[Resenha] As mil partes do meu coração

12 de jan de 2019


Não é segredo para ninguém que me acompanha aqui no blog que a Collen Hoover é uma das minhas autoras favoritas, daquelas que eu leria até a lista de supermercado, caso ela resolvesse publicar. No entanto, quando soube do lançamento de As mil partes do meu coração, fiquei um pouco receosa. Não que eu duvidasse da capacidade de escrita da Colleen, mas é que os lançamentos mais recentes dela foram romances New Adult, com personagens mais maduros e assuntos pesados. Então, sendo esse lançamento um Young Adult, eu tive medo de não me envolver com a história ou não sentir a mesma emoção que tive com outros livros da autora.
No entanto, meu medo acabou se mostrando bastante infundado. As mil partes do meu coração é tão envolvente quanto todos os outros livros da Colleen que eu já li e acabou me surpreendendo bastante. Com um enredo e personagens pouco convencionais, esse é um dos livros mais diferentes que eu já li da autora e me fez a certeza de que eu não posso duvidar nunca da capacidade dela de criar histórias que mexem com o leitor.


Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Tradução: Ryta Vinagre
Páginas: 336
Onde comprar: Amazon
Exemplar recebido de parceria com a editora
Sinopse: “Autora best-seller do New York Times aborda relacionamentos e transtornos mentais em uma narrativa que discute os limites do que é normal. Para Merit Voss, a cerca branca ao redor da sua casa é a única coisa normal quando o assunto é sua família, peculiar e cheia de segredos. Eles moram em uma antiga igreja, batizada de Dólar Voss. A mãe, curada de um câncer, mora no porão, e o pai e o restante da família, no andar de cima. Isso inclui sua nova esposa, a ex-enfermeira da ex-mulher, o pequeno Moby, fruto desse relacionamento, o irmão mais velho, Utah, e a gêmea idêntica de Merit, Honor. E, como se a casa não tivesse cheia o bastante, ainda chegam o excêntrico Luck e o misterioso Sagan. Mas Merit sente que é o oposto de todos ali. Além de colecionar troféus que não ganhou, Merit também coleciona segredos que sua família insiste em manter. E começa a acreditar que não seria uma grande perda se um dia ela desaparecesse. Mas, antes disso, a garota decide que é hora de revelar todas as verdades e obrigá-los a enfim encarar o que aconteceu. Mas seu plano não sai como o esperado e ela deve decidir se pode dar uma segunda chance não apenas à sua família, mas também a si mesma. As mil partes do meu coração mostra que nunca é tarde para perdoar e que não existe família perfeita, por mais branca que seja a cerca.”

Em As mil partes do meu coração, conhecemos a adolescente Merit Voss. Ela tem uma família nada convencional, que atrai os comentários dos habitantes na pequena cidade em que moram. Para começar, eles moram em uma igreja que foi comprada pelo pai, após ele se desentender com o pastor. Mas isso nem é o mais estranho. Na casa, vivem Merit, sua irmã gêmea Honor, seu irmão mais velho Utah, seu meio-irmão caçula Moby, seu pai, sua madrasta Victoria e, no porão, sua mãe Victoria. Sim, não apenas a mãe e a madrasta de Merit têm o mesmo nome, como ainda moram na mesma casa.
E, se essa simples descrição da família já é estranha, na prática, é uma convivência ainda mais disfuncional do que parece. Claro que isso acaba afetando a todos de alguma forma e, no caso de Merit, faz com que ela sinta como se ninguém na família notasse sua existência. Para compensar suas frustrações, ela começa a adquirir troféus toda vez que algo dá errado. E é quando está comprando um desses troféus, depois de ter decidido abandonar a escola, que Merit conhece o misterioso e charmoso Sagan. Pela forma como ele a olha, Merit se sente especial pela primeira vez, até descobrir que ele a confundiu com sua irmã gêmea.
“Ninguém seria capaz de determinar, vendo de fora, que nossa família de sete inclui um ateu, um destruidor de lares, uma ex-mulher que sofre de uma grave agorafobia e uma adolescente cuja estranha obsessão beira a necrofilia. Ninguém poderia supor nada disso nem mesmo de dentro de nossa casa. Sabemos guardar segredos nessa família.”

