Dica da Malu: Procura-se um marido

Autora: Carina Rissi
Editora: Verus
Páginas: 476

Uma das leituras que mais me surpreenderam mês passado foi o livro Procura-se um marido, da escritora brasileira Carina Rissi. Da autora, eu já tinha lido os dois primeiros volumes da série Perdida, dos quais gostei muito (especialmente do segundo). No entanto, não tinha uma expectativa muito alta para este livro. Para minha surpresa, eu me diverti muito durante a leitura, amei os personagens e o modo como a história envolve o leitor.
Procura-se um marido vai acompanhar a história da Alicia, uma menina mimada e bastante inconsequente, que sabe aproveitar a vida e o patrimônio de sua família. Ela vive com o avô, a quem adora e que é empresário importante e dono de uma fortuna incalculável. Quando ele morre inesperadamente, Alícia vê sua vida desmoronar: além de perder a pessoa que mais amava e que era sua única família, ela descobre que, de acordo com o testamento do avô, ela só teria direito aos bens da família quando tivesse um ano de casada; até lá, Alícia teria que trabalhar na empresa em um cargo pequeno, enquanto tudo é administrado pelo advogado de seu avô.
Inconformada, Alícia resolve não aceitar as orientações do testamento do avô. Como não tem nenhuma vontade de se casar, ela aceita o cargo destinado a ela na empresa, assistente de secretária, e começa a organizar um plano para burlar o testamento. Assim, surge a ideia de conseguir um marido de aluguel, disposto a manter um casamento de fachada. O problema é que, entre todos os candidatos que aparecem, um deles consegue realmente disparar o coração dela.
O primeiro aspecto que preciso destacar nesse livro é a própria Alícia. Apesar de mimada e imprudente, ela é uma protagonista muito divertida e carismática. É muito engraçado acompanhar a jornada dela ao longo do livro, tendo que se adaptar a uma vida sem o conforto e o luxo à que estava acostumada, aprendendo a se virar e a dar valor nas coisas que realmente importam. Além disso, adoro a personalidade forte dela e o fato de se esforçar para mostrar que é perfeitamente capaz de conduzir a própria vida e a empresa sem precisar da orientação de um marido.
Achei muito positivo, também, a relação da Alícia com o avô. Mesmo com a morte dele bem no começo da história, o relacionamento dos dois e a importância que ele tinha para ela continuam sendo explorados. Achei muito bonito o modo como, nos momentos de dificuldade e de alegria, Alícia sempre se lembra do avô, pedindo sua orientação e aprovação, ou simplesmente desejando compartilhar suas conquistas.
O romance foi outro aspecto interessante. Como o livro é narrado pela visão da Alícia, vamos conhecendo Max através dos olhos dela. No entanto, isso não prejudicou a construção do personagem. Muito certinho e um pouco grosso, no início, Max acaba se mostrando um homem íntegro, justo, esforçado e generoso. Além disso, o modo como a relação entre ele e a Alícia é construída é muito divertida; os dois têm personalidade muito forte, o que causa muitos conflitos, no começo. Mas é interessante ver como eles aprendem a se respeitar e a lidar com as diferenças, o que faz com que aprendam muito um com o outro.

Procura-se um marido foi o terceiro livro que li da Carina Rissi, mas, apesar de ter gostado muito de Perdida e Encontrada, este foi o meu preferido. A autora conseguiu construir uma história muito leve, que conquista pelo carisma dos personagens e pela evolução pela qual eles passam ao longo da trama. Achei que Carina conseguiu desenvolver muito bem a relação entre os personagens e trazer ingredientes novos para uma história que, à primeira vista, poderia soar batida. Gostei muito e recomendo para quem procura um bom romance e uma leitura fluida e divertida. 

Lançamentos - Agosto


Eu sei que todo começo de mês os leitores ficam ansiosos para saber quais novidades chegarão nas livrarias, e, em agosto, tem muitos lançamentos bons. Então, se prepare para aumentar a lista de desejados, porque as novidades que as editoras prepararam estão incríveis.
Entre os destaques que serão lançados este mês, está “Sonata em Punk Rock”, primeiro volume da série Cidade da Música da Babi Deweet. Publicado pela Gutenberg, esse livro tem lançamento marcado para a Bienal do Livro de São Paulo. Aliás, várias novidades serão lançadas na Bienal, incluindo a HQ “Fazendo meu filme em quadrinhos 3: Não dou, não empresto, não vendo”, da Paula Pimenta. Para quem gosta do estilo YA (jovem adulto), a editora Valentina vai lançar esse mês “Pensei que fosse verdade”, da autora Huntley Fitzpatrick, a mesma de Minha Vida Mora ao Lado.
Fiz uma lista com os principais lançamentos de várias editoras, incluindo estes que já mencionei. Assim, vocês podem conferir também a sinopse e outras informações abaixo.

