Lançamentos de Agosto - Galera Record

Hoje eu vim trazer aquele post que faz a alegria de muita gente: anúncio de lançamentos do mês da Galera Record. Então, já podem se preparar para ampliar a lista de desejados que as novidades de agosto estão bem legais.

O problema do para sempre – Jennifer L. Armentrout. Sinopse: “Mallory viveu muito tempo em silêncio. Mas o destino lhe reserva um novo desafio. E ela percebe que está na hora de encontrar a própria voz. Já na infância, Mallory Dodge percebeu que só poderia sobreviver se ficasse calada. Teve que aprender a ficar o mais quieta possível. Aprendeu a passar despercebida. A se esconder. Mas agora, após ter sido adotada por pais amorosos e dedicados, ela precisa enfrentar um novo desafio: sobreviver ao último ano do Ensino Médio numa escola de verdade. O que Mallory não imaginava é que logo no primeiro dia de aula daria de cara com um velho amigo que não via desde criança, quando viviam juntos no abrigo. E começa a notar que não é a única que guarda cicatrizes do passado, além de uma paixão adormecida e inevitável”. Páginas: 392

Loki & Mori – Heather W. Petty. Sinopse: “Um assassinato uniu Lock e Mori. A verdade pode separá-los para sempre. Uma pessoa foi assassinada no Regent’s Park, a polícia não tem pistas. Sherlock Holmes, um adolescente brilhante, desafia a jovem James Moriarty a resolver o crime antes que ele mesmo o faça. Existe uma única regra: devem compartilhar todas as informações que encontrarem. O que começou como um jogo divertido logo se torna assustador. À medida que se aproxima da solução do caso, Mori descobre que o assassinato está conectado ao próprio passado. Agora, a garota está guardando segredos de Sherlock, de sua família e da melhor amiga... E esses segredos podem trazer severas consequências. Para salvar aqueles que ama, Mori está disposta a acabar com tudo com as próprias mãos. Será que Lock ainda estará ao seu lado quando tudo estiver resolvido? Esse é um mistério que Mori não pode solucionar”. Páginas: 256

Treze – FML Pepper. Sinopse: "O azar pode ser a sua ruína. A sorte também. Da mesma autora da trilogia Não pare! Rebeca. Uma garota sem escrúpulos ou fé, criada para ser ladra. O esquema para o novo e maior golpe de sua vida é irretocável, perfeito... até encontrar Madame Nadeje, a enigmática cartomante do decadente parque de diversões. Ouvir seus segredos mais íntimos seguidos de profecias perturbadoras, entretanto, não impedem Rebeca de ir adiante. Seu mundo matemático e lógico desmorona ao enfrentar as previsões da vidente, e sua vida se transforma em um pesadelo. Karl, um orgulhoso e passional lutador de MMA, passa por uma grande decepção. Incapaz de aceitar derrotas, ele comete um erro estúpido e, de herói, se torna vítima em segundos. Um acidente deixa em seu cérebro um coágulo inoperável que pode se romper num piscar de olhos. Determinado a esconder a terrível condição de todos, ele resolve levar uma vida tranquila e passar longe de brigas. Um plano perfeito... até conhecer Rebeca. " Páginas: 406

O garoto está de volta – Meg Cabot. Sinopse: “Um escândalo traz de volta à pequena cidade natal, à família e ao primeiro amor uma estrela do golfe. Reed Stewart pensou que todos os problemas de cidade pequena — incluindo um coração partido — haviam ficado para trás quando ele abandonou a microscópica Bloomville, Indiana, há dez anos para se tornar um rico e famoso profissional do golfe. Até um post na internet ter ressuscitado todas as suas inseguranças de adolescente. Becky Flowers investiu tempo e recursos para se tornar uma bem-sucedida profissional no ramo de realocação de idosos. Mas ela trabalhou ainda mais duro para esquecer que Reed Stewart sequer existia. Ela não tinha, absolutamente, a menor intenção de revê-lo, agora que ele voltou... até a família do garoto a contratar para ajudar na mudança dos pais.” Páginas: 352

