Lançamentos de Julho - Editora Draco


Hoje vim divulgar mais lançamentos de julho. A Editora Draco tem várias novidades muito legais chegando este mês.



Boys Love – Os mistérios de Llyr, Dana Guedes e Ericksama
Um amor mais profundo que os mistérios do oceano


Sinopse: Julian vive em uma pacata cidade litorânea, mas nem as delícias da confeitaria onde trabalha podem adoçar os tristes e solitários momentos de quando não está em serviço.
Quando em um encontro do acaso conhece Llyr, um estranho garoto maltrapilho que vive nas ruas, sente que a sua vida nunca mais será a mesma. Sem entender por quê, Julian sabe que precisa proteger esse rapaz tão perdido quanto os próprios sentimentos. Pois Llyr precisa de um lar e de uma chance para sobreviver. Mas Julian precisa de algo mais. Enquanto se conhecem a cada dia, ele se percebe vasculhando cantos de sua alma que não imaginava poder redescobrir.
Boy’s Love – Os mistérios de Llyr é uma deliciosa história de amor de Dana Guedes (Boy’s Love – Flor de ameixeira) com desenhos de Ericksama. Quando a improvável relação começa a transbordar e mergulha os dois jovens em uma paixão arrebatadora, eles precisarão decidir entre a própria felicidade ou encarar a verdade sobre as suas existências. Mesmo que sejam imprevisíveis e implacáveis como os segredos do fundo do mar.

Autora: Dana Guedes
Ilustrador: Ericksama
ISBN: 978-85-8243-177-1
Gênero: Boy’s Love, shonen ai, yaoi, romance
Formato: 14 cm x 21 cm
Páginas: 64
Preço de capa: R$ 19,90 (papel)
R$ 9,90 (e-book)





Medieval – Contos de uma era fantástica
Uma viagem à época onde mora a fantasia

Sinopse: Por cerca de mil anos, a roda da História girou num ritmo vertiginoso: castelos e fortalezas se ergueram e foram destruídos, cidades se multiplicaram, guerras sangrentas se alternaram com períodos de paz. Migrações, invasões, o surgimento da imprensa e, por fim, as grandes navegações expandiram os limites do mundo. Tudo isso marca o período conhecido como Idade Média, que nos legou incríveis narrativas povoadas de seres mágicos, fadas, bruxas e encantamentos.

Foi esse imaginário que inspirou os autores de Medieval – Contos de uma era fantástica a contar suas histórias. Das cruzadas às invasões vikings, passando pela Espanha mourisca, Oriente Médio, China e pelo Japão dos samurais, todos os contos são ambientados em lugares do mundo real – um tempo em que o fantástico e o maravilhoso se mesclavam naturalmente aos eventos do cotidiano.

Organizado pelos especialistas em Idade Média e ficção histórica Ana Lúcia Merege e Eduardo Kasse, eles participam com contos cheios de magia ao lado de Melissa de Sá, A. Z. Cordenonsi, Roberto de Sousa Causo, Erick Santos Cardoso, Nikelen Witter, Karen Alvares e Helena Gomes.

Com este livro você viajará pelo tempo e pelo espaço, para essa época onde sempre se imaginam os mais incríveis mundos de fantasia. Num tapete mágico, num drakkar, num corcel de batalha — ou simplesmente nas asas de sua imaginação.

Contos
Erva daninha – Melissa de Sá
O desejo de Pungie – A. Z. Cordenonsi
A clareira mágica – Roberto de Sousa Causo
Sacrifício – Eduardo Kasse
Kitsune – Erick Santos Cardoso
A dama negra e a donzela de palha – Nikelen Witter
O grande livro do fogo – Ana Lúcia Merege
A flor vermelha – Karen Alvares
Lenora dos Leões – Helena Gomes

Organizadores: Ana Lúcia Merege e Eduardo Kasse
ISBN: 978-85-8243-100-9
Gênero: Fantasia medieval
Formato: 14 cm x 21 cm
Páginas: 232
Preço de capa: R$ 44,90 (papel)
R$ 19,90 (e-book)




Dracomics Shonen, v. 1
Conheça os heróis mais radicais em quadrinhos absolutamente épicos!

Sinopse: nfluenciados por centenas de mangás e animes, autores brasileiros foram reunidos para criar suas próprias histórias em quadrinhos de aventura. O resultado são eletrizantes narrativas de fantasia e ficção científica influenciadas pelo estilo japonês.

Após uma disputada seleção, a Editora Draco escolheu oito mangás com os melhores elementos do gênero shonen. Entre os mundos criados estão: um garoto cuja única habilidade é mentir, um ônibus do além, um rei dos elementos, magos que manipulam a vida e a morte, um faroeste dominado pela física, uma caçada espiritual, um ladrão protegido pelo maneki neko e um torneio de luta entre contos de fada.

