[Dica da Malu] Guerra do Velho

Sinopse: “A humanidade finalmente chegou à era das viagens interestelares. A má notícia é que há poucos planetas habitáveis disponíveis – e muitos alienígenas lutando por eles. Para proteger a Terra e também conquistar novos territórios, a raça humana conta com tecnologias inovadoras e com a habilidade e a disposição das FCD – Forças Coloniais de Defesa. Mas, para se alistar, é necessário ter mais de 75 anos. John Perry vai aceitar o desafio, e ele tem apenas uma vaga ideia do que pode esperar”.
Autor: John Scalzi / Editora: Aleph / Páginas: 368
Compar: Amazon

Já imaginou chegar aos 75 anos e poder voltar a ser jovem? Ter a disposição e a energia da juventude, porém com a maturidade e experiência acumuladas ao longo de mais de sete décadas. É exatamente isso que os personagens de Guerra do Velho acreditam que acontecerá com eles quando se alistarem para o exército. Isso mesmo: aos 75 anos, eles voluntariamente se alistam para servirem no exército. Porém, não servirão em nenhum regimento na terra, mas nas Forças de Defesa Coloniais, no espaço.
Guerra do Velho se passa em um futuro onde a humanidade já conseguiu realizar viagens intergalácticas e colonizar outros planetas. O problema é que não somos o único povo no espaço, portanto, há guerras causas pela disputa de territórios. Assim, cabe às Forças Coloniais de Defesa proteger as colônias humanas e colonizar novos planetas.
O livro acompanhará John Perry, um senhor aposentado que no seu aniversário de 75 anos confirma seu alistamento nas Forças de Defesa Coloniais. Tudo o que ele sabia sobre as FCD era que elas eram responsáveis pela proteção das colônias humanas; ele não tinha ideia de como isso era feito e nem o motivo de só aceitarem recrutas que já tivessem completado 75 anos. Mesmo assim, John mantém a decisão de se alistar, pois, tendo perdido a esposa oito anos antes, ele sentia que não havia mais nada que o prendesse na Terra. Deste modo, ele voluntariamente, junto com outras pessoas que também completaram 75 anos, concorda em abrir mão de toda sua vida na Terra para ir lutar no espaço.
Confesso que essa resenha será um pouco complicada, porque não posso contar quase nada além do que já falei. É um livro que se torna muito mais interessante quando o leitor vai descobrindo aquele universo junto com o protagonista, então, não vou falar mais nada sobre o enredo.
A primeira coisa que destaco nesse livro é a escrita de John Scalzi. Por não ter o hábito de ler ficção científica, achei que poderia me sentir um pouco perdida ou achar a leitura arrastada. Felizmente, nenhuma das duas coisas aconteceu. A escrita do autor é muito ágil e envolvente, prendendo a atenção desde o começo. Além disso, como o protagonista é o narrador, o leitor vai descobrindo aquele universo junto com ele.
Outro ponto positivo do livro é que são feitas várias questões sobre ética, humanidade e a dificuldade de se relacionar com povos diferentes. À medida que vai compreendendo sua nova realidade, John começa a se indagar sobre aquela guerra, o relacionamento dos humanos com os outros seres que habitavam o espaço, e, principalmente, sobre o que o tornava humano. E, o mais interessante de tudo, é que esses questionamentos não seguem pelo caminho clichê que eu imaginava. A abordagem aqui é diferente de tudo que eu imaginei.
Com relação aos personagens, gostei da forma como o autor soube construí-los. Tive medo de que, por ser uma trama muito ágil e com muitos personagens, eles acabassem sendo superficiais. No entanto, John Scalzi foi eficiente em fazer com que o leitor os conhecesse e até mesmo se apegasse a eles. Além disso, ele não recorre a muitas descrições para explica-los. É por meio dos diálogos que o leitor vai entender a personalidade de cada um dos personagens, com seus medos, desejos e planos.
É interessante notar também que, como as pessoas só são recrutadas para servir nas FCD quando completam 75 anos, os personagens são extremamente maduros. Eles têm uma vida inteira de experiência, fazendo com que não tenham as inseguranças tolas que muitas vezes vemos em personagens mais jovens.
Por fim, destaco o quão interessante é o universo criado por John Scalzi. À cada página lida, percebemos novas nuances e ficamos mais fascinados com tudo que está sendo apresentado. Além disso, com o desenrolar dos acontecimentos, a trama e os personagens se tornam mais complexos e interessantes, despertando novos questionamentos nos leitores.
 Guerra do Velho é o primeiro volume de uma série e, confesso, estou bem curiosa para ler as continuações. Não que o final deste não seja satisfatório, pois, para mim, foi excelente. No entanto, algumas questões foram deixadas em aberto e aquele universo é tão interessante que dá vontade de ler mais sobre ele.
Recomendo muito este livro para quem gosta de ficção científica ou aqueles leitores que desejam começar a se aventurar nesse gênero. É uma leitura rápida, envolvente e de fácil compreensão, sem nenhuma teoria muito complexa envolvida. Trata-se de uma trama de tirar o fôlego e que ainda proporcionará alguns questionamentos interessantes.

