[Resenha] À beira da eternidade

15 de nov. de 2019


Olá, pessoal! A resenha de hoje é especialmente para quem ama ficção científica, thriller e romance YA. Sim, isso tudo em um livro só. Estou falando de À beira da eternidade, da Melissa E. Hurst. Lançado esse ano pela Galera Record, esse livro despertou minha atenção imediatamente não só pela capa, mas por essa combinação de gêneros.
Primeiro volume de uma duologia, À beira da eternidade já entrou para a minha lista de desejados assim que li a sinopse. Com um enredo que mistura viagens no tempo, um grande mistério e um romance adolescente, como não sentir curiosidade? Por esse motivo, fiquei muito feliz quando meu exemplar chegou e já não via a hora de começar a ler.

Demorei um pouco para conseguir trazer a resenha para vocês, mas hoje finalmente vou contar o que achei desta leitura. Será que ela superou minhas expectativas? 

Autora: Melissa E. Hurst
Tradução: Glenda Oliveira
Editora: Galera Record
Páginas: 322
Onde comprar: Amazon
Exemplar recebido de parceria com a editora
Sinopse: “Mistério, romance, drama e viagem no tempo no primeiro livro de Melissa E. Hurst. 2146. Bridger é uma das poucas pessoas com a habilidade de viajar de volta ao passado. Uma habilidade que lhe foi passada pelo pai, cuja morte – envolta em mistério – o garoto tenta superar. Aos poucos, sua vida parece voltar ao normal... Até que o garoto encontra o pai em uma de suas viagens no tempo com a turma. Ele só tem tempo de lhe passar uma mensagem: Salve Alora. Bridger não tem ideia de quem seja a garota, nem de onde ela está ou em que tempo vive, mas está determinado a realizar o último pedido do pai. 2013. Alora Walker tem apagões inexplicáveis. Ela acorda toda vez em um lugar diferente, e não tem ideia de como chegou lá. A única coisa de que tem certeza é que está sendo seguida. Mas por quem?”

 Em 2146, Bridger é um manipulador do tempo, ou seja, é uma das poucas pessoas com a habilidade de viajar no tempo. Ele puxou essa habilidade do seu pai, morto há pouco tempo, em uma de suas missões. Bridger tem tentado superar e seguir em frente, mas o mistério que cerca a morte do pai tem tirado sua concentração. E tudo se torna ainda pior quando, em uma viagem no tempo com a sua turma, ele encontra o pai, que só lhe dá um recado: Salve Alora.
Bridger não tem ideia de quem é Alora, por que seu pai quer salvá-la e o que aconteceu com ele. Porém, o inesperado encontro acaba levando à consequências terríveis, que ameaçam a carreira do garoto e aumentam o mistério em torno da morte de seu pai. Determinado a cumprir o que o pai pediu e tentar descobrir o que de fato aconteceu com ele, Bridger arrisca tudo para encontrar Alora e salvá-la.
Enquanto isso, em 2013, Alora tem tido misteriosos apagões. Ela acorda em lugares sem saber como chegou lá e sem saber quanto tempo se passou. Somado a isso, vem a constante sensação de estar sendo constantemente observada e o fato de que, de repente, um dos caras mais populares da escola decidiu que ela seria seu novo alvo. Estaria Alora enlouquecendo ou algo de muito estranho estava acontecendo com ela?




Eu já comentei aqui o quanto amo livros que envolvam viagens no tempo, então, não preciso nem dizer que esse foi o primeiro ponto que despertou meu interesse em ler À beira da eternidade. Juntando isso com todos os mistérios que a trama envolve, é claro que minha curiosidade estava a mil. E, com relação a isso, não tive do que reclamar. Amei como as viagens no tempo se inseriram na história e senti que a autora soube conduzir a trama sem se perder nas diferentes linhas temporais.
No entanto, preciso confessar que no início da leitura a história não se mostrou tão envolvente quanto eu esperava. Não que o começo seja lento; ao contrário, o livro já começa com ação. Porém, foram muitas informações no começo e eu fiquei confusa e sem conseguir me conectar com a trama. Felizmente, isso durou só nas primeiras cinquenta páginas. Daí para frente, eu consegui absorver melhor o que estava acontecendo e a leitura se tornou bem mais interessante.
Me apeguei rapidamente ao Bridger e consegui entender o estado de conflito em que ele se encontrava. Por um lado, ele estava sofrendo pela perda do pai e por não saber o que tinha acontecido realmente com ele. Por outro, há os conflitos com a mãe e a cobrança para seguir em frente, sob risco de arruinar sua carreira. E, o encontro inesperado com o pai deixa a vida de Bridger ainda mais complicada, o que torna compreensível a determinação dele em ir atrás de Alora e descobrir o que aconteceu.
Achei o Bridger o personagem mais interessante da história justamente porque seus dramas são os mais concretos e compreensíveis. Além disso, achei impossível não ser cativada pela senso de justiça e integridade dele, além da sua inteligência e senso de humor afiado. Bridger não é perfeito e comete erros ao longo da história, mas suas qualidades superaram isso e terminei a leitura realmente apegada a ele.
Com relação a Alora, eu tive um pouco mais de dificuldade de me conectar. Ela é uma personagem muito passiva em alguns momentos, se deixando influenciar por amigas pouco confiáveis e aguentando humilhações na escola sem nunca se defender. Confesso que me irritei em muitos momentos por sua falta de atitude, principalmente em algumas situações em que ela claramente deveria ter se manifestado. No entanto, mesmo assim, consegui simpatizar com ela por entender alguns de seus conflitos.

