Resumo de junho e julho + TBR de Agosto


Olá, pessoal! Agosto já começou há alguns dias, mas acho que ainda dá tempo de fazer um balanço do mês passado né? Na verdade, vou fazer um resumão de junho e julho, pois ainda não tinha falado aqui sobre as leituras desse período. E quero aproveitar para conversar um pouquinho sobre minhas metas para agosto.
Então, como são muitas leituras para falar, vamos ao meu resumão.

v Junho
Foi um mês muito produtivo e consegui ler bastante. E o mais importante: foram ótimas leituras.

First comes a scandal, da Julia Quinn.
Ligeiramente casados, da Mary Balogh.
O duque devasso, da Madeline Hunter.
Dez dates surpresa, da Ashley Elston - Resenha aqui
Namorado modelo, do Stuart Reardon e a Jane Harvey-Berrick - Resenha aqui
Simplesmente Nova York, da Sarah Morgan
Ligeiramente maliciosos, da Mary Balogh.
Teto para dois, da Beth O’Leary - Resenha aqui
Os Pergaminhos Vermelhos da Magia, da Cassandra Clare e o Wesley Chu - Resenha aqui
A Rebelde do Deserto, da Alwyn Hamilton.
Daqui a cinco anos, da Rebecca Serle.
A Pequena Livraria dos Sonhos, da Jenny Colgan.  

v Julho

Já em julho, passei por uma ressava literária longa e foi um mês bem inconstante no que se refere às leituras. Mas, pelo menos, os poucos livros que li foram ótimas leituras e alguns entraram para a minha lista de queridinhos da vida. 

Only a kiss, da Mary Balogh: É o sexto livro da série O clube dos sobreviventes e está sendo lançado pela Editora Arqueiro com o nome Um beijo e nada mais (compre na Amazon aqui). Eu estava muito ansiosa e acabei optando por ouvir o audiobook em inglês mesmo. Dessa vez a experiência não poderia ter sido melhor e eu acabei amando o livro muito mais do que eu esperava. Foi o meu favorito do mês passado e eu ainda não tenho palavrar para descrever o quanto amei. Quem não leu ainda, só posso dizer para aproveitarem que está sendo lançado no Brasil para conhecer essa história maravilhosa.
Sinopse:  “Desde que testemunhou a morte do marido durante as Guerras Napoleônicas, Imogen, lady Barclay, se isolou em Hardford Hall, na Cornualha. O novo dono da propriedade ainda não apareceu para reivindicá-la, e ela torce desesperadamente para que ele nunca venha acabar com sua frágil paz. Percival Hayes, o novo conde de Hardford, não tem nenhum interesse na região distante da Cornualha, tanto que, desde que recebeu o título, nunca quis conhecer o lugar. Mas em seu aniversário de 30 anos ele está tão entediado que decide impulsivamente fazer uma visita às suas terras. Ao chegar lá, fica chocado ao descobrir que Hardford não é o monte de ruínas que imaginou. Fica perplexo também ao constatar que a viúva do filho de seu predecessor é a mulher mais linda que já viu. Em pouco tempo, Imogen desperta em Percy uma paixão que ele jamais pensou ser capaz de sentir. Mas será que ele conseguirá resgatá-la da infelicidade e convencê-la a voltar à vida?”



Only beloved, da Mary Balogh: O livro que encerra a série O clube dos sobreviventes e mais uma vez a Mary Balogh me surpreendeu. Fiquei encantada com a história dos dois protagonistas e como o romance foi construído. Além disso, foi o desfecho perfeito para a série, que evidenciou a transformação que aqueles personagens passaram ao longo dos sete livros e encerrou suas histórias com chave de ouro. 
Sinopse: “Pela primeira vez desde a morte da sua esposa, o Duque de Stanbrook está considerando se casar novamente e finalmente abraçar a felicidade para si mesmo. Com isso vem a imagem guardada de uma mulher que ele conheceu brevemente um ano antes e nunca mais viu. Dora Debbin perdeu toda esperança de se casar quando um escândalo familiar a deixou encarregada de sua irmã mais nova. Tendo uma vida modesta como professora de música, ela ficou apenas com um sonho incompleto. Até que uma tarde, um visitante inesperado o torna realidade. Tanto para George quanto para Dora, aquele breve encontro foi tanto fugaz quanto inesquecível. Agora é a hora de uma segunda chance. E enquanto até o amor verdadeiro vem com um risco, quem são dois sonhadores para discutir com o destino? 