A caça ao snark – Lewis Carroll / Ilustrador: Chris Riddell. Sinopse: “Uma versão luxuosa de A caça ao Snark, poema nonsense de Lewis Carroll, que traz ilustrações e introdução de Chris Riddell, além de tradução da poeta Bruna Beber. Paladar nítido e incoerente; hábito de acordar tarde; lentidão em fazer graça; fascínio por carrinhos de banho, levando o seu consigo debaixo de chuva ou de sol; finalmente, mas não menos importante, sua ambição é tanta, mas tanta, que distingue os penosos mordedores dos bigodudos arranharentos. É difícil dizer o que é um Snark. Mas não se preocupe! Saberá que está diante de um quando o vir. Ele é imbatível. Arrebatador. Se acalme, amigo. Não vamos ficar afoitos. Entre no navio, se junte aos outros e não faça como o padeiro, que desmaiou agora há pouco. Essa nova versão luxuosa de A caça ao Snark, poema nonsense de Lewis Carroll, traz ilustrações e introdução de Chris Riddell, premiado autor das séries Otolina e Garota Gotic, além de tradução da poeta Bruna Beber. A caça ao Snark está há anos fora das prateleiras brasileiras e é uma verdadeira joia para admirados de Carroll e sua literatura”. Páginas: 96

Gostaram das novidades? Não deixem de me contar nos comentários se vocês já leram ou querem ler algum destes lançamentos de agosto da Galera Record.

E, para quem se interessou, vou aproveitar e contar outra novidade: começou hoje, ao meio-dia, a Book Friday da Amazon. São milhares de livros e ebooks em promoção, além de desconto de R$ 80,00 nos modelos Kindle e Kindle Paperwhite, e o melhor de tudo é que o frete é grátis para todo o Brasil, independentemente do valor da compra. Não dá para perder né? Mas tem que correr, porque a promoção é só até as 23:59 de amanhã (18 de agosto). Então, aproveitem para comprar algum desses lançamentos ou aquele livro que já está na lista de desejados há um tempão: http://amzn.to/2vMApjI

[Dica da Malu] Confissões on-line

Sinopse: “Prudência é uma característica que só consta no sobrenome de Mariana Prudente. A menina viu sua vida mudar de cabeça para baixo em poucos meses: perdeu a popularidade, o namorado, a melhor amiga e o grande sonho de fazer um intercâmbio. Mariana vê seu nome rabiscado nas cabines do banheiro da escola e escuta fofocas sobre ela pelos corredores do colégio e fica sem rumo. O vestibular se aproxima, sua irmã está enlouquecida por causa do casamento marcado, e tudo que ela quer é não pirar enquanto suporta os últimos meses no ensino médio. Sem lugar para desabafar, Mari vê no ambiente virtual uma chance de descarregar todas as angústias do mundo off-line, criando o blog Marinando. Com sua banda preferida como trilha sonora, ela conta com a ajuda de Arthur e Carina para mergulhar no mundo virtual e esquecer os problemas do mundo real. Com uma câmera na mão e alguns vídeos na internet, Mariana Prudente vê sua vida mudar mais uma vez, pois chegou a hora de sair dos bastidores e ser protagonista novamente.”Autora: Iris Figueiredo / Editora: Évora (selo Generale) / Páginas: 240 / Comprar: Amazon / Site da editora Exemplar cedido pela editora.

Já imaginou ter sua vida completamente transformada pela internet? É isso que acontece com Mariana Prudente, uma adolescente de 17 anos, protagonista do livro “Confissões on-line: Os bastidores da minha vida virtual”, da autora brasileira Iris Figueiredo. Sua vida estava cheia de problemas e, sem ter com quem desabafar, ela resolve criar um canal no YouTube e contar um pouco sobre a sua vida. O que Mariana não esperava é que, de uma hora para outra, esse canal ia conquistar muitos seguidores e virar sua vida de cabeça para baixo, mais uma vez.

“Foi uma fofoca que colocou minha vida de cabeça para baixo de um dia para o outro. Sem chances de explicação, fui deixada na mão. Em uma semana, eu tinha tudo: amigos, namorado e uma reputação; na outra, eu só tinha a certeza de que não era culpada de nada do que me acusaram.”