Em seu primeiro volume a Dracomics Shonen, organizada por Erick Santos Cardoso e Raphael Fernandes, traz os mangakás brasileiros Raoni Marqs, Rafael Santos, Wagner Elias, Jun Sugiyama, João Eddie, Rodrigo Ortiz Vinholo, Ericksama, Henrique S. Ribeiro, Eudetenis, Dulcelino Neto, Heitor Amatsu, Gabriel Rodrigues da Silva e Jonas Luiz da Silva Júnior. E eles mostraram que não devem nada quando o assunto é criar as mais divertidas aventuras.

Organizadores: Erick Santos Cardoso e Raphael Fernandes
ISBN: 978-85-8243-184-9
Gênero: mangá, fantasia, ficção científica, shonen, aventura
Formato: 14cm x 20cm
Páginas: 168 PB
Preço de capa: R$ 34,90 (papel)




Quack – v. 2, Kaji Pato
Quando os mocinhos se ferram, só um grupo de garotas poderá salvá-los

Sinopse: Esse é o mundo da perna de pau e do tapa-olho! Os atrapalhados heróis caíram nas mãos de um dos mais terríveis piratas dos céus: o arqueroso Resmo. Sem seu avião e contando apenas com sua “esperteza”, eles serão servidos ao molho pardo. Quem poderá ajudá-los?

Enquanto isso, um grupo de garotas está planejando uma fuga milaborante. No comando estão a destemida Toscana e a rebelde Marte, que terão que enfrentar um navio infestado de homens maus e fedidos para escapar de serem vendidas. Será que nossos abestalhados amigos serão capazes de fugir dessa encrenca que cheira a pururuca e rum?

Quack é um mangá com roteiro e desenhos de Kaji Pato. Prepare-se para loucuras, risadas e diversão, mas acima de tudo uma história de aventura e amizade, que mostra a força do espírito livre e da imaginação.

Roteiro e desenhos: Kaji Pato
ISBN: 978-85-8243-183-2
Gênero: mangá, comédia, aventura
Formato: 14cm x 20cm
Páginas: 96 PB
Preço de capa: R$ 19,90 (papel)


[Dica da Malu] Uma chama entre as cinzas

Autora: Sabaa Tahir
Editora: Verus
Páginas: 432

Sinopse: Laia é uma escrava. Elias é um soldado. Nenhum dos dois é livre. No Império Marcial, a resposta para o desacato é a morte. Aqueles que não dão o próprio sangue pelo imperador arriscam perder as pessoas que amam e tudo que lhes é mais caro. É neste mundo brutal que Laia vive com os avós e o irmão mais velho. Eles não desafiam o Império, pois já viram o que acontece com quem se atreve a isso. Mas, quando o irmão de Laia é preso acusado de traição, ela é forçada a tomar uma atitude. Em troca da ajuda de rebeldes que prometem resgatar seu irmão, ela vai arriscar a própria vida para agir como espiã dentro da academia militar do Império. Ali, Laia conhece Elias, o melhor soldado da academia — e, secretamente, o mais relutante. O que Elias mais quer é se libertar da tirania que vem sendo treinado para aplicar. Logo ele e Laia percebem que a vida de ambos está interligada — e que suas escolhas podem mudar para sempre o destino do próprio Império.

Ao ler a sinopse de Uma chama entre as cinzas, muitas pessoas podem pensar que se trata de mais uma entre as inúmeras fantasias e distopias publicadas depois de Jogos Vorazes. Um governo totalitário, um povo oprimido e explorado, um grupo de rebeldes e protagonistas fortes... todos os elementos estão aí. Ainda assim, não posso dizer que esta seja apenas mais uma entre tantas histórias do gênero. Apesar de possuir elementos semelhantes, a autora conseguiu trabalhá-los de modo a criar uma trama original, envolvente e surpreendente.
O universo criado por Sabaa Tahir é, ao mesmo tempo, fantástico e cruel. O Império Marcial conseguiu, séculos antes, dominar os Eruditos, impedindo que seu conhecimento fosse disseminado. A violência e a opressão são as marcas desta sociedade; qualquer desobediência ou tentativa de se opor ao Império era punida com a morte. No entanto, em meio a tanto brutalidade, ainda há espaço para a magia e o sobrenatural, conferindo um certo mistério à trama.
Outro aspecto interessante é o fato da história ser contada pela perspectiva de dois narradores pertencentes a grupos diferentes dentro daquela sociedade, o que enrique ainda mais a visão que o leitor tem daquele universo. Através de Laia, entendemos melhor como era a vida dos eruditos e dos escravos e como o Império exercia seu domínio sobre eles. Já pela visão de Elias, é possível acompanhar a vida dos marciais, percebendo que eles não eram mais livres do que os eruditos. Assim, essas duas perspectivas contribuíram para tornar o universo retratado muito mais rico e complexo.

“Certo. Livres para nos apresentar ao trabalho como servos plenos do Império, após o que lideraremos homens para morrer nas intermináveis guerras de fronteira com Selvagens e Bárbaros. (...) Nós seremos livres, certamente. Livres para saudar o imperador. Livres para estuprar e matar.
Engraçado como isso não me parece liberdade.”