Agora quero saber a opinião de vocês sobre Guerra do Velho. Me contem aí se ficaram interessados ou, se já leram, o que acharam da leitura. 

Dos livros para o Oscar


Hoje acontece em Los Angeles a maior premiação de cinema do mundo. Estou falando, claro, do Oscar. Os melhores do cinema de 2016 estarão representados lá, concorrendo nas mais diversas categorias. E, para entrar no clima dessa cerimônia tão aguardada, resolvi trazer uma listinha especial para vocês hoje.
Para mostrar que Oscar e literatura têm tudo a ver, vou falar aqui de alguns filmes que estão concorrendo este ano e que foram inspirados em livros.

A chegada
Indicado à oito estatuetas do Oscar, incluindo Melhor Filme, A chegada é adaptado a partir do conto “História da sua vida” presente na antologia “História da sua vida e outros contos” de Ted Chiang.
No longa, a linguista Dra. Louise Banks é convidada para interpretar marcas deixadas na Terra por seres interplanetários. Assim, juntamente com o físico Ian Donelly, ela deverá identificar se esses seres representam ou não uma ameaça para o nosso planeta.
Graças ao sucesso do filme, o livro “História da sua vida e outros contos” foi publicado no Brasil pela Editora Intrínseca.

Estrelas além do tempo
Com três indicações ao Oscar, incluindo Melhor Filme e Melhor Roteiro Adaptado, “Estrelas Além do Tempo” conta a história de três matemáticas incríveis, que fizeram história durante a década de 1960. Em meio à corrida espacial e armamentista entre EUA e União Soviética, elas foram fundamentais para ida do homem ao espaço pela primeira vez. No entanto, para que isso fosse possível, essas três mulheres tiveram que se esforçar muito para mostrar sua competência e enfrentar dia após dia a discriminação racial dentro da Nasa.
O filme, dirigido por Theodore Melfi e estrelado por Taraji P. Henson, Octavia Spencer e Janelle Monáe, é inspirado no livro homônimo de Margot Lee Shetterly e foi publicado no Brasil pela editora Harper Collins Brasil.

Lion: Uma jornada para casa.
O filme conta a história de Saroo, um menino que aos cinco anos perdeu seu irmão e acabou viajando para o outro lado da Índia. Sem saber seu nome ou o lugar de onde tinha vindo, Saroo é adotado por um casal australiano. Ele cresce sem se esquecer de sua origem e, utilizando o Google Earth, ele resolve iniciar uma jornada de volta para sua verdadeira casa.
Indicado a Melhor Filme e em mais cinco categorias, “Lion: Uma jornada para casa” é uma adaptação do livro “Uma longa jornada para casa”, a autobiografia de Saroo Bradley publicada no Brasil pela Editora Record.


