Tag - Carnaval Literário


Hoje é um dos dias mais aguardados do ano para muitos brasileiros. Sim, o começo do Carnaval. Mesmo para quem, como eu, não curte a folia e os blocos de carnaval, são dias para descansar e, claro, colocar as leituras em dia.
Para inspirar aquelas pessoas que pretendem passar os dias de Carnaval em casa, lendo um bom livro, resolvi responder à Tag Carnaval Literário. Eu vi essa tag no blog Garotas Devorando Livros, mas ela foi criada originalmente pelo blog Dois Dedos de Bagunça.


1 – O maior bloco do mundo: Inspirado no Galo da Madrugada, aquele livro que todo mundo amou, você estava com medo de ler e não gostar só que você também caiu na folia e amou.             Um dos livros mais elogiados o ano passado foi The kiss of deception, da Mary E. Pearson. Fiquei com uma expectativa tão alta por causa de todos os elogios e da edição maravilhosa da DarkSide Books, que tive muito medo de não gostar do livro. Medo este que se mostrou completamente infundado, porque eu amei o livro e foi uma das minhas leituras favoritas de 2016.

2 – Sambódromo: é uma folia só, mas de vez em quando, no sorteio a sua escola é a última a se apresentar na noite. Ou seja, aquele livro que você leu, leu, leu, leu, mas pareceu nunca chegar aos finalmente. (Livro arrastado / repetitivo).Eu quase escolhi “Comer, rezar, amar” para essa pergunta porque eu demorei 5 anos para ler. Mas, mesmo tendo sido uma leitura que achei muito arrastada, nada supera O Senhor dos Anéis: As Duas Torres. Eu comecei a ler há anos e depois de muito arrastar com a leitura, acabei deixando de lado. Isso já tem mais de 8 anos. Mas tenho plena consciência da importância da obra do Tolkien e tenho muita vontade de fazer uma segunda tentativa com O Senhor dos Anéis.


3 – Camarote: o que significa aqui é que você é VIP. Um livro que você leu antes dos seus amigos, ou antes de todo mundo (antes de virar modinha/febre).Para essa pergunta, a resposta foi bem fácil: Fazendo meu filme, da Paula Pimenta. Eu li esse livro logo que foi lançado, em 2008, muito antes de fazer todo esse sucesso com o público adolescente. Assim, Fazendo Meu Filme tem um lugar especial no meu coração tanto pela identificação que eu senti desde o começo com a Fani, mas também por eu ter acompanhado desde que o comecinho.

4 – Pipoca: você estava lá, vendo todo mundo correr atrás do trio, mas teve que ficar na pipoca. Aquele livro que todo mundo leu/comprou antes de você, e você ficou passando vontade até comprar, mesmo sendo depois de todos os seus amigos ou de virar modinha.Com certeza, Os Instrumentos Mortais, da Cassandra Clare. Inacreditavelmente, só fui começar a ler essa série o ano passado e não preciso nem dizer que eu amei, né? Rapidamente, essa se tornou uma das minhas séries favoritas e eu me apaixonei completamente pela escrita da Cassandra Clare.



5 – Todo carnaval tem seu fim: a série que você mais amou ou odiou por ter acabado.Acho que essa também era bem fácil de imaginar qual seria minha resposta. Se tem uma série que eu não consigo superar o fato de que acabou é Harry Potter. Eu sei que ano passado foi lançado “Harry Potter e a Criança Amaldiçoada” e, ao contrário de muitas pessoas, eu adorei o livro. Porém, nada se compara ao que eu senti acompanhando os sete livros da série e é disso que sinto falta. 




6 – Todo mundo muito louco: um livro que te indicaram falando que era a sua cara, mas quando você leu foi uma decepção.Acho que as pessoas me conhecem bem, porque não me lembro de terem falado que um livro era a minha cara e eu não ter gostado. Mas, vou citar um livro que tinha uma expectativa muito alta e acabei não gostando: Crepúsculo. Era um livro que tinha certeza que iria gostar e não funcionou para mim. Não é que eu tenha detestado o livro, mas tinha uma expectativa totalmente diferente e acabei me sentindo frustrada quando acabei de ler. 



