[Resenha] Querido ex (que acabou com a minha saúde mental, ficou milionário e virou uma subcelebridade)

 


Já imaginou se o seu (sua) ex, de repente, ficasse miolionário e virasse uma celebridade e você tivesse que ver a criatura sempre que ligasse a TV? Para muita gente, isso pode parecer um pesadelo. E é como se sente o protagonista do livro Querido ex (que acabou com a minha saúde mental, ficou milionário e virou uma subcelebridade), do autor brasileiro Juan Jullian.

Com esse título sensacional, é claro que eu a minha atenção foi conquistada assim que soube desse lançamento da Galera Record. E eu já fiquei imediatamente pronta para dar muitas risadas e ficar com o coração quentinho no final. Mas fui surpreendida por uma montanha-russa de emoções que eu não estava preparada.

Na resenha de hoje, vou tentar explicar um pouco sobre todos esses sentimentos que o livro me proporcionou e contar o que achei da leitura. Mas não se preocupem, porque esta resenha é sem spoilers.

 

Autor: Juan Jullian

Editora: Galera Record

Páginas: 176

Onde comprar: Amazon (Físico / E-book) – Submarino

Exemplar recebido de parceria com a editora

Sinopse: “A única coisa pior e mais desastrosa do que levar um pé na bunda, é levar um pé na bunda e ver seu ex se tornar a maior subcelebridade do Brasil. Não só isso, mas assistir em tempo real enquanto ele se apaixona por outro cara em TV nacional. Poucas palavras conseguem expressar esse nível de decepção amorosa. Nem mesmo Taylor Swift seria capaz de entender. Mas é justamente a tentativa de colocar a dor em palavras, reunidas em cartas para o maldito ex, que faz com que nosso protagonista repense algumas coisas. Entre crises de luto e saudades, existem festas anuais do dia dos ex-namorados com todas as suas amigas que o seu ex detestava. Existe a vida que você deixou para trás enquanto amava alguém que agora é somente um estranho com milhões de seguidores. E talvez por trás daquele amor existisse também um tanto de controle, de gaslighting, de codependência. Além de abordar de forma sensível, irônica e crua as diferentes nuances de um relacionamento abusivo, Querido ex também traz questionamentos sobre os preconceitos sociais que jovens negros e gays estão sujeitos em nossa sociedade. Publicado originalmente de forma independente, o livro vendeu mais de 20 mil exemplares e ficou mais de 100 dias seguidos no 1° lugar dos mais vendidos na categoria LGBT da Amazon.”

 

Narrado através de cartas, Querido ex nos apresenta um personagem que passou por um relacionamento abusivo e ainda está aprendendo a lidar com todas as marcas emocionais que ficaram dessa relação. Agora, ele precisa aguentar ver seu ex se tornando uma subcelebridade milionária toda vez que liga a televisão ou acessa a internet. E com isso, vêm as lembranças de todos os momentos vividos e de como o namoro chegou ao fim.

Entre lembranças, mágoas e revelações, o protagonista escreve cartas para o seu ex onde confessa seus sentimentos e segredos mais profundos, reflete sobre tudo que viveram e conta como tem tentado superar o passado. Ele fala sobre os planos que os dois não realizaram,  mas também do resgate das amizades que foram afastadas por influência do ex, e da tentativa de recuperar a autoestima após todas críticas e acusações disfarçadas de comentários durante o namoro; e principalmente da busca por si mesmo depois de viver em função de outra pessoa.



A primeira coisa que imaginei quando vi a sinopse de Querido ex (que acabou com a minha saúde mental, ficou milionário e virou uma subcelebridade) foi que eu me divertiria muito com a leitura. E não me enganei. O humor irônico do personagem funcionou muito bem para mim e me diverti bastante com algumas situações que ele viveu. Porém, me surpreendi ao descobrir que diversão não foi a única emoção que senti durante a leitura, nem a predominante. O autor me trouxe para uma montanha-russa de sentimentos que tornaram a leitura muito mais impactante do que eu esperava.

