Sete livros para volta às aulas

Para vários estudantes, as férias acabaram e as aulas retornaram essa semana. Sei que muitos acham isso péssimo e queriam que as férias fossem mais longas. No entanto, o início de um novo ano letivo também representa conhecer novos colegas, reencontrar com os amigos, as novidades, a volta de uma rotina mais agitada e muitas descobertas.
Então, aproveitando esse clima de volta às aulas, resolvi fazer uma lista com alguns livros que se passam durante o período da escola ou da faculdade. São histórias que mostram como essa época pode ser divertida, servindo como incentivo para quem está vivendo essa fase e trazendo uma sensação de nostalgia para quem já passou por ela.

1 – Fazendo meu filme, da Paula Pimenta.                                     É claro que eu não poderia começar essa lista com outro livro que não fosse Fazendo meu filme. Eu li a primeira vez quando tinha dezesseis anos e a identificação foi imediata. A Paula sabe retratar a adolescência com uma naturalidade e verdade que poucos autores conseguem. Além disso, ela consegue recriar com habilidade toda a rotina vivida por qualquer estudante no período da escola: as amizades (e inimizades), os bilhetinhos compartilhados, as conversas no intervalo, a tensão com as provas e os medos com relação ao futuro. Tudo isso aparece na história e traz para o leitor a sensação de estar vivendo tudo aquilo junto com a protagonista.

2 – As vantagens de ser invisível, de Stephen Chbosky.            Outro livro que não podia faltar nessa lista é “As vantagens de ser invisível”. Narrado a partir de cartas do protagonista Charlie, acompanhamos as descobertas, os dramas e o amadurecimento deste jovem adolescente. Vemos sua dificuldade em se adaptar na escola, a descoberta do primeiro amor, as amizades que surgem, os dramas de sua família e os traumas do seu passado. Trata-se de uma trama simples, mas que aborda com muita sensibilidade temas difíceis e traz nas entrelinhas reflexões interessantes.


3 – Ana e o beijo francês, da Stephenie Perkins.            Um livro simplesmente encantador e que traz um ambiente escolar que faz o leitor realmente desejar estudar naquela escola. Na trama, a protagonista Ana é enviada pelo pai para estudar um ano em um colégio interno na França. A menina vai contrariada, pois estava sendo afastada dos amigos, da família e de tudo que conhecia para viver um ano em um lugar novo, onde não conhecia ninguém e não sabia o idioma local. Mas, ao contrário do que ela esperava, Ana faz novas amizades, aprende francês e, claro, acaba se apaixonando. Além disso, o ambiente da escola é tão legal e diferente daquele que conhecemos e estamos acostumados a ver nos livros, que acaba sendo  mais um atrativo do livro.

4 – O acordo, da Elle Kennedy            Este livro foi a minha primeira leitura de 2017 e não poderia ficar de fora dessa lista. Afinal, além de um romance muito fofo, a autora soube recriar muito bem o ambiente universitário. Apesar de muita coisa não ter a ver com as nossas universidades (o livro se passa nos EUA), há vários aspectos que são comuns em qualquer universidade: os grupos de amigos, a tensão com as provas, o romance, as festas e as dúvidas sobre o futuro depois da faculdade. Não vou dar muitos detalhes, porque a resenha dele já saiu aqui no blog (confira), mas é uma leitura muito gostosa e a universidade é um pano de fundo que ajuda a tornar a trama mais interessante.

5 – Para todos os garotos que já amei, da Jenny Ham.            Ambientado no ensino médio, “Para todos os garotos que já amei”, consegue ilustrar muito bem essa fase da vida. Ao longo da trama, vemos Lara Jean se envolvendo em confusões, fazendo novas amizades, se apaixonando e amadurecendo. A escola é o pano de fundo em que tudo isso se desenrola e qualquer um que esteja vivendo essa fase ou já tenha passado por ela, vai se identificar com algumas situações que a protagonista vivencia lá.



6 – Sábado à noite, da Babi Dewet.            Como não colocar esse livro na lista? A Babi retratou maravilhosamente o período da escola, mais especificamente o ensino médio. Tanto que a leitura me trouxe uma sensação de nostalgia enorme, me deixando com vontade de voltar no tempo, para essa fase da minha vida. O ambiente da escola, os grupinhos de amigos, os dramas da adolescência, o romance, as festas... tudo é natural e faz o leitor se identificar com pelo menos alguma das situações que aparecem. Mesmo que não por uma lembrança que tenha vivido, mas por se lembrar de alguém que conheceu e passou por aquilo, ou por ver um personagem e lembrar de alguma amiga ou conhecido.

7 – Harry Potter e a Pedra Filosofal, da J. K. Rowling.            Quem nunca sonhou em receber sua carta de Hogwarts e pegar o trem na plataforma 9 ¾ no dia 1º de setembro, não é mesmo? Por isso, não me julguem por incluir Harry Potter nessa lista. Apesar de se tratar de um ambiente mágico e totalmente incomum, Hogwarts não deixa de ser uma escola. Por esse motivo, encontramos em Harry Potter e a Pedra Filosofal situações vividas por qualquer estudante. Neste livro, estão presentes as aulas (mesmo que não as convencionais), os professores que adoramos e os que detestamos, as provas, os amigos, as brigas, os passeios, as competições... enfim, tudo que compõe o período escolar. Só que com muita magia e aventuras.

