[Dica da Malu] O Castelo das Águias


Sinopse: O Castelo das Águias, romance fantástico de Ana Lúcia Merege, é um lugar especial. Localizado nas Terras Férteis de Athelgard, região habitada por homens e elfos, abriga uma surpreendente Escola de Magia, onde os aprendizes devem se iniciar nas artes dos bardos e dos saltimbancos antes de qualquer encanto ou ritual. Apesar de sua juventude, Anna de Bryke aceita o desafio de se tornar a nova Mestra de Sagas do Castelo. Aprende os princípios da Magia da Forma e do Pensamento e tem a oportunidade de conhecer pessoas como o idealizador da Escola, Mestre Camdell; Urien, o professor de Música; Lara, uma maga frágil e enigmática, e o austero Kieran de Scyllix, o guardião das águias que mantêm um forte elo místico com os moradores do Castelo. Enquanto se habitua à nova vida e descobre em Kieran um poço de sentimentos confusos e turbulentos, uma exigência do Conselho de Guerra das Terras Férteis põe em risco a vida e a liberdade das águias. Com o apoio de Kieran, Anna lutará para preservá-las, desvendando uma trama de conspiração e segredos que envolvem importantes magos do Castelo.

            Quem me acompanha aqui no blog sabe que fantasia é um dos meus gêneros preferidos. Portanto, fiquei bastante curiosa quando li a sinopse de O Castelo das Águias, romance fantástico da escritora brasileira Ana Lúcia Merege. A trama envolve vários elementos que despertam o meu interesse: um universo mágico, aventuras, mistérios e, claro, romance.
Confesso que, a princípio, a história não me prendeu muito. A trama começa em um ritmo mais lento para apresentar o universo e os personagens do livro. Por ser narrada pela protagonista, Anna, o leitor conhece a Escola de Magia e os segredos e ameaças às águias junto com ela. Assim, no começo, fiquei um pouco perdida, sem entender muito bem aquele universo fantástico.
No entanto, à medida que a história se desenvolve e os mistérios começam a surgir, consegui me envolver com o livro. A trama é cheia de segredos e intrigas que ameaçavam a segurança e a liberdade das águias, o que leva Anna a viver algumas aventuras.
Com relação aos personagens, gostei muito da Anna. Apesar de jovem, ela é muito forte e corajosa, não se deixando intimidar por seus medos e pelas dificuldades que encontra. Além disso, admiro o modo como ela não se envergonha de sua origem e se mantém firme aos seus princípios.
Outro personagem que gostei muito foi Kieran. Apesar de não ser revelado muito sobre o seu passado, o que confere a ele um ar misterioso, dá para perceber que é um personagem corajoso e justo, que ama os animais e luta para defendê-los. Por outro lado, acredito que o fato da história ser narrada apenas pelo ponto de vista da Anna prejudicou um pouco o desenvolvimento dos outros personagens. Com exceção dela e de Kieran, os demais, apesar de carismáticos, foram trabalhados de uma maneira um pouco superficial.
O que mais gostei em O Castelo das Águias foi a mensagem que a história passa. Ao tratar da ameaça às águias do castelo, a autora trabalha a questão da necessidade de proteção dos animais e a importância de preservamos a liberdade deles. Além de ser um assunto muito importante, Ana Lúcia Merege soube abordá-lo de uma maneira muito bonita e delicada, que realmente leva o leitor a refletir sobre essas questões.
De modo geral, fui cativada pelo universo mágico retratado. A autora apresenta diferentes povos e tradições, e gostei muito da interação entre eles. Além disso, gostei do modo como Anna evolui ao longo da trama, se firmando como uma personagem forte e determinada, que defende suas convicções e princípios, sem nunca se deixar intimidar. Apesar do ritmo mais lento no início, a história me envolveu e fiquei muito curiosa para ler as duas continuações desta série, A Ilha dos Ossos e A Fonte Âmbar. Sem dúvida, é mais um livro que demonstra a qualidade e o potencial da literatura nacional, e que que nossos autores também podem escrever bons livros de fantasia.


