Sorteio - Natal Literário

Final de ano é uma época boa, não é? Como já é tradição, para comemorar o ano que passamos juntos, nada melhor que um sorteio super recheado! O Natal Literário acontece desde 2016 e neste terceiro ano conseguimos reunir mais de 40 blogueiros e bookstagrammers. Nós pensamos nos prêmios com muito carinho e esperamos que gostem do que preparamos para vocês! Preparados?


5 romances de época que eu recomendo



Novembro está chegando ao fim e, com isso, é hora de encerrar a segunda edição do Novembro de Época. E, para finalizar bem o projeto, vou indicar alguns dos meus romances de época favoritos e que eu recomendo para todo mundo.
Porém, antes de mais nada, quero agradecer a Mary do blog Leituras da Mary pelo convite para participar de mais essa edição. Eu adorei poder falar um pouco sobre romances de época que eu adoro e também conhecer novos títulos. Foi um mês bastante especial e já estou ansiosa pela terceira edição.
Mas agora, sem mais delongas, vamos à minha lista com aqueles romances de época que eu recomendo de olhos fechados:

Série As Quatro Estações do Amor, da Lisa Kleypas:
Essa série foi meu primeiro contato com a escrita da Lisa Kleypas e eu não poderia ter começado melhor. Os livros são apaixonantes, divertidos e com personagens totalmente apaixonantes. Meu favorito é o quarto da série, Escândalos na primavera, mas eles devem ser lidos na ordem correta e todos valem muito a pena.
Sinopse do primeiro volume, Segredos de uma noite de verão: “Apesar de sua beleza e de seus modos encantadores, Annabelle Peyton nunca foi tirada para dançar nos eventos da sociedade londrina. Como qualquer moça de sua idade, ela mantém as esperanças de encontrar alguém, mas, sem um dote para oferecer e vendo a família em situação difícil, amor é um luxo ao qual não pode se dar. Certa noite, em um dos bailes da temporada, conhece outras três moças também cansadas de ver o tempo passar sem ninguém para dividir sua vida. Juntas, as quatro dão início a um plano: usar todo o seu charme e sua astúcia feminina para encontrar um marido para cada, começando por Annabelle. No entanto, o admirador mais intrigante e persistente de Annabelle, o rico e poderoso Simon Hunt, não parece ter interesse em levá-la ao altar – apenas a prazeres irresistíveis em seu quarto. A jovem está decidida a rejeitar essa proposta, só que é cada vez mais difícil resistir à sedução do rapaz. As amigas se esforçam para encontrar um pretendente mais apropriado para ela. Mas a tarefa se complica depois que, numa noite de verão, Annabelle se entrega aos beijos tentadores de Simon... e descobre que o amor é um jogo perigoso. No primeiro livro da série As Quatro Estações do Amor, Annabelle sai em busca de um marido, mas encontra amizades verdadeiras e desejos intensos que ela jamais poderia imaginar.”

Seduzida por um guerreiro escocês, da Maya Banks:
Já cansei de falar o quanto esse livro me surpreendeu e não poderia deixar de mencioná-lo aqui. Eu não esperava nada desta leitura, mas encontrei um romance bem construído, com uma protagonista feminina realmente forte e corajosa, e um mocinho daqueles que fazem qualquer uma se apaixonar. Sem dúvida, recomendo de olhos fechados.
Sinopse: “Conheça uma mulher extraordinária cujos dons irão ajudar um rude guerreiro a ouvir o próprio coração Eveline Armstrong é imensamente amada e protegida por seu clã, mas as pessoas a consideram diferente, pois apesar de ser linda e encantadora, a moça sofreu um acidente que lhe causou sequelas não só psicológicas, mas também físicas, visto que ela ficou surda. Satisfeita com sua vida reclusa, ela aprendeu a ler lábios e permitiu que o mundo a enxergasse como uma tola. Contudo, quando um casamento arranjado a torna esposa de Graeme Montgomery, integrante de um clã rival, Eveline aceita seu destino – despreparada para os deleites que viriam. Enredado pelos mistérios de Eveline, cujos lábios silenciosos são cheios de tentação, Graeme vê seu casamento ameaçado devido às rivalidades entre clãs e agora deverá enfrentar inúmeras adversidades para salvar a mulher que lhe despertou tanto amor.”