Para começar, que é muito compreensível o desespero que Alora sente quando começa a ter apagões. Afinal, imagina ir parar em lugares sem saber como chegou ou quanto tempo se passou? Além disso, toda a história dela é um mistério. Alora mora com a tia desde os 6 anos, quando foi entregue na casa dela por seu pai. Não sabe o que aconteceu com ele e não tem lembranças dele ou da mãe, e a tia se recusa a contar o que sabe. Então, não dá para condená-la pela angústia que sente pelos segredos do seu passado e o medo que tem em relação aos acontecimentos do presente.



Os demais personagens não são muito aprofundados, mas são peças importantes para o desenvolvimento da trama. Eles são peças importantes tanto para o mistério da trama quanto para a evolução dos protagonistas. Em especial, é importante destacar a tia de Alora e o professor March, amigo do pai do Bridger que desempenha um papel importante para o garoto e, ao mesmo tempo, tem um ar de mistério que deixa o leitor com o pé atrás.
E, como não poderia de ser, ainda há espaço para romance nessa trama. Com personagens adolescentes, isso já era esperado e confesso que gostei muito de como essa parte foi construída na história. No começo, tive medo de que o romance ganhasse mais espaço do que deveria e atrapalhasse a trama, mas felizmente isso não aconteceu. Senti que aconteceu de maneira natural e sem tirar o foco, exatamente como deve ser.
Com relação à escrita da Melissa E. Hurst, achei leve e bastante envolvente. Tive um pouco de dificuldade de me conectar no começo, mas isso passou logo e depois fiquei totalmente presa na leitura. Adorei a forma como ela construiu a trama, intercalando os pontos de vista do Bridger e da Alora e dando personalidade a eles, de modo que ficava claro as mudanças na narração de um e de outro.
O único ponto que, para mim, deixou a desejar foi o final. Há algumas revelações importantes, mas foi tudo tão rápido que acabou perdendo o impacto para mim. Além disso, confesso que algumas coisas foram previsíveis e fiquei decepcionada por isso. Acredito que a autora poderia ter trabalhado melhor algumas situações para que o desfecho não fosse tão abrupto, com tantas informações sendo lançadas de uma vez. Por outro lado, a autora deixou um gancho enorme para o segundo volume, então, tenho esperança que algumas coisas sejam explicadas na continuação.
De um modo geral, À beira da eternidade é uma leitura envolvente e dinâmica, com um bom equilíbrio entre ficção científica, suspense, ação e romance YA. O enredo criado por Melissa E. Hurst é interessante e conta com um universo e personagens muito bem construídos. Acredito que há muito a ser explorado no segundo volume e já estou curiosa para saber o rumo que a autora irá seguir com essa história.

17 comentários:

  1. Oi Malu!!
    Eu não li muitos livros que tenha viagem no tempo, acredito que em todas as minhas leituras apenas um trabalhou com esse tema, Ficção Científica não é muito a minha praia, mas achei interessante a forma como as viagens foram inseridas no contexto da história. Fiquei curioso para saber o mistério so a morte do pai de Bridger e claro os mistérios relacionados a Alora, espero conseguir ler esse livro num futuro próximo.

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
  2. Oi Malu, fiquei triste que os demais personagens não são bem explorados.. Adoro quando autores dão foco aos personagens secundários. Gosto de falar que eles são vida aos livros.
    No demais, os protagonistas e a história pareceu boa para mim. Vou tentar ler o livro.. e quando fazer resenha te falo

    ResponderExcluir
  3. Oi Malu!
    Já vou dizendo que curti o caminho que a história segue. Gosto muito quando as histórias nos levam para viajar no tempo e têm esse mistério a ser desvendado! Romances também são sempre uma boa pedida! Então já quero muito ler o livro! Estou muito curiosa para saber como a história toda acontece!