7 – Ressaca: o último livro que te deixou de ressaca literária (não precisa ser ressaca ruim, pode ser só aquela ressaca de que você está preso demais àquele universo).Um livro que li esse ano e me deixou com uma baita ressaca literária foi Sete minutos depois da meia-noite, do Patrick Ness. Esse livro mexeu muito comigo e me fez refletir sobre tantas coisas, que foi difícil me interessar por outro livro depois e demorei uns dias para conseguir começar uma nova leitura.




E aí, gostaram da tag? Não deixem de me contar nos comentários suas respostas e também se vão aproveitar o Carnaval para ler ou para cair na folia. Bom feriado para todos, muito juízo para quem for curtir o Carnaval e ótimas leituras para quem for ler!

Lançamento - A guerra que salvou minha vida


Ontem a Caveirinha mais linda do Brasil, também conhecida como DarkSide Books, anunciou mais uma novidade incrível para a linha DarkLove. O próximo lançamento da editora será o livro “A guerra que salvou minha vida”, da autora Kimberly Bradley.
Em mais uma edição maravilhosa, como já é marca registrada da DarkSide, o livro tem lançamento previsto para o dia 20 de março e promete conquistar o coração de quem amou “Em algum lugar nas estrelas”, outro sucesso da linha DarkLove. Abaixo, vocês conferem algumas imagens e o release que a DarkSide divulgou.

Muitas guerras começam dentro de nós.
Este é um daqueles romances que você lê com um nó no peito, sorriso no rosto e lágrimas nos olhos entre um parágrafo e outro. Uma obra sobre as muitas batalhas que precisamos vencer para conquistar um lugar no mundo.  
Combinando a ternura de Em algum lugar nas estrelas, outro título da coleção DarkLove, com a realidade angustiante de O diário de Anne Frank, A guerra que salvou minha vida apresenta uma perspectiva da II Guerra Mundial vista pelos olhos de uma menina que se transforma em refugiada no seu próprio país. Mais uma oportunidade perfeita para emocionar corações de todas as idades e relembrar os valores do companheirismo e da amizade em todos os momentos da nossa vida.


Sinopse: Ada tem dez anos (ao menos é o que ela acha). A menina nunca saiu de casa, para não envergonhar a mãe na frente dos outros. Da janela, vê o irmão brincar, correr, pular – coisas que qualquer criança sabe fazer. Qualquer criança que não tenha nascido com o pé torto como o seu. Trancada num apartamento, Ada cuida da casa e do irmão sozinha, além de ter que escapar dos maus tratos diários que sofre da mãe. Ainda bem que há uma guerra se aproximando.
Autora: Kimberly Brubaker BradleyEditora: DarkSidePáginas: 240Edição: 1ª




E aí, quem mais ficou ansioso para ler “A Guerra que salvou minha vida”? Eu confesso que não vejo a hora de conhecer mais esse lançamento da DarkSide. E para quem ficou curioso, vocês podem conferir o release completo no site da editora, aqui

[Dica da Malu] Anexos

Sinopse: “Beth Fremont e Jennifer Scribner-Snyder sabem que alguém está monitorando seus e-mails de trabalho. (Todo mundo na redação sabe. É política da empresa.) Mas elas não conseguem levar isso tão a sério, e continuam trocando e-mails intermináveis e infinitamente hilariantes, discutindo cada aspecto de suas vidas. Enquanto isso, Lincoln O’Neill não consegue acreditar que este é agora o seu trabalho: ler os e-mails de outras pessoas. Quando ele se candidatou para ser agente de segurança na internet, se imaginou construindo firewalls e desmascarando hackers e não escrevendo um relatório toda vez que uma mensagem esportiva vinha acompanhada de uma piada suja. Quando Lincoln se depara com as mensagens de Beth e Jennifer, ele sabe que deveria denunciá-las. Mas ele não consegue deixar de se divertir e se cativar por suas histórias. No momento que Lincoln percebe que está se apaixonando por Beth, é tarde demais para se apresentar. Afinal, o que ele diria...?
Autora: Rainbow Rowell / Editora: Novo Século / Páginas: 368
Comprar: Amazon

