Sete livros YA para refletir

19 de abr de 2018



Essa semana, uma marca fez uma ação de marketing um tanto polêmica (para não dizer questionável) que acabou reacendendo o debate sobre os rótulos dos tipos de livros e de leitores. Infelizmente, ainda há quem menospreze os livros contemporâneos, especialmente os Young Adults, e os classifique como rasos e inferiores, não exigindo que o leitor reflita ou se concentre no que está lendo. Pior ainda, tem quem acredite que aqueles que lêem apenas clássicos e livros de autores renomados são leitores superiores aos demais
Em um país em que a maioria da população não lê nada, colocar esse tipo de estereótipos e divisões entre os leitores não contribui em nada para o incentivo à leitura. Além disso, reforça dois tabus perigosos: o de que livros clássicos são cansativos e só quem tem um nível de conhecimento mais avançado conseguirá ler, desestimulando muitas pessoas a conhecerem esses livros; e o de que livros contemporâneos são fracos e não merecem a atenção do leitor, o que, além de um preconceito infundado, ainda leva muitos a menosprezarem obras que nem mesmo conhecem.
Então, pensando em toda essa polêmica, resolvi fazer uma lista com alguns livros YA que trazem temas fortes e importantes, que precisam ser discutidos. São todos livros que, mesmo sendo leituras envolventes e cativantes, abordam assuntos sérios e relevantes para os dias atuais, fazendo o leitor pensar sobre as questões levantadas.

O ódio que você semeia, da Angie Thomas
Inspirada pelo movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam, em tradução literal), a autora Angie Thomas escreveu um romance jovem adulto forte, real e emocionante sobre o racismo e a violência policial nos Estados Unidos. Já saiu resenha sobre ele aqui no blog, na qual eu falei mais sobre o quanto essa leitura foi impactante, mas é um livro que realmente tira o leitor da zona de conforto e o leva a parar para pensar em uma realidade que é tão triste e injusta e que não acontece só nos EUA.

O sol também é uma estrela, da Nicola Yoon.
Uma das melhores leituras que fiz ano passado (resenha aqui), esse livro traz vários temas que são muito importantes e atuais. Protagonizado por uma menina jamaicana cuja família imigrou ilegalmente para os EUA quando ela ainda era uma criança e um menino americano filho de sul-coreanos, esse livro fala sobre identidade cultural, xenofobia, política de imigração e racismo. Acho que não preciso nem dizer o quanto esses assuntos são relevantes, ainda mais depois da eleição de Donald Trump nos Estados Unidos.  Além disso, Nicola Yoon ainda traz uma abordagem sensível sobre como as pessoas estão sempre interligadas e podem afetar as vidas umas das outras de maneira profunda, mesmo daquelas que nem conhecem. É um livro muito delicado e apaixonante, mas que certamente faz o leitor refletir sobre assuntos atuais e muito importantes.

Tartarugas até lá embaixo, do John Green.
Sei que tem muitas pessoas que não gostam do John Green e eu até consigo entender algumas críticas feitas a ele, porém, ele fez um trabalho incrível no seu mais recente trabalho, Tartarugas até lá embaixo. Como já mencionei na resenha sobre ele (aqui), esse livro é muito mais do que sua sinopse deixa transparecer e fala de uma maneira muito real e tocante sobre o Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). Trata-se de um tema bastante relevante, ainda mais que esse distúrbio tem sido banalizado e menosprezado por muitos que acham que só porque não gostam de ver um quadro torto na parede e já falam que têm TOC. Na verdade, esse transtorno é muito, mas muito mais complexo do que isso, e John Green foi extremamente habilidoso em falar sobre o tema e fazer o leitor entender o que realmente é o tema. Foi uma leitura que realmente me tirou da minha zona de conforto e me abriu os olhos para muitas coisas.

A rebelde do deserto, da Alwyn Hamilton
Terminei recentemente esta trilogia e posso dizer que foi uma das melhores que já li. Para começar, a autora apresenta um cenário que não é muito comum vermos retratado nos livros, o deserto, ela traz para a trama vários elementos da mitologia árabe, que é pouco conhecida da maioria das pessoas. Além disso, mesmo se tratando de uma obra de fantasia, ao longo dos três livros, são debatidos temas muito importantes e pertinentes na nossa sociedade, como o machismo e a opressão enfrentada pelas mulheres, e referências à Primavera Árabe e à influência de países imperialistas nos conflitos em países do Oriente Médio. Para quem se interessou, tem resenha dos dois primeiros livros aqui e aqui.

Em algum lugar nas estrelas, da Clare Vanderpool
Quem lê a sinopse desse livro, acha que é uma trama bobinha, quase o roteiro de um filme da Sessão da Tarde. No entanto, como disse na resenha aqui, é um livro cheio de metáforas e reflexões sobre a vida, sobre o crescimento e sobre os sentimentos. Não se trata de uma leitura rasa e muito menos fácil, pois é preciso sair da sua postura de adulto e ter a sensibilidade para enxergar com a história com a inocência das crianças. Protagonizado por dois meninos de 13 anos, que são personagens surpreendentemente complexos, esse livro tem uma história encantadora e cheias de lições, basta o leitor parar para pensar nas reflexões que ficam nas entrelinhas.

