Motivos para ler Romances Históricos

 


Se tem uma coisa que eu sempre amei foi ler histórias que me levassem para outros períodos. Aquelas leituras que permitem ao leitor imaginar como seria viver em outra época e com costumes diferentes. Por isso, um dos gêneros que mais gosto de ler são os romances históricos.

E, pensando nisso, resolvi trazer alguns motivos para vocês também se aventurarem nessas leituras. Então, para quem ainda não conhece o gênero ou tem vontade de ler mais, aqui vão algumas razões para dar uma chance:

 

Contextualização histórica

Uma coisa que me fascina nos romances históricos é que sempre aprendo um pouco sobre História enquanto estou lendo. Esses livros, não somente são ambientados em outra época, como sempre trazem algum acontecimento histórico relevante como pano de fundo, como guerras e revoluções, por exemplo. Com isso, enquanto acompanhamos a trama principal, aprendemos um pouco sobre acontecimentos importantes da época retratada e como era viver naquele período.

 

Tramas ficcionais

Em contraponto ao motivo anterior, tem o fato de que, apesar de ter como pano de fundo acontecimentos reais, a trama principal é uma obra de ficção. Ou seja, é uma boa opção para quem gosta de História, mas não quer uma leitura focada exclusivamente em fatos e personagens históricos. Nesses romances, o cenário é fiel à realidade e os acontecimentos históricos influenciam a trama, mas o foco permanece na jornada dos personagens e a própria linguagem desses livros costuma ser mais envolvente.

 

“Viajar” para outras épocas

Essa é a principal razão para amar tanto os romances históricos: com eles, eu consigo me sentir realmente transportada para outras épocas. Esses são romances mais fiéis à época que retratam, mostrando como era a sociedade, os costumes e a ambientação. Isso é algo que me fascina muito e tenho certeza que vai agradar quem também gosta de História e de imaginar como era a vida em outros períodos históricos.

E, para quem se interessou em ler romances históricos, eu fui convidada pela mybest Brasil a indicar um dos meus favoritos. Então, vocês podem conferir nesse link a minha indicação e os livros escolhidos por outros nove blogueiros.

 




[Páginas e Cenas] Para todos os garotos: Agora e para sempre

 


Quando foi anunciado que os livros da série Para todos os garotos que já amei, da autora Jenny Han, seriam adaptados, eu fiquei dividida entre a alegria e a preocupação. Aquela emoção que todo leitor já viveu ao saber que um livro muito querido seria adaptado e ficamos ansiosos para ver a história ganhando vida, mas com medo de que a essência dela seja perdida no processo.

Para minha surpresa, eu me vi completamente apaixonada quando assisti ao primeiro filme, Para todos osgarotos que já amei, e ansiosa pelas continuações. Porém, o segundo acabou não me encantando como o antecessor e meu interesse pelo terceiro diminuiu consideravelmente. Isso somado ao tempo de espera para o lançamento acabou fazendo com que eu ficasse completamente desanimada para assistir Para todos os garotos: Agora e para sempre.

Mas não é que fui surpreendida novamente? Eu que não estava esperando nada, me vi completamente encantada. E no post de hoje vou explicar, sem spoilers, os motivos que me fizeram gostar tanto do filme e se eu acho se vale a pena uma continuação. 


Copyright Katie Yu/Netflix © 2021


Atenção: Esse filme é o terceiro da trilogia, portanto, o texto pode conter informações dos dois anteriores. Portanto, não recomendo que continue lendo caso não tenha assistido aos dois primeiros filmes.

 

Em Para todos os garotos: Agora e para sempre, Lara Jean e Peter estão mais felizes do que nunca. O namoro vai muito bem e eles estão prestes a começar o último ano do Ensino Médio. É um momento decisivo para qualquer adolescente, mas os dois têm tudo planejado: vão para a universidade juntos, estarão perto de casa e todos os seus sonhos vão se realizar. Mas na vida nem tudo sai como o planejado e Lara Jean terá que reavaliar suas escolhas e tomar decisões que podem mudar seu relacionamento e seu futuro.

Logo no começo do filme, já senti que iria me apaixonar novamente por essa história. Com muitos momentos fofos entre a Lara Jean e o Peter, ele me trouxe a mesma sensação de quentinho no coração que tive quando assisti ao primeiro longa trilogia. A química entre a Lana Condor e o Noah Centineo, intérpretes da Lara Jean e do Peter, respectivamente, é incrível e faz com que seja impossível não torcer para o relacionamento dos seus personagens.

