[Resenha] Metido de terno e gravata

8 de set. de 2021

 


Já estamos em setembro e eu confesso que estou um pouco chocada com o quanto o tempo está passando rápido. Mas mais chocada ainda por ver que esse é o primeiro post que publico aqui esse mês. Confesso que os últimos dias foram bastante corridos e o calor insuportável que está fazendo por aqui tem afetado muito o meu ânimo para escrever e preparar conteúdo. Porém, vou mudar isso e nos próximos dias vou compensar a minha ausência aqui nos últimos tempos.

E, para voltar bem, nada melhor do que a indicação de um livro leve, divertido, com um toque de sensualidade e bem gostoso de ler né? Por isso, resolvi começar o mês com a resenha de Metido de Terno e Gravata, das divas Vi Keeland e Penelope Ward. Ele foi umas das minhas leituras mais recentes e eu não poderia deixar de contar para vocês o que achei.

 

Aviso: o livro não faz parte de nenhuma série e pode ser lido de forma independente. Porém, acredito que a leitura seja mais especial para quem leu Cretino Abusado antes, porque um personagem deste livro aparece em Metido de Terno e Gravata.

 

Autoras:  Vi Keeland e Penelope Ward

Editora: Essência

Páginas: 240

Classificação: + 18 anos

Onde comprar: Amazon 

Exemplar recebido de parceria com a editora

Sinopse: “Era uma manhã normal no trem até eu ficar completamente hipnotizada pelo cara sentado do outro lado do corredor. Ele estava gritando com alguém ao telefone como se fosse o dono do mundo. Quem o engomadinho metido pensava que era? Deus? (Na verdade, ele parecia um deus, mesmo...) Quando sua estação chegou, ele se levantou bruscamente e saiu, deixando cair o telefone no caminho. Talvez eu o tenha achado. Talvez eu tenha passado por todas as suas fotos. Talvez eu tenha ficado com o telefone do homem misterioso por dias – até finalmente criar coragem para devolvê-lo. Mas, quando cheguei a seu escritório chique, ele se recusou a me ver. Então, deixei o telefone na mesa vazia do lado de fora da sala daquele idiota arrogante. Talvez eu tenha salvado uma foto minha em uma pose não exatamente angelical para provocá-lo. Eu não esperava que ele respondesse. Nem que começássemos a trocar mensagens cada vez mais picantes. E, muito menos, que eu me apaixonasse perdidamente por ele.

 

Em Metido de Terno e Gravata, acompanhamos um romance improvável que começa em uma viagem de trem em Nova York. Soraya é uma mulher forte, italiana e com a língua bem afiada. Um dia, quando está a caminho do trabalho, ela vê um homem que a atrai na mesma medida que a irrita: parece um deus de tão lindo, mas arrogante, grosseiro e que se acha o dono do mundo. Um engomadinho de terno e gravata, muito metido.

Mas quando ele deixa o celular cair no trem, Soraya não resiste à tentação de ver todas as fotos e manter o celular por uns dias. E quando ela finalmente cria coragem de procurá-lo para devolver o aparelho, ele se mostra exatamente o engomadinho babaca que ela imaginou. Por causa disso, Soraya decidi deixar algumas fotos nada comportadas no celular dele junto com o seu telefone para que ele agradecesse. Ela nunca imaginou que ele iria responder, muito menos que isso daria início a uma troca de mensagens picantes e que, no final, o seu coração ficaria em perigo.




Eu confesso que eu não esperava me divertir tanto com esse livro. Apesar de bastante clichê, Metido de terno e gravata é uma leitura extremamente envolvente, com uma trama dinâmica e diálogos cheios de provocações. Eu dei muitas risadas com as trocas de mensagem entre a Soraya e o Graham e amei acompanhar o desenvolvimento do relacionamento deles.