Os Veranistas, de Emma Straub
Editora: Rocco / Páginas: 288
Sinopse: Autora de romances e contos que conjugam sucesso de público e de crítica,
Emma Straub narra, em seu primeiro livro lançado no Brasil, uma história sobre família, amizade, afetos e frustrações, sob o sol da paradisíaca Maiorca. Franny e Jim comemoram 35 anos de casamento e o diploma de segundo grau da filha, Sylvia. Na encantadora casa alugada na ilha espanhola, os três contam ainda com a companhia de Bobby, o filho que mora na Flórida com a namorada dez anos mais velha, e do casal de amigos Charles e Lawrence. A promessa de dias leves e tranquilos, no entanto, é quebrada pelas tensões que envolvem as relações familiares. Franny e Jim na verdade vivem uma crise no casamento, e cada um dos demais personagens é confrontado com seus próprios dramas, à medida que se relacionam com o outro. Com uma prosa elegante e por vezes cômica, Emma Straub envolve o leitor na complexa teia de sentimentos de que é feita qualquer família, num livro recomendado por ninguém menos que Jojo Moyes (Como eu era antes de você) e Elizabeth Gilbert (Comer, rezar, amar).

A outra casa, de Sophie Hanna
Editora: Rocco / Páginas: 464
Sinopse: Autora de A vítima perfeita, lançado pela Rocco na FLIP 2015, e escolhida pelos herdeiros de Agatha Christie para dar vida nova ao célebre detetive Hercule Poirot, a inglesa Sophie Hannah constrói, em A outra casa, uma trama sofisticada em que suspense é apenas um dos elementos da narrativa. Na história, os detetives Simon Waterhouse e Charlie Zailer são obrigados a interromper sua lua de mel para atuar num caso sombrio envolvendo o casal Connie e Kit Bokskill e um corpo de mulher revelado em circunstâncias inusitadas, quando Connie resolve pesquisar casas à venda num site imobiliário na internet. Com doses equivalentes de humor, aventura e mistério, Sophie Hannah entretém o leitor e, ao mesmo tempo, o convida a uma instigante reflexão sobre relacionamentos familiares, profissionais e amorosos. 

O livro delas – Nove romances, organização de Renata Frade
Editora: Fábrica 231 (Rocco) / Páginas: 336
Sinopse: Nove talentos da literatura nacional, que conquistaram os corações e mentes de leitores, em um livro de contos inesquecível. Organizado por Renata Frade, responsável pelo projeto LitGirlsBr, que visa a aproximar escritoras e leitoras e fomentar o debate sobre literatura nacional, O livro delas reúne histórias de Bianca Carvalho, Carolina Estrella, Chris Melo, Fernanda Belém, Fernanda França, Graciela Mayrink, Leila Rego, Lu Piras e Tammy Luciano, e apresenta o que há de mais representativo no estilo de cada escritora. Do sobrenatural ao chick-lit, passando por romance, aventura, drama e denúncia social, a coletânea agrada desde os leitores jovens adultos aos mais velhos. Em comum, o talento das nove autoras para contar belas histórias. O texto de orelha é assinado pelo escritor Maurício Gomyde.

Todos os lançamentos da Rocco: aqui.

As letras do amor, de Paula Ottoni
Editora: Novo Conceito / Páginas: 224
Sinopse: Bianca acabou de largar um curso de graduação de que não gostava, seus pais vão se divorciar e seus irmãos pequenos estão cada dia mais barulhentos. A oportunidade perfeita de escapar surge quando seu namorado, Miguel, resolve ir a Roma abrir uma empresa para o pai. Bianca decide que aprender italiano, arrumar um trabalho temporário e ajudar Miguel em seu negócio será um bom começo. O que parecia um sonho, porém, torna-se uma incerteza ainda maior quando Miguel fica sempre fora de casa, os empregos de Bianca não duram mais que uma semana, e, cada dia mais próxima de Enzo – o melhor amigo de Miguel, com quem moram –, ela começa a questionar seus sentimentos.


