fosse suficientemente ruim que suas férias românticas tivessem sido desviadas do trajeto original, os demônios agora estão perseguindo todos os seus passos, e está se tornando cada vez mais difícil distinguir amigos de inimigos. À medida que sua busca por respostas se torna cada vez mais complexa, Magnus e Alec precisarão confiar um no outro mais do que nunca - mesmo que isso signifique revelar os segredos que ambos mantêm.”

Após terem assumido seu relacionamento publicamente, Magnus Bane e Alec Lightwood partem para merecidas férias. Tudo que eles querem é um período de paz para aproveitarem juntos e fortalecerem sua relação. Mas assim que chegam a Paris, são informados por uma amiga de Magnus a respeito de um culto de adoração de demônios que, aparentemente, foi fundado por ele. Esse culto, A Mão Escarlate, tem um novo líder que está disposto a levar o caos para o mundo.
Sem ter nenhuma lembrança de ter criado esse culto, Magnus vai precisar deixar as férias de lado, enquanto ele e Alec tentam descobrir quem é o novo líder da Mão Escarlate para pará-lo antes que cause mais problemas. Porém, em meio a essa perseguição pela Europa, segredos serão revelados e podem afetar para sempre a relação dos dois.




Como eu já disse, minha expectativa para Os Pergaminhos Vermelhos da Magia era muito alta. Eu amo os livros da Cassandra Clare e Magnus e Alec são um casal muito especial para mim. Mas, como sempre, tia Cassie conseguiu atender todas as minhas expectativas e ainda me surpreender. É rainha que fala né?
A trama desse livro já começa instigante e cheia de ação e mistério. Logo de cara, temos ataques de demônios, revelações sobre esse culto misterioso e uma perseguição intensa, passando por belos cenários na Europa. Então, não preciso nem dizer que a leitura foi eletrizante e me deixou presa do começo ao fim. Porém, para minha surpresa, esse nem foi o maior mérito do livro.
O que realmente me conquistou foi a construção do Magnus e do Alec. Quem leu as outras obras da Cassandra Clare, especialmente Instrumentos Mortais, sabe que esses dois personagens mereciam maior destaque há muito tempo e que sempre faltou mais informações sobre o início de relacionamento dos dois. E, nesse sentido, o livro foi um presente para os fãs.
Foi incrível ver o Magnus e o Alec ainda no início do romance, se conhecendo melhor e superando as inseguranças. Além disso, foi possível conhecer mais sobre os dois individualmente também. O Alec foi um personagem que, em Instrumentos Mortais, demorou a me conquistar. Mas nesse livro pude entender melhor seus conflitos, as inseguranças que ele tinha e, principalmente, a forma como o Magnus o transformou para melhor.

E o que dizer do Magnus? Ele sempre foi meu personagem favorito desse universo criado pela Cassandra Clare e Os Pergaminhos Vermelhos da Magia reforçou ainda mais esse sentimento. Magnus é carismático, tem um ótimo senso de humor e está sempre salvando os demais personagens, mas nesse livro vemos um outro lado dele também. Um lado vulnerável, com traumas e inseguranças, com conflitos que o tornam mais humano e ainda mais carismático. Se eu já o amava antes, terminei o livro querendo protegê-lo do mundo e garantir sua felicidade.



Outro ponto que não posso deixar de destacar é o quanto a parceria da Cassandra Clare com o Wesley Chu foi eficiente. Apesar de ter notado uma certa diferença na narrativa em relação aos livros que foram escritos só pela autora, não foi nada que tenha atrapalhado a leitura. Pelo contrário, acho que funcionou muito bem e os dois conseguiram trazer uma dinâmica bem interessante para a trama.
Minha única ressalva é que a história foi um pouco mais superficial do que os livros recentes da Cassandra Clare. A trama é menos complexa e faltou um pouco das críticas sociais que me acostumei a ver nos livros da autora. Porém, isso é mais compreensível por ser o primeiro livro da série e, portanto, um livro mais de introdução. Além disso, o final bombástico foi o gancho perfeito para a continuação e me deu a certeza que grandes coisas estão por vir nessa série. Que final, gente! Que final! Os dois autores deixaram a grande bomba para o último capítulo e eu fiquei surtada.
Deste modo, posso dizer que Os Pergaminhos Vermelhos da Magia foi um excelente início para a trilogia As Maldições Ancestrais. Ele encheu o meu coração de fã de amor por Magnus Bane e Alec Lightwood, mas também trouxe muita ação, mistério e reviravoltas. Foi uma leitura que me prendeu do começo ao fim e me deixou ansiosa para sua continuação. Sem dúvida, Cassandra Clare e Wesley Chu estão preparando muitas surpresas por aí e eu não vejo a hora de ler.
E vocês, já leram esse ou outros livros do universo shadowhunter? Me contem aí nos comentários qual é o favorito de vocês ou qual têm mais curiosidade de ler.

17 comentários:

  1. Oii!

    Malu, e se eu disser que eu nunca li nada da autora?
    Eu to com uma meta de vencer certos preconceitos e começar a ler generos que não estou tão acostumada para entender o hype, vai que eu ame também, né?

    Não conhecia a obra e gostei da sua resenha mesmo com a ressalva parece ter sido uma boa leitura! Gostei de ver.