No início, temos um casal daqueles ao melhor estilo cão e gato em que o mocinho e a mocinha não poderiam ser mais diferentes. Enquanto Soraya é uma italiana de sangue quente, personalidade forte e muito determinada, Graham é o típico CEO que se acha o dono do mundo e só pensa em trabalho. Mas, aos poucos, vamos conhecendo os traumas e as inseguranças deles e percebemos que os dois não poderiam ser mais perfeitos um para o outro.

Claro que, se tratando de um romance clichê, os segredos que os protagonistas escondem não são lá muito surpreendentes, mas isso não diminuiu em nada a minha simpatia por eles e a minha torcida para que fossem felizes. Os dois são personagens muito carismáticos, apesar do Graham ser um pouquinho mandão para o meu gosto, e gostei de ver como eles conseguem despertar o melhor um do outro.

Já tinha um tempo que eu não lia nada da VI Keeland e da Penélope Ward, mas Metido de terno e gravata me fez lembrar que eu preciso ler mais livros delas. Achei a leitura muito fluida (li em um dia) e gostei de como as autoras conduziram a história de forma direta e sem enrolação desnecessária. Além disso, as cenas sensuais são muito bem escritas e acontecem sempre no momento certo, sem exageros.

De um modo geral, Metido de terno e gravata me surpreendeu pelo quanto me cativou. É uma história simples e sem muitas reviravoltas, mas que me cativou pelo carisma dos personagens e a leveza da trama. Me diverti com os diálogos e torci muito pelo casal, terminando a leitura com o coração quentinho e um sorriso bobo no rosto. Então, recomendo para quem procura uma leitura despretensiosa, com boas doses de humor e sensualidade.

E vocês, já leram Metido de terno e gravata ou ficaram curiosos para ler? Já leram outros livros das autoras? Me contem aí nos comentários.


6 comentários:

  1. Oi Malu!!

    Devo começar dizendo que eu adoro livros onde o casal é estilo "cão e gato" eu sempre dou muitas risadas e ficou torcendo pra dar tudo certo entre eles, acho que esse é meu tipo preferido de casal! HAHAHAHHA
    Eu ainda não tive oportunidade de ler nada da autora, mas todo mundo fala muito bem da escrita dela né, acho que vou tentar algum dia. Adorei a resenha, ficou incrivel!!

    ResponderExcluir
  2. Oie Malu!!

    Por incrível que pareça eu tenho a newsletter da Vi Keeland, mas nunca li nada da autora kkkkk achei a premissa desse livro muito doida e ao mesmo tempo interessante, quem é que deixa fotos não comportadas no telefone de um desconhecido vá?
    Mas que bom que a leitura funcionou e foi boa para você, é tão bom quando encontramos um livros que nos prende asso né? Quem sabe eu não acabe lendo esse como primeiro livro da autora no futuro.

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem? Ah, eu vi a editora divulgando esse livro e muitos leitores ansiosos pela leitura. Imagina conhecer alguém durante uma viagem... lembro que algo parecido aconteceu comigo, porém era uma viagem de ônibus e ele estava indo para o exército. Tinha até esquecido isso acredita? Mas perdemos o contato. Percebi que a história parece ser bem divertida. Fiquei curiosa pela foto que ela deixou no celular dele. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  4. Oi Malu!
    Já tinha ouvido falar desse livro, mas é a primeira resenha que leio dele, li alguns livros da Penelope mas a Vi ainda não conheço sua escrita, o enredo pode ser clichê, mas adoro, principalmente mocinhas que não tem medo de dizer o que pensa kkk. Amei a trama já estou anotando a dica, obrigado. Parabéns pela resenha, bjs!

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    Já li algo sim de Vi Keeland e eu gostei, ao menos lembro que se destacou pra mim nesse universo de livros hots (onde tudo parece meio igual). Com certeza vou colocar na lista de futuros livros pra ler.

    ResponderExcluir
  6. Faz um tempinho que leio algum livro com essa temática. Até você falar que se divertiu com a leitura estava torcendo um pouco o nariz, mas depois me deu vontade de ler, porque tudo que me possa fazer rir me atrai um pouco. Vou considerar ler esses livro :)

    ResponderExcluir