Baseado em fatos reais, de Delphine de Vigan
Editora: Intrínseca / Páginas: 256
Sinopse: Em uma obra em que o leitor é levado constantemente a questionar o que lhe é apresentado, Delphine de Vigan constrói um clima confessional, sombrio e opressivo para expor a obsessão do mercado editorial e do cinema pelas narrativas baseadas em fatos reais. A linha tênue entre verdade e mentira oscila para enriquecer uma poderosa reflexão sobre o fazer literário e questionar as fronteiras entre aparentes dicotomias, como real e ficção, razão e loucura, público e privado. Um livro brilhante, que joga com os códigos da autoficção e do thriller psicológico.



Biblioteca de almas, de Ransom Riggs
Editora: Intrínseca / Páginas: 416
Sinopse: Último volume da celebrada trilogia iniciada com O lar da srta. Peregrine para crianças peculiares. Neste terceiro livro, depois de sofrer com a morte do avô, conhecer crianças com habilidades peculiares em uma fenda temporal e partir pelo mar em uma busca desesperada para curar a srta. Peregrine, Jacob vai finalmente enfrentar a inevitável conclusão dessa turbulenta jornada.

Informações sobre todos os lançamentos da Intrínseca: aqui

Todos os lançamentos da Intrínseca: aqui.

A rosa branca, de Amy Ewing
Editora: Leya / Páginas: 320
Sinopse: A CONTINUAÇÃO DE "A CIDADE SOLITÁRIA" PROMETE SER AINDA MAIS EMOCIONANTE. No livro A Joia, primeiro volume da série "A Cidade Solitária", Violet Lasting é comprada por uma das mulheres mais poderosas da realeza, a Duquesa do Lago, e vai viver com ela na Joia, o círculo onde mora toda a nobreza. Agora, Violet tem de fugir da Joia, do círculo nobre da Cidade Solitária para salvar a própria vida e a do seu amor, Ash. Junto com seu amado e Raven, sua melhor amiga, Violet tenta se libertar da terrível vida de servidão e crueldade. Só que ninguém disse que deixar a Joia seria fácil, e ela terá que passar por grandes obstáculos. No meio disso tudo, a jovem ainda descobre que há uma revolução sendo planejada contra a realeza e que seu papel nisso é fundamental. É hora de Violet descobrir que é muito mais poderosa do que sempre imaginou! A Rosa Branca é o segundo volume da trilogia "A Cidade Solitária" e traz novas e incríveis reviravoltas. Será impossível não ficar ansioso pelo último livro da saga.


Anatomia de um coração, de Jenn Bennet
Editora: Plataforma 21 / Páginas: 340
Sinopse: Beatrix se sente num limbo quando o assunto é relacionamento. Estranha demais para os esportistas, não estranha o suficiente para os geeks. O fato é que ela é uma jovem artista, mas geralmente os rapazes se assustam com um detalhe: seu talento peculiar em fazer ilustrações da anatomia humana. E, na real, ela não está nem um pouco preocupada em se encaixar num padrão. Determinada a ser uma grande ilustradora, ela sabe muito bem o que fará nas férias de verão antes de concluir o Ensino Médio: seguir os passos de grandes mestres como Leonardo da Vinci, ou seja, desenhar cadáveres de verdade. Contudo, enquanto tenta se infiltrar nas aulas de anatomia da universidade, Beatrix conhece um rapaz misterioso que vira seus planos de cabeça para baixo. Jack é encantador, irresistivelmente atraente e… um dos grafiteiros anônimos mais procurados de São Francisco. Entre passeios noturnos, fugas da polícia e palavras douradas dominando a cidade, ela começa a desvendar quem Jack realmente é, assim como o grande segredo escondido sob sua melancolia. E Beatrix também precisa enfrentar os próprios fantasmas, como os problemas financeiros, o pai ausente e a solidão. Numa paixão irreprimível, os dois vão descobrindo um ao outro – e como transformar essa profusão de sentimentos em expressão, arte e amor.