Como agarrar uma herdeira, da Julia Quinn
Eu adoro os livros da Julia Quinn, mas esse é, sem dúvida, um dos meus favoritos. Ele foge um pouco do padrão dos romances de época que já li, com um enredo repleto de ação e aventura. Além disso, os diálogos são muito engraçados e o casal principal é totalmente cativante. Recomendo muito para quem quer um romance de época com boas doses de humor e ação. Resenha aqui.
Sinopse: “Como agarrar uma herdeira inaugura a série Agentes da Coroa. Quando Caroline Trent é sequestrada por engano por Blake Ravenscroft, não faz o menor esforço para se libertar das garras do agente perigosamente sedutor. Afinal, está mesmo querendo escapar do casamento forçado com um homem que só se interessa pela fortuna que ela herdou. Blake a confundiu com a famosa espiã espanhola Carlotta De Leon, e Caroline não vai se preocupar em esclarecer nada até completar 21 anos, dali a seis semanas, quando passará a controlar a própria herança milionária. Enquanto isso, é muito mais conveniente ficar escondida ao lado desse sequestrador misterioso. A missão de Blake era levar “Carlotta” à justiça, e não se apaixonar por ela. Depois de anos de intriga e espionagem a serviço da Coroa, o coração dele ficou frio e insensível, mas essa prisioneira se prova uma verdadeira tentação que o desarma completamente.”

Volte para mim, da Paola Aleksandra
Uma das minhas leituras favoritas do ano, esse livro não poderia ficar de fora. É um livro que vai muito além do romance, trazendo uma protagonista em uma jornada muito bonita de autodescoberta e dramas familiares realmente tocantes. Fiquei encantada com a escrita da Paola e não vejo a hora de ler outros livros dela. Resenha aqui.
Sinopse: "Aos dezesseis anos, Brianna Hamilton fugiu da Inglaterra para a Escócia, abandonando sua família e as obrigações como herdeira de um duque. Em meio aos prados escoceses, a ovem encontrou refúgio e descobriu mais sobre a mulher que desejava ser. Mas, onze anos após a fuga, uma dolorosa verdade fará com que ela deseje nunca ter partido. Voltar será como relembrar o passado, a fuga, o medo e as escolhas que precisou fazer. E, enquanto luta para reconquistar seu lugar junto à família, Brianna precisará superar Desmond Hunter, melhor amigo e primeiro amor, que anos atrás ela escolheu deixar para trás. Volte para mim é um romance arrebatador sobre recomeços, sentir-se inteira e, acima de tudo, confiar no amor."

Cilada para um marquês, da Sarah MacLean:
Esse foi o primeiro livro que eu li da Sarah MacLean e já bastou para querer ler outros livros dela. Apesar do enredo ser clichê, a autora conseguiu desenvolvê-lo de uma maneira única e apaixonante. Os personagens são bem construídos e os diálogos entre eles são hilários. É um daqueles livros que combinam os melhores elementos dos romances de época em uma leitura leve, envolvente e cativante. Resenha aqui.
Sinopse: “Sophie Talbot é conhecida pela Sociedade como uma das Irmãs Perigosas – mulheres Talbot que fazem de tudo para se arranjar com algum aristocrata. O apelido chega a ser engraçado, pois se existe algo que Sophie abomina é a aristocracia. Mas parece que mesmo não sendo uma irmã tão perigosa assim, o perigo a persegue por todos os lugares.Quando a mais “desinteressante” das irmãs Talbot se torna o centro de um escândalo, ela decide que chegou a hora de partir de Londres e voltar para o interior, onde vivia antes de seu pai conquistar um título. Em Mossband, ela pretende abrir sua própria livraria e encontrar Robbie, um jovem que não vê há mais de uma década, mas que jura estar esperando por ela.No entanto, ao fugir de Londres, seu destino cruza com o de Rei, o Marquês de Eversley e futuro Duque de Lyne, um homem com a fama de dissolver noivados e arruinar as damas da Sociedade. Rei está a caminho de Cumbria para visitar o odioso pai à beira da morte e tomar posse de seu ducado. Tudo o que ele menos precisava era de uma Irmã Perigosa em seu encalço.O Marquês de Eversley está convicto de que Lady Sophie Talbot invadiu sua carruagem para forçá-lo a se casar com ela e conquistar um título de futura duquesa. Já Sophie tenta provar que não se casaria com ele nem que fosse o último homem da cristandade. Mas e quando o perigo tem olhos verdes, cabelos claros e a língua afiada? Essa viagem será mais longa do que eles imaginavam...”