Ligeiramente escandalosos, da Mary Balogh: Talvez eu esteja um pouco viciada na escrita da autora (só talvez rsrsrs). Mas foi outra leitura maravilhosa que fiz em julho. Freyja é, sem dúvida, uma das melhores personagens femininas que já li e Joshua, o mocinho, não fica atrás. É um casal maravilhoso, que começa trocando farpas em diálogos hilários, mas que têm muito mais camadas do que eu esperava. Ambos tinham suas marcas e se mostraram personagens complexos e muito apaixonantes. Me apeguei a eles e amei cada momento da história deles. Sem dúvida, o meu favorito da série até aqui.
Sinopse: “Freyja Bedwyn é uma mulher diferente das outras damas da alta sociedade: impetuosa e decidida, ela preza a independência e a liberdade acima de qualquer coisa – até mesmo do amor. Até que o destino lhe apresenta Joshua Moore, o marquês de Hallmare, um homem cheio de charme e mistério, dono de uma beleza estonteante e de uma reputação terrível. Quando ambos se encontram a caminho da pacata cidade de Bath, a química entre os dois é imediata. Entre encontros e desencontros, conflitos e provocações, Joshua faz uma proposta inusitada: pede que Freyja finja ser sua noiva, para evitar que uma artimanha de sua tia o leve a se casar com a própria prima. Para uma dupla que acha graça das convenções sociais, esta parece ser a oportunidade perfeita para se divertir. Mas a brincadeira acaba trazendo consequências inesperadas. Aos poucos, suas máscaras vão caindo e ambos se revelam pessoas bem diferentes do que aparentam. Nesse terceiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh se aprofunda ainda mais nos segredos e desejos dessa família incomum e extremamente sensual.


A única memória de Flora Banks, da Emily Barr: Esse foi uma surpresa enorme para mim. É um livro diferente de tudo que já li, com uma premissa muito instigante e que envolve o leitor desde o ínicio. Não vou falar muito mais, porque já tem resenha sobre ele aqui – podem conferir neste link –, mas foi uma ótima leitura.

Sinopse: “Como saber em quem confiar quando não se pode confiar nem em si mesmo? Flora Banks tem amnésia. Sua mente reinicia várias vezes ao dia desde que ela tinha dez anos, quando um tumor removido de seu cérebro levou embora a capacidade de criar novas memórias. Ela não consegue se lembrar de nada do dia a dia: a piada que a amiga fez, as instruções que seus pais lhe deram, quantos anos tem... até beijar o namorado da melhor amiga. Estranhamente, no dia seguinte ela se lembra do beijo.É a primeira vez que Flora se recorda de algo. Mas o garoto se muda para o Ártico. Segui-lo será a chave para Flora descobrir a verdade perturbadora sobre sua vida. A única memória de Flora Banks é um livro sensível com um mistério eletrizante, cheio de segredos, mentiras e uma protagonista frágil porém corajosa, em busca de um passado sem o qual ela não pode saber a verdade sobre si mesma.”


