[Resenha] Teto para dois

6 de jul. de 2020


Oi, pessoal! Para começar a semana bem, eu resolvi trazer a indicação de uma das melhores surpresas que tive no mês que passou: Teto para dois, da Beth O’Leary. Publicado no ano passado pela Intrínseca, esse livro foi muito comentado e vi vários elogios para ele.
Porém, apesar disso, eu não esperava gostar tanto. Sabe quando livro está no auge do hype e você fica com aquela pontinha de dúvida se é isso tudo mesmo? Então, eu tinha essa dúvida e por isso enrolei um pouco para ler. Mas quando chegou a Maratona Literária de Inverno e eu vi que ele se encaixava perfeitamente em um dos desafios, eu pensei: chegou meu momento, vou ler.

Então, agora eu vou contar para vocês um pouquinho sobre o que eu achei da leitura e por que Teto para dois foi uma surpresa tão boa (mas não se preocupem, que a resenha é livre de spoilers, claro!).

Autora: Beth O’Leary
Editora: Intrínseca
Tradução: Carolina Sevaltici
Páginas: 400
Onde comprar: Amazon
Sinopse: Eles dividem um apartamento com uma cama só. Ele dorme de dia, ela, à noite. Os dois nunca se encontraram, mas estão prestes a descobrir que, para se sentir em casa, às vezes é preciso jogar as regras pela janela. Três meses após o término do seu relacionamento, Tiffy finalmente sai do apartamento do ex-namorado. Agora ela precisa para ontem de um lugar barato para morar. Contrariando os amigos, ela topa um acordo bastante inusitado. Leon está enrolado com questões financeiras e tem uma ideia pouco convencional para arranjar dinheiro rápido: sublocar seu apartamento, onde fica apenas no período da manhã e da tarde nos dias úteis, já que passa os finais de semana com a namorada e trabalha como enfermeiro no turno da noite. Só que tem um detalhe importante: o lugar tem apenas uma cama. Sem nunca terem se encontrado pessoalmente, Leon e Tiffy fecham um contrato de seis meses e passam a resolver as trivialidades do dia a dia por Post-its espalhados pela casa. Mas será que essa solução aparentemente perfeita resiste a um ex-namorado obsessivo, uma namorada ciumenta, um irmão encrencado, dois empregos exigentes e alguns amigos superprotetores?

Três meses após ter terminado o namoro, Tiffy finalmente decide se mudar do apartamento do seu ex-namorado. Ou melhor, é convidada por ele a se retirar. Agora, ela precisa encontrar rapidamente um lugar para morar e que caiba em seu limitado orçamento. Sem muitas opções, Tiffy acaba aceitando um acordo bastante inusitado: ela vai dividir apartamento com um completo desconhecido.
A situação não seria tão inusitada assim, se não fosse por um detalhe: ela vai continuar sem conhecer seu colega de apartamento. Leon é enfermeiro e trabalha nos turnos da noite. E, aos finais de semana, ele fica na casa da namorada. Precisando desesperadamente de dinheiro, Leon decide sublocar seu apartamento pelos períodos em que não está lá.
Ou seja, por esse acordo, Leon fica com o apartamento por parte da manhã e durante a tarde, enquanto Tiffy fica com a noite, o começo da manhã e os finais de semana. Um acordo conveniente, que cabe no orçamento da Tiffy, garante uma renda extra para o Leon, e os dois nunca precisariam se ver. Certo? Mas as mensagens trocadas em post-its acabam aproximando os dois, e em meio a problemas como um irmão preso, um ex-namorado abusivo e uma namorada ciumenta, os dois começam a descobrir uma surpreendente afinidade.