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Amei a premissa e proposta da obra, ainda não tinha escutado nada sobre a mesma mas com certeza me deixou bem curiosa!
    Amei a dica, um beijo.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Malu!
    A premissa parece muito boa, sinto falta de ler ficção científica de vez em quando, mas parece que minhas "vibes" me levam a outros caminhos. rsrs
    Não sabia que era uma série, acho que vou arriscar ler o primeiro livro de qualquer forma e quem sabe seguir a leitura conforme for lançado.
    Bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  6. Esse ano eu li pouquíssimos sci-fi. E só de ver essa capa a gente já saca que é do gênero. Eu achei muito interessante a sinopse, e por ser uma duologia. Às vezes a gente desanima de esperar demais uma continuação. E sci-fi não dá pra deixar passar muito tempo não, se não a gente se perde no enredo.
    Anotei a dica!!!
    Abraços

    Carol, do Coisas de Mineira

    ResponderExcluir
  7. Eu achei essa capa maravilhosa!!! Que bom que a leitura é envolvente e fiquei curiosa se o final também me deixaria desapontada. Só lendo pra saber né?
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oiii Malu

    Tb achei o final apressado, mas como tem segunda parte espero que tenha mais impacto o desfecho definitivo da estória toda. Eu tb gostei demais do Bridger, mais que da Alora, senti mais empatia nele e dava pra entender melhor sua maneira de agir e pensar. Eu adoro livros com viagens no tempo e apesar de estar receosa com este, acabei gostando bastante.

    Beijos, Ivy

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  9. A cada resenha que leio deste livro fico ainda mais curiosa. O fato de ser um YA já me desperta muito interesse, mas quando você diz que é envolvente e dinâmica, já faz eu desejar o livro ainda mais. Adorei sua resenha!

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
  10. Olá
    Eu sou louca para ler esse livro. A premissa é muito interessante e sou muito empolgada quando o assunto é viajem no tempo. Não vejo a hora de poder fazer a leitura. Amei sua resenha!

    ResponderExcluir
  11. Olá...
    Amei demais a sua resenha!
    Desde que a editora lançou esse livro estou ansiosissima pra ler! Acho a premissa bem legal e acho que tem tudo pra ser uma boa leitura pra mim! Fiquei curiosa quanto á essa mistura de ficção científica, suspense, ação e romance YA!
    Dica anotada!!!!
    Bjo

    ResponderExcluir
  12. Olá, tudo bem? Acredita que fui mais fã de Alora. Eu li esse livro com um pé atrás por conta de algumas ressalvas, porém me surpreendi demasiadamente, adorando-o! Espero que o segundo feche as lacunas abertas e traga também uma ótima história. Adorei a resenha e poder relembrar de quando li!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Olá,
    Realmente as vezes muita informação atrapalha a conexão com a leitura. Já li algo da altura, e acho que é o estilo dela (não que seja algo que agrade a todos), então entendo um pouco. Não leio tantos YA assim então quem sabe mais pra frente, gostei da dica.


    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Normalmente não leio ficção cientifica, pois em sua maioria me faz ficar perdida, mas eu amo historias com viagem no tempo! E saber que é sobre isso e com um romancezinho,eu fiquei ainda mais curiosa sobre o livro. amei a resenha e já anotei a dica!

    ResponderExcluir
  15. Olá!

    Não conhecia o livro e a autora também é uma novidade para mim. De cara gostei muito da capa e mesmo percebendo que a história não é algo que hoje me atrai, vou considerar sua avaliação e colocar na lista para lembrar dele se algum dia chegar o momentos desse tipo de leitura. Obrigada pela dica.

    Beijos

    ResponderExcluir
  16. às vezes acontece comigo de o livro no início ser confuso ou não entusiasmar tanto e eu insisto até a metade para ver se cola comigo, na maioria das vezes, funciona. Gostei da indicação e da resenha, não conhecia e parece ótimo.

    ResponderExcluir
  17. Achei linda a capa. Essa obra parece ter uma narrativa que conquista o leitor, mesmo que no início ela possa confundir um pouco, mas depois ela parece ser uma leitura e tanto, pois se trata de uma ficção científica. Confesso que fiquei curioso. Anotada a dica.

    ResponderExcluir