Motivos para ler "Em queda"

 


É possível ficar agoniado com um livro só pela sinopse? Eu pensava que não, até ler a de Em queda, da autora T. J. Newman. Lançado esse semestre pela Planeta de Livros, esse livro tem uma das premissas mais instigantes e tensas que eu já li. E é óbvio que a minha curiosidade foi imediatamente instigada.

Em queda foi uma das minhas leituras mais recentes e, assim que terminei, senti que precisava comentar com vocês. Mas, para quem não conhece o livro ainda, primeiro eu preciso apresentar a sinopse, para que vocês entendam o motivo de ter ficar tão curiosa para ler essa história:

 

"Você acaba de embarcar em um voo para a cidade de Nova York. Há outros cento e quarenta e três passageiros a bordo. Você é o piloto desse avião, e seu trabalho é levá-los todos a salvo até seu destino. O que você não sabe é que, há apenas trinta minutos, sua família foi sequestrada. As exigências são claras: para que sua família sobreviva, todos nesse avião devem morrer. Permissão para decolar."

 

Não preciso dizer mais nada? Assim que li essa sinopse, eu simplesmente precisava saber o que iria acontecer. Mas se vocês não são pessoas tão curiosas quanto eu e não se interessaram por essa premissa (o que eu considero impossível), vim apresentar alguns motivos para convencer vocês a ler.

 

1 – Trama dinâmica

Em queda tem uma trama extremamente envolvente e com um ritmo alucinante. O livro já começa com uma cena forte e impactante, e segue com intensidade e com um acontecimento atrás do outro, sem dar um minuto de descanso para os personagens e nem para os leitores. Esse é daqueles livros que, depois que começamos, fica impossível largar. Tanto que eu li as mais de 200 páginas em questão de horas, de tão ansiosa que estava para saber como tudo terminaria.

 

2 – Cenas realistas

A autora T. J. Newman foi comissária de bordo e, por esse motivo, escreveu com riqueza de detalhes e muito realismo todos os procedimentos dentro do avião. Ao longo da leitura, todas as cenas no avião são muito reais e fazem o leitor se sentir realmente dentro da história. Isso foi fundamental para construir a tensão que o livro exige e deixar a leitura ainda mais envolvente.

 

3 – Personagens interessantes

Devido ao ritmo intenso da trama e às muitas cenas de ação, eu realmente não imaginava que a autora conseguiria desenvolver os personagens bem o suficiente para que eu me apegasse a eles. Mas, para minha surpresa, ao longo do livro vamos conhecendo cada um deles de uma forma surpreendentemente íntima e eu terminei a leitura completamente apegada a eles e torcendo muito para que tudo se resolvesse da melhor maneira possível para todos.

 

4 – Os diferentes núcleos

Quando eu li a premissa, pensei que o livro seria todo focado no piloto dentro do avião. Porém, a autora me surpreendeu ao trazer diferentes núcleos e ir intercalando entre eles ao longo da trama. Assim, acompanhamos tanto o Bill, o piloto, tentando salvar os passageiros e a tripulação, quanto a equipe do FBI que tenta salvar a família dele e a próprio sequestrador enquanto mantém a família de Bill como refém. Isso ajuda tanto por dar uma visão mais completa da trama quanto pro proporcionar mais cenas de ação e aumentar o clima de tensão.

 

Por esses motivos, acredito que vocês já tenham entendido o quanto Em queda é uma leitura absolutamente eletrizante. Apesar de algumas ressalvas em relação aos motivos por trás da ameaça feita a Bill, eu fiquei totalmente envolvida nessa leitura e não conseguia parar de ler. Trata-se uma trama bem construída e que deixa o leitor sempre ansioso para saber o que vai acontecer a seguir. Eu confesso que já li imaginando um filme de ação, no estilo de Busca Implacável ou Velocidade Máxima, e adoraria assistir a uma adaptação. Felizmente, os direitos já foram comprados pela Universal Studios e o livro vai filme.