A ilha dos dissidentes, da Barbara Morais
Além dos livros jovem adulto, os nacionais sempre enfrentam muitos preconceitos. Então, imagine o quanto os livros jovem adulto nacionais são menosprezados por aí. No entanto, existem vários autores brasileiros muito talentosos e com livros que merecem ser lidos. Um dos meus favoritos é A Ilha dos Dissidentes, da Barbara Morais (resenha aqui). Trata-se de uma distopia com um universo muito original e bem construído, que permitiu à autora explorar temas como a desigualdade, a segregação e o preconceito com as diferenças. É um livro extremamente representativo e que traz várias críticas à nossa sociedade e que fazem o leitor refletir e sair da sua zona de conforto.

Harry Potter, da J. K. Rowling
É óbvio que um livro que inspirou milhares de jovens e adultos a lerem não poderia ficar de fora dessa lista. O simples fato de Harry Potter permanecer formando, até hoje, novas gerações de leitores desde que foi lançado, há mais de 20 anos, já é um forte indicativo de sua importância sobre a literatura. O universo criado por J. K. Rowling é rico, complexo e bem construído, capaz de encantar adultos e crianças. Além disso, é uma obra que fala sobre amizade, preconceito, amadurecimento, dicotomia entre o bem e o mal, e, até mesmo, sobre política e os perigos de um regime extremista e totalitário.

Bônus: É assim que acaba, da Colleen Hoover
Esse livro é um new adult, mas resolvi incluí-la na lista pela relevância dos temas que ele aborda. Dos livros da Colleen Hoover, esse foi o mais profundo e tocante que já li. Ela toca fundo em um assunto muito doloroso, mas que precisa ser discutido. É uma leitura que, mais do que levar o leitor a refletir, desperta a empatia e a sororidade. Acredito que seja impossível ler essa obra e não se colocar no lugar de algumas de suas personagens ou das milhares de mulheres que passam pelas mesmas situações todos os dias. A resenha sobre ele sairá em breve aqui no blog, mas trata-se de um livro intenso, forte, doloroso de ler e extremamente necessário.

Esses foram só alguns exemplos de livros contemporâneos que eu já li e que trazem temas importantes e fazem o leitor sair de sua zona de conforto e parar para refletir. Acredito que precisamos acabar com esses rótulos e preconceitos entre os leitores e entender que o fato de não gostarmos de um livro não significa que ele seja fraco, mal escrito ou irrelevante.
Aproveito também para lembrar que muitos livros considerados clássicos hoje, já foram menosprezados anos atrás. Um exemplo disso é a autora inglesa Jane Austen, que é considerada uma das maiores escritoras da literatura por ter feito um retrato brilhante da sociedade em que viveu, repleto de críticas aos padrões e preconceitos da época, mas cujos livros já foram considerados “de mulherzinha”; obras inferiores que serviam apenas para entreter o público. Então, quem garante que alguns livros contemporâneos que não são valorizados hoje, não se tornarão clássicos futuramente?
Agora, quero saber de vocês o que acharam dos livros Young Adult que eu indiquei, se recomendam outros e o que pensam dessa polêmica envolvendo esses rótulos em relação aos livros contemporâneos. Me contem aí nos comentários, pois vou adorar saber a opinião de vocês. Só peço que não desrespeitem os gostos e opiniões de outros, tá?

18 comentários:

  1. Eu vi várias discussões sobre esse assunto essa semana e fiquei chocada com o que a marca fez. Livros YA é o melhor caminho para atrair novos leitores, além de abordar temas sempre atuais e que precisam ser conversados. Confesso que tenho lido bem pouco do gênero atualmente, mas gostei bastante da sua lista de indicação. Com certeza pretendo ler alguns desses livros esse ano.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
  2. Muito amor em um post.
    Eu tenho todos esses livros, físicos e e-book.
    Tenho visto muitas discussões sobre livros para refletir, livros "fáceis de ler" e afins.. E discordei totalmente da afirmação de que YA são livros fáceis que não requer reflexão e nem demanda esforço. Pelo contrário já li muito YA fantástico, melhor que muito clássico aclamado e inclusive é um tipo de leitura que nunca sai da minha lista, pois vejo nesse estilo que uma grande massa sempre é atingida e acaba angariando novos leitores e sobretudo debates interessantes sobre gênero, sentimentos, conflitos, preconceito.. Entre outros!

    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  3. Achou ridículo rotular leitores, mas enfim. Não é um gênero que eu leia muito confesso, gosto, mas não leio muito, já li alguns dos que citou e achou que ler independendo do gênero que seja tem que ser aplaudido isso sim. Ótima postagem, parabéns.

