[Resenha] Espero por você

Autora: J. Lynn (Jennifer L. Armentrout)
Editora: Novo Conceito
Páginas: 384
Recomendação: + 18 anos
Comprar: Amazon
Sinopse:Algumas coisas valem a pena esperar. Algumas coisas valem a pena experimentar. Algumas coisas não devem ser mantidas em silêncio. E, por algumas coisas, vale a pena lutar. Avery Morgansten precisa fugir. Ir para uma faculdade a centenas de quilômetros de casa foi a única forma que encontrou para esquecer o acontecimento fatídico que, cinco anos antes, mudara a sua vida para sempre. O que não estava em seus planos era atrair a atenção do único rapaz que pode mudar totalmente a rota do futuro que Avery está tentando construir. Cameron Hamilton tem um metro e noventa de altura, impressionantes olhos azuis e uma habilidade notável para fazer com que Avery deseje coisas que ela acreditava terem sido roubadas irrevogavelmente dela. Envolver-se com ele é perigoso. No entanto, ignorar a tensão entre eles - e despertar um lado dela que nunca soube que existia - é impossível. Até onde ela estará disposta a ir e o que fará para esquecer o passado e viver aquela relação intensa e apaixonada, que ameaça ruir todas as suas certezas e fazê-la conhecer um mundo de sensações que julgava estar negadas para sempre?” 

Sabe aqueles livros que você não espera nada, mas, de repente, já está totalmente apegado aos personagens? Então, foi exatamente isso que aconteceu comigo quando li Espero por você, da autora Jennifer L. Armentrout com o pseudônimo J. Lynn. Aliás, eu admito que tive uma certa desconfiança antes de ler, pois achei a sinopse parecida com a de outro livro e tive medo de ficar comparando. Porém, por mais que tenha alguns clichês, o livro me conquistou pela maneira como a autora construiu a trama e pela personalidade de seus personagens.
Em Espero por você, o leitor é apresentado a Avery, uma jovem que está prestes a iniciar seu primeiro ano na faculdade. Ela deixou um passado complicado para traz e espero recomeçar sua vida bem longe de casa. O que ela não imaginava é que, no primeiro dia de aula, iria trombar com Cameron Hamilton, um veterano extremamente popular e charmoso. Cam logo se mostra interessado em conhece-la melhor, algo que ele deixa claro quando dá um jeito de se tornar seu parceiro durante todo o semestre nas aulas de Astronomia. Porém, Avery tem um passado e tudo que ela não quer é se envolver com alguém, muito menos um cara como ele.
“Algumas coisas valem a pena esperar. Algumas coisas valem a pena experimentar. Algumas coisas não devem ser mantidas em silêncio. E, por algumas coisas, vale a pena lutar.”

No entanto, Cam não é do tipo que desiste fácil e o destino parece estar a favor dele. Não só ele e Avery serão parceiros na aula, como ele mora no apartamento em frente ao dela. E, se não bastasse a proximidade, ele ainda ganha o apoio dos amigos dela, Jacob e Brit, que desde o começo estão ansiosos para ajudar esse casal. Assim, fica cada vez mais difícil para Avery manter sua decisão de não se envolver.