    Beijinhos,
    Ani
    www.entrechocolatesemusicas.com.br

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Menina, eu sou louca para ler os livros desse universo, só fico um pouco confusa com essa cronologia que as séries tem; vou ver se imprimo a ordem e começo a ler logo, haha. Ótima resenha!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  3. Oi oi amore,
    Eu ainda não li nenhum livro da Cassandra, mas já li as resenhas dessa trilogia As Maldições Ancestrais. Amei conhecer mais um pouco do cenário criado pela autora, e os personagens marcantes que por sinal me fez amar ainda mais Magnus. Amei a sua sinceridade sobre o enredo, e espero ler futuramentem

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  4. Malu, eu devo dizer que acho que sou uma das poucas pessoas do mundo que nunca leu nada da autora! Eu já tentei uma vez, mas acho que eu tentei errado, tenho muita vontade de conhecer essa mulher que todo mundo ama! E todo mundo que fala dela, fala bem e as histórias parecem muito incriveis, daquelas de surtar mesmo!!! Preciso corrigir esse erro!!
    Amei sua sinceridade no post e suas fotos ficaram tremendas!

    ResponderExcluir
  5. Olá, como vão as coisas?

    Nossa, eu lembro de ter amado Os Instrumentos Mortais... Li a série há alguns anos e adorei a escrita da autora e também alguns personagens. Ainda não tive a oportunidade de ler outras obras que envolvem o mesmo universo, mas sua resenha me fez sentir uma saudade desse mundo e acho que vou tentar adquirir essa obra, sem falar que a edição é muito linda, não é? Adorei!

    Abraços!
    www.acampamentodaleitura.com

    ResponderExcluir
  6. Oiieeee, tudo bom?

    Eu adoro o Magnus, é um dos meus personagens favoritos da série dos Instrumentos Mortais e fico muito feliz em saber que esse livro valeu a pena e que a parceria da Cassandra e do Wesley funcionou tão bem, to ansiosa pra conferir. Já li quase todos os livros publicados desse universo por aqui (só falta a terceira parte de Os Artificios das Trevas) e cada vez que leio um livro novo me apaixono mais por esse mundo criado pela Cassandra.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  7. Eu ainda não conhecia a trilogia e que bom saber que o primeiro livro já começa empolgante assim. Espero que os próximos volumes também sejam no mesmo nível, pra mais.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Malu.

    Eu ainda não tive a chance de ler série dos Instrumentos Mortais e não conheço a escrita da autora. Mas tenho muita vontade porque sempre leio vários elogios sobre a história. Vou adicionar este é os outros livros da trilogia As Maldições Ancestrais na minha lista de desejados. Parabéns pela resenha.

    Bjos

    ResponderExcluir
  9. Nao li a serie Instrumentos Mortais nao me chama atenção, tenho que confesar.Entao provavelmente esse livro tbm vou passar viu, mas gostei da resenha parece ser um livro muito bom.

    Brubs
    https://quemevcbrubs.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem? Só a Cassandra mesma para mexer com toda a cronologia das Crônicas dos Caçadores como se fosse nada HAHAHA não que eu reclame pois queria mesmo uma história melhor de Malec rs. Também acho que foi uma ótima parceria na escrita, mas achei nítido quando não era a autora. Admito que o plot twist me foi previsível, mas não atrapalhou em nada meus sentimentos pelo todo. Já quero MUITO o segundo e tenho expectativas. Ótima resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Nunca li nada da autora e confesso que achei que esse livro seria uma continuação da outra série dele, mas pelo o que percebi é sobre outros personagens que aparecem nela, certo? Mas, enfim, gostei da sua resenha e fiquei realmente curiosa para me aventurar nesse universo que a Cassandra criou e ao que parece, aos fãs, é uma obra perfeita mesmo!

    ResponderExcluir
  12. Oi Malu, tudo bem? Eu acho muito interessante quando leio resenhas dos livros da Cassandra Clare, porque parecem ser livros incríveis e apaixonantes mas, eu nunca senti vontade de ler nenhuma das histórias dela, porque acho tudo tão confuso.

    Viviane Almeida
    Resenhas da Viviane

    ResponderExcluir
  13. Oi Malu!
    Adoro Cassandra ela tem um jeito de escrever que é sua assinatura única. Adorei saber sobre a parceria que ela fez com Wesley Chu, estou curiosa para saber como ficou essa obra. Obrigado pela dica, estou animada para conferir e a partir da sua resenha tive um deslumbre do que esperar, parabéns pela resenha. Bjs!

    ResponderExcluir
  14. Oi! Nunca li absolutamente nada da titia Cassandra, mas, por motivos óbvios, morro de vontade, porém o que me desanima demais é a questão da mesma ter MUITOS livros e um acabar sendo sempre dependente de tantos outros para a leitura... então, isso acaba me pegando de jeito. Amei demais a premissa desse livro e o que me desanimou foi exatamente o motivo que descrevi acima. Fico feliz que você tenha gostado! Espero que os outros que virão te anime muito mais, beijos!

    ResponderExcluir
  15. Ainda não tive a oportunidade de ler os instrumentos mortais, mas a obra que citou com certeza deve ser tão boa quanto a série. Para ser mais claro, ainda não li nada da escritora, por falta de oportunidade, espero poder fazer isso em breve, pois estou muito curioso para conhecer suas histórias.

    ResponderExcluir
  16. Oi Malu, tudo bem?
    Alguém me diz, FOR GOD'S SAKE, quando a Cassandra Clare vai dar uma folga na escrita? Porque meu Deus, ela tá competindo com o Stephen King sobre quem é mais produtivo, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk. Mal saio da blogosfera para dar uma folga e volto, a mulher já escreveu mais coisas no universo Shadowhunter. Calma, filha, ninguém dá conta de tanto fôlego, hahahahahaha.
    Um beijo de fogo e gelo da Lady Trotsky...
    http://www.osvampirosportenhos.com.br

    ResponderExcluir
  17. Não conhecia esse livro da Cassandra, a considero uma boa autora de entretenimento juvenil, logo, se tiver oportunidade, quero poder acompanhar essa leitura,já sobre Wesley Chu, acho que é a primeira vez que leio o nome dele, não o conhecia.

    ResponderExcluir