Informações:
Autora: Ana Lúcia Merege
Editora: Draco
Páginas: 192

Dia do Amigo - 5 amizades da literatura

Hoje, dia 20 de julho, é comemorado o Dia do Amigo. Considero que as verdadeiras amizades são aquelas que nos acompanham ao longo da vida, em momentos de alegria e de tristeza, estando presentes nas nossas mais importantes memórias, e permanecem conosco independente de falta de tempo ou distância geográfica.
Pensando em celebrar esse dia, resolvi em citar alguns livros que trazem exemplos de grandes amizades. São histórias cujos personagens formam um vínculo forte e sincero, vivendo aventuras, superando momentos de adversidade e celebrando junto as vitórias. Alguns deles são tão cativantes que, ao final do livro, desejamos fazer parte daquele grupo de amigos.
Então, vamos à lista com algumas amizades literárias que me marcaram:



O pequeno príncipe, de Antoine de Saint-Exupéry
            Tem como falar sobre amizade e não pensar em O pequeno príncipe? Acho impossível. Para mim, se existe uma obra na literatura que expressa o real sentido de amizade, é O pequeno príncipe.
Na simplicidade das palavras do principezinho, encontramos a mais complexa e bela definição  de amizade:
“Para mim, você não passa de um garotinho igual a cem mil garotinhos. E não preciso de você. E você tampouco de mim. [...] Porém, se você me cativar, precisaremos um do outro. Você será único no mundo para mim. Serei único no mundo para você...”


Série “Fazendo meu filme”, da Paula Pimenta
            Uma das coisas que mais me encantou quando li Fazendo meu filme foi o grupo de amigos apresentado na história, que é, ao mesmo tempo, divertido e cativante. Em especial, considero a amizade entre a protagonista Fani, a Gabi e a Natália muito bonita. As três têm personalidade muito diferente, mas isso não muda a lealdade e o amor que existe entre elas; elas aceitam e respeitam umas às outras como são. A amizade entre o Leo e o Rodrigo é muito bonita também; os dois são muito leais e companheiros e se apoiam sempre nos momentos mais difíceis.
            A Paula Pimenta constrói tão bem a relação de todos esses personagens, que no final do livro sentimos que eles são nossos amigos também.


Série “Os instrumentos mortais”, da Cassandra Clare
            Outra série que, ao longo dos livros, mostra lindas relações de amizade. Admiro especialmente, a amizade entre o Jace e o Alec. Os dois cresceram juntos, se entendem como ninguém e estão sempre prontos para ajudar o outro. Tem ainda a amizade entre a Clary e o Simon, que sobrevive a muitas dificuldades.
            Assim como havia dito a respeito de Fazendo meu filme, nos livros de Os Instrumentos Mortais o vínculo entre os personagens é tão forte e tão bonito, que desejamos fazer parte daquele grupo. Ao final do último livro, confesso que fiquei com uma sensação de saudade desses personagens, como se também fossem meus amigos.  


The kiss of deception, de Mary E. Pearson
            Não me canso de elogiar esse livro e não poderia deixar de incluí-lo nessa lista, uma vez que um dos aspectos que mais gostei nele foi justamente a amizade entre a Lia e a Pauline. As duas são extremamente leais e conseguem compreender uma à outra de maneiras que só verdadeiras amigas conseguem.
            Sem precisar de maiores explicações, Pauline entende o sofrimento de Lia e não pensa duas vezes antes de ajudá-la em seus planos. Acho que as duas tem personalidades muito diferentes, mas que têm em comum o fato de serem personagens fortes, corajosas e muito leais. As duas se amparam nos momentos de maior dificuldade e estão sempre dispostas a se arriscar para defender a outra. Uma amizade tão forte e sincera que criou um vínculo quase de irmãs.

Harry Potter, de J. K. Rowling
            Por fim, mas não menos importante, não podia deixar de incluir Harry Potter nessa lista. Acho que não preciso explicar muito os motivos desta série aparecer nesta lista, né?
            J. k. Rowling conseguiu trabalhar muito bem o tema da amizade ao longo dos livros de Harry Potter. De maneira mais óbvia, pensamos no trio principal. Podemos acompanhar desde o momento que Harry, Rony e Hermione se conhecem e vão se tornando amigos, vendo o vínculo entre eles crescer tanto com as brincadeiras e aventuras compartilhadas, quanto com as dificuldades que enfrentaram juntos. Uma amizade sincera, que se fortalece ao longo do temo.

            Mas a autora trabalha a amizade nas relações de outros personagens também. Em especial, admiro a reação entre Harry e Luna. No começo, Harry a considerava uma menina estranha e meio lunática, mas quando realmente a conhece surge a admiração, o respeito e a amizade. Gosto muito também do modo como Neville cresce e se torna um personagem mais forte para defender seus amigos.
               
"Nós temos uma coisa que Voldemort não tem. Algo pelo qual vale lutar."

        Essas foram algumas amizades que eu considerei marcantes na literatura. Vocês conhecem outros livros que trabalham esse tema de alguma maneira? Me conta aí nos comentários. E, claro, feliz dia do amigo!


Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.