Amor verdadeiro na Livraria dos Corações Solitários, da Annie Darling: Eu já tinha amado o primeiro livro da série, como falei na resenha (leia aqui), mas esse segundo se mostrou um livro ainda melhor. Amei a construção do romance, os conflitos dos personagens e as muitas referências a Orgulho e Preconceito. Em breve vou postar a resenha aqui, mas já adianto que é uma leitura leve, divertida e apaixonante.
Sinopse: “É uma verdade universalmente conhecida que uma mulher solteira, em posse de um bom emprego, quatro irmãs mandonas e um gato carente, deve estar em busca do seu verdadeiro amor. Será? Verity Love ― fã de carteirinha de Jane Austen e uma introvertida em um mundo de extrovertidos ― está perfeitamente feliz sozinha, muito obrigada. E seu namorado fictício, Peter Hardy, é muito útil para ajudá-la a escapar de eventos sociais indesejados. Mas, quando um mal-entendido a obriga a apresentar um total estranho como namorado para suas amigas, a vida de Verity de repente se torna muito mais complicada. Uma namorada fictícia também pode ser bem útil para Johnny. Indo contra todos os instintos de Verity, ela se deixa convencer a fazer uma parceria com ele para um único verão recheado de casamentos, aniversários e festas no jardim, com apenas uma promessa: não se apaixonarem um pelo outro. Mas isso não tem nem chance de acontecer, pois Verity jurou nunca mais ter um namorado, e o coração de Johnny já tem dona.”




O duque que eu conquistei, da Scarlett Peckham: Um romance de época lançado pela Editora Arqueiro no mês que passou e que chegou para abalar. Ele tem uma proposta bem diferente, aborda temas que nunca vi em livros do gênero e que foram muito bem trabalhos pela autora. Em breve vou postar a resenha sobre e comentar mais sobre os motivos que me fizeram amar essa leitura, mas já quero deixar avisado que é um livro que eu recomendo muito para quem busca um romance de época que realmente foge dos padrões. Porém, aviso também que é um livro para maiores de 18 anos, ok?
Sinopse: Depois de superar a ruína financeira, redimir o nome de sua família e se tornar o mais lendário investidor de Londres, o duque de Westmead precisa garantir a continuidade de seu título e de sua fortuna. A única forma de fazer isso é gerar um herdeiro. Para isso ele tem que arranjar uma esposa que não interfira nos anseios sombrios que ele satisfaz na calada da noite nem faça exigências ao seu coração trancado para o amor. Poppy Cavendish, a ambiciosa florista contratada pela irmã de Westmead para decorar seu salão de baile, não é esse tipo de mulher. Ela sempre lutou contra as convenções sociais para manter a própria independência e, por isso, o matrimônio nunca esteve em seus planos. Mas agora Poppy precisa de capital para expandir seu negócio de plantas exóticas. E a atração que sente pelo duque é tão irresistível que, quando um escândalo acidental torna o casamento com ele o único meio de salvar seu ganha-pão, ela teme querer mais do que o título que ele oferece.” 



Além das leituras, em julho assisti dois filmes e comecei uma nova série. Parece ser pouco, mas tinha tempo que eu não assistia nada, então, acabou sendo bom. Vi dois romances bem fofos na Netflix: A Barraca do Beijo 2 e Nosso último verão. Em ambos os casos, me surpreendi e acabei gostando bem mais do que esperava. Mas a surpresa do mês foi mesmo a série que comecei: Lucífer. Eu não tinha ideia que essa série fosse tão boa e me vi apaixonada logo no primeiro episódio. Com certeza, pretendo continuar esse mês.

E, por falar sobre as metas para agosto, minha TBR já está montada. Quero compensar a ressaca literário do mês passado e espero ler bastante agora. E essas foram as minhas escolhas:

v The ear I ruined, da Scarlett Peckham
v As leis da atração, da
v Chain of gold (terminar), da Cassandra Clare
v Loucamente apaixonados na Livraria dos Corações Solitários, da Annie Darling.
v Um beijo de inverno na Livraria dos Corações Solitários, da Annie Darling.
v Pânico
v O som do nosso coração
v Vilão (releitura)
v Um amor escandaloso
v Uma chama entre as cinzas (terminar a releitura).
v Uma tocha na escurdião
v Uma noiva rebelde (reler para ver se dessa vez eu gosto rsrs).

Agora quero saber de vocês: o que acharam das minhas últimas leitura? Já leram algum desses livros? Me contem aí nos comentários se gostaram desse meu balanço e o que pretender ler agora em agosto. Ah, quem quiser deixar dicas de filmes que estejam disponíveis na Netflix ou Amazon Vídeo para eu assistir esse mês, vou amar conferir as indicações de vocês.


Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.