Crensahm, de Katherine Applegate
Editora: Plataforma 21 / Páginas: 224
Sinopse: São tempos difíceis para Jackson e sua família. O dinheiro para o aluguel acabou. E talvez não sobre nada para as compras do mês. Mais uma vez, seus pais, sua irmã e sua cachorrinha terão de deixar o prédio onde moram para viver em uma minivan. Mas, pior do que a falta de dinheiro e as incertezas com relação ao futuro, é a mania dos pais de Jackson de tentarem encobrir os problemas. O garoto é jovem demais para entender a situação, é o que eles pensam. Na verdade, é o que todos pensam.
Todos, exceto Crenshaw. Crenshaw é um gato… um gato gigante e imaginário. E é ele quem vai ajudar Jackson a encarar de frente a dura realidade. No início, o menino tenta rejeitá-lo como um mero produto de sua imaginação, afinal, quem aos dez anos ainda é capaz de ter amigos imaginários? Mas a sinceridade e a sabedoria do gato começam a ecoar em sua vida. Ninguém precisa carregar o peso do mundo sobre os ombros, Jackson menos ainda. E o sarcástico Crenshaw é o companheiro que ele realmente precisa. Alguém imaginário o suficiente para lhe dizer algumas verdades. Com uma narrativa elegante e comovente, Katherine Applegate trata com delicadeza de temas difíceis, como a pobreza e a fome.


Sonata em Punk Rock – Série Cidade da Música #1, da Babi Dewet
Editora: Gutenberg / Páginas: 304
Sinopse: Por que alguém escolheria uma orquestra se pode ter uma banda de rock? Essa sempre foi a dúvida de Valentina Gontcharov. Entre o trabalho como gerente do mercado do bairro e as tarefas de casa, o sonho de viver de música estava, aos poucos, ficando em segundo plano. Até que, ao descobrir que tem ouvido absoluto e ser aceita na Academia Margareth Vilela, o conservatório de música mais famoso do país, a garota tem a chance de seguir uma nova vida na conhecida Cidade da Música, o lugar capaz de realizar todos os seus sonhos.No conservatório, Tim, como prefere ser chamada, terá que superar seus medos e inseguranças e provar a si mesma do que é capaz, mesmo que isso signifique dominar o tão assustador piano e abraçar de vez o seu lado de musicista clássica. Só que, para dificultar ainda mais as coisas, o arrogante e talentoso Kim cruza seu caminho de uma forma que é impossível ignorar.
Em um universo completamente diferente do que estava acostumada, repleto de notas, arpejos, partituras, instrumentos e disciplina, Valentina irá mostrar ao certinho Kim que não é só ele que está precisando de um pouco de rock’n’roll, mas sim toda a Cidade da Música.


Muito mais que o acaso, de Athos Briones
Editora: Gutenberg / Páginas: 160
Sinopse: O amor não tem idade, não tem hora, ele acontece quando você menos espera. Victor é um garoto comum. Estudante de escola pública, ele adora jogar futebol, trabalha para ajudar nas despesas da casa e sonha em proporcionar um futuro melhor para a mãe e para a irmã. Tudo o que ele precisava era de uma oportunidade para que os seus sonhos, enfim, se tornassem realidade. O empurrãozinho do destino chega quando Victor ganha uma bolsa de estudos no melhor colégio de São Paulo, graças ao seu talento no futebol. Perdido em um ambiente completamente novo e muito distante da realidade de sua vida, ele encontra refúgio entre os novos amigos e nos olhos claros de uma garota chamada Sophia, capaz de fazê-lo se sentir parte daquele mundo. Quando a dificuldade de conciliar estudo, trabalho e treinos de futebol começa a cobrar seu preço, quando as pessoas se revelam menos receptivas do que parecem e, para coroar, a mãe de Sophia decide dar um basta no relacionamento dos dois, Victor percebe que vai precisar de muita garra e perseverança para vencer o preconceito e a discriminação e provar que o valor de uma pessoa não é medido pela sua origem, mas por suas ações. Com uma narrativa leve e personagens apaixonantes, Athos Briones nos conduz em seu romance de estreia por uma história em que os dramas e os conflitos da adolescência na fase de transição do último ano do ensino médio ganham a cena, mostrando que a vida é muito mais que o acaso.


Fazendo meu filme em quadrinhos 3: Não dou, não empresto, não vendo!, da Paula Pimenta
Editora: Nemo / Páginas: 88
Sinopse: Um feriado prologado promete agitar a turma da Fani, com viagens e festas. Mas tudo muda quando ela recebe uma incumbência: tomar conta dos sobrinhos pequenos. Sem poder curtir os dias de folga como gostaria, só resta a ela sonhar que um dia sua vida tenha cenas tão emocionantes quanto a dos seus filmes preferidos.