            Todos esses livros citados, com certeza, me lembram muito a escola e a universidade, e combinam muito com o clima de volta às aulas. Agora, quero saber de vocês quem já  se despediu das férias e começou outro ano letivo. Me contem também outros livros que se passam na escola/faculdade e que não estão nesta lista.


[Dica da Malu] O Acordo


Autora: Elle Kennedy
Editora: Paralela
Páginas: 360
Comprar: Amazon
Sinopse: “Hannah Wells finalmente encontrou alguém que a interessasse. Mas, embora seja autoconfiante em vários aspectos da vida, carrega nas costas uma bagagem e tanto quando o assunto é sexo e sedução. Não vai ter jeito: ela vai ter que sair da zona de conforto. Mesmo que isso signifique dar aulas particulares para o infantil, irritante e convencido capitão do time de hóquei, em troca de um encontro de mentirinha.
Tudo o que Garrett Graham quer é se formar para poder jogar hóquei profissional. Mas suas notas cada vez mais baixas estão ameaçando arruinar tudo aquilo pelo qual tanto se dedicou. Se ajudar uma garota linda e sarcástica a fazer ciúmes em outro cara puder garantir sua vaga no time, ele topa. Mas o que era apenas uma troca de favores entre dois opostos acaba se tornando uma amizade inesperada. Até que um beijo faz com que Hannah e Garret precisem repensar os termos de seu acordo.”


“O Acordo” foi o primeiro livro que eu li em 2017. Eu o escolhi porque queria começar o ano com uma leitura leve e divertida, sem muitas preocupações. E foi exatamente isso que encontrei nesse livro. É uma história simples, e até um pouco clichê, mas também é envolvente, engraçada e cativante.
O primeiro ponto que destaco nesse livro, são os personagens. Hannah é uma menina inteligente e dedicada, mas que, apesar de ter muita dificuldade quando o assunto é relacionamento, é autoconfiante, tem uma personalidade forte e um senso de humor muito sarcástico. Já Garret é o modelo do atleta, popular e mulherengo. No entanto, ele também é inteligente, dedicado e não mede esforços para realizar seus sonhos. Ambos carregam traumas do passado, mas não se deixam abater por eles. São personagens interessantes, divertidos e muito cativantes.
Hannah e Garret se conhecem quando, em uma matéria que os dois cursavam, ela tira uma nota excelente, já ele tem um péssimo resultado, que faria com que sua média caísse e ele fosse retirado do time de hóquei. Desesperado, Garret pede a ajuda de Hanna para estudar para a próxima prova e recuperar sua média. Sem paciência com jogadores de hóquei, especialmente o arrogante capitão, ela se recusa a ajudá-lo.
No entanto, Garret não é do tipo que aceita não como resposta, ainda mais quando se trata de algo que pode estragar seu futuro profissional. Ele começa, então, a atormentar Hannah para que ela concordasse em ajudá-lo. Sua chance aparece quando ele percebe o interesse dela por (...), jogador do time de futebol americano da universidade. É aí que ele faz uma arriscada proposta a Hannah: ela concordaria em ajudá-lo a estudar e ele fingiria estar saindo com ela, para aumentar a popularidade da garota e chamar a atenção de (...). Mesmo não gostando da ideia, Hannah acaba concordando com este acordo.
O livro é narrado pelo ponto de vista da Hannah e do Garret, o que ajuda muito na construção de ambos os personagens. Conseguimos entender melhor os sentimentos deles, seus sonhos, os traumas que carregam e, principalmente, como a relação deles vai sendo construída. Aliás, é aí que reside o grande mérito do livro para mim: o evolvimento de Hannah e Garret é gradual, sem aquelas paixões intensas e instantâneas. Os dois se conhecem aos poucos, implicam muito um com o outro, discutem, mas acabam se tornando amigos. Assim, surge primeiro a cumplicidade e a intimidade, depois vem o romance.
Com relação a escrita de Elle Kennedy, eu achei muito leve e fluida. Apesar dos clichês da história, a autora conseguiu criar personagens cativantes, com senso de humor e personalidade forte, que fazem o leitor se importar com o que irá acontecer com eles. Alguns temas mais sérios são abordados, mas sem deixar a história pesada ou sem ritmo.
Assim, “O Acordo” não é uma história original ou imprevisível, mas acabei gostando mais do que esperava. Comecei sem muita expectativa e, quando percebi, já estava totalmente apegada à Hannah e ao Garret. Adorei acompanhar não só o desenvolvimento do relacionamento dos dois, mas o quanto ambos amadurecem ao longo do livro. Trata-se de uma leitura agradável e envolvente, que flui muito bem e proporciona momentos divertidos. 

Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.