Quando comecei Teto para dois, eu fiquei meio sem saber o que esperar. Apesar da premissa pouco convencional, a sinopse me fazia pensar em um romance clichê e previsível. Aí fiquei pensando, mas por que tantas pessoas amaram tanto esse livro? O que ele tem de tão especial? E, acho que posso dizer que o primeiro aspecto que tornou a leitura tão encantadora foram os seus personagens.
Tiffy e Leon são daqueles que a gente quer logo colocar em um potinho e proteger do mundo. Não demorei nada a me conectar com eles e me envolver com suas histórias. E o mais interessante é que os dois têm problemas que, mesmo quem não vivenciou, consegue compreender e se solidarizar. São questões importantes e muito reais, que realmente me tocaram.
Como mulher, acredito que a situação da Tiffy foi mais tocante para mim, por ser algo que muitas de nós vivenciam ou estão sujeitas a vivenciar. Ela passou por um relacionamento complicado e bastante tóxico, que deixou marcas que ela nem mesmo compreendia. Então, foi impossível não ficar sensibilizada ao ver que Tiffy ainda sofria pelo ex-namorado e estava vulnerável a ele, sem se dar conta de como ele fazia mal a ela.
Porém, ela não é marcada só por esse relacionamento abusivo. Tiffy é uma personagem carismática, doce, generosa, com um jeito extravagante de se vestir e uma personalidade totalmente cativante. Além disso, quanto mais ela se afasta da influência negativa do ex-namorado mais ela desabrocha e se fortalece, em um processo de redescoberta e de superação que foi lindo de acompanhar.
Já o Leon, eu não tenho nem palavras para descrever o quanto eu amei. Quem leu as minhas respostas para a Tag dos 50% viu que eu citei esse personagem como o meu mais recente crush literário e o motivo é simples: é impossível ler esse livro e não se apaixonar pelo Leon. Ele é um homem gentil, sensível, acolhedor, que realmente se preocupa em cuidar das pessoas a sua volta e se sacrifica por aqueles que ama. Eu sinceramente poderia ficar aqui o dia inteiro enumerando todas as suas qualidades e os motivos que me fizeram amá-lo. E nunca vou perdoar a Beth O’Leary por ele não ser real.
Mas, assim como a Tiffy, Leon é um personagem que passa por situações muito difíceis e que me fizeram simpatizar ainda mais com ele. Seu irmão caçula foi preso e o advogado não parece muito empenhado em provar sua inocência. Sem dinheiro, Leon se vira trabalhando em todos os turnos possíveis para juntar o dinheiro e definitivamente não tem condições de pagar um advogado melhor. Para piorar, ele vive sendo cobrado pela namorada por não ter muito tempo para ela.
Foi difícil ver o Leon se desdobrando para ajudar o irmão e sem conseguir o necessário para realmente conseguir tirá-lo dessa situação. Mas o que mais me cativou é a forma como, mesmo cansado pelos turnos exaustivos, ele sempre tirava um momento para ajudar outras pessoas. Isso fica claro no cuidado dele com seus pacientes e na forma como, mesmo sem conversar pessoalmente, ele percebe o momento difícil pelo qual Tiffy está passando e está sempre procurando alguma forma de ajudá-la e tornar seu dia melhor. 



E, com dois protagonistas assim, me diz como que eu não iria amar esse livro? A forma como Tiffy e Leon se ajudam e criam uma cumplicidade tão forte foi algo realmente muito bonito de acompanhar. E, além disso, a autora ainda nos presenteia com personagens secundários maravilhosos. Os leais e divertidos amigos da Tiffy e o irmão do Leon são maravilhosos e rendem alguns dos momentos mais divertidos e mais tocantes do livro.
Mas o que foi o ponto chave para tornar esse livro tão especial foi o fato de a autora tocar em assuntos tão sérios com muita delicadeza e sem deixar a leveza. A forma como ela abordou a questão do relacionamento abusivo, mostrando como muitas vezes a própria vítima tem dificuldade de perceber o quão tóxica é aquela relação, foi muito delicada e muito real. Acho que ela trouxe o assunto de forma a permitir que o leitor compreendesse, mas sem deixar a leitura pesada ou dramática. E o mesmo vale para a situação vivida pelo Leon e o irmão dele, que é algo muito grave, mas que também não deixou a trama muito dramática.
Por esse motivo, só posso enaltecer a escrita da autora. Esse foi meu primeiro contato com um livro da Beth O’Leary, mas sem dúvida quero ler tudo que ela publicar. Fiquei encantada com a forma como ela conseguiu trazer profundidade à trama e aos personagens, mas mantendo a leitura fluida, envolvente e leve. É um daqueles livros que são muito mais do que parecem à primeira vista, mas trazem a desejada sensação de conforto e um quentinho no coração.
Deste modo, Teto para dois foi uma das melhores surpresas que tive esse ano. Apesar de todos os elogios que ouvi, não imaginava encontrar um livro tão encantador e cheio de reflexões. Com uma sinopse bastante inusitada, Beth O’Leary trouxe personagens cativantes e reais, assuntos importantes e mensagens sobre amor, amizade, superação e redescoberta. Foi um leitura envolvente, sensível, divertida e apaixonante, daquelas que vou sempre me lembrar com muito carinho.
Agora quero saber: quem aqui já leu ou quer ler Teto para dois? Ficaram com vontade de ler outros livros da autora também? Me contem aí nos comentários.