Então, para quem gosta de histórias com muitas cenas de ação e altas doses de adrenalina, não pode deixar de conferir Em queda, da autora T. J. Newman. Foi meu primeiro contato com a escrita da autora, mas já estou ansiosa para ler mais livros dela. 


Autora: T. J. Newman

Editora: Planeta de Livros Brasil

Páginas: 272

Exemplar recebido de parceria com a editora

Onde comprar: Amazon

Sobre a autora: T. J. Newman, uma vendedora de livros que acabou se tornando comissária de bordo, trabalhou para as companhias aéreas Virgin America e Alaska Airlines entre 2011 e 2021. Boa parte de Em queda foi escrita durante voos noturnos cruzando os Estados Unidos, enquanto seus passageiros dormiam. A autora mora em Phoenix, no estado do Arizona. Este é seu romance de estreia.


[Resenha] Pássaro & Serpente

 


Depois de uma fase meio inconstante nas minhas leituras, parece que eu finalmente estou conseguindo manter um ritmo e tendo sorte com as minhas escolhas. E a prova disso é uma das minhas leituras mais recentes: Pássaro e Serpente, da autora Shelby Mahurin. Publicado recentemente pela Galera Record, ele é o primeiro de uma trilogia de fantasia e estava entre os meus lançamentos mais aguardados de 2021.

Eu já tinha feito um post aqui e citado o quanto estava curiosa para conhecer a escrita da autora. Então, vocês já podem imaginar o quanto estava animada para começar Pássaro e Serpente né? Eu até tentei demorar um pouco, para segurar as expectativas, mas não resisti mais.

Sabendo que o segundo livro já está sendo lançado, passei Pássaro e Serpente na frente de outras leituras e li essa semana. E agora chegou meu momento de comentar com vocês o que achei. 


Autora: Shelby Mahurin

Tradução: Glenda D’Oliveira

Editora: Galera Record

Páginas: 504

Onde comprar: Amazon

Sinopse: “Juntos como um só, para amar, honrar ou queimar. Pássaro e serpente é o primeiro livro de uma trilogia deslumbrante que une bruxaria, fantasia, perigos e um amor proibido. Há dois anos, Louise le Blanc precisou fugir de seu clã e se escondeu na cidade de Cesarina, deixando para trás toda a magia e vivendo de tudo que pudesse roubar. No entanto, a cidade é cheia de perigos e mistérios para alguém como ela. Na região, caçadores da Igreja caminham pela cidade, venerados como verdadeiros homens santos. E o arcebispo, o rigoroso patriarca da Igreja, parece ser violento. Lá, bruxas como Lou são temidas, caçadas... e, então, queimadas. Reid Diggory vive sua vida com base em um versículo: não permitirás que uma bruxa viva. Fanático caçador de bruxas para a igreja, Reid dedicou toda sua vida erradicando o ocultismo e fazendo com que o arcebispo da cidade, seu pai, ficasse orgulhoso de suas ações. Mas quando chega o momento e a oportunidade de capturar uma bruxa, um ladrão o engana e seu alvo consegue escapar. Com a intenção de levá-la a julgamento, Reid acredita que ela não escapará novamente. Mas quando Lou dá um golpe perverso e o engana outra vez, em um escândalo público, os dois são forçados a uma situação inimaginável: o casamento. O casamento com um caçador poderia proporcionar uma proteção verdadeira às bruxas – se Lou conseguisse convencê-lo de que não é uma. No entanto, à medida que o tempo passa, seu segredo se torna cada vez mais difícil de ser mantido escondido. Apesar do perigo que Reid representa à sua sobrevivência, complexos sentimentos de Lou por Reid começam, lentamente, a nascer. Incapaz de mudar o que realmente é, Lou precisará fazer uma escolha.”