Mas quando ela pensava que nada poderia ser pior, dois novos moradores chegam para mudar ainda mais a vida da família Voss. E Merit, que guardava os segredos de todos da família, começa a se sentir cada vez mais sobrecarregada por eles. Com a crescente sensação de isolamento e o peso de tudo que guardava para si, ela começa a se perguntar se alguém dentro daquela casa realmente notaria sua ausência e o que aconteceria se, antes de partir, ela decidisse contar tudo que sempre escondeu.


Logo na sinopse, já dá para perceber que As mil partes do meu coração é um livro bem diferente do que estamos acostumados a ver nas histórias da Colleen Hoover. Para começar, é evidente que esses não são personagens comuns. Todos eles têm algum comportamento que reforça a sensação de que a família Voss é bastante disfuncional. Além da protagonista Merit, com sua compulsão por troféus que não conquistou, sua irmã gêmea parece ter uma obsessão em se envolver com garotos que estão doentes em fase terminal, seu irmão mais velho é excessivamente preocupado com controle e organização, sua madrasta é neurótica com relação à alimentação do filho, e sua mãe sofre de agorafobia (transtorno de ansiedade associado ao medo de ambientes desconhecidos ou onde não se sinta confortável), razão pela qual não sai do porão da casa do ex-marido.
“Essa família é o horror que todos dessa cidade acreditam. Talvez ainda pior. Estou enojada. Farta dos segredos e das mentiras. Cansada de ser a pessoa que guarda todos os segredos deles! (...) Talvez, se eu soltar todos os segredos, eles não me deem mais a sensação de que estou me afogando.”
Deste modo, não é difícil entender o quanto Mérit se sente sobrecarregada e se conectar com essa personagem. Além disso, o fato do livro ser narrado em primeira pessoa pela protagonista contribui muito para que o leitor a compreenda e perceba o quanto essa menina precisa de ajuda. Apesar de ela não falar com todas as letras, todos os sinais de depressão estão lá e vai se tornando cada vez mais angustiante ver que a família dela não percebe.
Aliás, me surpreendi muito como a Colleen conseguiu abordar com delicadeza e seriedade um assunto tão importante. O fato de termos acesso aos pensamentos e sentimentos da protagonista faz com que o leitor tenha uma noção de como uma pessoa com depressão se sente e perceba a gravidade desta doença. Assim, a autora deixa claro o quanto questões relacionadas à saúde mental precisam ser levadas a sério, e a necessidade de estarmos sempre atento aos sinais de que algo não está bem.
“O único sentimento de que tenho certeza é que estou completa e inteiramente deprimida. Eu já devia estar acostumada com ele, mas não estou. Acho que é uma coisa com que ninguém consegue se acostumar.”
O fato de termos um livro narrado todo pela perspectiva da Merit foi fundamental também para que a Colleen conseguisse desenvolver outros assuntos. Como só temos a visão dela o tempo todo, a imagem que formamos dos outros personagens e dos segredos da família Voss são totalmente influenciados pela visão dela. Porém, ao longo do livro, vamos percebendo que toda história tem dois lados e foi muito interessante ir descobrindo que os demais personagens também tinham suas próprias questões.
“– Nem todo erro merece uma consequência. Às vezes, a única coisa que ele merece é o perdão.”