Um limite entre nós
Dirigido e estrelado por Denzel Washington, “Um limite entre nós” conta a história de um homem que sonhava desde pequeno em se tornar um astro de baseball, mas que nunca conseguiu jogar profissionalmente. Para sobreviver e sustentar a família, ele acabou se tornando catador de lixo. Frustrado por não ter realizado seu sonho, ele vive um relacionamento complicado com a esposa, os filhos e os amigos.
O filme, que também conta no elenco com a brilhante Viola Davis, é adaptado da peça teatral homônima do escritor August Wilson e está indicado nas categorias de Melhor Filme, Melhor Ator, Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Roteiro Adaptado.


Um homem chamado Ove
O filme sueco indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro é adaptado do livro homônimo de Frederick Backman. Trata-se da história de Ove, um senhor mal-humorado que detesta pessoas. Depois de perder a esposa, ele já não tinha fé na humanidade e decide se matar. Porém, com a mudança de novos vizinhos, Ove acaba sendo impedido e uma inesperada amizade surge entre eles.
No Brasil, o livro “Um homem chamado Ove” foi publicado pela Editora Alfaguara.


Animais noturnos
Dirigido por Tom Ford, Animais noturnos é estrelado por Amy Adams e Jake Gyllenhaal e conta a história de um casal, Susan e Edward, que se separou há muitos anos. Um dia, Edward envia a Sunsan o manuscrito do seu primeiro romance, afirmando que ela sempre foi a sua melhor crítica. O romance conta a história de um homem que vai passar férias com a mulher e a filha, mas de madrugada, na estrada, eles são confrontados por três jovens violentos. Durante a leitura, Susan acaba sendo levada a relembrar traumas do seu primeiro casamento e a repensar a sua vida.
O filme, que rendeu uma indicação de melhor ator coadjuvante a Michael Shanoon, é uma adaptação do livro “Tony e Susan”, de Austin Wright, publicado no Brasil pela Editora Intrínseca.

Moonlight: Sob a luz do luar
Adaptado a partir da peça inédita de Tarell Alvin McCraney, “Moonlight” está indicado em oito categorias no Oscar, incluindo Melhor Filme e Melhor Roteiro Adaptado. O filme acompanha o protagonista Chiron em três momentos de sua vida. Trata-se da jornada de um jovem negro morador de um bairro pobre de Miami, mostrando sua infância quando teve que lidar com o bullying, a sua crise de identidade na adolescência, e o seu crescimento em um jovem adulto, vivenciando a tentação das drogas e do crime.  



Menção honrosa: Animais Fantásticos e Onde Habitam.
Claro que eu não poderia deixar de mencionar aqui o filme Animais Fantásticos e Onde Habitam. Com roteiro escrito por J. K. Rowling, ele não é exatamente uma adaptação, mas todas as criaturas que aparecem no livro são retratadas no livro que Harry usa na escola para a disciplina Trato das Criatura Mágicas. Além disso, o autor do livro, Newt Scamander é o protagonista do filme.
Para quem não sabe, este filme contará a história de magizoologista Newt Scamander, que chega para sua primeira viagem aos EUA carregando uma maleta cheia com as mais diversas criaturas mágicas. Quando sem querer, Newt acaba trocando de bagagem com o humano Jacob Kowalski, algumas dessas criaturas ficam soltas em Nova York. Assim, eles iniciam uma busca pelos animais perdidos, mas têm sua missão dificultada por misteriosos ataques ocorrendo na cidade e que podem estar relacionados com o poderoso bruxo das trevas, Grindewald.


            E aí, quem mais vai assistir à cerimônia do Oscar hoje? Me contem aí nos comentários se vocês já assistiram algum desses filmes e qual é o seu favorito.

Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.