 

Pássaro e Serpente é uma fantasia que mistura magia, amor proibido e muita aventura. Louise é uma bruxa, mas há dois anos deixou seu clã e a magia para trás. Agora ela vive em Cesarine, onde rouba para sobreviver e vive se escondendo dos caçadores da Igreja. Nessa região, bruxas são perseguidas e, quando encontradas, o destino é apenas um: a fogueira. Mas o que Lou mais teme é o seu passado.

Já Reid é Chasseur, dedicou sua vida aos princípios religiosos e a caçar bruxas. Ele está prestes a colocar as mãos em uma, mas uma ladra coloca tudo a perder. Determinado a fazê-la contar onde está a amiga, ele acaba se envolvendo em um escândalo que os obriga a casar. O casamento com um caçador pode ser um grande perigo para alguém como Lou, caso ele descubra que ela é uma bruxa. Porém, ele pode ser a única proteção contra os inimigos dela. E quando os sentimentos de Lou e Reid começam a se complicar, eles precisarão decidir onde está sua lealdade.




Como mencionei antes, eu estava ansiosa para ler Pássaro e Serpente desde que foi anunciado e não me decepcionei. Com uma escrita fluida e envolvente, Shelby Mahurin criou um mundo fascinante e que prende o leitor desde o início. Obviamente, é um universo sombrio e perigoso, que carrega um clima de tensão constante. E a magia funciona aqui de uma forma bem interessante, com os diferentes clãs e a forma como cada um deles utiliza seus poderes. Em relação aos personagens, Lou é uma das melhores protagonistas que já li: determinada, com a língua afiada e um senso de humor ácido. Reid é um pouco mais complicado, por ter sido criado com uma visão distorcida do mundo. Porém, ele é melhor do que foi ensinado a ser. Não demorou a ficar claro que o caráter dele falava mais alto e entrava em conflito com o que foi ensinado a ele desde pequeno. E confesso que me apaixonava a cada página em que ele demonstrava estar revendo seus valores e se transformando.

Claro que não poderia faltar um romance e esse foi maravilhoso de acompanhar. É o enemies to lovers perfeito, com muitas trocas de farpas e uma química absurda. Amei ver como a convivência foi transformando tanto a Lou quanto o Reid, assim como os sentimentos entre eles.

Minha única ressalva é que o final foi um pouco abrupto, mesmo para um livro que tem continuação. Além disso, senti falta de ver mais sobre os poderes de cada clã das bruxas e como eles se organizavam. Porém, acredito que isso será aprofundado no próximo livro e estou bastante ansiosa para saber como tudo irá se desenrolar.

Pássaro e Serpente é um ótimo início para a trilogia, com uma trama envolvente e um universo fascinante. Em uma excelente combinação de fantasia, aventura e romance, com um universo sombrio e cheio de perigos, esse livro me conquistou completamente e me deixou ansiosa pelas continuações. Felizmente, Sangue e Mel já foi publicado e eu poderei ler em breve. Mal terminei a leitura e não vejo a hora de retomar para esse universo.

E vocês, já leram Pássaro e Serpente? Também gostam de uma fantasia com um toque de romance? Me contem aí nos comentários.

 

Aviso: O segundo livro da trilogia, Sangue e Mel, já está em pré-venda com lançamento para esse mês. E ainda dá para garantir o exemplar com os brindes no site da Amazon aqui.


[Resenha] Até o verão terminar

 


Um dos aspectos que mais me fascinam no hábito de leitura é como, por mais que a gente leia um determinado gênero ou esteja familiarizado com a escrita de determinado autor, sempre é possível ter uma experiência nova e se surpreender. E um exemplo disso é uma das minhas leituras mais recentes.

Eu já li diversos livros da Colleen Hoover, e quem me acompanha aqui sabe o quanto eu amo a escrita da autora. Porém, quando eu soube do lançamento de Até o verão terminar, eu não tinha uma boa expectativa para ele.  Não que eu pensasse que seria um livro ruim, mas eu pensei que, depois de ter lido tantos livros da autora, ela já não tinha por onde me surpreender. Porém, eu me enganei... e nunca foi tão bom estar errada.