A primeira coisa que preciso deixar clara é que o enredo pode passar a impressão de que Cameron é daqueles caras que não sabem ouvir não e ficam insistindo e sufocando a mocinha. Porém, Cam é o oposto disso. Ele é charmoso, divertido e bem-humorado, mas nunca impõe a sua presença ou insiste de uma maneira invasiva. Ele se torna amigo da Avery, está sempre disposto a ajudar e ouvir quando ela precisa e, principalmente, a fazê-la sorrir. E, apesar de não esconder o que sente, ele não desrespeita o espaço dela e seus limites.
Deste modo, um dos aspectos que mais gostei em Espero por você é o modo como o romance se desenvolve. Cam é um personagem tão cativante que é impossível não se apaixonar por ele ou não torcer para que ele acabe conquistando o coração da Avery. Além disso, a relação dos dois vai sendo construída aos poucos, de maneira leve e com muito companheirismo, o que a torna ainda mais encantadora.
“Mas você não precisa ficar nervosa. Eu quero estar aqui com você, Avery. Não precisa se preocupar em me impressionar ou coisa parecida. Você já fez isso.”
Outro ponto que gostei bastante no livro é que, por mais que a gente torça pelo casal, os motivos que levam Avery a não querer se envolver são compreensíveis. No início, não sabemos ao certo o que ela esconde sobre seu passado, mas dá para desconfiar ou, no mínimo, perceber que é algo grave e que deixou marcas. Assim, por mais que em alguns momentos eu quisesse sacudir a protagonista e falar que um cara como Cam não se encontra em qualquer lugar, conseguia sentir empatia por ela.
Isso me leva a falar sobre o quanto esses protagonistas são cativantes e capazes de despertar a simpatia do leitor. Ambos carregam segredos e mágoas, cometem erros e têm seus momentos de fraqueza, mas também são divertidos, espontâneos e carismáticos. Apesar do segredo da Avery ser algo que eu suspeitei desde o início, não diminuiu o quanto senti por ela. Já o mistério em relação ao passado do Cam não é tão bombástico quando eu esperava, mas fez com que eu admirasse ainda mais o personagem.
“E foi só isso que sempre existiu. Silêncio. Era só o que eu conhecia. Ficar calada. Fingir que nada tinha acontecido, que nada estava errado.”
E o que dizer dos personagens secundários? O Jacob e a Brit são aquele tipo que a gente queria que fossem nossos amigos, divertidos e alegres, mas leais e sempre dispostos a chamar a atenção de Avery quando ela precisa ouvir umas verdades. Além disso, a família do Cam é incrível e estou ansiosa para ver a irmã dele ganhar mais destaque no segundo livro. Há ainda o Jase, melhor amigo do Cam, que rouba a cena sempre que aparece.
Com relação à escrita de Jennifer L. Armentrout, eu fiquei bastante surpresa. Foi uma leitura rápida, que me envolveu e fez com que eu me apegasse bastante aos personagens. Apesar de ter muitos clichês, eles não incomodam e nem fazem com que a gente deixe de se importar com os personagens por já sabermos o que vai acontecer. Além disso, a autora não exagera nas cenas mais quentes e nem deixa que elas se tornem vulgares. Tudo acontece na história de maneira leve e sem excessos.
Assim, Espero por você foi um livro que me surpreendeu positivamente e me deixou ansiosa para ler sua continuação e conhecer mais sobre o próximo casal que se formará. Trata-se de uma leitura leve e divertida, capaz de fazer o leitor se apaixonar, dar boas risadas e ficar completamente envolvido pela história. Para quem ama aqueles romances que fazem a gente suspirar e perder a noção do tempo, é uma ótima opção.

[Resenha + Sorteio] Um encontro de sombras

Autora: V. E. Schwab
Editora: Record
Páginas: 560
Comprar: Amazon
Exemplar recebido de cortesia da editora
Sinopse: “Kell e Lila estão de volta nesta sequência de Um tom mais escuro de magia Quatro meses se passaram desde que a pedra sombria caíra nas mãos de Kell. Quatro meses desde que seu caminho cruzara com o de Delilah Bard. Quatro meses desde que Rhy fora ferido, que os gêmeos Dane foram derrotados e que a pedra fora enviada com o corpo moribundo de Holland, pelo portal, de volta para a Londres Preta. Em diversos aspectos, as coisas quase voltaram ao normal, apesar de Rhy ficar mais tempo sóbrio e de Kell estar sempre assolado pela própria culpa. Inquieto e tendo desistido dos contrabandos, Kell é frequentemente visitado por sonhos sobre acontecimentos mágicos de mau agouro, acordando apenas para pensar em Lila, que desapareceu no píer como sempre desejara fazer. Conforme a Londres Vermelha finaliza as preparações para os Jogos Elementais (uma competição de magia internacional e extravagante com o intuito de entreter e manter saudáveis os laços entre os países vizinhos), certo navio pirata se aproxima, trazendo velhos amigos de volta ao porto da capital. Mas, enquanto a Londres Vermelha está absorta em bajulações e nas emoções dos Jogos, outra Londres está gradualmente voltando à vida, e aqueles que se pensava estarem perdidos para sempre retornaram. Afinal, uma sombra que se esvai no meio da noite reaparece pela manhã, e tudo indica que a Londres Preta se ergueu novamente. Sendo assim, para manter o equilíbrio da magia, outra Londres deve perecer.”

Olá, leitores! Como vocês estão? Antes de iniciar a resenha de hoje quero contar que ontem foi aniversário de 2 anos do Dicas de Malu. Infelizmente, não consegui fazer um post aqui para marcar a data, porém, quero agradecer a todos vocês que me acompanham aqui. Esse é um projeto que eu faço com muito amor e agradeço de coração a todos que participam dele!
E, para não deixar a data passar sem nenhuma comemoração, escolhi uma leitura que eu amei para fazer resenha e um sorteio bem legal para vocês. Ano passado, eu adorei Um tom mais escuro de magia, da V. E. Schwab, e agora fui novamente conquistada pelo universo que ela criou em Um encontro de sombras. Por esse motivo, vou sortear um kit contendo um exemplar desses dois livros.  As regras estão no final do post, mas, antes, vamos à resenha, né?
Por se tratar do segundo volume de uma trilogia, essa resenha pode conter spoilers para quem não leu o primeiro. Então, se esse é o seu caso, recomendo ler a resenha sobre Um tom mais escuro de magia aqui.