Nesse sentido, um dos aspectos que mais gostei é que fui surpreendida em vários momentos por revelações que mudavam tudo que eu tinha sido levada a acreditar até ali, fazendo com que eu percebesse camadas nos personagens que antes eu não tinha visto. E isso foi algo muito positivo não somente por deixar a trama mais interessante, mas também por conferir maior complexidade aos demais personagens, além da protagonista.
“Não são os problemas com que as pessoas ficam obcecadas por tanto tempo. É que ninguém tem a coragem de dar o primeiro passo para falar desses problemas.”
Com isso, mesmo que a família Voss tivesse tantos membros, todos eles tiveram espaço na trama para que seus conflitos fossem desenvolvidos. Não vou dizer que gostei de todos igualmente, mas gostei de poder conhecê-los e entender suas histórias. Mas claro que alguns se destacaram mais e eu não posso deixar de mencionar aqui: Sagan e Luck, os dois novos moradores de Dolar Voss, a casa da família, que foram os catalizadores das mudanças que ocorreram ali. Eles foram meus favoritos não só pela relevância que tiveram na trama, como por terem sido os primeiros a realmente enxergarem a Mérit e perceberem que ela precisava de ajuda.
Mas vocês devem estar se perguntando, e o romance? Afinal, estamos falando de um livro da Colleen Hoover. É claro que ele está presente no livro e é muito fofo. Porém, já aviso que é uma questão que fica em segundo plano. O centro da história é a Mérit e como os segredos da família a afetaram, e o romance é mais uma peça desse caos em que os sentimentos dela se encontram. Mas não se preocupem que, nos momentos em que o romance ganha destaque, é muito bonito de se acompanhar e eu torci pelo casal o tempo todo.
“Mas agora, sem saber nada a respeito dele além da intensidade da sua expressão, permito-me imaginar que ele é perfeito. Finjo que ele é inteligente, respeitoso e artístico. Porque ele seria todas essas coisas se fosse perfeito.”
Com relação à escrita da Colleen Hoover, acho que eu não preciso nem dizer nada né? Ela tem um dom de prender a atenção do leitor de um jeito que você não sente vontade de largar o livro em momento algum. Eu realmente me conectei com os personagens e me envolvi com seus dramas, e não queria parar de ler até descobrir o que aconteceria. Além disso, achei que ela foi extremamente habilidosa em trabalhar assuntos difíceis e dolorosos de uma maneira delicada, sem deixar que a leitura se tornasse pesada. Pelo contrário, mesmo que aborde assuntos tão sérios, eu achei esse um dos livros mais leves que já li da autora.
Não posso deixar de mencionar também a edição que está linda. Eu adorei a capa, que é simples e combina com o livro. Além disso, as páginas amareladas e o tamanho da fonte deixam a leitura muito confortável. E, para completar, no final do livro, tem algumas páginas com ilustrações bem legais que são mencionadas na história.
De um modo geral, As mil partes do meu coração foi um livro que me surpreendeu por ter um enredo que foge do padrão que me acostumei a ver nas obras da Colleen Hoover, mas com a mesma habilidade de me emocionar que todos os outros livros dela tiveram. É uma história que vai muito além do romance, trazendo dramas familiares e pessoais muito atuais e importantes. É um livro sobre superação, perdão e recomeços, que encanta por ser uma leitura leve, mas capaz de tocar o leitor como só os livros da Colleen conseguem.

29 comentários:

  1. A capa desse livro está realmente extraordinária, muito bonita, apesar de me remeter a outra capa de livro d mesma editora. Sobre a história, infelizmente ainda não li, mas espero a oportunidade, realmente a escritora sempre acerta na mão.

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem?!

    CoHo é rainha não é mesmo?! Eu amo muito ela!
    Adoro os livros dela mas esse eu ainda não li. Acho a capa desse livro um amor de linda e ela transmite muitas coisas pra nós.
    Adorei tua resenha, me deu mais vontade ainda de ler, e suas fotos ficaram sensacionais!!

    ResponderExcluir
  3. Oii, Malu, tudo bem?
    Eu realmente não conhecia essa obra e fiquei bem surpresa pela capa, que está incrível! Além de a leitura ter te envolvido tanto, eu também quero muito ler e suas fotos sempre são lindas, parabéns <3

    ResponderExcluir
  4. Oiiii,

    Eu tenho um problema sério
    Com a Collen, porque olha ela é genial! Não tem um livro dela que seja menos do que perfeito, mas é sempre uma receita de rios de lágrimas e ressaca literária kkkk Eu quero muito ler este livro e descobrir quais os segredos está família guarda e quais aprendizados a leitura vai me trazer, mas preciso ter preparo e tempo para poder não ficar com uma ressaca tremenda rs.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  5. tenho muita vontade de ler algo dessa autora, justamente pelo você disse e sempre leio falarem dela, a capacidade dela de emocionar e conduzir as tramas!
    mas quero começar especificamente por esse livro (apesar de ter o Talvez Um Dia aqui), pois a mensagem que traz realmente me chamou atenção e fiquei curiosa.

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  6. Sabe que fui lá adicionar este livro no Skoob para desejados já que é a segunda resenha que leio e que foi muito favorável. Preciso ler algo desta autora para saber mais sobre como ela escreve e este vai ser o primeiro já que os outros eu ainda não havia me decidido ainda.

    ResponderExcluir
  7. Olá!! :)

    Eu confesso que nao conhecia este livro ainda, mesmo que a autora ja tenha publicado diversos livros que conheço.

    Enfim, adorei que a autora realmente tenha saido do seu enredo habitual. QUero conferir essa escrita maravilhosa...

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  8. Oie!

    Gente, que história mais complexa. Fui lendo a breve descrição da família dela e to me imaginando conviver numa família assim. Ela colecionar troféus quando perde algo é o de menos kkkk
    Realmente, não faz muito o estilo da Colleen Hoover, mas fiquei bem intrigada.