    ResponderExcluir
  4. A empresa mandou muito mal com essa publicação. É claro que uma empresa não é feita sozinha e não podemos generalizar, mas poderiam ter prestado mais atenção e pensado no impacto e na escolha de palavras. YA é incrível, tem vários que eu gosto e eles ajudam MUITO a refletir sobre problemas que são pouco discutidos
    Amei suas indicações e fico feliz em saber que li a maioria hahahaha <3
    Muito obrigada pelo post

    Beijos
    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  5. Olá Malu, como vai? Amei esse post, mesmo a maioria dos livros sendo YA todos possuem uma história por trás deles que merece ser lida por todos, alguns dos livros citados eu já li e fiz resenha no meu blog, os outros vou procurar comprar para ler também.

    Beijos e abraços
    http://vickyalmeida.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi tudo bem? Adorei suas indicações, eu só li A Rebelde do Deserto e Harry Potter, adorei, obrigado pelas outras indicações, estão anotadas, assim que der dou uma olhada neles também. Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Dos livros mencionados eu quero muito ler O ódio que você semeia, Em algum lugar nas estrelas e É assim que acaba, morro de vontade de conhecer a escrita da Colleen Hoover, então vou aguardar sua resenha. O mesmo acontece com Jane Austen.
    Confesso que nem ligo para os rótulos só fico meio perdida na classificação dos gêneros, lembro quanto era tudo baseado em romance / drama / suspense/ terror / policial e ponto. Bons tempos rsrs.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi Malu, quero muito ler este do CoHo. O Sol Também é uma estrela é ótimo, fora que a capa é linda.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  9. Praticamente TODOS os livros estão na minha lista de desejados, PRINCIPALMENTE É ASSIM QUE TUDO ACABA pois eu amo a CH.
    HP eu já não curto, então é o único que não vai para minha lista.
    Tartarugas até lá embaixo, está bem no topo com o livro da linda CH.
    Amei o post. DICAS LINDAS

    ResponderExcluir
  10. Olha, preciso dizer que fiquei extremamente irritada (pra não usar palavra pior) quando recebi o e-mail da tal marca com o conteúdo de sua "brilhante" ação de marketing. Estou até chateada comigo por não ter feito uma postagem no estilo da sua... Rs... Dos livros que indicou, só li Harry Potter e O sol também é uma estrela, mas todos os que citou tratam mesmo de temas essenciais. Amo YA e nao é à toa que participo de um clube de assinatura que só envia livros desse gênero.

    ResponderExcluir
  11. Oi!
    Amei o post :) Eu quero muito ler "É assim que acaba" e "A Rebelde do deserto", serão minhas próximas leituras.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  12. Ola
    E novamente É Assim Que Acaba em outro post kkkk, apesar de não ser uma leitura que ma chama a atenção no momento ( quero sair um pouco de conteudos de doença e abuso), uma hora vou fazer a leitura . Oas outros livros alguns já estão na minha lista, mas o John Green realmente não consigo kk,
    Adorei o post.
    Bjus

    ResponderExcluir
  13. Eu leio qualquer coisa que me interessa e isso não me rótula a nada.. Só diz que gosto de ler haha acho desnecessário querer rótula qualquer coisa que seja..

    Amei a sua lista, são titulos que eu amo muito ou que estou ansiosa pela leitura 😍

    Beijos Beijos,
    Conta-se um Livro

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem? Eu acompanhei essa "polêmica" e confesso que fiquei bem pistola pois me atingiu em cheio. Consumidora e com orgulho deste tipo de leitura, tentar encaixar as histórias e até mesmo os leitores em quadradinhos fechados é sem noção. Conheço vários NA, YA que MUDAM vidas e nego quer achar que é só uma leitura de entretenimento?! Realmente, existe leituras assim, mas englobar tudo é errado. E se a pessoa só quer ler leitura de entretenimento, ESCOLHA DELA, isso não a faz menor ou inferior a qualquer outro leitor! Como pode ver, acabo me aflorando muito nesse assunto pois recebo diversas vezes olhares questionadores por ler fantasia. É triste ver um grupo que é minoria no Brasil, o grupo de leitores, ter richinha dentro do próprio núcleo. Adorei a sua listinha, concordo com muitos ai, também adicionaria Um Caso Perdido da Colleen Hoover e Jogos Vorazes com seu viés político.
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Olá, a ação da empresa foi mesmo desastrosa. Muito boas as suas indicações, ainda que eu só tenha lido Harry Potter, todas as outras obras mencionadas são leituras que quero fazer.

    ResponderExcluir
  16. Oi Malu
    Também não ligo para rótulos e leio o que tenho vontade.
    Adorei suas dicas. Adoro YA. Desta lista só li Harry Potter e comecei o do Green, mas não curti muito
    Dicas anotadas
    Bjs
    www.maeliteratura.com

    ResponderExcluir
  17. Olá, a sua lista esta perfeita dos que voce listou o único que eu li foi é assim que acaba o resto está na minha lista. E eu acho um absurdo por rotulo para quem ler Clássicos e para quem não ler pois no Brasil são poucas pessoas que são leitores de livros independente se ele seja classico ou não o importante é ler

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bem?
    Eu ainda não li todos os livros dessa lista, mas já li alguns e concordo que são mesmo para refletir. Fiquei contente por ter visto minha futura leitura - A rebelde do deserto - nessa lista.
    Quero ver outras indicções assim por aqui :)
    Beijos

    ResponderExcluir