Essa luz tão brilhante, de Estelle Laure
Editora: Arqueiro / Paginas: 208
Sinopse: O pai dela surtou e foi internado. A mãe disse que ia viajar por uns dias e nunca mais voltou. Wren, sua irmãzinha, parece bem, mas já está tendo problemas na escola. Lucille tem só 17 anos, e todos os problemas do mundo. Se não conseguir arrumar um emprego para pagar as contas e fingir para os vizinhos que está tudo em ordem, pode perder a guarda da irmã. Sorte a dela ter Eden, uma amiga tão incrível que se dispõe a matar aulas para ajudá-la. Azar o dela se apaixonar perdidamente justo agora, e justo por Digby, o irmão gêmeo de Eden, que é lindo, ruivo... mas comprometido. Essa luz tão brilhante é a história de uma garota que descobre uma grande força dentro de si enquanto aprende que a vida e o amor podem ser imprevisíveis, assustadores e maravilhosos – tudo junto e misturado.


A senhora do império – A saga do império, volume 3, de Janny Wurts
Editora: Arqueiro / Páginas: 752
Sinopse: A Senhora do Império é a conclusão da trilogia A Saga do Império, um elaborado jogo de intrigas e poder criado pelas mentes afiadas de Raymond E. Feist e Janny Wurts. Em Kelewan, Mara, a Senhora dos Acoma, sente-se segura e em paz pela primeira vez na vida – até que seus inimigos tentam matá-la e acabam tirando a vida de seu filho. Abalada pela tragédia e cercada por espiões, assassinos e casas rivais, ela enfrentará o maior desafio de sua vida e sofrerá ainda mais perdas durante esse trajeto. Em busca de justiça, ela verá seus planos frustrados pela Assembleia de Magos, que detém o poder real do Império e mantém a população dócil e domesticada, e também pelos terríveis Mantos Negros, que encaram Mara como a ameaça suprema ao seu poder ancestral. Então, para assegurar a paz, Mara deverá viajar para além das fronteiras da civilização, desvendando antigos segredos até os portões de Chakaha, a cidade dos estranhos cho-ja. Reunindo toda a sua coragem e astúcia, a Serva do Império iniciará sua maior batalha em nome da sua vida e do seu lar.


Pedra lunar, de Alcimere Dalbone
Editora: Young Editorial / Páginas: 264
Sinopse: O mundo está sendo devastado e a única pessoa capaz de salvá-lo é Elriel, uma feiticeira que não tem domínio de seus poderes. Martin é o feiticeiro que se oferece para treiná-la e mesmo sem confiar nele, os dois terão que seguir juntos numa jornada cheia de aventuras e mistérios. O que Elriel não contava era que fosse ficar perdidamente apaixonada por ele e isto pode ser fatal para ela.



Outros lançamentos da Young: aqui.

Pensei que fosse verdade, de Huntley Fitzpatrick
Editora: Valentina / Páginas: 336
Sinopse: A ilha de Seashell, onde passei minha vida inteira, é tudo isso e muito mais. No entanto, a única coisa que eu quero é ir embora daqui. Gwen Castle nunca quis tanto dizer adeus à sua ilha natal quanto agora: o verão em que o Maior Erro da Sua Vida, Cassidy Somers, aceita um emprego lá como faz-tudo. Ele é um garoto rico da cidade grande, e ela é filha de uma faxineira que trabalha para os veranistas da ilha. Gwen tem medo de que esse também venha a ser o seu destino, mas, justamente quando parece que ela nunca vai conseguir escapar do que aconteceu – ou da ilha –, o passado explode no presente, redefinindo os limites de sua vida. Emoções correm soltas e histórias secretas se desenrolam, enquanto Gwen passa um lindo e agitado verão lutando para conciliar o que pensou que fosse verdade – sobre o lugar onde vive, as pessoas que ama, e até ela mesma – com o que de fato é.



            Muita novidade boa chegando não é? Eu estou ansiosa para ler todos esses (haja lugar na estante...). Mas quais vocês estão curiosos para ler? Deixem aí nos comentários.