Lembrete: Se você ficou interessado em comprar esse livro ou qualquer outro produto vendido na Amazon, comprando por este link vocês ajudam o Dicas de Malu com uma pequena comissão que não altera o valor da compra e me ajuda muito a manter esse espaço aqui.

7 comentários:

  1. Oi Malu, tudo bem? Ahhh, eu sou LOUCA para ler esse livro, nem eu sei porque ainda não li, hahaha. Saber tua opinião me deixou ainda mais ansiosa, não vejo a hora de ler. Adorei a resenha!!!

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
  2. Oi Malu, como vai? Estou em um grupo de leitura conjunta, e o livro do mês é "Teto para Dois", confesso que fiquei bem desanimada com a leitura dele e ainda não iniciei, estava pensando até mesmo em não participar porque, estava me parecendo muito clichê. Agora, lendo sua resenha, estou percebendo que o livro pode ter mais para contar do que a sinopse promete, fiquei até curiosa para saber "como" e "quando" eles vão se encontrar. Parabéns pela resenha, ficou incrível e super empolgada! Da para perceber que você gostou mesmo da história.

    P.S: To apaixonada nas sua fotos!

    Viviane Almeida
    Resenhas da Viviane

    ResponderExcluir
  3. Oi Malu.

    Não tem muito tempo que eu li Teto Para Dois é adorei a história. Concordo com você os personagens conseguem encantar. Quer lê-lo novamente e outros livros da autora. Parabéns pela resenha.

    Bjos

    ResponderExcluir
  4. Oiii Malu

    Teto para dois se tornou um dos meus chick lits favoritos, eu adorei como a relação da Tiffy e do Leon vai evoluindo e também as estórias paralelas dos outros personagens, achie incrivel como a autora vai conectando tudo. Ela consegue abordar temas sérios com leveza e apesar de ter muitas páginas lembro que li e não se tornou uma estória densa em nenhum momento. Tomare que publiquem logo o outro livro dela por aqui.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  5. Ai Malu, minha amiga já leu esse livro e ela disse que é tão gostosinho e tão levinho! Eu fiquei muito tentada a ler, eu não costumo ler esse tipo de livro, mas vendo tanta gente falando bem, eu tô muito interessada nesse livro!
    Sem contar que, tem todos os clichês que eu amo né, eu não consigo resistir a um bom clichê, sinceramente!! <3 Adorei suas fotos!

    ResponderExcluir
  6. Oiê!!!!
    Ahhhhhhhhhh, eu amei sua resenha e já amei esses personagens sem os conhecer rsrs.
    Senti o quanto faltou da leitura e isso fez com que eu ficasse com vontade de ler o livro. Já adicionei na lista de desejados.

    Beijinhos
    A Culpa é dos Leitores

    ResponderExcluir
  7. Que bom saber que você curtiu o livro, eu tenho muita vontade de ler ele por sempre ver comentários positivos sobre a história. Já me encantei pelos protagonistas pelo seu post.

    ResponderExcluir