Além disso, esse filme finalmente traz algo que senti muita falta nos dois anteriores: o destaque para as relações familiares. Isso é algo muito presente nos livros e que foi deixado um pouco de lado tanto no primeiro quanto no segundo filme. Já aqui, vemos muito mais do relacionamento Lara Jean com as irmãs e elas proporcionaram algumas das cenas mais lindas do filme. Além disso, temos um foco maior na relação do Peter com o pai e isso foi fundamental para entender algumas atitudes do nosso mocinho.


Copyright Katie Yu/Netflix © 2021


Outro aspecto que gostei muito é que os conflitos dos protagonistas são muito mais reais e compreensíveis do que os do filme anterior. Ao invés de perder tempo com um triângulo amoroso bobo e desnecessário, esse longa coloca Lara Jean e Peter enfrentando situações que todos os adolescentes passam: a ansiedade para ser aprovado em uma universidade, as expectativas para o futuro e o medo do incerto. Por mais que algumas atitudes dos dois sejam erradas, qualquer um que já foi adolescente vai se relacionar com as inseguranças deles.

E o que me deixou mais feliz foi ver que apesar de errarem, Lara Jean e Peter demonstram ter amadurecido muito ao longo desses filmes. Aliás, não só eles. Gostei muito de ver como todos os personagens se transforam e cresceram ao longo dessa jornada. Confesso que me emocionei com eles em alguns momentos e fiquei orgulhosa das escolhas que fizeram.

Na parte técnica, obviamente não tenho conhecimento para julgar. No entanto, preciso dizer que gostei muito das atuações e mais uma vez fiquei apaixonada com os cenários e os figurinos. Ficou tudo muito parecido com o que imaginei quando li e o cuidado da produção foi evidente. Além disso, a trilha sonora é sensacional e dá vontade de ouvir no repeat sem parar depois que o filme acaba.

Então, só posso fizer que Para todos os garotos: Agora e para sempre foi o desfecho perfeito para a trilogia. Ao longo de todo o filme me reconectei com esses personagens e voltei a sentir aquele quentinho no coração que o primeiro havia despertado. É um romance lindo e cativante, mas que também fala sobre família, amadurecimento, fazer escolhas e lidar com as incertezas da vida.  Terminei com uma sensação de encantamento que não esperava e feliz por essa trilogia ter se encerrado com um desfecho que reflete o quanto Lara Jean cresceu ao longo desses filmes. Sendo sincera, espero que a Netflix não invista em continuações, porque esse é um final perfeito e que não pede por mais nada.

Mas agora quero saber: quem já assistiu Para todos os garotos: Agora e para sempre? Gostaram do filme? Da trilogia, qual é o favorito de vocês? Me contem aí nos comentários.

 

P. S: Não quero uma continuação, mas quem sabe um spin-off com a Kitty? Confesso que eu iria amar rsrs. 


Duração: 109 min

Direção: Michael Fimognari

Elenco: Lana Condor, Noah Centineo, John Corbett, Anna Cathcart, Janel Parrish, Madeleine Arthur.

Produção e distribuição: Netflix

Sinopse: É o ultimo ano do Ensino Médio. Lara Jean volta de uma viagem à Coreia e faz planos para a faculdade – com Peter e sem ele.

País: EUA / Ano: 2021

Classificação: +12 anos







Cinco motivos para ler "A Troca"

 


Quem me acompanha aqui sabe que um dos meus livros favoritos do ano passado foi Teto para dois, da Beth O’leary (resenha aqui). Esse livro me surpreendeu muito e é claro que quando soube que a Intrínseca iria publicar um novo livro da autora já fiquei imediatamente curiosa.

A Troca foi publicado no ano passado e eu li agora em janeiro. Então, além de uma resenha que saiu lá no instagram (confira aqui), resolvi postar uma lista com motivos para ler esse lançamento.

Então, está procurando uma razão para ler A Troca? Aqui vão cinco:

 

As protagonistas são avó e neta:

Se você está esperando um romance clichê, já pode mudar suas expectativas. Em A Troca, vamos acompanhar a história de uma avó e uma neta que decidem trocar de lugar. Leena, a neta, precisa se afastar do trabalho por um tempo e tentar colocar a vida nos trilhos novamente. Já Eileen, a avó, foi abandonada pelo marido e agora que viver a aventura que sempre sonhou em Londres e, quem sabe, encontrar um novo amor.

As duas vão trocar de um lugar e, enquanto Eileen redescobre seus sonhos na vibrante capital inglesa e se arrisca em sites de relacionamento, Leena se muda para a cidadezinha onde sua avó vivia e tenta se adaptar à vida no interior. As duas vão se redescobrir em suas aventuras e aprender muito uma sobre a outra.

Claro que as duas vão encontrar romances no meio do caminho, mas o foco do livro é mesmo essa jornada delas para se reencontrar e as relações familiares entre elas e Marian, filha de Eileen e mãe da Leena.