“Anexos” é o segundo livro da autora Rainbow Rowell que eu tenho a oportunidade de ler. Meu primeiro contato com ela foi pelo livro “Eleanor & Park”, e quem viu o resumo das minhas leituras de 2016 (aqui) sabe que ele foi uma decepção para mim. Não que o livro seja ruim. Ele aborda temas muito sérios e importantes, e até me surpreendi ao ver um livro jovem adulto fugindo dos clichês e trabalhando assuntos tão complexos, mas achei o final mal construído e me frustrei. No entanto, sendo a Rainbow Rowell uma autora tão popular, resolvi dar uma segunda chance e ler outro livro dela. Felizmente, desta vez fiquei mais satisfeita com a leitura
O livro contará a história de três personagens que trabalham no mesmo jornal. Lincoln trabalha à noite no setor de TI e é responsável por verificar os e-mails trocados pelos funcionários para ver se eles não estão tratando de assuntos que fujam àqueles relativos ao trabalho. Beth e Jennifer são duas amigas que, mesmo trabalhando no mesmo jornal, sentam-se longe uma da outra e, por isso, usam o e-mail para conversar sobre os mais diversos assuntos, sendo que nenhum deles é profissional. O problema é que as conversas delas começam a se tornar o melhor momento das noites de trabalho de Lincoln e ele perde a coragem de mandar advertências para elas.
Apesar de ser um livro com um tom de humor muito forte, alguns temas abordados são mais sérios. Aliás, uma coisa que me chamou a atenção neste livro é que, apesar de ser um pouco absurda a forma como os personagens se conectam, eles são muito reais. Cada um dos três protagonistas tem seus próprios dilemas que são muito concretos e compreensíveis.
Lincoln vive sem ter certeza do que realmente quer fazer da vida. Ele está em um emprego que não gosta, sem nenhuma aspiração na vida e sem conseguir superar o fim de seu único relacionamento sério. Beth gosta do seu trabalho, mas está em um relacionamento no qual ela não sabe mais como realmente se conectar com seu namorado. Ele tem uma banda, a qual Beth já não tem mais entusiasmo em acompanhar, e isso faz com que a distância entre eles se torne maior a cada dia. Já Jennifer tem um casamento tido como perfeito, mas sofre com o fato de que seu marido sonha em ter um filho, enquanto a simples ideia a deixa apavorada. Ela não quer nem ouvir falar de engravidar, mas teme que isso a afaste do seu marido.
É interessante como, de uma maneira leve, a autora faz com que o leitor comece a se questionar sobre muitas coisas a partir dos conflitos vividos pelos personagens. É justificável ficar em um emprego que não suporta porque ele é estável? Uma mulher é realmente obrigada a desejar ter filhos? Até que ponto é saudável ficar em um relacionamento quando já não há nada em comum ligando o casal?
Assim, um aspecto que eu já havia notado em “Eleanor & Park” se reforçou em “Anexos”: a capacidade da Rainbow Rowell de criar personagens muito humanos e despertar a empatia do leitor. É fácil compreender os conflitos vividos por cada um deles, mesmo que algumas de suas atitudes sejam muito questionáveis (para dizer o mínimo). Além disso, é possível que o leitor se enxergue em muitas situações ou conflitos retratados.
Outro ponto positivo de “Anexos” é que os personagens realmente amadurecem. Ao contrário de trazer adultos bem resolvidos, que sabem exatamente o que querem da vida e tem tudo sob controle, Rainbow Rowell nos apresenta três protagonistas que começam completamente perdidos em seus conflitos, sem saber o que realmente desejam ou qual direção seguir. Mais do que o romance, o aspecto mais interessante deste livro é ver esses personagens se redescobrindo e amadurecendo.
O desfecho é satisfatório, apesar de não ser exatamente o que eu desejava. Ao contrário do que havia acontecido no outro livro que li da autora, aqui ela soube construir o final e fazer com que ele fosse condizente com tudo que os personagens viveram e demonstraram ao longo do livro.
Assim, “Anexos” pode não ser o melhor livro que já vi na vida e, talvez, ainda não explique o motivo de tantas pessoas amarem o trabalho da Rainbow Rowell, mas é uma leitura envolvente e que traz personagens interessantes e bem construídos. No mínimo, serviu para devolver minha curiosidade para ler outros livros da autora. Então, é a minha dica para quem procura uma leitura agradável, com personagens humanos e temas um pouco mais complexos que a maioria dos livros do gênero.

E quem já leu “Anexos”? Me contem aí nos comentários o que acharam do livro. Para quem se interessou, deixei o link de compra no site da Amazon disponível no início do post. 

Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.