Menção honrosa: Série Os Bridgertons, da Julia Quinn. Acredito que a maioria das pessoas já tenha, pelo menos, ouvido falar dessa série. Por esse motivo, não inclui esses livros na lista. No entanto, O duque e eu foi o primeiro romance de época que eu li e O visconde que me amava é o meu romance de época favorito. Portanto, não poderia deixar mencioná-los aqui e dizer que eu recomendo para aqueles que amam o gênero ou querem começar a ler.

Mas agora quero saber as indicações de vocês. Quais romances de época vocês recomendam de olhos fechados? Algum desses que eu citei também estaria na lista de favoritos de vocês? Me contem aí nos comentários.

[Resenha] Arte & Alma



Sabe aquele livro que já te conquista pela capa? Definitivamente, este é o caso de Arte & Alma, da Brittainy C. Cherry, que foi lançado no Brasil pela Galera Record. Assim que eu vi essa capa, já sabia que queria ler o livro. Como eu já tinha lido outro livro e um conto da autora e gostado muito, a expectativa foi maior ainda.
Para quem não sabe, a Brittainy C. Cherry é autora do best-seller Sr. Daniels e da série ElementosO ar que ele respira, A chama dentro de nós, O silêncio das águas e A força que nos atrai. Lançado no Brasil em outubro, Arte & Alma é um romance Young Adult que, contando a história de dois adolescentes que se encontraram no pior momento de suas vidas, vai mostrar a importância de seguir o coração para se reencontrar.

Autora: Brittainy C. Cherry
Editora: Galera Record
Tradução: Priscila Catão
Páginas: 308
Onde comprar: Amazon
Exemplar cedido pela editora
Sinopse: “O novo livro de Brittainy C. Cherry mostra a necessidade de encontrar-se e valorizar o que tem mesmo quando as coisas parecem desmoronar ao redor. Aria Watson era considerada invisível na escola, mesmo com todo seu talento para arte; em casa era uma boa filha e irmã. Mas tudo mudou quando ela anunciou, aos 16 anos, que estava grávida. E a notícia caiu como uma bomba. Agora ela está aterrorizada e se sentindo mais sozinha do que nunca. Levi Myers mudou-se para Wisconsin para ficar com o pai, que não via desde os 11 anos. Ele precisava se afastar um pouco da mãe e passar um ano com o pai parecia uma boa ideia, mas agora Levi não tem mais certeza. Se a mãe tem problemas, o pai é pior. Dois adolescentes passando por momentos difíceis e que, sem querer, encontram um no outro alguém que compreenda o que estão passando. Os dois estão despedaçados por dentro, cheios de cicatrizes. Mas, nas manhãs no bosque, enquanto tentam alimentar cervos, ou esperando o ônibus para escola, eles compartilham seus medos e incertezas. Levi está dividido entre o pai e a mãe e Aria precisa decidir o futuro do bebê que está gerando. Em palavras, e até mesmo no silêncio, os dois fazem um ao outro um pouco mais fortes. Apaixonar-se não era o plano, mas às vezes é difícil resistir quando alguém parece entender tão bem sua dor e solidão.”

Em Arte & Alma, vamos acompanhar a trajetória de dois adolescentes que se encontraram no pior momento de suas vidas, mas, contrariando as expectativas, vão descobrir um no outro a força para seguirem em frente. Aria tem 16 anos sempre foi a filha perfeita, com um comportamento irrepreensível e notas impecáveis. Na escola, ela era invisível para a maioria dos colegas, mas estava feliz com a amizade de seu amigo de infância, Simon. Porém, tudo estava prestes a mudar e ela sabia que se tornaria alvo da hostilidade dos outros alunos, além de decepcionar seus pais.
Já Levi acabou de se mudar para a cidade a fim de passar um tempo com o pai. Ele tem sido criado pela mãe desde o divórcio deles, mas decidiu se mudar tanto para fugir um pouco dos problemas que enfrentava em casa quanto para tentar resgatar sua relação com o pai. Por traz de uma fachada sorridente e alegre, ele escondia um peso e uma tristeza grandes demais para alguém ainda tão jovem.
Quando os caminhos de Aria e Levi se cruzam, suas coisas os aproximam: o reconhecimento de alguém que também está com o coração cheio de marcas e inseguranças, e o amor pela arte. Aria se encontra quando está pintando, e Levi se expressa através das músicas. Surge, então, uma amizade baseada na compreensão, companheirismo e amor pela arte. Mas quando outro sentimento começa a surgir, eles se perguntam se daria certo se apaixonar quando tudo à volta deles está desmoronando.
“Tínhamos nos tornado as obras-primas das almas mais solitárias do mundo. As cores em nossos olhos morreram de tanto sangrar. E naquele momento percebemos que, às vezes, as obras de arte mais lindas eram criadas pelas almas mais sombrias.”


