Encerrando 2019 e definindo as metas de 2020


Olá, pessoal! Feliz Ano Novo para todos vocês! Que esse novo ano seja de muita paz, alegria, saúde, sucesso e, claro, livros maravilhosos. Demorei um pouco, mas aproveitei esses primeiros dias para fazer o planejamento, mas chegou a hora do primeiro post de 2020. Então, hoje vou fazer um balanço das minhas leituras de 2019 e comentar um pouco sobre as minhas metas para 2020.
Então, começando pelas leituras do ano que passou, vou usar as mesmas categorias que respondi no balanço de 2018. E, sem mais delongas, vamos às minhas respostas:

O melhor livro: Vou precisar roubar e citar três nessa categoria, porque não sei escolher entre eles. Para começar, Os noivos do inverno e sua continuação, Desaparecidos em luz da lua. Amei os dois igualmente e para quem quiser conferir os motivos, tem resenha deles aqui e aqui, respectivamente. E outro que foi uma leitura maravilhosa, que me deixou de queixo caído e querendo ler tudo que o autor publicar foi A paciente silenciosa, que também tem resenha aqui.
           
O pior livro: Novamente, não deu para escolher só um. Tem um empate entre Uma nova canção, da Sylvia Day (postei resenha no instagram, aqui) e Agora e sempre, da Judith McNaught. O primeiro foi um livro que não consegui gostar de absolutamente nada, a não ser o fato de que é uma leitura rápida. Já o segundo gostei de algumas coisas, mas ele traz tanta romantização de relacionamento abusivo que também não deu para engolir, como comentei na resenha aqui.
             
A maior surpresa: E, por incrível que pareça, a maior surpresa foi Algo maravilhoso. Como tive sérios problemas com Agora e sempre, chegando a considerar nem continuar a série, foi uma surpresa enorme quando me vi amando o segundo volume. Comentei na resenha aqui o quanto Algo maravilhoso me surpreendeu e foi uma leitura extremamente cativante.
           
A pior decepção: Nunca pensei que Colleen Hoover estaria nessa categoria, mas Um caso perdido foi o tombo do ano para mim. Não que ele seja o pior livro, mas é que nunca esperei não gostar de um livro da Colleen. Já tem resenha sobre ele aqui, por isso não vou explicar muito.
            Mas não posso deixar de mencionar outras duas grandes decepções: The girl from everywhere – O navio além do tempo e A ladra do demônio. Os dois são continuações de livros que eu amei (The girl from everywhere – O mapa do tempo e O último dos magos, respectivamente), por isso fiquei muito frustrada ao não gostar dessa leitura e incluí-las na lista de piores do ano.
             
O livro que mais me fez chorar: Apesar de ser super chorona, não foram muitos livros que me fizeram chorar em 2019. O único que consigo lembrar com certeza foi Uma curva do tempo, da Dani Atkins.
           
O livro que mais me fez rir: Também não foi um ano com muitos livros engraçados. O mais próximo que cheguei disso foi com Uma herdeira apaixonada, porque dei muitas risadas com algumas cenas do Sebastian.

Meu personagem favorito: A Ophélie, de Os noivos do inverno e Desaparecidos em luz da lua. Ela é uma personagem totalmente fora do padrão, com uma personalidade forte e que evoluiu muito nos dois livros.

O personagem mais irritante:  Um embuste chamado Jason, de Agora e Sempre.

Casal favorito: Essa categoria deu empate, porque não consigo escolher entre a Phoebe e o West, de Uma herdeira apaixonada, e os fofos Opélhie e Thorn de Os noivos do inverno. Ambos são casal maravilhosos.

O pior casal: Jason e Victoria de Agora e Sempre, seguidos de perto pela Teagan e o Garret de Um novo coração.

O melhor enredo: Não poderia ser outro que não A paciente silenciosa. Esse livro é um thriller sensacional, com um enredo bem construído e um final que me deixou em choque.

O pior enredo: Um novo coração, sem dúvida. Porém, preciso dizer que o enredo de A ladra do demônio foi tão monótono e com tantas coisas desnecessárias que mereceu uma menção (não muito) honrosa aqui.

O maior livro lido: Pelo segundo ano seguido, Reino de Cinzas (ano passado, li em inglês e também foi o maior do ano). Difícil competir com as 938 páginas desse livro né? Mas foi uma leitura incrível e que justifica cada página desse calhamaço.

O menor livro lido: Crônicas de Morrighan da Mary E. Pearson. Com apenas 128 páginas, esse livro conquistou meu coração e me ajudou a matar a saudade desse universo incrível.

Agora, falando sobre as metas de 2020, fiz uma lista com 12 livros que serão prioridade e algumas “diretrizes” para guiar minhas leituras desse ano. São elas:

- Ler mais livros em inglês
- Ler mais livros nacionais
- Ler mais clássicos
- Concluir algumas séries
- Sair mais da minha zona de conforto
- Desencalhar livros na estante

E foi com base nessas metas que defini 12 livros que pretendo ler em 2020. Não é necessariamente um livro por mês, mas será uma prioridade para mim terminar esses ainda nesse ano.
- Norte e Sul
- Uma tocha na escuridão
- A missão traiçoeira
- Illuminae
- Strange the dreamer
- Little women
- Anjo mecânico
- Dance of Thieves
- Os sete maridos de Evelyn Hugo
- O ceifador
- The wicked king
- Quando a noite cai.

Mas agora quero saber de vocês quais foram as melhores e piores leituras de 2019. Algum dos livros que citei? E me contem também quais são os planos para 2020 e se tem algum livro que querem muito ler esse ano.

Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.