Das páginas para o cinema - Jogos Vorazes

Elenco: Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Elizabeth Banks, Woody Harrelson, Liam Hemsworth, Wes Bentley, Stanley Tucci, Toby Jones, Lenny Kravitz, Amandla Stenberg, Alexander Ludwig e Donald Sutherland.
Direção: Gary Ross
Ano: 2012 / Nacionalidade: EUA
Tem um tempo que venho reparando que ainda não falei aqui no blog sobre a série Jogos Vorazes, tanto os livros quanto os filmes. Pensando nisso, resolvi escrever a coluna Das páginas para o cinema sobre o primeiro filme da franquia, que foi o que me apresentou ao universo distópico criado por Suzanne Collins.
Antes de tudo, preciso confessar que, quando assisti Jogos Vorazes, ainda não conhecia os livros. Felizmente, a adaptação foi tão boa, que me despertou o interesse pelos livros e por conhecer mais sobre a história apresentada.
A trama é ambientada em um país chamado Panem, que vivia há anos em um regime totalitário, onde todos os distritos são controlados e explorados pela capital. Como forma de ameaça aos distritos (que já haviam tentado se rebelar no passado), foram criados os Jogos Vorazes: uma competição envolvendo um casal de cada um dos doze distritos, com idades entre 12 e 18 anos, que eram enviados como tributos a uma arena para lutarem até que apenas um sobrevivesse.
Nesse contexto, somos apresentados a Katniss Everdeen, uma jovem de 17 anos, que vivia no distrito mais pobre de Panem, o 12º. Responsável pelo sustento da mãe e da irmã, Katniss acaba se tornando um dos tributos de seu distrito, junto com o jovem Peeta Mellarck. Assim, Katniss e Peeta são separados de suas famílias e enviados a capital, junto com seu estranho mentor, Haymicth, um sobrevivente dos Jogos Vorazes.
Quando Katniss e Peeta chegam à Capital, temos a real dimensão da desigualdade existente em Panem. Enquanto, no distrito 12, tudo o que se via era pobreza e miséria, na Capital, tudo é extravagante e excessivo. Além disso, é possível perceber a total alienação das pessoas, que viam os Jogos Vorazes como puro entretenimento e diversão, sem se dar conta da brutalidade e crueldade envolvidas na competição. Tudo era midiático e conduzido de acordo com os desejos da população da capital; se tratava do famoso "pão e circo" que o governo oferecia aos moradores da capital para aliená-los, ao mesmo tempo que lembrava aos demais distritos o perigo de se rebelarem.
Não gosto muito de comparar livro e filme, pois acredito que uma boa adaptação deve funcionar sem depender da obra original; ou seja, acho que o filme deve ser bom, independente do espectador ter lido o livro ou não. Nesse caso, acho que Jogos Vorazes se saiu muito bem. Quem leu o livro, pode ficar feliz que a essência da história, do universo e dos personagens de Suzanne Collins foi respeitada. Já para quem não é familiarizado com a obra, o filme tem um roteiro inteligente, que consegue apresentar toda a brutalidade daquele regime opressor e levar o público a se importar com o destino daqueles personagens.
Com relação ao elenco, acredito que as escolhas foram absolutamente perfeitas. Jennifer Lawrence interpreta a protagonista Katniss, e não consigo pensar em nenhuma outra atriz capaz de conferir tamanha intensidade à personagem. Ela conseguiu transmitir o sofrimento, o medo e a coragem de Katniss, passando para o público toda a força e determinação da personagem.


Já o Josh Hutcherston tem uma atuação bastante cativante, transmitindo toda a complexidade e sensibilidade de Peeta. Woody Harrelson é muito eficiente na construção do complicado mentor de Katniss e Peeta. Haymicht é, ao meu ver, um dos personagens mais complexos e interessantes da história, e ator foi muito eficiente na construção do personagem, retirando aos poucos a máscara do mau humor e excentricidade, revelando um homem inteligente e com uma grande carga de sofrimento na vida. Por fim, Donal Sutherland está impecável como o Presidente Snow, aparecendo como um vilão controlado e, muitas vezes carismático, mas que transmite toda sua maldade e frieza mesmo nos momentos em que está sorrindo.
O filme é ainda repleto de sequências de ação e momentos de tensão. Temos a sensação de realmente estarmos presenciando um reality show bárbaro e cruel, como se fossemos um dos espectadores em Panem. Acompanhamos os personagens e podemos conhecê-los melhor nos momentos de adversidade e de perigo extremos. Além disso, é impossível não sermos cativados pela personalidade forte de Katniss e pelo carisma de Peeta, torcendo pela sobrevivência dos dois em meio a tanta brutalidade.
Em resumo, Jogos Vorazes apresenta ao público um universo interessante, apesar de cruel. No entanto, seu maior mérito é a complexidade dos personagens, cada um com sua própria carga de sofrimentos e dúvidas. Recomendo muito este filme, que é um excelente início da bem-sucedida franquia, que foi sucesso de bilheteria no mundo todo. 

Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.