    Abraços e prabéns pela resenha

    ResponderExcluir
  9. Oi Malu!
    Estou doida para ler esse livro, por ser da CoHo os livros dela são sensacionais, nunca me canso de me surpreender, mas essa é primeira resenha que leio desse livro e já achei a trama interessante, a construção dos personagens parece estar ótima, estou animada para conhecer cada um deles. Parabéns pela resenha me deixou curiosa, bjs!

    ResponderExcluir
  10. Acredita que eu nunca li nada da Colleen Hoover? E olha que eu já li vários comentários maravilhosos sobre a escrita e os livros dela. Confesso que é um pouco de preconceito literário. Não que eu acredite que seja uma escritora ruim, mas é aquela coisa de ler quase que sempre os mesmos gêneros. Preciso sair do lugar comum - para alguém que nunca leu Colleen Hoover, acha que esse é o ideal para conhecê-la?

    Beijos,
    www.degradeinvisivel.com.br

    ResponderExcluir
  11. Eu gosto bastante da escrita da autora, e fiquei curiosa para ler esse que você achou um pouco diferente do que está acostumada com os livros dela. A premissa me chamou a atenção, e estou confiante de que vou amar!
    E que fotos mais lindas! ♥
    beijos

    ResponderExcluir
  12. Conheci recentemente a escrita da autora e foi com o livro Tarde de Mais, que me deixou de queixo caído, então quero ler mais coisas dela. Achei as características dos membros dessa família bem louca, que fiquei bem curiosa para conhecer. Gosto da ideia de que o enredo te surpreendeu e ainda que não tenha gostado de todos os membros da família Voss, você se conectou com eles e seus dramas. Vou anotar essa recomendação, quero ler.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Li esse livro e terminei com a sensação de não conseguir definir se foi uma boa leitura ou não. Acho que a CoHo tem uma escrita muito boa, mas seus enredos ultimamente tem ficado com temas bons e explorados superficialmente.
    Para mim não é o melhor livro dela, mas dá pra tirar boas reflexões.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  14. Olá!

    Sou um pouco suspeita para comentar sobre os livros da Colleen, eu sou completamente apaixonada por tudo o que ela escreve. Gostei bastante desse livro, apesar de não ser dos meus favoritos. Acredito que ela se dá melhor escrevendo NA do que YA ♥️

    ResponderExcluir
  15. Já cheguei a ler alguns livros dessa autora, mas a escrita dela nunca me pegou desse jeito! Simplesmente não consigo curtir os enredos dela... Por mais que eu fique admirada com todas as excelentes críticas que ela recebe, constatei que não é para mim!
    Sua resenha está ótima, mas vou deixar a dica passar! Rs...
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  16. Tive oportunidade de ler outro livro da Colleen e fiquei simplesmente encantada. A escrita dela me envolveu de tal forma que já me sinto sua fã.
    Este livro está na minha lista desde que soube do seu lançamento, não vejo a hora de lê-lo!

    ResponderExcluir
  17. Oii Malu!
    Eu gosto basatante da Colleen Hoover e ainda não li esse livro, embora a capa e a edição tenham me chamado bastante atenção.
    Nas últimas leituras que fiz de livros da autora encontrei certa dificuldade para me envover na história, espero que isto não aconteça nesse livro já que você mencionou que o enredo foge um pouco do padrão.
    Adorei sua resenha e a dica está anotada!
    Abraços

    FLeituras

    ResponderExcluir
  18. Ola!
    Meu Deus que resenha mais linda! Eu tbm sou apaixonada pela CoHo e acredito que hoje em dia é dificil encontrarmos um leitor que nao seja. Eu tbm tive receio de ler esse livro, mas por medo da maneira na qual ela abordaria a depressão. Foi um livro dificil, mas muito importante pra mim.
    Sua resenha está incrivel e seus sentimentos totalmente expostos para nos!

    beijos

    ResponderExcluir
  19. Olá, Malu!