Narrado em primeira pessoa através das cartas que o protagonista escreve para o seu ex-namorado, vamos descobrindo aos poucos como era o relacionamento dos dois, como e por que chegou ao fim e como o narrador estava lidando não apenas como o término, mas com as marcas emocionais que ficaram e com o sucesso de seu ex sendo jogado na sua cara todos os dias através da mídia.

Não demora a ficar claro que aquele havia sido um relacionamento problemático, com o amor aos poucos sendo superado por situações de abuso, de gaslighting e de codependência. E como estamos tão imersos na mente do protagonista, é como se estivéssemos revivendo todos esses momentos com ele. É algo angustiante e doloroso de se acompanhar, mas que o autor conseguiu escrever com sensibilidade e realismo.

Juan Jullian foi habilidoso ao mostrar que relações abusivas não são ruins o tempo todo. Havia amor naquele relacionamento, e os dois compartilharam muitos momentos de alegria e companheirismo. Por isso era tão difícil perceber que um dos lados controlava o outro, que tinham situações em que um fazia mal ao outro, e que aquela relação estava se tornando cada vez mais tóxica.

 


Mas o autor trouxe outros assuntos igualmente pesados e importantes. Com um protagonista negro e homossexual, ele nos mostra como ainda vivemos em um país cheio de desigualdade, preconceito e injustiça. As situações vividas pelo personagem são, infelizmente, muito reais e nos fazem pensar sobre questões importantes como racismo, homofobia, desigualdade social, violência e intolerância.

E, com tantos assuntos fortes, foi impossível não me emocionar. Juan Julian tem uma escrita sensível e ao mesmo tempo muito direta. Ele consegue fazer o leitor enxergar a alma do seu protagonista, mas também nos mostra de uma forma muito direta questões dolorosas e que precisam ser discutidas. Daí a montanha-russa de emoções que eu mencionei. Essa leitura me fez rir, suspirar com momentos fofos, me emocionar nos momentos tristes e ter a sensação de um soco no estômago com os acontecimentos mais impactantes.

Aliás, preciso dizer que nada poderia ter me preparado para o final desse livro. Juan Jullian trouxe um desfecho completamente inesperado, mas que talvez tenha sido um dos maiores tapas na cara que eu já levei com uma leitura. É forte, doloroso e arrebatador, me fazendo chorar por tudo que aconteceu e pelas reflexões que me trouxe.

Eu, que comecei Querido ex (que acabou com a minha saúde mental, ficou milionário e virou uma subcelebridade) esperando um livro para dar muitas risadas, encontrei muito mais que isso. Foi uma leitura que me emocionou, me encantou e me abalou profundamente, me fazendo pensar em questões essenciais sobre a vida e a nossa sociedade. Deste modo, deixo meu aviso de que este livro não é fácil de ser lido, mas é extremamente necessário. Recomendo muito a leitura e não vejo a hora de descobrir o que Juan Jullian está preparado para a continuação.

 

Observação: Como foi dito, Querido ex traz assuntos fortes como gaslighting, depressão, racismo e homofobia. Portanto, ele pode conter gatilhos. Leia com responsabilidade e apenas se sentir preparado para ver esses temas sendo abordados.  


[Resenha] Uma tocha na escuridão

 


Oi, pessoal! Andei um pouco sumida nos últimos dias, porque estava com a mente totalmente ocupada pela série Uma chama entre as cinzas. Então, o que eu vim fazer hoje? Trazer a resenha do segundo volume desta série.

Quando eu reli Uma chama entre as cinzas pude perceber mais detalhes que tinha deixado passar da primeira vez (resenha aqui) e isso aumentou minha ansiedade para a continuação, Uma tocha na escuridão. E, gente, mesmo tendo relido o primeiro recentemente, eu não estava pronta para esse livro. A Sabaa Tahir não me deu um minuto de paz, é tiro atrás de tiro.