Como eu já tinha mencionado no início da resenha, esse livro despertou meu interesse por essa capa maravilhosa. No entanto, preciso dizer que a história foi ainda mais linda e me conquistou completamente. A trama pode até parecer clichê, mas os dramas vivenciados pelos personagens são muito reais e isso contribuiu muito para que eu me envolvesse com a leitura. Foi fácil compreender as dificuldades que ambos enfrentavam e, com isso, ter empatia por eles.
A Aria foi uma protagonista que me surpreendeu muito, tanto pela maturidade que demonstrou ao lidar com questões realmente sérias, quanto pelo fato de ter conflitos com os quais muitas pessoas podem se identificar. Além disso, gostei de perceber que, apesar de estar enfrentando uma situação realmente difícil, ela não se deixa abater e tem seus momentos divertidos também. Assim, apesar de ter seus medos e suas dúvidas, Aria está longe de ser uma personagem excessivamente dramática.
“Eu não estava pronta para o amanhecer. Não estava pronta para voltar para casa. Não estava pronta para o fato de que o dia seguinte seria o primeiro dia de aula, e eu seria aquela garota. [...] Aquela que passaria a ser notada não pelo seu jeito artístico, mas por suas más decisões.”
Já o Levi eu queria colocar em um potinho e proteger do mundo. Que personagem mais fofo! Assim como Aria, ele também tem um coração bastante machucado e por motivos muito reais. No entanto, ele tem uma capacidade tão grande olhar para além dos seus problemas e enxergar o próximo que é impossível não se encantar com ele. E, se não bastasse tudo isso, Levi ainda é inteligente e com um senso de humor afiado. Alguma dúvida de quem foi meu personagem favorito da série?
“Pela primeira vez, eu mostrei a Aria quem eu realmente era. Eu lhe mostrei a minha verdade. Em meus olhos, ela viu o isolamento que eu nunca mostrava para ninguém. Ela viu o sofrimento em minha alma que eu escondia por trás de sorrisos e mentiras.”
Mas não pensem que os dois protagonistas foram os únicos personagens importantes no livro. Tanto a família de Aria quanto a de Levi desempenham papeis importantes e tiveram conflitos bem construídos. Em especial, gostei muito do desenvolvimento do pai do Levi. Ele não é um personagem muito carismático, mas foi interessante ir descobrindo mais informações sobre ele ao longo do livro até entender os motivos que o levaram a ser como era.



E o que dizer da escrita da Brittainy C. Cherry? Em meus primeiros contatos com obras da autora, eu já havia considerado a leitura muito envolvente e os personagens bem construídos. No entanto, achei que em Arte & Alma ela conseguiu equilibrar melhor os momentos dramáticos, deixando a leitura mais leve. Além disso, ela teve muita sensibilidade tanto na construção dos personagens individualmente quanto no desenvolvimento do romance, o que deixou a história ainda mais tocante.
“Tantas palavras, mas no fim do dia havia apenas uma que se destacava. Uma palavra que significava céu e inferno, dia de sol e de chuva, o lado bom e o lado ruim das coisas. Era a única palavra que fazia sentido quando tudo ao redor estava confuso, sofrido e implacável.”
Já a edição da Galera Record está impecável. A capa é soft touch e tem uma ilustração lindíssima, que tem tudo a ver com a história do livro. Internamente, é mais simples, mas as páginas são amareladas e a fonte utilizada é bastante confortável para leitura. Além disso, não encontrei erros de revisão.
Deste modo, Arte & Alma foi uma leitura que me surpreendeu por ser mais do que um romance entre dois adolescentes. É um livro sobre o amor em suas diferentes formas, e, principalmente, sobre se encontrar em meio a dor. Brittainy C. Cherry conseguiu escrever um romance Young Adult que, apesar de ser uma leitura leve, é sensível e apaixonante, contando com personagens bem construídos e conflitos muito reais. Para quem ama uma leitura emocionante e apaixonante, não pode deixar de conferir esse livro.


Apaixonada por literatura desde pequena, nunca consegui ficar muito tempo sem um livro na mão. Assim, o Dicas de Malu é o espaço onde compartilho um pouco desse meu amor pelo mundo literário.




Facebook

Busca

Instagram

Twitter

Editoras Parceiras

Seguidores

Arquivos

Newsletter

Populares

Tecnologia do Blogger.