Por isso, hoje eu vim contar um pouco sobre Até o verão terminar e como ele mexeu com as minhas emoções. Porém, já aviso que não entrarei em detalhes na resenha. Como todos os livros da Colleen Hoover, esse livro é daqueles que precisam ser lidos sabendo o mínimo possível e, por isso, eu me limitei ao que estava na sinopse e à minha opinião geral sobre a obra.


Autora: Colleen Hoover

Editora: Galera Record

Tradução: Mariana Serpa

Páginas: 336

Onde comprar: Amazon

Exemplar recebido de parceria com a editora

Sinopse: Uma vida de dor e abandono fizeram de Beyah uma pessoa cética, desconfiada e boa em guardar segredos. Mas, até o verão terminar, ela terá que rever tudo o que acredita. Da mesma autora dos sucessos É assim que acaba, Layla e Verity. Filha de uma mãe problemática e um pai ausente, Beyah precisou aprender a se virar sozinha desde pequena. Sua vida foi trilhada com muitas decepeções. Mas ela está prestes a mudar a sua sorte graças a si mesma, e a mais ninguém, por conta da bolsa de estudos que ganhou para estudar em uma boa universidade. Apenas dois curtos meses separam o tão sonhado futuro do passado que tanto deseja deixar para trás. Mas uma reviravolta faz Beyah perder até mesmo a casa em que mora.Sem opção, ela recorre ao último recurso que tem e precisará passar o resto do verão na casa de praia do pai que mal conhece, da nova esposa e da filha dela que nem ao menos ouvira falar. O plano de Beyah é se manter quase invisível até poder ir para a faculdade. Mas o vizinho da casa ao lado torna tudo muito mais complicado. Afinal, é difícil ignorar o rico, bonito e misterioso Samson.Os dois parecem não ter nada em comum. Ela viveu uma vida sem dinheiro ou amor enquanto ele tem uma família rica e privilegiada. Mas no olhar dele vive uma tristeza que apenas quem também a carrega dentro de si consegue reconhecer. E isso os torna irresístiveis um para o outro. Sem terem como fugir da atração que sentem, Beyah e Samson resolvem se dar uma chance, mas apenas até o verão terminar.Uma história de amor, recomeços, despedidas e reencontros.

 

Beyah é uma jovem cética e muito desconfiada, mas tem motivos para isso. Sua vida nunca foi fácil e ela precisou aprender a se virar sozinha desde pequena, e é com o próprio esforço que ela vai mudar sua vida. Após conseguir uma bolsa em uma boa universidade, ela está pronta para recomeçar.

Mas em um único dia, a vida dela sofre uma grande reviravolta e ela acaba indo morar com o pai que mal conhece e a nova família dele. O plano dela é passar o verão invisível, até ir para a faculdade. Mas isso se torna cada vez mais difícil quando a atenção no novo vizinho, Samson, está focada nela. Os dois são completos opostos, mas Beyah percebe nele uma tristeza que só quem já sofreu profundamente sabe reconhecer. E é isso que os atrai para o outro, mas eles sabem que é só até o verão terminar.




Como sempre acontece nos livros da Colleen Hoover, Até o verão terminar é aquele livro que precisa ser descoberto aos poucos. Tudo é sempre mais do que parece à primeira vista, especialmente os personagens, e vamos descobrindo aos poucos as camadas por trás dessa história. Tanto Beyah quanto Samson possuem segredos e cicatrizes que escondem de todos, e à medida que elas vão sendo reveladas conseguimos entender os motivos para eles serem como são.

