[Resenha] Interferências

11 de dez. de 2018


Olá, leitoras e leitores! Hoje vim falar sobre a maior surpresa que tive em 2018, o livro Interferências, da autora Connie Willis. Lançado pela Suma de Letras, esse livro chamou minha atenção por ter uma sinopse bem diferente e que parecia ser uma leitura muito divertida.
Para quem ainda não conhece, Connie Willis é uma aclamada autora de ficção científica. No entanto, o livro Interferências, publicado no Brasil no começo deste ano, tem um enredo que foge do que eu esperaria para o gênero, se aproximando mais de uma comédia romântica. Confesso que foi esse o motivo que me deixou mais curiosa para ler a obra e o escolhi para ser meu primeiro contato com a escrita da autora.
Agora, depois de um bom tempo com ele na minha meta de leitura, finalmente consegui ler e vou poder contar para vocês o que achei.


Autora: Connie Willis
Editora: Suma de Letras
Tradução: Viviane Diniz Lopes
Páginas: 464
Onde comprar: Amazon
Exemplar recebido de cortesia da editora
Sinopse: “Em um futuro não muito distante, um simples procedimento cirúrgico é capaz de aumentar a empatia entre os casais, e ele está cada vez mais na moda. Por isso, Briddey Flannigan fica contente quando seu namorado, Trent, sugere que eles façam a cirurgia antes de se casarem ― a ideia é que eles desfrutem de uma conexão emocional ainda maior, e que o relacionamento fique ainda mais completo. Bem, essa é a ideia. Mas as coisas acabam não acontecendo como o planejado: Briddey acaba se conectando com outra pessoa, totalmente inesperada. Conforme a situação vai saindo do controle, Briddey percebe que nem sempre muita informação é o melhor, e que o amor ― e a comunicação ― são bem mais complicados do que ela esperava.”

Ambientado em um futuro não muito distante, Interferências traz uma realidade em que a tecnologia permitiu um nível de conexão muito elevado. Por meio de um procedimento cirúrgico, o EED, casais poderiam se conectar e passar a sentir as emoções de seus parceiros. Por esse motivo, a protagonista Briddey fica muito empolgada quando seu namorado Trent propõe que eles façam o EED antes de casarem. Afinal, quem não gostaria de saber o que seu namorado sente e se ele realmente te ama?
O problema é que a notícia logo vaza e chega aos ouvidos das irmãs e da tia de Briddey, que não perdem tempo em deixar claro que não aprovam a ideia. Mas elas não são as únicas; até mesmo C. B. Schwartz, o nerd esquisitão do trabalho, tenta alertar Briddey de que a cirurgia poderia trazer consequências indesejáveis. Mas ela está confiante que o procedimento seria um sucesso e sua conexão emocional com Trent daria certo.

Mas é claro que nem tudo sai como o esperado e Briddey acaba se conectando não com outra pessoa que não o Trent. Mas, se o procedimento requeria envolvimento emocional, por que ela iria se conectar com alguém que não era seu namorado? E como explicar ao Trent o que havia acontecido? Assim, Briddey precisa encontrar respostas rapidamente e tentar resolver a situação. Mas, para isso, precisará se esquivar das perguntas do namorado e da constante intromissão de sua família.


Preciso confessar que um dos motivos que fizeram com que eu demorasse a ler esse livro foi o fato de ter visto muitas críticas negativas sobre ele. As opiniões que vi me deixaram com receio que fosse uma leitura arrasta. No entanto, provando que cada um sente a leitura de uma maneira diferente e é sempre bom ler para tirar suas próprias conclusões, eu adorei o livro e fiquei envolvida desde o começo.
O ponto que considero determinante para ter gostado da leitura é o humor presente na história. A trama já começa com muitas confusões e situações divertidas, em um estilo que me lembrou muito os livros da Sophie Kinsella (que eu adoro). No entanto, ela vai além e não se prende aos problemas amorosos e familiares de sua protagonista. Na verdade, o livro traz uma sátira da sociedade atual e a preocupação das pessoas em estarem sempre conectadas buscando novas tecnologias e mais informações. Deste modo, é possível perceber nas entrelinhas muitas críticas que são feitas através de um humor irônico e inteligente.
Os personagens também contribuíram para o meu envolvimento, mas confesso que tive meus problemas com alguns. A protagonista Briddey é uma personagem um tanto imatura e passiva, o que normalmente teria me irritado muito. No entanto, as confusões em que ela se mete foram tão divertidas que eu acabei conseguindo passar por cima disso. Além disso, ela é muito beneficiada por dois coadjuvantes que interagiram bem com ela e que foram fundamentais para que eu me envolvesse com a história.
Um desses personagens é o colega de trabalho de Briddey, C. B. Schwartz. Ele é inteligente, carismático e com um senso de humor afiado que eu adorei. Os melhores momentos do livro foram com C. B, e eu confesso que preferia que ele aparecesse mais do que a própria protagonista. Já a outra personagem que roubou a cena foi Maeve, a sobrinha de 9 anos da Briddey. Ela é uma criança prodígio impressionante, com uma personalidade muito forte e uma determinação surpreendentes. Confesso que, em alguns momentos, a esperteza de Maeve foi quase inacreditável para uma criança tão nova. No entanto, o carisma dela é tão grande que acabei deixando isso de lado e simplesmente me divertindo com as coisas que ela aprontava.