Então, para quem quer uma leitura com fortes emoções, vem conferir esta resenha porque eu acho que esse livro é para você. E, não se preocupe, a resenha NÃO tem spoilers de Uma tocha na escuridão. Mas como se trata de uma continuação, recomendo que quem não leu Uma chama entre as cinzas, pare de ler a resenha agora.

 

Autora: Sabaa Tahir

Editora: Verus

Tradução: Jorge Ritter

Páginas: 434

Exemplar recebido de parceria com a editora

Onde comprar: Amazon | Submarino

Sinopse: O segundo livro da história épica e eletrizante sobre liberdade, coragem e esperança. Na continuação de Uma chama entre as cinzas, Laia e Elias estão em fuga, lutando pela vida. Após os eventos da quarta Eliminatória, os soldados marciais saem à caça dos dois enquanto eles escapam de Serra e partem em uma arriscada jornada pelo coração do Império. Laia está determinada a invadir Kauf, a prisão mais segura e perigosa do Império, para salvar seu irmão. E Elias está determinado a ficar ao lado dela — mesmo que isso signifique abrir mão da própria liberdade. Eles terão de lutar a cada passo do caminho se quiserem derrotar seus inimigos: o sanguinário imperador Marcus, a cruel comandante, o sádico diretor de Kauf e, o mais doloroso de todos, Helene — a ex-melhor amiga de Elias e nova Águia de Sangue do Império. A missão de Helene é terrível, porém clara: encontrar Elias Veturius e a escrava erudita que o ajudou a escapar... E acabar com os dois. Mas como matar alguém que você ama desesperadamente?

 

Uma tocha na escuridão começa exatamente onde paramos nos primeiro livro. Depois da Quarta Eliminatória, Laia e Elias fugiram de Blackcliff em direção à prisão de Kauf. Eles querem invadir a mais perigosa prisão do Império e libertar Darin, o irmão da Laia. Mas o caminho deles não será fácil. Além de serem procurados por ordens do novo Imperador, vão precisar enfrentar ataques de forças sombrias que querem impedi-lo e lidar com os horrores de tudo que viveram e fizeram.

Enquanto isso, Helene, a nova Águia de Sangue do Imperado, precisa cumprir sua missão: encontrar Elias e matá-lo. Mas ela é capaz de matar seu melhor amigo? Mas, em seu conflito sobre o que fazer e a quem ser leal, Helene vai descobrir que há muito mais em jogo. Suas ações vão refletir em todos aqueles que ama e até no destino do próprio Império.

 


Posso resumir essa resenha em “LEIAM ESSE HINO. SABAA PERFEITA, NUNCA ERROU”? Preciso dizer que vontade não me falta, mas vamos falar sobre Uma tocha na escuridão e por que ele é incrível.

Quando li Uma chama entre as cinzas, uma das minhas únicas ressalvas foi que achei que a maior parte do livro tem um ritmo um tanto lento. Já esse segundo volume é um verdadeiro teste para o coração. A trama tem um ritmo intenso desde a primeira página e me prendeu rapidamente. Eu simplesmente não conseguia largar o livro para nada.

Partindo de onde Uma chama entre as cinzas parou, Sabaa Tahir não perdeu tempo e já mostrou rapidamente como a situação dos personagens era difícil e perigosa. Com isso, já temos um clima de tensão desde as primeiras páginas que torna a leitura muito mais instigante e aumenta a nossa preocupação com o que irá acontecer a seguir.

Além disso, fica perceptível o crescimento dos personagens no primeiro livro e foi muito bom ver o quão bem a autora conseguiu desenvolvê-los. Os acontecimentos do livro anterior claramente transformaram os protagonistas e outros personagens ligados a eles, e podemos acompanhar as consequências dessas mudanças nesse livro. Eles se tornaram muito mais sofridos e carregam cicatrizes mais fundas, mas também estão mais maduros e aptos a enfrentar os desafios maiores que virão. 