Obviamente não vou contar o que eles escondem, mas confesso que, mesmo antes de descobrir, eu já sentia meu coração apertado por eles. O livro é narrado pela perspectiva da Beyah e ver a visão cínica e descrente que ela tinha da vida, mesmo sendo tão jovem, fez com que eu me apegasse rapidamente e sofresse por ela. Já o Samson é aquele mocinho misterioso que desperta a curiosidade do leitor para descobrir seu passado. Porém, o que me conquistou mesmo foi a generosidade e a maturidade dele, bem como o fato de que, apesar de obviamente carregar muitas cicatrizes e mágoas, ele não se mostra em momento algum um personagem amargo ou maldoso.

Surpreendentemente, mesmo com dois protagonistas tão tristes, esta não foi uma leitura pesada. A ambientação na praia e o clima de amor de verão, bem como alguns personagens secundários muito divertidos e cativantes, contribuem para deixar a leitura mais leve. Além disso, a escrita ágil e envolvente da Colleen Hoover deixa a leitura muito fluida e ajuda a aliviar a carga dramática.

Mas não pensem que não tem drama nesse livro. Afinal, estamos falando da Colleen Hoover e ela tem o dom de pisar nos nossos sentimentos. Então, quando eu menos esperava, ela atacou novamente e deixou meu coração pequenininho, sofrendo muito por esses personagens. Confesso que não esperava ficar tão apegada a eles, mas quando dei por mim, já estava com os olhos cheios de lágrimas e querendo proteger Beyah e Samson do mundo.

Eu posso ter começado Até o verão terminar de forma despretensiosa, mas ele se tornou um dos meus favoritos da autora. Apesar de ter sentido falta de um final mais detalhado, esse livro me trouxe uma montanha-russa de emoções que eu não esperava. Ele fala sobre perda, abandono e abuso, mas também sobre recomeços, família, amizade, amor e, principalmente, esperança. É um livro que mostra a capacidade da Colleen de partir o coração do leitor, mas também de juntar os pedaços e deixá-lo cheio de amor.


[Resenha] Amores, trens e outras coisas que saem dos trilhos

 


Nos tempos corridos e difíceis que estamos vivendo, leituras mais leves e com mensagens positivas têm sido cada vez mais importantes para mim. Por esse motivo, fiquei muito empolgada quando soube que a Galera Record estava com um lançamento da autora Jennifer E. Smith – a mesma de A probabilidade estatística do amor à primeira vista. Os livros dela sempre conseguem me deixar com o coração quentinho, ao mesmo tempo que passam lições importantes.

Então, claro que eu estava mais do que ansiosa para ler Amores, trens e outras coisas que saem dos trilhos. Lançado recentemente aqui no Brasil, esse livro já me conquistou por essa capa que exala fofura e por uma sinopse bastante instigante. Assim, ele furou a fila quando chegou aqui e foi uma das minhas leituras mais recentes.

E hoje vou contar para vocês um pouco sobre a história e o que achei desse livro. Será que ele é tão fofo quanto eu esperava?


Autora: Jennifer E. Smith

Tradução:

Editora: Galera Record

Páginas: Paula Di Carvalho

Onde comprar: Amazon

Exemplar recebido de parceria com a editora

Sinopse: “Jennifer E. Smith, autora best-seller de A probabilidade estatística do amor à primeira vista, retorna com Amores, trens e outras coisas que saem dos trilhos, um romance sobre família, futuro, autoconhecimento e a jornada de um novo amor na estrada. Antes do ingresso na universidade, Hugo e sua namorada tem a ideia perfeita: passar uma semana inteira juntos em uma viagem de trem pelos Estados Unidos. Mas, então, ela termina o relacionamento e lhe devolve, como presente de despedida, as passagens para a viagem planejada de última hora. O único problema: está tudo – passagens, reservas de hotéis – registrado no nome de sua agora ex-namorada, Margaret Campbell. Intransferível e não reembolsável. Enquanto isso, em outro continente, Mae está ligeiramente sem rumo, tendo terminado recentemente um relacionamento que parecia caminhar a lugar nenhum e sofrendo por não ter sido aceita no curso de cinema na universidade. Quando o destino faz sua mágica e ela se depara com o anúncio de Hugo buscando uma substituta para Margaret Campbell (por coincidência, seu nome completo), ela tem certeza de que esta é exatamente a aventura que precisa para se livrar da recente decepção, alimentar a mente com ideias para seu próximo filme e, principalmente, sair da zona de conforto composta pelos pais e a avó. Uma longa viagem de trem com um completo desconhecido pode não parecer, realmente, a melhor das ideias. Mas para Hugo e Mae, ambos ávidos por escapar da rotina de suas vidas normais, faz todo o sentido... E o que começa como um improviso conveniente logo transforma-se em algo mais. Mas quando a vida fora do trem ameaça romper com esta nova – e já tão forte – conexão, será que eles conseguirão evitar que seus sentimentos um pelo outro fujam dos trilhos?”