Um encontro de sombras se inicia quatro meses após os acontecimentos do livro anterior. Delilah Bard partiu de Londres em busca de aventuras e um navio para si. Ela está agora a bordo do Night Spire, comandado por Alucard Emery, um homem esperto e sedutor, que parece ter tantos segredos sobre o passado quanto ela própria. Já Kell e Rhys permanecem na Londres Vermelha, lidando com as consequências de seus atos no primeiro livro. Kell perdeu a confiança do rei e, com isso, a pouca liberdade que tinha. Seus passos são vigiados de perto por guardas, ele está cada vez mais deslocado dentro da corte e se sente sufocado por carregar a responsabilidade pela vida de seu irmão. Já Rhys perdeu sua inocência e jovialidade ao lidar com a culpa pelo que fez e o fato de que sabe o peso que está representando para Kell. Ele, apesar de querer viver, às vezes sente que merecia, e até preferia, ter morrido ao invés de seu irmão precisar compartilhar a vida com ele. 



Acredito que sempre que gostamos muito do primeiro volume de uma série ou trilogia, sentimos uma empolgação para ler a continuação e, ao mesmo tempo, medo de que ela não seja tão boa quanto livro anterior. É a famosa “maldição do segundo livro”, que, felizmente, não afetou Um encontro de sombras.
“Ela não tinha dúvida de que seus caminhos se cruzariam novamente. E, quando se encontrassem, ela mostraria o que era capaz de fazer”
Nesse livro, V. E. Schwab expande o universo que antes ela só havia apresentado. Então, se no primeiro livro somos apresentados ao conceito das quatro Londres e descobrimos que a magia estava ou esteve presente em todas elas de alguma forma, nesse livro vamos conhecer mais a fundo cada uma dessas Londres, especialmente a Vermelha, bem como o conceito de magia presente nesse universo. Em especial, gostei de conhecer mais sobre a parte política da Londres Vermelha e achei interessante como a autora usou elementos da história da Inglaterra na Londres Cinza. Para quem não sabe, essa versão de Londres na história é a real, porém, no século XIV, e o rei e príncipe citados realmente existiram.
"– Vi pessoas pecarem em nome de Deus e em nome da magia. As pessoas abusam de seus poderes superiores, não importa qual forma tenham."
Outro aspecto me chamou a atenção foi como a autora conseguiu trazer muitas informações novas sobre esse universo, incluindo uma boa dose de novos personagens, além de desenvolver os personagens antigos, mas sem perder o ritmo. Todos os elementos novos são inserido na trama de uma maneira natural, sem perder tempo com explicações excessivas, mas também não deixando que o leitor fique confuso.
Muitas coisas acontecem nesse segundo volume e a trama é dividida em núcleos diferentes durante a maior parte do livro. Lila está com a tripulação do navio Night Spire, Kell e Rhy permanecem na Londres Vermelha, há o núcleo da Londres Cinza em que Kell também transita e há ainda uma parte envolvendo dois outros personagens que não posso revelar quem são, pois seria um grande spoiler. Todas essas subtramas paralelas poderiam tornar a leitura confusa ou cansativa, correndo o risco de quebrar o ritmo da leitura. Porém, V. E. Schwab conseguiu conduzir a história de um modo que todos esses núcleos se tornassem interessantes e fossem sendo ligados ao longo do livro.
Além disso, gostei muito de como a magia foi mais explorada nesse livro. Alguns personagens se dedicarão mais a aprender como usá-la e durante toda a leitura vai sendo apresentado o conceito de magia dentro daquele universo. Em alguns aspectos, me lembrou um pouco a definição da Força em Star Wars, o que eu achei muito interessante. Além disso, há uma competição durante o livro que mostra como cada povo dentro do mundo da Londres Vermelha entende a magia e faz uso dela. Aliás, esse torneio é interessante tanto por trazer mais ação para o livro, quanto por dar uma dimensão mais exata da importância da magia e seu uso naquele mundo, bem como da situação política dos três reinos que o compõem.
"– Força e fraqueza são coisas entrelaçadas. São muito parecidas, e muitas vezes as confundimos, da mesma forma como confundimos magia e poder."
Mas, não adianta, o que sempre é determinante para um livro me conquistar são os personagens e, claro, eles foram o aspecto que mais gostei em Um encontro de sombras. Com relação ao trio principal, eu gostei muito de ver o quanto eles ganharam em complexidade. Nenhum dos três poderia passar sem mudanças pelos acontecimentos do livro anterior e achei interessante ver como cada um deles lida de maneira diferente com as marcas, visíveis ou não, daqueles eventos.