 

Temas importantes

A Troca é uma leitura leve, divertida e cativante, com muitos momentos fofos, mas assim, como aconteceu em Teto para dois, também aborda temas muito importantes. Aqui Beth O’Leary fala sobre luto, perda, depressão e as dificuldades que encontramos ao tentar seguir em frente.

Tanto Eileen quanto Leena sofreram perdas que abalaram suas vidas e fizeram com que elas se perdessem de quem realmente eram. Então, a autora mostra como esse processo de superar os traumas e o luto é difícil, mas necessário. São temas dolorosos, mas que ela soube abordar com muita delicadeza e trazendo mensagens muito bonitas.

 

Leitura fluida

Quando li Teto para dois, uma das coisas que me surpreendeu foi o quanto a leitura fluiu bem. Beth O’Leary tem uma escrita tão leve e envolvente que a gente não sente o tempo passar, mesmo que a trama seja mais cadenciada e sem grandes acontecimentos na maior parte do tempo. E o mesmo aconteceu com A Troca e a leitura fluiu muito bem.

Confesso que esse livro demorou um pouco para me conquistar do que Teto para dois e acho que ele poderia ser um pouco menor, mas mesmo assim eu não senti a leitura arrastada ou cansativa em momento algum. As personagens são tão cativantes, que à medida que passei a conhece-las melhor e fui me envolvendo mais com seus dramas, ficava cada vez mais curiosa para saber o que aconteceria a seguir. E o resultado foi que eu simplesmente não sentia o tempo passar enquanto lia.

 

Clima de cidade do interior e cidade grande ao mesmo tempo

Não sei vocês, mas eu amo histórias ambientadas em cidades pequenas, onde todo mundo se conhece e os vizinhos vivem interferindo na vida uns dos outros. E, em A Troca, Beth O’Leary fez com que eu me sentisse exatamente assim enquanto acompanhava a vida da Leena na casa da avó. Amei ver como ela foi perdendo seus preconceitos, conhecendo as pessoas que viviam ali e criando vínculos com cada um deles.

Por outro lado, foi incrível acompanhar as aventuras da Eileen em Londres. A autora mostrou um outro lado da cidade, sem focar tanto nos metrôs e pontos turísticos (embora eles apareçam, claro), mas retratando a vida comum nos bairros e como muitas vezes as pessoas se sentem solitárias vivendo em metrópoles. Foi uma perspectiva muito interessante e adorei ver como a autora trouxe essas duas ambientações tão diferentes e sem menosprezar nenhuma delas.

 

Vai virar filme

Os direitos de adaptação de A Troca foram comprados e, em breve, a história de Eileen e Leena deverá virar filme. Beth O’Leary será a produtora executiva junto com Rachel Brosnahan, que também atuará no filme fazendo o papel da Leena. Para quem não conhece, a atriz já ganhou o Emmy e o Globo de Ouro por seu trabalho na série de comédia The Marvelous Mrs. Maisel. Eu amei a escolha e já estou ansiosa para ver o restante do elenco.

Então, para quem gosta de ler o livro antes de assistir à adaptação, é bom já correr para conferir A Troca. Esse livro tem tudo para se tornar um filme maravilhoso e com a autora participando como produtora executiva, acredito que será bastante fiel à obra original.

 

Agora quero saber: gostaram dos motivos que citei? Me contem aí nos comentários se vocês já leram A Troca ou se ficaram curiosos para ler também.

 

Autora: Beth O’Leary

Editora: Intrínseca

Tradução: Ana Rodrigues

Páginas: 352

Onde comprar: Amazon | Submarino

Sinopse:  “Leena Cotton tem 29 anos e sente que já não é mais a mesma. Eileen Cotton tem 79 e está em busca de um novo amor. Tudo de que neta e avó precisam no momento é pôr em prática uma mudança radical. Então, para colocar suas respectivas vidas de volta nos trilhos, as duas têm uma ideia inusitada: trocar de lugar uma com a outra. Leena sabe que precisa descansar, mas imagina que a parte mais difícil será se adaptar à calmaria da cidadezinha onde a avó mora. Cadastrada em um site de relacionamentos, Eileen por sua vez embarca na aventura com a qual sonha desde a juventude. Dividindo o apartamento com dois amigos da neta, ela logo percebe que na cidade grande suas ideias mirabolantes não são tão complicadas assim. Ao trocar não só de casas, mas de celulares e computadores, de amigos e rotinas, Leena e Eileen vão descobrir muito mais sobre si mesmas do que imaginam. E se tudo der certo, talvez destrocar não seja a melhor solução.”


Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Kindle Unlimited

Ofertas na Amazon

Instagram

Seguidores

Tecnologia do Blogger.

Mais lidos

Twitter

Newsletter

Arquivos

Editoras parceiras