 

Hugo sempre foi conhecido pelas circunstâncias incomuns de seu nascimento: ele é um dos sextuplos que seus pais tiveram, e toda sua vida foi determinada por isso. Assim, ele estava empolgado para viajar com a namorada antes de irem para faculdade; a primeira vez que ele viajaria sem os outros cinco irmãos. Mas quando Margaret termina com ele, deixando a viagem como um presente, Hugo se vê com um problema maior do que um coração partido: todas as reservas estão no nome de Margaret Campbell, sua ex. 

Determinado a não perder sua viagem, Hugo decide colocar um anúncio para encontrar outra Margaret Campbell e é assim que seu caminho vai esbarrar com o de Mae. Ela está meio perdida desde que foi recusada no curso de cinema, seu maior sonho, e talvez uma aventura seja tudo que ela precisa. Por coincidência, o nome completo dela também é Margaret Campbell e ela está pronta para aceitar o acordo com Hugo. Mas o que eles não contavam era que, o que começou como uma coincidência muito conveniente, poderia se tornar algo mais.





"Se os visse, você poderia supor que estavam esperando alguma coisa. Mas não é o caso. A verdade é que eles estavam, eles sempre estiveram, prontos para o que viria"

 

Novamente, a Jennifer E. Smith me conquistou com uma história leve, envolvente e com personagens extremamente cativante. Amores, trens e outras coisas que saem dos trilhos é exatamente a leitura leve e envolvente, com personagens extremamente carismáticos, que eu imaginava. Hugo e Mae me conquistaram logo nas primeiras páginas tanto por seu carisma, quanto por terem conflitos muito reais e que muitos jovens (e adultos) já enfrentaram. Afinal, quem nunca se sentiu sem rumo, com medo ou em dúvida sobre quem é e o que quer da vida?

Além disso, a trama é bastante dinâmica e com muitos diálogos, o que torna a leitura mais leve e fluida. E é muito gostoso acompanhar a conexão entre Hugo e Mae surgir aos poucos, à medida que vão compartilhando seus medos e as razões que os levaram a embarcar nessa aventura. Assim, mesmo que o romance aconteça em um espaço de tempo relativamente curto, ele nunca soa falso ou forçado.

E outro ponto forte do livro é que, apesar de ele ser muito centrado nos protagonistas, todos os personagens que aparecem ao longo da história deixam uma marca de alguma forma. Não apenas as famílias do Hugo e a da Mae são maravilhosas e muito cativantes, mas eles também encontram pessoas muito interessantes ao longo da viagem e amei conhecer as histórias de algumas delas.

Por fim, não posso deixar de mencionar a escrita da autora. Apesar da trama bem leve, ela escreve com sensibilidade e consegue transmitir lições importantes ao longo da história. Ela traz questões importantes e traz conflitos muito reais para os seus personagens, o que torno a leitura ainda mais especial para mim.

Amores, trens e outras coisas que saem dos trilhos é, sem dúvida, uma leitura com altas doses de fofura. Mas é, acima de tudo, um livro sobre família, sonhos, medos, perdas e recomeços. Me diverti acompanhando as aventuras dos personagens e torci pelo romance, mas acima de tudo fui tocada pelas belas mensagens que a autora passou. Terminei a leitura com o coração quentinho e cheio de amor por essa história.