Lila ganhou, merecidamente, mais destaque nesse livro e, na minha opinião, se tornou a protagonista. Se no primeiro livro, ela estava em uma jornada por sua liberdade, nesse ela entrou por um caminho de autodescoberta. Lógico que ela continua impulsiva e metendo os pés pelas mãos em vários momentos, mas ela está começando a entender quem é e o que pode fazer. Além disso, admiro que, por mais que ela faça besteiras, está sempre disposta a assumir as consequências dos seus erros.
"Ela distorcera a maioria das regras. Quebrara as demais. E queria saber por quê. Como. Se ela era apenas um pontinho no universo, uma anomalia, ou se era algo mais."
Por outro lado, o Kell está ainda mais fechado que no livro anterior. Ele se culpa pelo que aconteceu e carrega um peso enorme pela responsabilidade que tem com a vida do irmão. Aliás, Kell é um dos melhores anti-heróis que já li; complexo, cheio de medos e dúvidas, que guarda uma raiva enorme dentro de si, mas também capaz de amar e ser profundamente leal. É um personagem que carrega a dicotomia entre o bem e o mal o tempo todo, o que o torna mais humano e, consequentemente, mais interessante.
“Invejava o fato de que aquela garota da Londres Cinza estava lá fora em algum lugar, vendo partes do mundo que Kell, um habitante da Londres Vermelha, um Antari, nunca tinha vislumbrado.”
Já o Rhy é o meu amorzinho, não tem jeito. Eu já havia sido conquistada pelo seu jeito leve de levar a vida e seu senso de humor afiado. Porém, desde o primeiro livro estava claro que ele era mais do que um príncipe brincalhão e isso se acentua nesse segundo volume. Rhy perde grande parte da sua inocência e encantamento pela vida e passa a carregar um peso que não apenas o torna mais interessante, como também aumenta a empatia do leitor por ele.
Há também muitos personagens novos, mas o que mais se destaca é Alucard Emery. O capitão do navio Night Spire é um personagem carismático, com um humor inteligente e um passado tão misterioso quanto o de Lila. A princípio, ele parece ser apenas um pirata muito espero, porém, ao longo do livro percebemos que ele é muito mais do que aparenta e isso o torna mais interessante a cada nova revelação. Ainda há muito para ser mostrado sobre ele e não tenho dúvidas de que ganhará mais espaço no próximo livro e estou muito ansiosa para ver a relação dele com um outro personagem da trama.
E por falar na ansiedade pelo terceiro livro, o final de Um encontro de sombras é ainda mais impactante do que o primeiro livro. Se Um tom mais escuro de magia se encerra com um final amarrado, mas com ganchos para a continuação, esse segundo volume termina totalmente em aberto. Apesar de ficar claro o rumo que a história estava tomando, teve uma pequena reviravolta no final que tornou tudo ainda mais desesperador. Então, fica aqui o meu apelo para que a Record publique a continuação logo, porque eu preciso de respostas.


Então, só me resta dizer que Um encontro de sombras conseguiu superar todas as altas expectativas que eu tinha desde que li Um tom mais escuro de magia. Os personagens se mostraram ainda mais interessantes, o universo foi expandido e gostei muito do rumo para onde a trama foi conduzida. A escrita da autora está ainda mais envolvente e a leitura flui muito bem. Para quem ama fantasia e gostou do primeiro livro, pode se preparar para ficar novamente fascinado com o mundo criado por V. E. Schwab.
Agora, falando sobre o sorteio, ele terá apenas um vencedor que ganhará um kit contendo um exemplar de “Um tom mais escuro de magia” e um de “Um encontro de sombras”. Para concorrer, as regras são as seguintes:
◈ Cumprir todas as entradas obrigatórias do formulário
◈ Na opção visitar a página no Facebook é necessário curtir a página e não apenas visitar
◈ Residir em território nacional
◈ O sorteio se inicia no dia 22/01/2018 e vai até às 23:59 do dia 05/02/2018
◈ O resultado sai no dia 06/02/2018 e o vencedor terá 72h para responder ao e-mail sobre o resultado com as informações para envio.
◈ O prêmio será enviado em até 30 dias após o resultado do sorteio.
◈ O Dicas de Malu não se responsabiliza por danos ou extravios dos Correios.


a Rafflecopter giveaway

Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.