Confesso que, quando comecei a ler, achava que os problemas que desestabilizaram a vida de Mariana tinham uma boa dose de drama adolescente. No entanto, à medida que fui lendo, percebi que eram motivos consistentes e que poderiam acontecer com qualquer adolescente. Uma fofoca fez com que Mariana ficasse isolada na escola e se tornasse alvo da hostilidade dos colegas. Além disso, de uma vez só, ela perdeu o namorado e praticamente todos os amigos. E, para completar, o intercâmbio que ela faria para o Canadá foi adiado, pois a irmã mais velha dela, Melissa, ficou noiva e seus pais não tinham dinheiro para pagar a viagem e o casamento. Assim, Mariana teve que adiar seu sonho e a chance de se livrar de todos os problemas no colégio.
O segredo sobre o que realmente aconteceu com Mariana e qual era a fofoca que havia sido inventada sobre ela não é revelado; a autora vai dando pequenos indícios durante o livro, mas a extensão e gravidade do que aconteceu só é descoberto mais para o final. Claro que eu não vou contar aqui o que é, mas é um assunto sério e, infelizmente, muito atual.
Aliás, um dos pontos positivos que encontrei nesse livro é que, ao contrário do que eu imaginei a princípio, a autora aborda vários temas importantes. E, apesar de ser tudo discutido de uma maneira leve, bem adequada ao público adolescente, ela não tira a seriedade das questões discutidas. Assim, entre os diversos assuntos que são abordados, estão o bullying, a fofoca, transtornos alimentares, os riscos da exposição na internet, entre outros.

“Foi um olhar dividido na mesa daquela pizzaria que me fez ter certeza do que ela estava passando, um olhar cheio de dúvida, medo e tristeza. E agora tudo que eu queria era ajudá-la, mas não sabia como.”

Com relação aos personagens, eu gostei bastante de como foram construídos. Eles não são infantilizados, mas também não parecem adultos em corpos de adolescentes. São jovens normais, com problemas, um pouco de drama, sonhos e inseguranças. Aliás, muitas das situações vividas são comuns à qualquer um que foi ou é adolescente: a preocupação com o vestibular, o medo do futuro, a necessidade de ser aceito, a empolgação de assistir ao show da banda favorita, a insegurança com o próprio corpo e, claro, os conflitos amorosos e nas amizades.
Assim, a Mariana é uma protagonista cativante, mas também muito humana. Qualquer um que já foi adolescente vai se identificar com ela ou, pelo menos, sentir empatia. Ela é inteligente, carismática, tem personalidade e um senso de humor afiado, mas também tem dúvidas, inseguranças e enfrenta problemas que são críveis. Lógico que há algumas situações um tanto exageradas, mas, considerando o contexto e o fato de ser um livro jovem adulto, dá para relevar. Mas o que mais me chamou a atenção nessa personagem é que ela comete muitos erros ao longo do livro (quem nunca, não é mesmo?), mas também amadurece com eles.
Os demais personagens da trama são bem construídos e conquistam a simpatia do leitor, pelo menos, a maioria deles. Há um grupinho que inferniza a vida de Mariana e que são realmente destetáveis, mas, infelizmente, não deixam de ser críveis, pois há muitos jovens que agem exatamente como eles. Por outro lado, Carina, a melhor amiga dela, Bernardo e Arthur se destacaram ao longo do livro e agregaram bastante à história.