E vocês, já leram algum livro da autora? Ficaram com vontade de ler Amores, trens e outras coisas que saem dos trilhos? Me contem aí nos comentários.


Livros de fantasia em volume único

 


Sempre que eu posto resenha ou indicação de uma série de fantasia, aparece alguém comentando que gostaria de sugestões de livros únicos. E eu entendo, porque tem horas que tudo que a gente precisa é ler uma história única, que se encerra sem a gente precisar esperar uma continuação.

Pensando nisso, eu separei alguns livros de fantasia que são volume único para trazer para vocês. Eu sei que demorei pra fazer isso, mas antes tarde do que nunca, né? Então, aproveitem que o momento de vocês chegou e se preparem para anotar as indicações de hoje.

Nesse post, vou listar 10 livros de fantasia em volume único. Desses, eu já li cinco e vou informar aqueles que já saiu resenha aqui ou no instagram. Os outros cinco são livros que eu ainda não li, mas que sempre vejo muitos elogios e quero ler em breve.

 

Livros que eu já li:




O mar sem estrelas, da Erin Morgenstern: É um dos livros de fantasia mais incríveis que já li. Uma leitura sensível e reflexiva, que mergulha o leitor em um universo fantástico e apaixonante. Já saiu resenha dele no instagram (aqui) e eu só posso dizer que ele é dono do meu coração todinho. Quem não leu ainda, leia!

 

O Hobbit, do J. R. R. Tolkien: esse eu li há muitos anos, mas lembro que foi uma leitura maravilhosa. Ele se passa anos antes dos eventos de O Senhor dos Anéis, mas eu achei uma leitura bem mais fluida e cativante. Para quem quer conhecer a escrita do autor sem ter que se comprometer em ler mais livros, é uma ótima opção.

 

As quatro rainhas mortas, da Astrid Scholte: esse tem uma proposta bem interessante, que combina fantasia e mistério. E o melhor é que a história é bem completinha, com um final totalmente amarrado. Fiz um post aqui com 5 motivos para ler.

 

A maldição do mar, da Shea Ernshaw: outra fantasia que tem um toque de mistério e uma trama muito instigante. Eu amei a ambientação da história e o tom mais sombrio que a autora adotou ao criar esse universo. Escrevi uma resenha sobre ele no instagram e aqui no blog tem um post com motivos para ler.

 

A vida invisível de Addie LaRue, da V. E. Schwab: esse eu confesso que dei uma leve trapaceada, porque eu ainda não terminei de ler. Porém, essa fantasia é o livro do momento e parece que todo mundo leu ou está lendo. E o melhor de tudo é que se trata de um volume único e a autora já garantiu que não pretende escrever continuações. Ou seja, se você está fugindo de trilogias e séries, é uma boa opção.

 



Livros que eu quero ler:

 

O feitiço dos espinhos, da Margaret Rogerson

An enchatment of ravens, da Margaret Rogerson (vai sair pela Literalize)

Elantris, do Brandon Sanderson (está na meta de 2021)

Golem e o gêniom, da Helene Wecker (está na meta de 2021)

Os garotos do cemitério, do Aiden Thomas

 

Pode parecer que nesse universo dos livros de fantasia só existam trilogias e séries, mas, como vocês podem ver, também tem opções de livros únicos. Então, para quem não quer sofrer esperando as continuações, podem aproveitar essas dicas. Se vocês gostarem, faço uma segunda parte desse post.

Mas quero saber: vocês já conheciam esses livros que indiquei? Leram algum? Me contem aí nos comentários se querem mais indicações assim  e se tem outros livros que gostariam de indicar.




Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Kindle Unlimited

Ofertas na Amazon

Instagram

Seguidores

Tecnologia do Blogger.

Mais lidos

Twitter

Newsletter

Arquivos

Editoras parceiras