Laia se tornou uma personagem muito mais determinada e forte. Tendo sobrevivido a tudo que a Comandante fez com ela, a menina que tinha fugido dos marciais no início do primeiro livro se tornou uma mulher mais consciente da sua força e do seu objetivo. Não que ela de uma hora tenha perdido seus medos e inseguranças, porque eles continuam lá. Mas seu amadurecimento foi evidente e gostei de ver como ela começou a lidar com a culpa e os temores que sentia.

Já o Elias continua sendo meu queridinho e senti ainda mais admiração por ele nesse livro. A forma como ele questiona as atrocidades cometidas pelo Império já demonstrava o seu senso de justiça e caráter forte. E, nesse livro, isso se torna ainda mais evidente. Elias está sempre disposto a proteger aqueles à sua volta, mesmo quando precisa se sacrificar para isso. Além disso, é impossível não se comover com a culpa e a dor que ele carrega por tudo que precisou fazer como máscara do Império e durante as Eliminatórias.  

Mas, nesse livro, temos um terceiro ponto de vista e alguns capítulos serão narrados pela Helene. Confesso que isso foi um dos motivos para eu demorar a ler Uma tocha na escuridão, porque eu realmente não gosto dessa personagem. Porém, preciso reconhecer que o ponto de vista dela foi fundamental para entendermos o que estava acontecendo no Império e o que estava por trás das ações do Imperador, da Comandante e do Portador da Noite. Além disso, no núcleo ao qual ela faz parte, são inseridos novos personagens que fizeram muita diferença no livro e tornaram a leitura ainda mais interessante. 



Outro ponto positivo desse livro é que a Sabaa Tahir expandiu ainda mais o universo da história e mostrou aspectos do Império que ainda não tinham recebido destaque. Com isso, conhecemos mais sobre a mitologia, principalmente as criaturas mágicas como djinis, efrits, etc, e sobre os outros povos que vivem ali, além dos eruditos e marciais. Então, se no primeiro livro a ambientação era limitada a Serra e a Academia de Blackcliff, agora conseguimos entender a vastidão do Império e sua complexidade e quão rico é o universo que a autora criou.

E o que eu posso dizer sobre a escrita da autora? A Sabaa Tahir me impressionou muito nesse livro com a forma brilhante com que desenvolveu essa história. Tudo que acontece tem um propósito e ela vai inserindo pequenas pistas que o leitor só vai entender na hora certa. A trama se desenrola com um ritmo intenso e não falta ação, mistério e romance, mas eu ficava o tempo todo pensando: onde isso vai dar? E quando as revelações finalmente chegaram, eu fiquei destruída e embasbacada com a capacidade da autora de me surpreender. Ela deixou pistas desde o primeiro livro, mas a gente só percebe quando ela quer. E isso é genial!

Deste modo, Uma tocha na escuridão é daquelas continuações que, por mais altas que fossem as nossas expectativas, elas ainda conseguem superar. Com um ritmo alucinante e revelações que me deixaram desmaiada no chão, esse livro foi uma verdadeira montanha-russa de emoções que me deixou sedenta pela continuação. O universo criado pela Sabaa Tahir é brutal e chocante, mas também é fascinante, cheio de magia e mistério. Já a jornada que os personagens embarcaram, se mostra cada vez mais perigosa e interessante, e eu não vejo a hora de saber onde ela irá leva-los.

E vocês, já leram a série Uma chama entre as cinzas ou têm curiosidade? Me contem aí nos comentários. E, para quem não leu ainda, aproveitem que o terceiro volume acabou de sair e agora vocês já podem comprar os dois primeiros também com a nova identidade visual. Vou deixar os links no final do post.

 

Uma chama entre as cinzas: Compre aqui

Uma tocha na escuridão: Compre aqui

Um assassino nos portões: Compre aqui 


Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.