Com relação aos personagens, Laia e Elias foram o principal motivo de eu ter gostado tanto deste livro. Os dois são protagonistas que estão longe de serem perfeitos. Laia não é uma heroína altruísta e corajosa, disposta a se sacrificar por uma causa, assim como Elias não é o mocinho valente que procura fazer sempre o que é certo e proteger a mocinha. Os dois têm falhas, cometem erros, são egoístas em alguns momentos, além de terem medos e inseguranças. Isso, ao invés de ser um problema, se tornou uma grande virtude do livro. As fraquezas e defeitos de Laia e Elias fizeram com que eles se tornassem mais humanos e, consequentemente, mais complexos e interessantes. São personagens muito bem construídos, que evoluem ao longo da trama, conquistando a empatia e a admiração do leitor.
A história é extremamente envolvente também. A medida que os personagens e o universo foram apresentados, fui passando a me importar cada vez mais com o que iria acontecer a seguir. A trama é cheia de conspirações, criaturas sobrenaturais, surpresas e ação, conseguindo prender a atenção e envolver o leitor.

Fiquei realmente fascinada por este livro. Apesar da brutalidade do universo retratado, Sabaa Tahir demonstrou sensibilidade na construção dos personagens e da história. Ela elaborou uma trama envolvente e complexa, que me proporcionou vários questionamentos e quebras de estereótipos. Assim, recomendo muito Uma chama entre as cinzas para quem quer ler uma história forte, que vai além de uma boa fantasia, despertando questionamentos e reflexões. 

[Dica da Malu] A coroa

Autora: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Páginas: 310

Depois de muita espera, finalmente, li A Coroa, o tão comentado último volume da série A Seleção, da Kiera Cass. Como já comentei aqui, me encantei com essa série desde que li o primeiro livro e estava muito ansiosa para saber como ela terminaria. Como a história começa exatamente a partir do final de A herdeira, recomendo que quem ainda não leu os quatro primeiros volumes da série não continue lendo esta resenha, pois ela contém informações importantes da trama.
Em A Coroa, a princesa Eadlyn assumiu como regente após o seu irmão fugir para a França para se casar, e sua mãe, a rainha América, sofreu um ataque do coração. Para que o rei Maxon possa ficar ao lado da esposa, Eadlyn assume todas as responsabilidades relacionadas ao governo. Ciente da rejeição que sofre por parte do povo, ela precisa conciliar as novas tarefas com a seleção para escolher seu futuro marido, o que ela acredita ser fundamental para melhorar sua popularidade.

“Um silêncio perturbador se abatia sobre o palácio [...]. Nada te deixa mais consciente da presença de uma pessoa do que a sua ausência.” 
Ao ver seu mundo desmoronar, Eadlyn amadurece muito, se tornando uma personagem muito mais forte e complexa. Os seus medos e as suas inseguranças são muito mais concretos e justificáveis. Sempre entendi o comportamento de Eadlyn, desde A Herdeira. Sei que muitos não gostavam da personagem por considera-la mimada e arrogantes, mas, para mim, se tratava apenas da postura defensiva de uma menina que sentia o peso de uma grande responsabilidade e que não se permitia falhar. De qualquer forma, em A Coroa, Eadlyn se vê forçada a mudar de atitude, se tornando muito mais humana ao expor seus medos, o que facilita a empatia do leitor por ela.
A trama se desenvolve muito rapidamente, acompanhando como a princesa Eadlyn está lidando com as consequências dos eventos do livro anterior. Além disso, em A coroa, entendemos melhor a situação política de Illéa após a dissolução das castas e o motivo das pessoas continuarem insatisfeitas com a monarquia.

“Era responsável por eles. Mas como poderia ser? Como uma pessoa poderia garantir que toda e cada alma recebesse todas as oportunidades possíveis, tudo de que necessitasse?”
A relação de Eadlyn com os participantes que permaneceram na solução é desenvolvida de uma maneira muito bonitinha. Aos poucos, vamos percebendo o lugar que cada um ocupa no coração dela e como eles se tornaram importantes para ela. Vi que muitas pessoas criticaram a escolha que a princesa faz no final, mas eu achei que o casal combina muito e a decisão de Eadlyn é totalmente justificável. Ao longo livro, a relação de Eadlyn com seu escolhido é construída de uma maneira espontânea e natural.
Faço apenas uma ressalva com relação a este livro: achei o desfecho um pouco apressado. Gostaria que os acontecimentos tivessem sido descritos com mais calma ou que o epílogo oferecesse detalhes de como ficaram os personagens.

De qualquer modo, acredito que foi um bom desfecho para a série. A leitura é leve e flui muito rápido. Além disso, para aqueles que não gostavam da princesa Eadlyn, é uma boa oportunidade para dar uma segunda chance a ela. Recomento muito a série toda, incluindo este quinto volume, que é tão encantador quanto seus antecessores. 


Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.