Já os demais personagens são realmente complicados e foi difícil simpatizar com eles. Desde o começo, fica evidente que Trent é um cara egoísta e totalmente voltado para o trabalho. Ele não merece Briddey e passei o livro inteiro torcendo para que ela percebesse isso. Já as irmãs e a tia dela são irritantes, já que não demonstram nenhum respeito pela privacidade de Briddey e estão sempre se intrometendo na vida dela ou despejando seus problemas. Porém, é inegável que elas tiveram um papel importante na trama tanto por representarem comportamentos que muitas vezes acontecem na realidade quanto por mostrarem o quanto o excesso de conexão muitas vezes pode ser ruim.
Com relação à trama, preciso avisar que é preciso ir de mente aberta. Não espere explicações detalhadas e lógicas sobre os acontecimentos, pois não se trata de um livro de ficção científica como muitos imaginaram. Como eu disse, esse livro é uma sátira dos tempos modernos e, por esse motivo, ele está muito mais próximo da comédia. As situações vividas pelos personagens são bastante absurdas e o interessante não é entender por que ou como elas ocorrem, mas perceber as críticas e ironias que estão por trás.
Assim, achei que a autora conseguiu desenvolver a trama com fluidez, porque tudo foi retratado com muito humor. Eu me diverti muito enquanto lia e fui rapidamente envolvida pela história. No entanto, acredito que a segunda parte do livro poderia ser reduzida, pois tem vários acontecimentos que não são tão relevantes assim. Embora eu não tenha achado maçante, senti que a leitura perdeu um pouco o ritmo. Mas a boa notícia é que isso não se prolongou muito e do meio para o final o livro fica bastante dinâmico.
De um modo geral, Interferências é um livro leve e divertido, que traz críticas bastante pertinentes sobre o modo como temos sido afetados pela tecnologia. Fiquei muito feliz por ter decidido dar uma chance para este livro e gostei bastante da escrita da autora. É uma obra bastante polêmica, que desagradou algumas pessoas, mas acabou sendo uma ótima surpresa para mim. Então, recomendo para quem se interessou pela sinopse ir com a mente aberta e disposto a tirar suas próprias conclusões. Quem sabe vocês também não se surpreendem com a leitura?

10 comentários:

  1. Nossa eu não conhecia essa obra, mas achei interessante os temas abordados, achou que faz bem para refletirmos um pouco né.
    Adorei poder conferir sua opinião sobre ele, parabéns pela linda resenha.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá!! :)

    Eu nunca tinha ouvido falar sobre este livro, mas acho otimo que tenhas gostado de fazer a leitura!! :) Adoro a capa!!

    Que otimo que a trama se desenvolve de forma tao fluida e que as criticas do livro sao tao pertinentes assim!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  3. Assim como você, vi diversas criticas negativas quanto a obra e saber que você adorou me animou bastante, ainda mais quando a editora mencionou que a trama era para os apaixonados por Black Mirror, então mesmo que não tenha simpatizado com todos os personagens eu toparia a leitura, ainda mais por ser fluída e bem humorada. Quero ler.

    Beijocas.

    ResponderExcluir
  4. Eu tenho ele e, por ser um pouquinho grande em número de páginas, confesso que vou adiando a leitura, embora a premissa me interesse muito. Fico bem animada para ler sabendo que você gostou e que tem cenas engraçadas, algo que eu amo.

    ResponderExcluir
  5. Eu li diversas resenhas, e todas me deixaram ainda mais animada para fazer a leitura. Adoro livros de ficção científica, e saber que preciso ir com a mente aberta pois ele é diferente de outros livros do gênero me deixa bastante curiosa e empolgada. Acho que vou gostar bastante da leitura.
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem? Eu ainda não o li também por causa das críticas negativas hehe. Mas essa é a segunda positiva, o que me dá uma animada. Não estou no clima de comédia romântica, mas gosto da confusão da trama, acho que é necessário nos dias de hoje, até porque traz essa comédia diferente. Ainda estou relutante, mas sei que um dia vou ler, com certeza. Adorei sua opinião, me fez dar mais um passinho rumo à compra hehe.

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Oi Maluzinha, um dos motivos que me fizeram questionar essa leitura foi o tamanho mesmo haha que calhamaço! Sem contar que depois vi alguns comentarios sobre como em alguns momentos a história era arrastada e isso acabou me desmotivando bastante, infelizmente. Ainda assim, gostei bastante de conferir suas impressões a respeito!

    ResponderExcluir
  8. Antes de mais nada, preciso elogiar essas fotos lindas.
    Fico feliz que tenha se envolvido com a história. Eu também li algumas resenhas e só vi pessoas criticando, por isso me desanimei um pouco e acabei passando outras leituras na frente. Mesmo assim, com as ressalvas, ainda pretendo dar uma chance pro livro.

    Beijos
    Feliz Natal
    www.saidaminhalente.com

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Eu gosto dessa capa, mas acho que acabei ainda não adquirindo um exemplar por causa das críticas então como não senti tanta vontade acabei deixando passar. Suas considerações me deixou animada para conhecer mais dos personagens então vou colocar na lista de leituras de 2019.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem?

    É exatamente assim que penso, cada livro é sentido de um modo por leitores diferentes é o que agrada alguns não agrada outros. Confesso que a premissa do livro não me chamou muito a atenção, mas a sua empolgação na resenha sim, indicação anotada, por isso.

    Beijo!
    Ana.

    ResponderExcluir