    Eu ouço falar muito dessa autora e por isso adquiri o livro É Assim que Acaba, mas confesso que ainda não tive coragem de ler.rsrs

    Gostei da proposta deste livro pelos temas que serão abordados como a depressão e a agorafobia. Todavia, não sei se chegarei a lê-lo um dia, pois ainda nem li o que tenho. E não sei bem o que eu pensaria desta história. Sua resenha está super instigante, nos fazendo querer mergulhar no livro e descobrir quais são os segredos que sobrecarregam a protagonista e ver a forma como a autora aborda a depressão e a agorafobia. Mas hoje mesmo eu li outra resenha na qual a blogueira não achou que a autora aprofundou os tais temas abordados e eu sou do tipo que acredita que se é para falar de assuntos sérios então o autor tem que saber do que está falando. O certo seria eu ler para formar minha própria opinião, mas com certeza levarei em conta tanto a sua opinião, que apreciou bastante o livro e gostou da abordagem feita pela autora, quanto a opinião da outra menina. :)

    Bjs!

    ResponderExcluir
  20. Oi, Malu!
    Que fotos mais lindas! Nunca li nenhum livro da autora, apesar de já ter ouvido falar muito dela. Essa capa e a sinopse em si me deixam intrigada. O fato de não ser um livro com foco no romance é algo que considero um ponto positivo em relação a mim, que não sou muito fã de livros do gênero. Fico muito curiosa para conhecer esses segredos que a Mérit é obrigada a guardar e para observar como é a convivência em uma família tão peculiar como essa. Quero muito ler e amei sua resenha! Beijos!

    Jéssica Martins
    castelodoimaginario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Eu estou passada com sua resenha que está de tirar o fôlego. Não conhecia este livro e simplesmente fiquei apaixonada e mega interessada em descobrir como toda essa trama se desenrola e, claro, me apaixonei e por sua resenha já estou conectada à Merit.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  22. Preciso confessar que eu ando com o mesmo receio que você em relação aos novos lançamentos da autora, apesar de amar! Porém, ao contrário de você eu não consegui me conectar muito com a história e com os personagens, achei que faltou algo mais... é claro que não tem nem como dizer que as reviravoltas foram de virar a cabeça por completo, mas definitivamente não me cativou tanto quanto outros que eu já li, mas definitivamente não está entre os piores! E só CoHo mesmo pra conseguir abordar um assunto pesado de forma tão ideal, amei a resenha ❤️

    ResponderExcluir
  23. Infelizmente esse livro não funcionou para mim. Eu já vinha de uma decepção com a autora em Tarde demais e acabei me frustrando outra vez. Mas ainda quero ler e ter todos os livros da Collen, ainda que minhas expectativas estejam bem baixas agora.
    beijos

    ResponderExcluir
  24. Que capa linda!!!
    Vejo ótimos comentários sobre a escrita da Colleen, mas ainda não li nada dela.
    A premissa desse me deixou bem instigada, e sua resenha aguçou ainda mais minha curiosidade.
    Já está na minha lista de leitura pra este ano. Preciso começar a ler algo dela urgente.

    ResponderExcluir
  25. Olá,
    Comprei este livro tem alguns dias, mas não comecei a ler ainda.
    Eu tbm amo a Colleen, acho a escrita dela fluida, os temas abordados são sempre de forma que te envolve. Vamos ver se a leitura irá ser fluida.
    Achei sua resenha bem completa.
    Beijos

    ResponderExcluir
  26. Olá Malu!!!
    Eu tinha lido uma resenha anterior acerca do livro e fiquei preocupada em não me interessar pelo mesmo, pois afinal li um livro da autora e me apaixonei mas na pegada que você conhecia a autora. No entanto, lendo sua resenha não pude deixar de não colocar o livro nos livros que quero ler e sim tenho que ler mais livros da autora.
    Adorei que o romance não se sobressai a mensagem do livro e achei que é algo bacana da autora a se fazer.
    De todo modo adorei a resenha ^^

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  27. Olá, tudo bem Malu?

    Hoje mesmo eu li uma resenha sobre "As mil partes do meu coração", mas a outra resenha não foi muito positiva. Eu concordo contigo, a edição está muito bonita e achei interessante que a autora aborda temas como: superação, perdão e recomeços. Dica anotada!
    Abraço!

    ResponderExcluir
  28. Que resenha mais linda, e essas fotos? Perfeitas!
    CoHo é uma diva, amo a escrita dela, e esse livro ainda não li, mas pretendo ler no próximo mês.

    ResponderExcluir
  29. Dentre os últimos lançamentos da autora, esse é o que mais me deu curiosidade de ler. Ainda não conheço a escrita da autora, mas vejo inúmeros elogios, o que me deixa mais empolgada. Amei a sua resenha e com certeza vou considerar colocar esse livro na minha lista de próximas leituras.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura | Instagram

    ResponderExcluir