Não poderia deixar de mencionar também que o romance na história é fofo e bem construído. No começo, tive um certo receio de que seria mais um caso de amor à primeira vista, o que normalmente me irrita muito, mas isso não acontece. O interesse de Mariana fica claro desde o começo, mas a aproximação entre eles é natural e o romance foi construído aos poucos.
Com relação à escrita de Iris Figueiredo, achei natural e envolvente. Ela soube retratar problemas reais da adolescência de uma maneira condizente com a realidade, mas sem tornar a história pesada ou excessivamente dramática. Além disso, a trama foi conduzida de uma maneira dinâmica e envolvente, com diálogos divertidos e, ocasionalmente, algumas mensagens trocadas por celular, e-mail ou Facebook.
A edição do livro está linda e com detalhes que ajudam a compor a história. Além da capa que tem tudo a ver com a trama, o livro conta também com as ilustrações das mensagens trocadas entre os personagens, bem como de páginas de revistas. Não encontrei nenhum erro de revisão e, apesar de achar que a fonte do livro poderia ser um pouco maior, não é nada que chegue a atrapalhar a leitura, ainda mais com as páginas amareladas que facilitam bastante.
De modo geral, gostei bastante do livro e indico bastante para quem está na adolescência. A autora trabalhou temas muito apropriados para esse público de uma maneira leve, mas que deixa claro a seriedade deles. No entanto, não é uma leitura que fica limitada ao público alvo. Qualquer um que já passou por essa fase vai se identificar com pelo menos alguma das situações retratadas e se divertir com as confusões em que Mariana se envolve. Gostei deste livro muito mais do que esperava e já li o segundo, cuja resenha deve sair aqui no blog ainda essa semana.

Gostaram da resenha? Quero muito saber a opinião de vocês, então, me contem aí nos comentários se vocês já leram ou querem ler esse livro. 

Tag - Pai Literário


No segundo domingo de maio, é comemorado no Brasil o Dia dos Pais. Então, para homenagear a data de hoje resolvi responder a Tag Pais Literários criada pela Sabrina do blog SteLivros. São cinco perguntas que envolvem citar um pai da literatura que tenha a ver com tipos de pai da vida real.
Então, vamos às minhas respostas:

1 – Pãe: Pai que também é mãe

Para essa pergunta, pensei em um personagem que, apesar de não ter filhos, é um ótimo “pãe”: o Hagrid, da série Harry Potter. Não dá para negar que ele trata o Harry, o Rony e a Hermione como se fossem seus filhos mesmo, e ainda tem o maior jeito de mãe. Inclusive, como esquecer quando ele “adotou” um filhote de dragão e ainda soltou a famosa frase “ele reconhece a mamãe”.


2 – Pai artista
Claro que o Hans, pai adotivo da Liesel, em A menina que roubava livros, teria que aparecer nessa tag, não é mesmo? Ele é um dos meus pais preferidos da literatura e não poderia ficar de fora. Por esse motivo, quando vi esta pergunta, ele foi o primeiro personagem a vir na minha mente. Além de ser um pai amoroso e dedicado, ele é violinista e usa sua música tanto para sustentar sua família quanto para alegrar sua filha.

3 – Pai estiloso
Essa foi provavelmente a pergunta que gastei mais tempo tentando pensar em uma resposta. Não conseguia lembrar de imediato de nenhum pai da literatura que tivesse estiloso como uma de suas características. Mas depois que lembrei fiquei me perguntando como não pensei nele antes: Magnus Bane, o famoso feiticeiro da série Os Instrumentos Mortais. Ele não aparece apenas nessa série, mas em outras da Cassandra Clare e é, provavelmente, o personagem mais estiloso que eu já li.

4 – Pai companheiro
Para mim, a resposta mais óbvia de todas: Arthur Weasley, da série Harry Potter. Tem como não pensar no amoroso e divertido Sr. Weasley, sempre disposto a proteger e amparar seus sete filhos?  Arthur é um homem gentil, que muitas vezes faz vista grossa para as bagunças dos filhos, mas também sabe o momento de dar bronca e impor limites. Além disso, ele está sempre disposto a orientar e aconselhar, não apenas seus filhos, mas os amigos deles, que ele considera como parte da família.
 
5 – Pai protetor
Quando vi essa pergunta, pensei imediatamente em um personagem que não é pai, mas age como se fosse, e é tão protetor quanto: Anthony Bridgertn, da série Os Bridgertons, da Julia Quinn. O mais velho de oito filhos, Anthony acabou assumindo a criação dos irmão mais novos quando o pai deles morreu. Assim, ele acabou se tornando a figura paterna que os caçulas tiveram e, mais ainda, um pai super-protetor, especialmente para as irmãs.

E aí, gostaram das minhas respostas? Me contem aí nos comentários o que acharam e não deixem de conferir a tag original, neste link.

Lembrando que todos os livros citados na tag, vocês podem adquirir na Amazon, através do link do blog: aqui.

Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.